Museu de Arte Contemporânea de Niterói: arquitetura, arte e uma vista incrível

Quando eu era mais nova, lembro de ter assistido uma entrevista do arquiteto Oscar Niemeyer. Ele falava sobre suas inspirações e as suas obras iam aparecendo no plano de fundo.

No meio de tanta coisa linda, uma obra me chamou muito a atenção. Era o prédio do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, o MAC.

A estrutura diferentona, parecendo um ‘disco voador’, colocada sobre um morro, de cara para a baía de Guanabara, com o cenário do Rio ao fundo. Lindo demais pra passar despercebido!

A ideia do museu nasceu quando o colecionador João Sattamini cedeu, em regime de comodato, sua coleção de arte contemporânea para Niterói.

O prefeito da época (Jorge Roberto Silveira) convidou Niemeyer para projetar o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, e selecionou algumas áreas na cidade para que o arquiteto pudesse escolher a que mais lhe agradava.

Quem ganhou o coração do gênio Niemeyer foi o Mirante da Praia de Boa Viagem, emoldurado pela Baía de Guanabara e pelas montanhas de Niterói e do Rio de Janeiro. 

Niemeyer disse que a paisagem linda da região o inspirou na hora de desenhar o prédio. Honestamente, é mesmo de cair o queixo.

Leia também:
Uma visita ao Futuro: Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro

Como é a visita ao Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Nossa visita foi num domingo e a região estava bem movimentada. Desde gente indo ver as exposições até pessoas que queriam apenas a foto em frente ao cartão-postal da cidade.

O estacionamento é na rua, mas sinalizado como área de estacionamento do museu (???). Ficam guardadores de carro na área, mas eles foram muito educados ao abordar a gente.

A visita ao Museu de Arte Contemporânea de Niterói vale muito a pena. O ingresso custa R$10,00 (com possibilidade de benefício de meia entrada) e eu pagaria isso feliz só pra ter o prazer de dar uma espiada naquelas janelas que se abrem para a Guanabara.

Com as exposições incluídas nesse preço camarada, eu diria que a visita ao MAC é um grande negócio.

A visita às quartas é gratuita. O MAC tem bicicletário e quem vem de bike pro museu ganha ingresso, todos os dias.

As belezas começam desde o lado de fora. A estrutura de concreto de 16 metros de altura tem uma leveza que não sei explicar.

A estrutura com linhas circulares está apoiada sobre um cilindro único, como se fosse uma flor a desabrochar ali no morro. O espelho d’água na base dá uma sensação de continuidade com o mar, que se abre ao redor da construção.

A rampa sinuosa dá um movimento ao projeto, quase que embala a gente enquanto subimos.

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói em fotos:

Um segredo que pouca gente percebe: se você olhar com atenção, a arquitetura do MAC completa o desenho do Pão de Açúcar, do outro lado da Baía. Coincidência?

Por dentro do Museu de Arte Contemporânea de Niterói

Lá em cima do Museu de Arte Contemporânea ficam dois pavimentos. No primeiro, está a recepção onde compramos os ingressos. 

No segundo pavimento, bem no meio da cúpula, fica a sala de exposição principal, que não é muito grande. Ao lado desse salão, ficam as varandas panorâmicas envidraçadas, também reservadas para mostras. 

Ao terminar com as obras do salão, fui admirar a exposição da varanda. E foi ali que descobri uma das mais lindas obras expostas no MAC: que vista incrível!

A natureza ali é obra de arte, é perfeição. E o mestre Niemeyer soube se aproveitar disso muito bem! Como ele mesmo disse:

“O terreno era estreito, cercado pelo mar e a solução aconteceu naturalmente, tendo como ponto de partida o apoio central inevitável. Dele, a arquitetura ocorreu espontânea como uma flor.

A vista para o mar era belíssima e cabia aproveitá-la. E suspendi o edifício e sob ele o panorama se estendeu mais rico ainda. Defini então o perfil do museu. Uma linha que nasce do chão e sem interrupção cresce e se desdobra, sensual, até a cobertura.

A forma do prédio, que sempre imaginei circular, se fixou e, no seu interior me detive apaixonado.

À volta do museu criei uma galeria aberta para o mar, repetindo-a no segundo pavimento, como um mezanino debruçado sobre o grande salão de exposições”.

Salão Principal, com exposição Vontade de Mundo, com peças do acervo de João Sattamini. Permanente.

Varandas panorâmicas. Os vidros foram construídos especialmente para este projeto, e se inclinam em 40 graus com relação ao plano horizontal.

E não acaba por aí…

O mezanino, que circunda todo o interior do museu, é dividido em salas menores que também recebem exposições. Para terminar o conjunto arquitetônico do MAC, existe o subsolo, onde ficam um auditório e um restaurante (o Bistrô MAC – com uma linda vista para a baía) e a praça que circunda o museu, que ocasionalmente recebe também intervenções artísticas bem legais.

O conjunto arquitetônico do MAC é muito perfeito, obra de gênio mesmo. Um presente para Niterói, para quem visita o Estado do Rio, para o mundo. Visite o MAC 🙂

“Não é o ângulo reto que me atrai. Nem a linha reta, dura, inflexível criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual. A curva que encontro nas montanhas do meu país. No curso sinuoso dos sentidos, nas nuvens do céu. No corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo”.

– Oscar Niemeyer

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Simone Hara disse:

Que museu incrível! Só a localização já é um espetáculo à parte.
Quero muito conhecer um dia!

Klécia disse:

Vale muito a pena, Simone! A vista de lá é incrível!

Acho esse museu lindo, adorei quando fui! A vista interna dele do Rio é incrível! Vale muito a pena a visita mesmo!

Klécia disse:

Vale sim!!! O MAC é show demais!

Paula disse:

Eu sou louca por museus, mas infelizmente ainda nao conheco o MAC, mas tenho certeza q irei na proxima oportunidade em que estiver no Rio.

Klécia disse:

É um museu muito gracinha, Paula! Vale pela vista, pelas obras, pela cidade! Super recomendo o passeio!

Meu chará era um mesmo um visionário. Eu ainda não conheço o MAC, mas conheço várias obras do Niemayer. Acho que todo Brasileiro deveria ir pelo menos uma vez na vida para Brasilia. Outras obras dele que conheço e acho arquitetonicamente incriáveis temos o Memorial da América Latina e o Museu Oscar Niemayer em Curitiba.. Um dia que for ao RJ tenho que dar um pulo em Niterói para visitar esse museu

Klécia disse:

Conheço o de Curitiba, e sou louca pra ir em Brasilia! Também sou super fã do Niemeyer!!! Procuro obras dele em todo lugar que visito 🙂

Makenna disse:

Sou muito fã do Niemeyer e quando conheci esse museu fiquei mais encantada pela arquitetura que ele nos presenteou.
É um dos meus lugares favoritos em Niterói.
Bateu saudade, quero voltar!

Klécia disse:

Concordamos nisso tudo, Makenna 🙂 Viva, Niemeyer!

Gisele disse:

Que obra incrível! Niemeyer era um gênio!! O mais legal é que esse passeio é muito acessível, digo em relação às pessoas com dificuldades motoras, mas também para aquelas que não têm muita grana. 10 reais em se tratando de Niterói é um preço muito bom!

Klécia disse:

O preço é mesmo ótimo! E vale cada centavo! Só a vista já paga o investimento 🙂

Laura Sette disse:

Que lugar incrível, Klécia! Amei visitar o museu com você! Deu pra sentir daqui sua paixão e admiração pelo lugar 🙂
Post muito bem escrito, parabéns! Preciso conhecer este museu.
Beijos!

Klécia disse:

Amo mesmo, Laura! Um dos meus encantos em Niterói!

Olá Klécia. Nunca fui ao MAC mas, como você, sempre foi um edifício que me atraiu pela sua diferença. Imagina que privilégio poder escolher a sua localização, deve ser o sonho de qualquer arquitecto. Adorei o detalhe com que descreveu e fotografou tudo. Um dia estarei lá!
Abraço desde Portugal

P.S. Bilhetes grátis para os bikers é uma estratégia fantástica. O MAC está de parabéns

Klécia disse:

Deve mesmo ser o sonho de qualquer arquiteto! E Niemeyer soube usar esse presente como ninguém! 🙂 Também achei a ideia da entrada free para ciclistas muito bacana! Abraços desde Brasil!

Que lugar lindo! Na minha próxima ida ao Rio de Janeiro irei a Niteroi e faço questão de conhecer. Obrigada pela dica! O post está muito bem explicado.

Klécia disse:

Vale pelo museu, pela vista, por Niteroi que é uma cidade super charmosa 😀

Joselma Soares da Silva Melo disse:

Lindo lugar!

Klécia disse:

É mesmo! Lindo demais! 🙂