Todas as Cores do Céu – Índia [Legendi Mundi]

Resenha Todas as cores do céu | Tem livros que marcam a história da gente com a literatura. Todas as Cores do Céu foi bem especial pra mim, por alguns motivos.

Primeiro, marcou uma transição continental dentro do Legendi Mundi. Essa obra me levou para a Índia, o primeiro país da Ásia que está aparecendo aqui no projeto de volta ao mundo literária com livros escritos por mulheres.

Segundo, a história me marcou emocionalmente. O livro é muito forte, emocionante, daqueles capazes de transportar a gente para a realidade das personagens.

Por falar em realidade das personagens, acho que esse é o principal gancho, que me fez ficar obcecada pela história, lendo sem parar até descobrir o que viria a seguir.

Eu já tinha ouvido falar e até lido superficialmente sobre as castas na Índia. Oficialmente, o sistema foi abolido em 1950, mas ainda hoje a tradição mantém as diferenças de hierarquia na sociedade.

E o mais chocante no livro é poder acompanhar de perto como os absurdos praticados em nome dessa tradição.

Do começo ao fim do livro, eu só queria saber o que ia acontecer com a menina Mukta. É um livro sobre a cultura da prostituição na Índia, amizade e a luta de mulheres para sobreviver em sociedades patriarcais.

Um livro para Índia: Todas as cores do céu

A história toda do livro Todas as cores do céu se desenvolve a partir do tradicional sistema de castas na Índia – de certa forma denunciando como ele ainda é praticado na sociedade indiana de forma “não-oficial”.

Num pequeno povoado do interior da Índia, a jovem Mukta nasceu como uma devadasi.

O que a tradição dizia era que todas as meninas devadasi deveriam ser consagradas a deusa Yellamma em um ritual sagrado.

Essa celebração selaria o seu destino. Quando atingissem a idade certa, elas passariam a cumprir a função de “prostitutas do templo”. As mulheres devadasi não poderiam casar jamais, e passariam sua vida inteira servindo sexualmente aos homens da comunidade.

E isso determina a vida delas para sempre.

Resenha livro Todas as Cores do Céu, índia - Legendi Mundi
Foto: Fui Ser Viajante

O ritual de consagração das meninas devadasi foi oficialmente proibido na Índia em 1988, no entanto até hoje meninas de povoados remotos, com poucos recursos, continuam a serem consagradas e a cumprir o destino de uma devadasi.

E como mandava a tradição, assim aconteceu com Mukta, como tinha acontecido como sua mãe e com todas as mulheres da família que vieram antes delas. O ritual sagrado selou o destino da pequena Mukta como uma prostituta do templo.

Quando Mukta tinha 10 anos, ela foi levada para a capital Bombaim (atual Mumbai), por um homem que queria salvá-la desse destino. Ela foi criada na sua casa, junto com a filha dele, Tara.

As duas meninas crescem como irmãs, embora nem tudo sejam flores. Em certo momento, a relação é atingida por alguma tensão. Tara passa a ter ciúmes do pai e fica no ar certa dúvida sobre o porquê do pai trazer Mukta para viver em sua própria casa.

A grande reviravolta na história acontece quando Mukta é sequestrada. Quem levou a menina? Tara teve alguma participação no sumiço dela? Onde ela foi parar? O que aconteceu com ela?

Essa tensão se mantem por boa parte do livro e deixa a gente grudada no enredo, sem querer soltar a história.

As respostas só vem anos depois, quando Tara já está adulta e volta dos Estados Unidos para a Índia em busca de respostas.

Nessa busca, Tara tem que lidar com o remorso, enquanto enfrenta a realidade brutal das ruas de Mumbai, a pobreza, o sistema policial, e a tradição desse sistema de castas que controla e explora os mais fracos.

Todas as cores do céu é um livro que abre sua mente para a realidade de tantas mulheres, que já nascem com um futuro cruel impresso junto com a certidão de nascimento.

Ser mulher e ler esse livro é como tomar um soco no estômago. É impactante, revoltante, emocionante, tudo ao mesmo tempo.

Sobre a autora: Amita Trasi

Todas as cores do céu é o romance de estréia de Amita Trasi, lançado em 2017. Procurando na internet, não achei nenhuma outra obra assinada pela autora.

O destaque fica pela força com quem Amita construiu as personagens femininas de sua história. Uma coisa que venho aprendendo lendo os livros do Legendi Mundi é que uma mulher consegue transmitir as vivências e as dores da vida de outra mulher com muito mais verdade e sentimento.

Amita nasceu e cresceu em Mumbai, onde pode acompanhar de perto a vida das mulheres na Índia contemporânea. Hoje ela mora nos Estados Unidos com o marido.

E eu de verdade espero que ela lance mais um livro em breve, porque Todas as cores do céu foi uma das narrativas mais envolventes e impactantes que li nos últimos tempos.

Ficha técnica:
País: Índia | Livro: Todas as cores do céu | Autora: Amita Trasi (Índia, de Mumbai) | Tipo de literatura: Romance indiano | Quando li: 2019.

Gostou da resenha de Todas as cores do céu?

Aproveite que aqui tem mais pra você:

+ Compre seu exemplar de Todas as Cores do Céu
Leia mais sobre o projeto Legendi Mundi, minha volta ao mundo com livros escritos por mulheres.

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *