Legendi Mundi: volta ao mundo com a literatura escrita por mulheres

No meio de discussões de empoderamento, representatividade das mulheres na sociedade e na literatura, bem como da necessidade de ler autores que vieram de outras partes do mundo, fora do eixo de literatura anglo-saxônica, o blog Fui Ser Viajante apresenta o Projeto Legendi Mundi, nossa volta ao mundo na literatura escrita por mulheres.

O projeto não nasceu sozinho – muita gente mundo afora já fez ou está fazendo uma volta ao mundo literária. Mas o Legendi Mundi é o primeiro a tentar fazer isso com a literatura escrita exclusivamente pelas mulheres desse mundão.

Como nasceu o Legendi Mundi

Eu sempre fui apaixonada pelo universo dos livros. Minhas primeiras viagens foram pelas páginas desses velhos amigos. Eles eram capazes de me transportar para todos os lugares do mundo, sem sair da sala de casa.

O tempo passava, eu crescia e o sonho de conhecer o mundo crescia comigo. Com a idade adulta e uns trocados na carteira, vieram as primeiras viagens com direito a arrumar a mala.

Comecei a descobrir o mundo com meus pés e só pensava em todos os lugares que eu tinha para descobrir.

Com o tempo, eu percebi que o sonho de viajar o mundo todo não seria nada fácil. Pelo menos pra nós, que não podemos – ou queremos – largar tudo e partir.

As viagens acontecem com muito planejamento e economia, quando a agenda deixa e o preço das passagens contribui. A volta ao mundo, na prática, é mais um sonho que uma realidade pra mim.

Mas se a vontade de ver e sentir o mundo está aqui comigo, como resolver isso?

Quando tudo que eu fazia era refletir sobre essa pergunta, dei a sorte de encontrar alguns projetos muito bacanas na internet. Eles me ajudaram a descobrir que a resposta estava aqui, na estante de livros que eu tenho há tantos anos.

Resenhas de livros: Legendi Mundi e outros livros de viagem

O que é Legendi Mundi?

Legendi Mundi é o termo em latim para a expressão “Lendo o Mundo”. Escolhi nomear o projeto em latim porque, além de livros, também tenho fixação por idiomas.

Dá pra considerar o latim como a língua-mãe de boa parte dos idiomas atuais, então achei mais que justo fazer essa homenagem. 🙂

Com o Legendi Mundi, a gente pretende dar uma volta ao mundo através dos livros. Mas não quaisquer livros. Os livros escritos pelas mulheres de cada país.

Quem inspirou o Legendi Mundi

No Brasil

A primeira pessoa que me encorajou a falar da minha paixão de livros, em paralelo com minha paixão por viagens, foi a Analuiza, do blog Espiando pelo Mundo.

Ela tem uma sessão no blog chamada ‘O Mundo nos Livros‘, para falar dos livros que leu antes de viajar para alguns destinos do mundo. Aquilo mexeu comigo. Parei para pensar porque eu ainda não tinha feito isso antes.

Por que não ler livros sobre os destinos que eu estava prestes a conhecer?

Falando com a Ana, ela me contou da Camila Navarro, do blog Viaggiando. A Camila iniciou em 2013 um projeto chamado 198 livros, no qual ela pretende ler um livro de cada país do mundo.

Ela escolheu os 193 países membros da ONU e seus dois estados-observadores Palestina e Vaticano, além de Kosovo, Taiwan e Saara Ocidental).

Camila está lendo os destinos por ordem de sorteio e já passou da metade da jornada. Muita gente aqui pelo Brasil, inclusive, está fazendo o projeto #198livros junto com a Camila, o que eu achei muito bacana.

No Mundo

Eu me empolguei no assunto e comecei a procurar outras pessoas que embarcaram numa volta ao mundo literária. Achei Ann Morgan, com o projeto An Year of Reading the World, que foi a inspiração para a Camila lançar o #198livros.

Ann decidiu iniciar o projeto quando viu que sua estante só tinha livros de escritores americanos e ingleses, e quase nenhuma tradução.

Ela chamou isso de um ‘enorme ponto cego cultural’, e se determinou a mudar esse monopólio ao ler, durante um ano, um livro para cada um dos 196 países do mundo.

John R. Brookes tem um desde 2009, chamado ‘Reading the World. Ele vem lendo livros de literatura contemporânea de todos os países do mundo.

A lista é bem abrangente, com mais de 270 destinos (os estados reconhecidos pela ONU e alguns outros, mais controversos). Para cada país particularmente grande, como China e Rússia, Brookes está lendo um livro de cada região principal do país.

Além disso, Brookes segue uma lógica territorial, lendo sempre livros de países vizinhos, como se realmente estivesse viajando por terra.

Em 2014, surgiu a #ReadWomen2014, criado pela escritora britânica Joanna Walsh – um ano para dar mais visibilidade editorial às mulheres escritoras, e incentivar a leitura de suas obras.

O projeto fez sucesso mundial. Aqui no Brasil ele inspirou o surgimento do Leia Mulheres, uma clube do livro fundado pelas escritoras Juliana Gomes, Juliana Leuenroth e Michelle Henriquescom.

O grupo promove encontros mensais em várias cidades do Brasil, para ler obras escritas por mulheres, das clássicas às contemporâneas.

Como vai funcionar o Legendi Mundi?

Eu me inspirei em todos esses projetos para criar o Legendi Mundi. Ele vai pegar as características que mais gostei em cada um, para criar um projeto que é a minha cara, e a cara do Fui Ser Viajante.

Uma volta ao mundo através da leitura, com pelo menos uma parada em cada país do mundo. A passagem é só de ida, e o projeto não tem data pra acabar. Provavelmente será o projeto de uma vida inteira, começando em julho de 2017.

Eu prefiro ler livros impressos, então o Legendi Mundi vai me ajudar a realizar outro sonho de criança: montar minha biblioteca em casa, com títulos de todo o mundo.

Quantos países vou visitar e quantos livros vou ler?

Para determinar o número de países, vou considerar a mesma lista de Brookes, que é a mais inclusiva que consegui encontrar. São 270 territórios, que inclui os países da lista da ONU e mais vários territórios e países não reconhecidos pelas Nações Unidas.

Não haverá número limite de livros por país. Se eu considerar que um determinado país, mesmo pequeno, mereça ter dois títulos incluídos na lista, vou ler dois livros daquele país.

Que país vou ler primeiro?

Como Brookes, vou fazer a jornada por terra, como se realmente eu estivesse em viagem pelos países que vou ler. Ele começou pelo Reino Unido, eu vou sair do Brasil em direção à América do Sul, minha primeira parada.

O primeiro livro que consegui em mãos foi o da Argentina, então vamos começar por aí. Depois vou seguindo para os demais países sulamericanos.

Assim que eu começar a leitura do livro de um país, começarei os preparativos para aquisição do titulo do próximo destino. E agora cada viagem é motivo de trazer pra casa um livro, de uma mulher de cada destino visitado!

A escolha dos livros

Não vai ter uma regra fixa para escolher os livros do projeto Legendi Mundi. Como base, me inspirei nas regras dos projetos já existentes. Mas também estabeleci meus próprios critérios e prioridades. 

Essas não são regras imutáveis. Todos esses pontos podem ser flexibilizados, caso seja difícil encontrar livros que atendam aos requisitos, ou apareçam livros interessantes demais pelo caminho.

– Não há restrição ao tipo de literatura. Os livros poderão ser romances, contos, poesias ou mesmo relatos históricos e biografias.

– Os livros devem ser escritos por mulheres. Isso é uma tentativa de incentivar e valorizar a presença feminina na Literatura e no mundo viajante. #girlpower

– A preferência é para livros escritos por mulheres nascidas no país em questão. Também serão aceitas obras em casos de naturalização, cidadania, etc. No caso de não encontrar obra dentro dos critérios, pode valer um livro que fale sobre o país, de autora de outra nacionalidade.

– Preferencialmente, o livro deve contar histórias que representem de alguma forma os aspectos culturais e/ou históricos do país.

– Só podem contar para o projeto os livros que eu ainda não li.

– Tem forte peso um livro que seja considerado uma grande obra da literatura nacional.

– Preferencialmente, escolherei livros de literatura contemporânea. Acredito que isso fará com que a viagem pelos livros seja mais próxima do que seria minha viagem física pelos países.

– O original ou as traduções precisam ser publicadas em português, inglês, espanhol ou italiano. Essas são as línguas nas quais me arrisco a ler e compreender qualquer coisa na vida – por enquanto.

– Preferencialmente, serão escolhidos livros físicos, para ajudar no projeto de montar minha biblioteca de literatura mundial.

– Serão aceitas sugestões de títulos e recomendações de leitura para todos os países. É só entrar em contato comigo em klecia@fuiserviajante.com, ou pelos comentários e redes sociais do blog.

 

Veja aqui a lista de livros que já fazem parte do Legendi Mundi

Avatar for Klécia
Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Thayz disse:

simplesmente AMEI! sou uma dessas que quer ler um livro de cada país, mas meu projeto não é mto estruturado não rsrs
fiquei muito inspirada pelo seu post <3

Em tempo: o nome do projeto é lindo!

Klécia disse:

Que bom que gostou, Ana <3

Esse é um lindo projeto pois une duas ações maravilhosas, transformadoras, enriquecedoras: ler e viajar. Para mim, as duas coisas casam perfeitamente pois ambas nos munem de elementos, de sensações, de histórias para vermos o mundo. Ver o mundo é uma maneira de olharmos para nós mesmos!

Eu fico imensamente feliz por ter visto esse projeto nascer, por ter escutado as notas de empolgação em sua voz à medida que ele foi tomando corpo e forma. Ri deliciada de prazer diante de seu prazer. Passear pelas páginas e livros que não li (ainda) segundo sua percepção tem sido uma viagem deliciosa!

Klécia disse:

Você é uma das maiores inspirações, e com certeza a maior incentivadora! Um pedacinho do Legendi Mundi é teu também, Ana! <3

Klécia, eu simplesmente amei a sua ideia! Como eu já disse uma vez não sou muito fã dos livros e quando encaro ele de frente acabo partindo para uma biografia ou livro de business. Mas lendo o seu post me passaram tantas coisas boas na cabeça e uma empolgação enorme de acompanhar de pertinho o seu projeto. Confesso que senti que eu estava arrumando as malas e partindo para uma volta ao mundo.

Vou acompanhar de pertinho o seu projeto Legendi Mundi (o nome caiu perfeitamente bem) e quem sabe a gente não dê a volta ao mundo juntas, será uma delícia te acompanhar!

Klécia disse:

Que bom que gostou, Mayte! <3 Na torcida mesmo pra gente dar essa volta ao mundo juntas 🙂