Fui Ser Viajante

Museu de Arte Contemporânea de Niterói: arquitetura, arte e uma vista incrível

Compartilhar

Quando eu era mais nova, lembro de ter assistido uma entrevista do arquiteto Oscar Niemeyer. Ele falava sobre suas inspirações e as suas obras iam aparecendo no plano de fundo. No meio de tanta coisa linda, uma obra me chamou muito a atenção. Era o prédio do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, o MAC. A estrutura diferentona, parecendo um ‘disco voador’, colocada sobre um morro, de cara para a baía de Guanabara, com o cenário do Rio ao fundo. Lindo demais pra passar despercebido!

A ideia do museu nasceu quando o colecionador João Sattamini cedeu, em regime de comodato, sua coleção de arte contemporânea para Niterói. O prefeito da época (Jorge Roberto Silveira) convidou Niemeyer para projetar o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, e selecionou algumas áreas na cidade para que o arquiteto pudesse escolher a que mais lhe agradava.

Quem ganhou o coração do gênio Niemeyer foi o Mirante da Praia de Boa Viagem, emoldurado pela Baía de Guanabara e pelas montanhas de Niterói e do Rio de Janeiro. Niemeyer disse que a paisagem linda da região o inspirou na hora de desenhar o prédio. Honestamente, é mesmo de cair o queixo.

Leia também:
Uma visita ao Futuro: Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro

Como é a visita ao Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Nossa visita foi num domingo e a região estava bem movimentada. Desde gente indo ver as exposições até pessoas que queriam apenas a foto em frente ao cartão-postal da cidade. O estacionamento é na rua, mas sinalizado como área de estacionamento do museu (???). Ficam guardadores de carro na área, mas eles foram muito educados ao abordar a gente.

A visita ao Museu de Arte Contemporânea de Niterói vale muito a pena. O ingresso custa R$10,00 (com possibilidade de benefício de meia entrada) e eu pagaria isso feliz só pra ter o prazer de dar uma espiada naquelas janelas que se abrem para a Guanabara. Com as exposições incluídas nesse preço camarada, eu diria que a visita ao MAC é um grande negócio.

A visita nas quartas é gratuita. O MAC tem bicicletário e quem vem de bike pro museu ganha ingresso, todos os dias.

As belezas começam desde o lado de fora. A estrutura de concreto de 16 metros de altura tem uma leveza que não sei explicar. A estrutura com linhas circulares está apoiada sobre um cilindro único, como se fosse uma flor a desabrochar ali no morro. O espelho d’água na base dá uma sensação de continuidade com o mar, que se abre ao redor da construção. A rampa sinuosa dá um movimento ao projeto, quase que embala a gente enquanto subimos.

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói em fotos:

A praça ao redor do MAC, com intervenção artística no pátio.

Um segredo que pouca gente percebe: se você olhar com atenção, a arquitetura do MAC completa o desenho do Pão de Açúcar, do outro lado da Baía. Coincidência?

Espelho-d’água

Por dentro do Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Lá em cima do Museu de Arte Contemporânea ficam dois pavimentos. No primeiro, está a recepção onde compramos os ingressos. No segundo pavimento, bem no meio da cúpula, fica a sala de exposição principal, que não é muito grande. Ao lado desse salão, ficam as varandas panorâmicas envidraçadas, também reservadas para mostras. 

Ao terminar com as obras do salão, fui admirar a exposição da varanda. E foi ali que descobri uma das mais lindas obras expostas no MAC: que vista incrível! A natureza ali é obra de arte, é perfeição. E o mestre Niemeyer soube se aproveitar disso muito bem! Como ele mesmo disse:

“O terreno era estreito, cercado pelo mar e a solução aconteceu naturalmente, tendo como ponto de partida o apoio central inevitável. Dele, a arquitetura ocorreu espontânea como uma flor. A vista para o mar era belíssima e cabia aproveitá-la. E suspendi o edifício e sob ele o panorama se estendeu mais rico ainda. Defini então o perfil do museu. Uma linha que nasce do chão e sem interrupção cresce e se desdobra, sensual, até a cobertura. A forma do prédio, que sempre imaginei circular, se fixou e, no seu interior me detive apaixonado. À volta do museu criei uma galeria aberta para o mar, repetindo-a no segundo pavimento, como um mezanino debruçado sobre o grande salão de exposições”.

Salão Principal, com exposição Vontade de Mundo, com peças do acervo de João Sattamini. Permanente.

Varandas panorâmicas. Os vidros foram construídos especialmente para este projeto, e se inclinam em 40 graus com relação ao plano horizontal.

Vista da varanda panorâmica

Exposição nas varandas – temporária

Vista de Niterói, da varanda panorâmica do MAC

E não acaba por aí…

O mezanino, que circunda todo o interior do museu, é dividido em salas menores que também recebem exposições. Para terminar o conjunto arquitetônico do MAC, existe o subsolo, onde ficam um auditório e um restaurante (o Bistrô MAC – com uma linda vista para a baía) e a praça que circunda o museu, que ocasionalmente recebe também intervenções artísticas bem legais.

O conjunto arquitetônico do MAC é muito perfeito, obra de gênio mesmo. Um presente para Niterói, para quem visita o Estado do Rio, para o mundo. Visite o MAC 🙂

“Não é o ângulo reto que me atrai. Nem a linha reta, dura, inflexível criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual. A curva que encontro nas montanhas do meu país. No curso sinuoso dos sentidos, nas nuvens do céu. No corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo”.

– Oscar Niemeyer

Ficha técnica

O quê? Museu de Arte Contemporânea de Niterói | Site | Facebook
Onde? Mirante da Boa Viagem, s/nº – Boa Viagem – Niterói
Principais atrativos? Arquitetura de Niemeyer, obras de arte contemporânea, vista do Rio de Janeiro.
Quando? Pátio – de segunda a domingo, das 8 às 18h; Museu – de terça a domingo, das 10 às 18h.
Quanto? Ingresso normal – R$ 10,00; Meia-Entrada – R$ 5,00 (estudantes da rede particular de ensino, universitários e adultos acima de 60 anos; Professores, mediante apresentação da carteira profissional ou contra-cheque). Crianças abaixo de 7 anos, moradores de Niterói e estudantes da rede pública de ensino têm direito à entrada franca (com comprovação). Às quartas, a entrada é franca para todos.
Estacionamento no local? Na rua, um pouco depois de quem vem do centro para o MAC, há espaço para os visitantes estacionarem.
Como chegar? De carro ou táxi / Uber. Vindo do Rio, também é possível pegar a barca até Niterói, e de lá o ônibus 47B, que tem uma parada bem em frente ao MAC.
O que levar? Máquina fotográfica.
Quanto tempo reservar? Uma hora.
Não deixe de ver: A vista do Rio de Janeiro, desde o mezanino que circunda todo o museu.

 

 

 Vem ser viajante com a gente!
Acompanhe o blog nas redes sociais Facebook, Instagram, FlipboardTwitter e Google+
Para mais dicas e inspirações de viagem, siga o nosso perfil no Pinterest

 

Salve esse post no seu Pinterest pra lembrar do nosso site sempre que for planejar sua viagem! 

 

Sair da versão mobile