O que fazer em Viña del Mar: roteiro pelas principais atrações da Cidade-Jardim

Sabe aqueles lugares que marcam a vida da gente? Viña del Mar é um dos meus lugares favoritos no mundo, porque foi nessa charmosa cidade do litoral do Chile que eu encontrei o Oceano Pacífico pela primeira vez 💙

A Cidade-Jardim, como é conhecida no Chile, é um dos principais destinos turísticos do país, especialmente por conta de suas praias, que são sempre lindas – seja inverno ou verão. Mas com uma economia voltada inteiramente para o turismo, os atrativos de Viña não param por aí. A cidade conta com uma ampla rede hoteleira, uma boa variedade de restaurantes, prédios com uma linda arquitetura, museus e cassinos. Uma cidade turística por vocação.

[row][double_paragraph]

Viña del Mar

Quando ir?

Viña del Mar pode ser visitada durante o ano inteiro. Os meses de verão e primavera são mais concorridos por quem procura as praias da região. Mas mesmo fora de temporada, a cidade é cheia de vida e movimento. Com uma economia baseada em turismo, vemos hotéis, restaurantes e atrações em pleno funcionamento durante o ano todo. Anualmente em fevereiro, a cidade é movimentado pelo Festival Internacional de la Canción.

[/double_paragraph][double_paragraph]

Viña del Mar

Como chegar?

Viña fica localizada a aproximadamente 130 km de Santiago. As melhores formas de chegar à cidade são de carro ou de ônibus (por conta própria ou em excursão). Vindo da vizinha Valparaíso, o acesso é pelo trem metropolitano Merval. No post Viña del Mar e Valparaíso: dicas para organizar um bate-e-volta saindo de Santiago, a gente conta em mais detalhes todas as dicas para chegar na Cidade-Jardim.

[/double_paragraph] [/row]

Viña del Mar

O casino de Viña.

O que fazer em Vida del Mar: principais atrações

Viña del Mar

O moai no Museu Fonck.

Dá pra conhecer as principais atrações da cidade em um passeio de um dia, o que faz de Viña uma excelente opção de bate-e-volta saindo de Santiago, juntamente com sua vizinha Valparaíso.

Se você tem mais tempo, não hesite em pernoitar na cidade e aproveitar as interessantes opções de hospedagem e gastronomia da cidade, além de aproveitar as belezas do balneário sem pressa.

Para quem tem apenas um dia, segue a lista com as principais atrações que visitamos na cidade. Fizemos esse trajeto a pé, mas aviso que é preciso um bom bocado de disposição, porque a cidade tem boas subidas e descidas, e algumas atrações são um pouco afastadas.

Nosso cronograma: 

Saída de Santiago (Terminal Alameda): 7h.
Chegada na rodoviária de Viña: 9h.
Atrações em Viña (percurso a pé): 9h às 13h
Almoço em Viña: 13h.
Trem metropolitano em direção a Valparaíso: 14h.

1 – Parque Quinta Vergara

Depois de andar um pouco pelo centro e arredores da rodoviária, seguimos para o Parque Vergara, uma das principais áreas verdes de Viña. No seu interior ficam o Museo Nacional de Bellas Artes (que funciona dentro do Palácio Vergara), e um grande Anfiteatro, com capacidade para 16 mil pessoas, onde acontece, em fevereiro, o Festival Internacional de la Canción de Viña del Mar, realizado anualmente desde 1960. O festival é uma das principais atividades turísticas da cidade, trazendo milhares de turistas à cidade – e deixando tudo mais caro nessa época.

Viña del Mar

O auditório do Parque Quinta Vergara.

2 – Museus

Nossas próximas paradas foram em duas atrações bem culturais. Pra você que não dispensa um bom museu nas cidades que visita, tenho dois muito bacanas para indicar em Viña del Mar:

– Museo Palacio Rioja
Endereço: Quillota, 214 | Horários: terça a domingo, 10h-13:30h e 15h-17:30h.

Só a arquitetura e os jardins desse Palácio valem a sua visita. A construção, erguida em 1906, tem estilo neoclássico francês, e funcionou como residência do banqueiro espanhol Fernando Rioja. No interior, que possui peças de mobília que pertenceram ao antigo proprietário e que foram trazidas diretamente da Europa, hoje funciona um importante e rico museu de artes decorativas.

A arquitetura do palácio já sofreu grandes destruição por conta dos terremotos de março de 1985 e de fevereiro de 2010, no Chile. O processo de restauro, nas duas ocasiões, foi longo e cuidadoso. Inclusive, quando visitei Viña (2014), o interior do museu estava ainda em reforma. A reinauguração só aconteceu em 13 de maio de 2016. Então, se eu fosse você, também não perdia a oportunidade de fazer a visita interna. A entrada é grátis!

Viña del Mar

Palácio Rioja.

– Museo Francisco Fonck | Site
Endereço: Cuatro Norte, 784 | Horários: segunda: 10h-14h, 15h-18h. Terça a sábado: 10h-18h. Domingo: 10h-14h.

O Museu Fonck possui uma excelente coleção de peças arqueológicas e etnográficas relacionadas à Ilha de Páscoa. A mais impressionante delas é um autêntico moai (sabe as clássicas estátuas rapa nui da ilha?), que fica no jardim do museu. Existem apenas DOIS moai fora da Ilha de Páscoa (que fica a 3,5 mil quilômetros da costa do Chile!), e um está aqui. Você vai perder? A entrada custa $2700 pesos chilenos (adultos).

Viña del Mar

3 – Casino de Viña del Mar
Endereço: Av. San Martín, 199 | Horários: 24h.

A próxima parada é um clássico de Viña: o suntuoso Casino Viña del Mar, o cassino mais antigo do Chile. Inaugurado em 1930, o cassino funciona 24 horas por dia, junto a uma estrutura gigante de hotel-resort, com vários restaurantes, boates e bares. Apenas maiores de 18 anos podem frequentar o cassino, pagando uma taxa de entrada. Não visitamos o interior do cassino.

Viña del Mar

O luxuoso Casino de Viña del Mar

4 – Praias – Conheça o Pacífico!

As praias do centro de Viña – Casino, Acapulco, El Sol e Blanca, são todas muito disputadas no verão. São as praias que eu recomendo conhecer num bate-e-volta, porque ficam mais próximas das outras atrações.

Meu encontro com o Pacífico aconteceu na Playa El Sol, a praia onde fica o Muelle Vergara, que aparece sempre nas fotos de Viña. A praia El Sol fica ao lado do Borde Costero, uma orla linda e arborizada, com um enorme relógio de sol que se destaca em frente ao mar.

Pra quem tem mais tempo na cidade e quiser conhecer as outras praias, basta seguir pela orla. Você vai encontrar a Playa Cañones (onde funciona o museu de canhões de Viña del Mar), a Playa del Deporte, a Playa Las Salinas e a Playa Reñaca, esta última uma das mais visitadas pelos turistas jovens, com muitos bares, restaurantes e baladas. Por último, ainda tem a Playa Cochoa.

A orla é super agradável para um passeio, e as praias são bonitas. Mas tudo tem um contra, né? Por influência da corrente de Humboldt, todas as praias de Viña têm águas muito frias, mesmo nos dias mais quentes do verão. Vai encarar? Eu não fui tão corajosa, só dei uma olhadinha nos pés e mãos! 😝

Viña del Mar

5 – Castillo Wulff
Endereço: Av. Marina, 37. Horários: terça a domingo, 10h-13:30h e 15h-17:30h.

Para chegar no Castillo Wulff, você precisa atravessar a Ponte Casino (praticamente em frente ao Casino Viña del Mar), e seguir em direção a Valparaíso. Prepare o fôlego, porque até hoje lembro da nada amigável subida dessa parte do trajeto. A recompensa vem em forma de brisa do mar, e a linda vista do Pacífico durante o percurso!

A arquitetura do Castillo Wulff se destaca na orla de Viña. O castelo, com traços de estilo franco-germânico, foi construído a pedido do comerciante alemão Gustavo Wulff, em 1906. O comerciante usou o castelo como residência até o dia de sua morte, em 1946. Anos depois, a municipalidade de Viña adquire a propriedade, que já foi sede do Museo Naval de la Armada de Chile, e hoje abrigam centro cultural e artístico, que recebe exposições temporárias de arte, com entrada gratuita.

Infelizmente visitamos o Castillo próximo à hora do almoço, então não conhecemos o seu interior. Parece ser belíssimo – contando inclusivo com uma área de piso de vidro, que permite ver as ondas quebrando nas pedras. Na área externa, uma pedra alta faz as vezes de mirante e proporciona uma linda vista da orla.

Viña del Mar

6 – Reloj de Flores 
Endereço: Alamos, 590.

Nossa última parada em Viña del Mar. O relógio de flores é o mais famoso cartão-postal da Cidade-Jardim. Ele fica bem próximo à Playa Caleta Abarca, no final da Av. España (que liga Valpo a Viña). Os ponteiros de bronze, com mais de 3 metros, chamam atenção. O mecanismo de funcionamento foi trazido da Suíça, e o Reloj de Flores foi inaugurado em 1962, para a Copa do Mundo de futebol no Chile, já que Viña foi uma das cidades-sede.

O relógio de flores fica numa praça super bem cuidada da cidade. Conta a lenda que quem tira uma foto ali retorna a Viña. Acho que todo mundo gostou da ideia, porque a praça vive cheia de turistas disputando o melhor ângulo.

Depois de visitar o relógio, seguimos para a Estação Viña del Mar do Merval para seguirmos para Valpo. No caminho, paramos para almoçar, mas não vou recomendar o lugar – cujo nome até já esqueci – porque infelizmente não gostei muito da comida nem do serviço.

Viña del Mar

Um último suspiro por Viña del Mar

O charme e a classe de Viña me encantou. Achei a cidade muito organizada e convidativa, gostaria de voltar com certeza (e estou torcendo pra lenda da foto do relógio dar certo!) Nossa despedida da cidade, a caminho de Valpo, tem um gostinho especial. O trajeto de Merval entre as cidades dura cerca de 20 minutos. A estação Viña del Mar é subterrânea, mas alguns minutos depois o trem já emerge para a superfície e segue ladeando o Pacífico e a Avenida España, que conecta as duas cidades. Com essa uma última visão da cidade, é impossível não recordar Viña (e meu primeiro encontro com o Pacífico) cheia de saudades 🙂

Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Júlia disse:

Olá, eu e meu marido vamos em janeiro (verão) e estamos na dúvida se passamos o dia todo em Vina del Mar ou metade do dia como vocês fizeram (+ Valparaíso). Poderia nos dar uma dica de onde almoçar em Vina del mar? Adorei seu post! Tudo anotado! Abraços

Klécia disse:

OI Julia! Se você tiver tempo, pode passar um dia por lá, que dá pra conhecer tudo com mais calma.A gente acabou passando um pouco de meio dia para cada cidade aqui nesse roteiro, porque como a gente foi pernoitar em Valpo, ficamos em Viña mais tempo, até um pouco depois do almoço. Mas com certeza hoje ficaria com mais calma, a cidade é linda e vale conhecer sem pressa. Da mesma forma é Valpo, bem diferente, mais street art mas vale a visita se você tem interesse em conhecer os dois lados. Para refeições, tem dois restaurantes que valem a pena conhecer: o Sativo Restaurant, super recomendado na cidade, e o Selk’fe Patagonia, um pub com cervejas artesanais e comida e ambiente super lindo. Boas viagens!

Nossa, já faz tento tempo que fomos para Vina, que sdds. Muito bom reve-la pelo seu post.

Klécia disse:

Uma delicia relembrar, Edson 🙂

Post favoritado, Klecia!!!!
Serà muito ùtil!!!
Comecei a montar meu roteiro pelo Chile e estou seriamente pensando em pernoitar pelo menos 1 noite na cidade para não fazer bate e voltas corridos!

Klécia disse:

Vale muito a pena, Ju! Viña tem muitas opções de hospedagem e ficar pela cidade tira a correria da viagem! Vale a pena!

Rafaella disse:

Ah que saudades daí!!! =)

Klécia disse:

Demais né? 😀

Viajante Comum disse:

Estive apenas uma tarde em Viña e só deu pra conhecer metade dessas atrações! Adorei as dicas! Beijos!

Klécia disse:

Ain, quem sabe uma volta qualquer dia? EU já quero voltar também!

Flávio disse:

Olá Klécia!

Vou te falar que demos um bobeira muito grande quando fomos conhecer Viña e Valparaíso: nós fomos em um passeio de uma agência. =(

A Geisi, minha esposa, e eu sempre optamos por conhecer as coisas por conta própria pra não ter que gastar muito e pra fazer o roteiro conforme nos dá na telha. Mas dessa vez contratamos o passeio porque ficamos receosos de andar com um carro alugado por Valparaíso. O passeio foi muito corrido, paramos em lugares nada a ver e não aproveitamos a cidade como queríamos… enfim, temos que voltar haha

Um abraço e parabéns pelo post!

Klécia disse:

Eu sempre prefiro fazer por conta também, pelos mesmos motivos. De fato, Valpo pareceu meio confuso para carros, mas Vina parece bem tranquilo. Como a gente fez tudo a pé, ficou meio cansativo mas totalmente valeu a pena!

Marlise disse:

Estou planejando uma viagem p Viña del Mar, quanto tempo é o ideal p ficar na cidade? Vocês tem alguma dica de trilha perto da cidade?

Klécia disse:

Um dia é suficiente pra ver tudo, e dois dias dá pra aproveitar o clima da cidade com calma. Trilhas perto de Vina eu não conheço, Marlise. Mas vale fazer a caminhada pela costa, conhecendo todas as praias. É um passeio longo mas com paisagens incríveis!

Keul Fortes disse:

Adorei as dicas! Fiquei com vontade de conhecer Viña del Mar. Estou planejando ir a Santiago e quero deixar um dia para conhecer a cidade. Irei usar suas dicas! =) Parabéns!

Klécia disse:

Obrigada Keul! Tomara que você aproveite bastante!

Interessante o moai no Museu Fonck. Ótimas dicas de passeio. Gostei do roteiro. Todo post muito bem organizado! Obrigado por compartilhar conosco.

Klécia disse:

Obrigada a você, Cleber, pela visita e comentário! 😀

Parabens pelo post. Adorei!
Fiquei com vontade de conhecer, principalmente o cassino

Klécia disse:

Um luxo esse Cassino né? Cartão postal da cidade!

Ana disse:

VIña realmente é muito interessante, mas também não tive coragem de entrar no mar frio. rsrs

Klécia disse:

Gelado demaissssss, só deu pra molhar os pezinhos 😀

Adorei o post, amei as fotos e deu uma saudade grande! 🙂
Viña é uma cidade bem legal mesmo né? E com a vizinha Valparaíso formam uma dupla de puro charme.

Klécia disse:

Viña tem um charme lindo demais. Valpo também tem muito sentimento. Eu morro de vontade de voltar por lá!