Uma rápida passagem por Copacabana, na Bolívia

A cidade de Copacabana na Bolívia é a porta de entrada para a mística Isla del Sol. O nome da cidade deriva do dialeto Aymara, e significa ‘vista do lago.

A pequena cidade às margens do Lago Titicaca, cercada pelos montes Calvário e Kesanani, é também conhecida pela sua linda Basílica dedicada a Nossa Senhora de Copacabana, cercada de mitos e lendas que misturam a crença Inca com o Catolicismo. O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

Como chegar em Copacabana na Bolívia

Você pode chegar em Copacabana tanto vindo do Peru quanto vindo da Bolívia. Nós fizemos o percurso usando a linha Cusco – Copacabana, e também testamos a linha Copacabana – La Paz para sair da cidade.

Vindo do Peru

Para chegar em Copacabana, pegamos um ônibus noturno saindo de Cusco. Compramos a passagem Cusco – Copacabana em ônibus direto, numa agência de turismo do centro de Cusco (a mesma onde fizemos os passeios: a Comfort Travel Peru). Pagamos 70 soles cada um (setembro de 2017), e esse preço é um pouco mais do que se paga diretamente na agência Titicaca Tours, na rodoviária de Cusco. Porém, a rodoviária de Cusco fica afastada do centro. Teríamos um gasto extra com deslocamento, fora o tempo para ir até lá só comprar a passagem com antecedência. Achamos que seria uma “economia boba”, e por isso compramos as passagens ali no centro mesmo.

Levamos cerca de 11:30h no percurso. O previsto eram 10h, mas contamos com alguns atrasos de trânsito e imigração. Temos um post com o relato completo do trajeto de ônibus de Cusco a Copacabana.O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

Vindo da Bolívia

Há vários ônibus e vans locais que fazem o percurso La Paz – Copacabana. As saídas são diárias, a cada hora, até as 17h. Apesar de mais barato, o trajeto tem várias paradas pelo caminho.

Nós optamos pelo trajeto em ônibus turístico. Pagamos 35 soles com a empresa Titicaca Tours (setembro de 2017). O percurso dura 3 horas, mas obviamente pode atrasar. Pegamos vários protestos na estrada e levamos mais de 6 horas para cumprir o trajeto. Em La Paz, o ônibus sai da rodoviária no centro da cidade.

Quando o ônibus chega na parte sul do Lago Titicaca, é preciso atravessar de balsa o Estreito de Tikina. Todos descem do ônibus e paga-se mais 2 bolivianos para fazer a travessia em pequenos barcos a motor, entre os ancoradouros dos povoados San Pedro de Tikina e San Paulo de Tikina, um de cada lado do lago. O ônibus atravessa em uma balsa maior e a quantidade de veículos fazendo a travessia pode atrasar um pouco sua viagem.O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

Enfim, Copacabana!

Os ônibus e vans que chegam em Copacabana desembarcam na Praça Sucre. A cidade é pequena, e exatamente ao lado da Praça fica a principal avenida do povoado: a Avenida 6 de agosto. Nela, você vai encontrar vários restaurantes e muitas, muitas agências de turismo. Logo na esquina da praça, fica o escritório da empresa Titicaca Tours, onde compramos a passagem do ônibus para La Paz no dia seguinte. É sempre uma boa ideia reservar com antecedência!O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

Copacabana na Bolívia: primeiras impressões

Copacabana era apenas uma breve passagem. Naquela mesma noite, já tínhamos hostel reservado na Isla del Sol. Então nossa primeira providência foi procurar as empresas que ofereciam translado até a ilha mais procurada da Bolívia.

Mochilão nas costas, fomos descendo a ladeira da Avenida 6 de agosto. Paramos em algumas agências de turismo, perguntando o preço do barco e os passeios disponíveis.Como ir de ônibus de Cusco a Copacabana

Perguntei pela trilha Inca, que cruza a Isla del Sol de Norte a Sul. Por anos, a trilha foi o principal atrativo para os viajantes, pela possibilidade de conhecer as ruínas dos dois lados da ilha, e paisagens incríveis. Eu tinha pesquisado e visto que, infelizmente, a trilha estava fechada há meses, por conflitos entre o povo do Norte, do Sul e do centro da ilha. E todo mundo confirmou essa informação. Nada de Trilha Inca pra gente, então.

Agora precisávamos achar um transporte para ir para até o lado sul da Isla del Sol, onde ficava o nosso hostel.

Como ir de Copacabana a Isla del Sol

1 – Isla de la Luna + Isla del Sol em barco privativo

Era minha primeira opção, porque eu tinha curiosidade de conhecer as duas ilhas vizinhas, tão importantes para os Incas. Meu desejo caiu por terra logo que o atendente pediu 600 bolivianos por fazer o tour em barco privativo.

2 – Barco comum (só ida)

Diariamente, existem dois horários de barcos que saem de Copacabana em direção a Isla del Sol: 8:30h e 13h. Para quem vai pernoitar na ilha, eles vendem a passagem só de ida por 20 bolivianos. Eles te desembarcam no porto de sua preferência, no lado norte ou no lado sul. Para voltar, é preciso comprar a passagem no porto da ilha, por 25 bolivianos. Diariamente, há duas saídas para Copacabana, às 10:30h e às 16h.

3 – Bate-e-volta em Isla del Sol + guia

Você compra a passagem de ida e volta, e pode escolher o opcional de um guia, para conhecer ou o lado sul ou o lado norte da ilha. Essa opção é boa para quem pega a primeira saída do barco, de manhã. Para quem vai no barco das 13h, eu considero pouco tempo, já que o último barco de volta sai de Isla del Sol às 16h. Mesmo assim, muita gente que vinha no mesmo barco que nós, às 13h, escolheu essa opção de bate-e-volta. Para quem tem pouco tempo e não pode pernoitar na ilha, é uma opção a considerar. O custo da passagem ida-e-volta é de 35 bolivianos (sem guia).
O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

E o que a gente escolheu?

Com nosso hotel reservado no lado sul da Isla del Sol, descartamos a opção de passeio bate-e-volta de um dia + guia. Compramos a passagem só de ida, para desembarcar no lado sul. A saída do barco era às 13h, então era hora de almoçar e explorar um bocadinho de Copacabana.

Leia mais:
+ Isla del Sol, um lugar mágico na Bolívia

Onde comer em Copacabana:

Recém-chegados na Bolívia, resolvemos seguir as recomendações de cuidado com a procedência dos alimentos, e evitamos a comida de rua.

Para almoçar, escolhemos o restaurante Wali Suma, na Avenida 6 de agosto. Optamos pelo menu turístico completo (uma opção bem tradicional nos países de língua espanhola na América do Sul). Sopa de entrada, prato principal e sobremesa. Obviamente, eu escolhi a opção da truta do Lago Titicaca. Tomamos cervejas bolivianas e pagamos, por tudo, 75 bolivianos, incluindo a gorjeta. A comida não era nada espetacular, mas o preço foi justo e a comida não nos fez mal, o que é mais importante.O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

Na volta da Isla del Sol, fizemos um lanche no restaurante La Choza, perto da praça Sucre. A decoração do restaurante era linda, mas a comida foi uma completa decepção. Pagamos 76 bolivianos (incluso gorjeta), por um café ruim, dois sanduíches de bacon (que só tinham bacon e salada, nada de carne) e uma limonada, que foi a única coisa mais decente da refeição. Altos e baixos, fazer o quê? Pelo menos nosso maior medo, que era passar mal, novamente não aconteceu. Começamos a ficar mais destemidos hahaha.O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

A cidade é pequena e não tem muitos atrativos. O grande foco de todo mundo que está ali é conhecer o Lago Titicaca e embarcar pra a Isla del Sol.

Para explorar Copacabana, comece pela Avenida 6 de Agosto. Descendo, você vai passando pelos restaurantes e hostels até encontrar com ele, o enorme azul do Lago Titicaca. Na margem, está o monumento Avaroa, uma grande âncora branca. Olhando para o azul profundo das águas, você vê o infinito pontilhado de barquinhos ancorados. Ao longo da margem do Lago Titicaca, mais restaurantes, hospedarias e muita gente conversando, fazendo festa e passando tempo. O ponto de encontro para saída dos barcos para Isla del Sol é ali perto do monumento Avaroa.O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

Se você seguir para o outro lado, subindo a Avenida, você passa por vários restaurantes menos turísticos, lojas de artesanato e roupas, até chegar em outra praça: a 2 de Febrero, a principal de Copacabana. Ao lado da praça, está o orgulho da cidade: a Basílica de Nossa Senhora de Copacabana, uma relíquia do século XVI.O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

A Basílica de Nossa Senhora de Copacabana na Bolívia: uma atração à parte

A Basílica é o grande orgulho da cidade. E já impressiona por fora. Em estilo renascentista, tem uma arquitetura diferente de tudo que vemos em Copacabana. Sua brancura imponente se destaca, também pelo tamanho da construção. Claro que o prédio como o vemos hoje não é o original: a igreja foi reconstruída e ampliada ao longo dos anos, para receber os fiéis bolivianos e peruanos, num dos raros momentos em que esses dois povos dão-se as mãos: no culto à Virgem de Copacabana.

Dentro da igreja fica a imagem da padroeira da Bolívia, Nossa Senhora de Copacabana. Mas não é qualquer imagem! A obra foi talhada por Francisco Tito Yupanqui, descendente direto da linhagem real Inca, que se converteu ao catolicismo. Numa bonita miscigenação de culturas, vemos que em muitos momentos há um paralelo entre a adoração à Virgem e à Pachamama, a mãe-terra Inca. A bonita imagem tem a pele morena, como o povo da região e é ricamente enfeitada com ouro e jóias.

Na porta da igreja, está talhada a história de Tito Yupanqui. Não se pode tirar fotos de dentro da Basílica por respeito ao templo religioso, mas recomendo fortemente a visita.  O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

Uma curiosidade interessante:

No século XVII, comerciantes espanhóis trouxeram ao Brasil uma réplica dessa famosa imagem de Nossa Senhora de Copacabana. No Rio de Janeiro, foi edificada uma pequena igreja para abrigar a imagem. A igreja foi crescendo, e acabou batizando o bairro. Quem diria que a mundialmente conhecida Copacabana carioca é, na verdade, filha dessa, menor e menos glamourosa cidade boliviana?

Tem mais tempo? Anote mais uma atração em Copacabana na Bolívia!

Se você ainda tiver algum tempo para passear pela cidade (e bastante disposição), pode visitar o mirador do Cerro Calvário. Nós não conseguimos fazer esse passeio. Mas pelas fotos, a vista lá de cima é bem bonita!

O Cerro Calvário fica ao lado direito de quem vem descendo a Avenida 6 de Agosto, em direção ao Titicaca. Para lá, os fiéis de Copacabana se dirigem em peregrinação, carregando pedras que representam os seus pecados. Se eles fazem como penitência, já dá pra imaginar que a subida não é fácil, né? Suba devagar, afinal você está a mais de 3000 metros de altitude!O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

Seguindo para Isla del Sol

Nossa passagem por Copacabana foi curta, e conseguimos apenas explorar os arredores da Avenida 6 de Agosto e a orla do Lago Titicaca. Já está na hora de entrar na fila, com o pé na areia que margeia o maior lago navegável do mundo, para embarcar rumo à mágica Isla del Sol!

Salve esse post no seu Pinterest pra lembrar do nosso site sempre que for planejar sua viagem! 😊

O que ver e fazer em Copacabana na Bolívia

Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Analuiza disse:

Oi, Klécia… estou gostando tanto de ler sobre as aventuras de vocês pela América do Sul… Bolívia e Peru são dois países que não conheço e percebo agora o tamanho de minha ignorância em relação a eles. FSV está me ensinando muito! 🙂

A passagem de vocês pela Bolívia sempre me deixa a forte sensação de aventura! 🙂

Achei curiosa esta velha Copacabana – também não sabia sobre a derivação carioca – suas imagens. Em alguns momentos ela me lembrou Playa del Carmen no México, em outro algumas cidades litorâneas na Bahia e até a Itália! 🙂

Achei a Basílica tão interessante, sua estrutura… Imagino que maravilha não deve ter sido ver a interação entre a Virgem e Pachamama!!!!!

Vou continuar viajando com vocês por estes lugares tão interessantes! bjus