Fui Ser Viajante

Restaurante Empório Jardim no Instituto Moreira Salles: começando o dia com café e arte | Rio de Janeiro

Jardins de Burle Marx, no Instituto Moreira Sales.

Compartilhar

Eu sou daquelas que adora café da manhã. Começar o dia com comidinhas deliciosas me deixa animada pelo resto do dia. A melhor coisa do final de semana de folga e preguiça é encontrar um novo cantinho na cidade que serve a refeição mais alegre do dia. Um convite pra um brunch (breakfast + lunch, do inglês, ou em bom português aquela refeição no final da manhã, que faz as vezes de café da manhã e almoço) me tira da cama rapidinho.  🙂

Eu fui atraída ao Instituto Moreira Salles (IMS) exatamente pela barriga. Procurando novos lugares pra um ‘brunch feliz’, acabei caindo na página do Instagram do Empório Jardim, que mostrava várias guloseimas tentadoras em fotos lindas, o que me empolgou logo de cara. 

Quando fui procurar onde ficava o restaurante, minha alegria duplicou imediatamente ao descobrir que uma das unidades do Empório Jardim fica instalada dentro do Instituto Moreira Sales, na Gávea. Eu como recém-adotada pelo Rio, não conhecia o Instituto e fui logo procurar na internet os detalhes sobre o lugar.

O IMS foi fundado pelo banqueiro Walther Moreira Salles, em 1990. Ele tem sedes em São Paulo e no Rio. Aqui no Rio, o Instituto ocupa a mansão onde morou a família do próprio Moreira Salles. E a casa em si já vale uma visita: construída entre as décadas de 1940-1950, tem ares de arquitetura moderna, um bonito jardim projetado por ninguém menos que Burle Marx e é toda circundada por um trecho bem preservado de Mata Atlântica. 

Ao fundo, dá pra ver as mesas de café da manhã nos Jardins.

Tem lindas carpas no lago 🙂

O Instituto Moreira Salles é uma importante referência artística e cultural na cidade, principalmente na área de fotografia. O Instituto é curador de mais de 800 mil imagens, incluindo coleções de ícones como Marc Ferrez, Marcel Gautherot, José Medeiros, Hans Gunter Flieg e Otto Stupakoff. As obras desses artistas são importantes testemunhos de nossa sociedade no século XIX e XX. Este acervo fabuloso (são 40 coleções, sendo 19 de obras completas dos fotógrafos) credencia o IMS como a mais importante instituição de fotografia do país.

E quer saber o melhor? A visita a tudo isso é completamente GRATUITA! Isso mesmo! A gente não paga nada pra visitar o IMS. Fala pra mim: a ideia de ir sair para um brunch delícia no final de semana e poder visitar tudo isso – no mesmo pacote – é ou não é perfeita?

 O Empório Jardim tem outro endereço no Rio, no bairro do Jardim Botânico. Mas se eu fosse você, não perderia a oportunidade de visitar a unidade do IMS, por motivos de: coisa linda demais pra ver!

Visitamos o Empório Jardim num sábado. Chegamos por volta das 10:30 h., e conseguimos uma mesa de cara. Mas o fluxo de gente indo e vindo é bastante grande, então pode ser que ocasionalmente tenha uma espera. O restaurante tem duas áreas, uma interna – onde a gente ficou – e uma externa, de cara pro jardim do Burle Marx. Eu queria mesmo ter sentado lá fora, mas esfomeada como sou sentei logo na primeira mesa que vi e só me dei conta da existência da área externa quando já estava no meio das comidinhas haha. Ficou pra outra vez.

O atendimento lá funciona por comandas. Eles te entregam uma folhinha com as opções do cardápio e uma caneta. Você marca o que vai querer. O preço de tudo está do lado, então dá pra ter uma ideia de quanto vai custar e escolher sabiamente 🙂 Os pratos são servidos sempre na ordem: bebidas e entradas/frios primeiro, depois os pratos quentes. Isso é ótimo pra não lotar a mesa e pra gente ir comendo sem pressa, sem medo da comida esfriar.

Não dá pra dizer que as opções são baratas, não. O preço é um pouquinho acima da média, mas como compensação tudo é absolutamente delicioso! Não teve nada que pedimos que não estava incrivelmente gostoso! Eu escolhi o creme de abacate (R$10,50), que estava muito bom, e a canoinha com muçarela de búfala, tomate e manjericão (R$17,50) que me deixou completamente satisfeita – e bem feliz. Pra beber, pedi um Chá do Jardim gelado (R$7,80), que era bem saboroso e veio geladinho.

As escolhas de Rafa foram o Iogurte do Jardim (R$7,90), que é feito na casa e estava uma delícia, com aquela consistência e frescura que só quem já provou iogurte fresquinho sabe qual é. Ele pediu também ovos fritos com bacon (12,50) e direto da chapa, a baguetinha com manteiga (R$5,60), e gostou de tudo. Pra beber teve Mate do Jardim com maracujá (R$7,80), que ele também aprovou. Eu até provei mais essa variação do mate, mas não tem jeito, cariocas. Não consigo gostar dessa bebida típica haha. 

Pra fechar com chave de ouro, pedimos um cookão de dois chocolates belga (R$8,90) pra dividir. Estava uma delícia e bem fresquinho também. Veio quentinho e as gotas de chocolate estavam desmanchando na boca, perdição total.

Chá do Jardim gelado (vermelho) e mate com maracujá.

Creme de abacate, que estava uma delícia!

Ovos com Bacon do Rafa

Canoinha com muçarela de búfala, tomate e manjericão.

Eles cobram 10%, então a conta ficou R$86,35 para o café farto de duas pessoas. Meio caro, mas dinheiro gasto em comida em um lugar que te faça bem é investimento em felicidade, né? O ponto negativo talvez fique mais para o atendimento. Um tanto lento, mas acho que era culpa da casa cheia. Mas foi todo mundo super educado e simpático com a gente. Como o lugar era super agradável, não chegou a incomodar muito.

Quando terminamos o brunch, fomos dar uma volta pelas salas de exposição do IMS. Passamos um bom tempo por lá. Tem muita coisa bacana pra ver, mas infelizmente não é permitido fotografar as exposições. Por sorte, na mesma semana fui no cinema do Espaço Itaú e lá estava acontecendo uma mostra de fotografias do IMS, e lá podia fotografar. Assim dá pra mostrar pra vocês um pedacinho das peças lindas do IMS. As que me chamaram mais atenção são as que retratam o Brasil do século XIX e XX, como retratos de personalidades da época, registros da construção de Brasília e de outros importantes edifícios espalhados pelo país, como o Ginásio do Ibirapuera.

Ministério da Educação e Saúde Pública, Rio de Janeiro, 1946. Fotografia de Marcel Gautherot.

Avenida Presidente Vargas, 1946. Fotografia de José Medeiros.

Folha de Carnaúba, 1942. Fotografia de Marcel Gautherot.

Niemeyer, Vinícius de Moraes, sua mulher Lili Bôscoli e Tom Jobim (ao fundo) nos bastidores da primeira representação de Orfeu da Conceição, Rio de Janeiro, 1956. Foto de José Medeiros.

Para os amantes de fotografia e de história, vale muito a visita ao IMS. Para quem, como eu, ama tudo isso e também ama comida, vale fazer a casadinha Empório Jardim + Instituto Moreira Salles qualquer dia!

Empório Jardim | Instituto Moreira Salles Rio de Janeiro

Site – Facebook – Instagram | Site – Facebook – Instagram
Funcionamento: De terça a domingo, de 11h às 20h.
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea.
Telefone: 021 32847424.

Sair da versão mobile