Visita guiada ao Teatro Colón, em Buenos Aires

Sabia que é possível fazer uma visita guiada ao Teatro Colón e apreciar por alguns momentos o interior do prédio e uma das mais bonitas salas de espetáculo do mundo?

A gente fez o tour guiado no Teatro Colón e juntou aqui todas as dicas pra você!


Impossível passar em frente ao Teatro Colón , na Avenida 9 de Julio, sem ficar pelo menos admirado com a imponência do prédio. Mas vamos começar deixando uma coisa bem clara.

Apesar do nome, o Teatro Colón não é um teatro!

O lindo edifício do Teatro Colón em Buenos Aires foi construído para ser uma casa de óperas, onde também ocorrem apresentações de balé e música erudita de forma geral.

O Teatro Colón foi inaugurado em 1908 depois de longos 20 anos de obras. Vários cantores famosos e companhias de ópera já se apresentaram na sala principal, que é considerada uma das 5 salas com melhor acústica do mundo.

Uma curiosidade: O primeiro prédio do Teatro Colón funcionou num edifício na Plaza de Mayo, de 1857 até 1888. A sede da Av. 9 de Julio veio depois, e funcionou de 1908 até 2008, quando o governo iniciou uma enorme obra de restauração e modernização do teatro.

A reinauguração aconteceu em 2010, ano do bicentenário argentino.

A maneira mais legal de conhecer o Teatro com certeza é durante uma apresentação na sala principal. Para isso, é preciso ficar de olho no site do Teatro para ver a programação e não perder a venda dos ingressos, que costumam acabar rapidamente.

Teatro Colón

Infelizmente a gente não conseguiu encaixar nenhuma apresentação no Teatro Colón, então conhecemos o prédio através de uma visita guiada, uma experiência excelente e que valeu cada minuto e peso argentino investido.

As visitas guiadas acontecem todos os dias, das 9 da manhã às 17h, com grupos de até 34 pessoas que saem a cada 15 minutos. O ingresso custa 250 pesos argentinos e os ingressos são comprados numa bilheteria dentro do Teatro, com acesso pela rua Tucuman, 1171.

Crianças menores de 7 anos não pagam. Aceita-se apenas pagamento em dinheiro e no local de espera há um café e banheiros.

Quando se realizam as funções gratuitas as 11h, as visitas guiadas estão canceladas entre as 10h e às 13:30h. Quando estiverem programadas funções vespertinas (17h), a última visita guiada se realizará as 15h.

Embora as visitas guiadas ocorram com uma boa frequência durante o dia, não pense que é fácil conseguir o ingresso.

Chegamos no Teatro Colón um pouco depois do almoço e só conseguimos ingressos para o último grupo do dia. Então, se programe e passe na bilheteria para comprar o ingresso antecipadamente.

O nosso guia era muito divertido e sabia bastante sobre os detalhes históricos do Teatro Colón. A visita foi toda em espanhol mas isso não foi problema.

O passeio começa no hall principal, aos pés da imponente escadaria de mármore e sob os lindos vitrais do teto. Dá pra perceber os diferentes materiais trazidos de diversas partes do mundo para construir o Teatro Colón. 

Espalhados pelo hall, vimos alguns figurinos utilizados em antigos espetáculos. Fomos informados que o Colón possui sua própria oficina para confecção das peças usadas nas apresentações da casa.

Teatro Colón
Nosso guia à esquerda e pessoas do nosso grupo no Hall
Teatro Colón
Teatro Colón
Teatro Colón
Teatro Colón

Ali, escutamos a história da maldição da construção do Teatro. O primeiro arquiteto, o italiano Francesco Tamburini, morreu aos 44 anos, com um ataque súbito, durante a realização das obras.

Quem assumiu o trabalho foi seu sócio, o também italiano Víctor Meano, que também foi o responsável pelo prédio do Congresso Nacional.

Víctor também não teve sorte e foi assassinado pelo amante de sua mulher, também aos 44 anos. Com isso, levou um tempo até conseguirem um novo arquiteto disposto a assumir o trabalho.

Quem topou foi um arquiteto belga, Jules Durmal. Com tantas mãos no projeto, o estilo do teatro foi mudando, saindo da escola italiana tradicional e ganhando um quê de arquitetura francesa. 

Teatro Colón
Teatro Colón

Subindo as escadas, chegamos no Salão dos Bustos, onde sobre cada porta repousam as figuras de importantes compositores, como Mozart, Bellini, Beethoven, Wagner e Verdi.

Giuseppe Verdi, inclusive, foi o autor da primeira ópera executada no Colón, em 1988, Aída.

É também nesse ambiente que fica a escultura El Secreto, uma peça em mármore que impressiona pelos detalhes. Se você olhar com atenção, vai ver que o artista Gustavo Eberlein conseguiu esculpir no mármore a pressão exercida pela mão de Cupido sobre a perna de Vênus.

Lindo de tão perfeito!

Teatro Colón
Teatro Colón
El Secreto

Seguimos para o Salão Dourado – ou Salão Francês,  que é um espaço magnífico com detalhes em ouro.

O salão de estilo francês tem lustres lindíssimos, e como um todo foi planejado para lembrar as salas dos teatros europeus, como a Ópera Garnier de Paris.

Isso porque, honestamente, tudo que a população argentina queria na época era se sentir na Europa. Começando pelas óperas que eram executadas no Teatro Colón, ao comportamento da população mais abastada.

O Salão Dourado era o local onde a sociedade se encontrava no intervalo das apresentações, para pura ostentação: as roupas, as joias, tudo que fizesse você se sentir mais europeu em plena Argentina do começo do século XX.

Teatro Colón
Teatro Colón
Teatro Colón

Seguimos dali para o Salão Principal. Vamos definir como MAGNÍFICO. Em formato de ferradura, a sala cumpre as normas mais severas do teatro clássico italiano e francês.

A sala acomoda 2478 pessoas sentadas, além de mais 500 pessoas que podem assistir os espetáculos de pé.

Os camarotes margeiam o palco. O Camarote Presidencial fica do lado direito, mas curiosamente não tem a melhor vista do palco. Sua posição é na verdade excelente para que seus ocupantes sejam vistos pela população.

Para ver a peça, o melhor camarote é o central. Na cúpula, lindos afrescos do pintor argentino Raúl Soldi. 

Teatro Colón
Teatro Colón
Teatro Colón
Teatro Colón
Teatro Colón

O palco é giratório. O movimento pode ser acionado em qualquer sentido, eletricamente, o que facilita a mudança das cenas. O fosso da orquestra possui uma capacidade para 120 músicos.

As maravilhas acústicas da sala principal são obtidas graças às câmaras de ressonância e curvas especiais de reflexão do som nessa área do teatro. J

unte isso com os detalhes arquitetônicos, e o Teatro Colón entra na lista das 5 melhores salas de ópera do mundo. 

Conta-se que o próprio Luciano Pavarotti ressaltou uma vez que ‘por causa da acústica quase perfeita dessa sala, nem eu mesmo posso cometer um erro’.

Visão Geral – Visita Guiada ao Teatro Colón

A visita guiada levou cerca de 1 hora. É uma excelente opção de passeio em Buenos Aires se você tem mais um tempo na cidade. Especialmente para quem é fã de turismo cultural e arquitetura.

O Teatro Colón é um dos teatros líricos mais importantes do mundo por sua acústica e valor artístico do prédio. A visita traz muitas curiosidades e vale muito a pena, embora o preço do ingresso seja um pouquinho salgado.

Teatro Colón
Site: http://www.teatrocolon.org.ar (verificar no site os preços atualizados dos ingressos)
Tucumán 1171, Centro.
Todos os dias, das 9h até às 17h.

Avatar for Klécia
Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Gisele Ramos disse:

Quando fui a Buenos Aires o Colón estava fechado para reformas, mas não vou deixar de conhecer na próxima visita à cidade!

Klécia disse:

Ai que pena! Tomara que você consiga encaixar na próxima!

Paula Abud disse:

Já tinha lido outros posts sobre o Teatro Cólon, mas nenhum tão detalhado e informativo como o seu, Klécia.
Acho a arquitetura do teatro surreal de tão perfeita! Seria o máximo assistir a uma apresentação de Ballet aí, a Maitê é apaixonada e iria amar ver de pertinho.
Ano que vem nós vamos e vou tentar encaixar algum dia e torcer pra ter alguma apresentação em nossa estadia.
Amei o seu post!!

Klécia disse:

Obrigada, Paula! Tô super ansiosa pela sua viagem pra BsAs! Certeza que vai ser demais!

João Leitão disse:

A Opera House de Buenos Aires, o Teatro Colón, é um edíficio e marco emblemático da cidade. Excelente descrição escrita e visual do local. Adoro a maneira como todos os detalhes são evidênciados. Buenos Aires é uma cidade cultural por excelência, e visitar sitios como este devem fazer parte de qualquer viajante que preze um pouco o lado artistico e cultural das suas viagens. Abraço e boas viagens. Saudações desde a Polónia!

Klécia disse:

Com certeza, João! Adoro a cultura de BsAs, é uma cidade artística por excelência! Abraços desde o Brasil 🙂

Acesso Itinerante disse:

Arquitetura magnífica que vai do gótico ao grego clássico. Sem dúvidas um lugar que carrega uma energia histórica bem grande.

Klécia disse:

Com certeza!!! Lugar incrível!

acho que o Colon compete pau a pau com Solis em Montevideo! acho super charmosos e grandiosos, cheio de história e cultura!

Klécia disse:

Eu gostei mais do Colon, mas o Solis também é lindão! Estamos bem servidos na America do Sul 🙂

Paula disse:

Adorei o post! Muito completo, não sabia que esse teatro era tão antigo e cheio de história. Anotei as dicas, espero ter a chance de conferir logo! 🙂

Klécia disse:

Na torcida pra você conhecer e ver tudo de perto, Paula!

Documentar o Mundo disse:

Conheço alguns teatros, não só em Portugal, como noutros países. Por trás do palco há tanto para conhecer,os bastidores, os camarins, o guarda-roupa. Tudo junto torna o espetáculo perfeito.

Klécia disse:

Muito! Adoro ver tudo de pertinho, experiência única!

Marineira disse:

Amooooo esse teatro e essa cidade. Ótimo post!

Klécia disse:

Também adoro BsAs e o Teatro é um espetáculo a parte 🙂

Amo Buenos Aires e estava em dúvidas se valia a pena ou não fazer a visita guiada ao Teatro Colón, mas depois de ler seu post me decidi a fazer, belo relato!

Klécia disse:

Vale muito!! vale sim! Não perde, Fábio! 🙂

Mais um texto detalhadíssimo e riquíssimo em informações. Eu matei minhas saudades do Colón aqui, agora, lendo tudo isso. Assisti a uma apresentação de ballet muitos e muitos anos atrás. Foi um espetáculo belíssimo da cia do Chile. Eu gosto muito de fazer visitas guiadas a teatros, ver os bastidores, conhecer a história… acho muito bacana.

Dentre outros já fiz a visita guiada do de Montevidéu (URU) e também do de Havana (Cuba). Ambos são lindos! beijuus

Klécia disse:

Eu queria muito ver uma apresentação lá, Ana! Deve ser encantador demais!!! também adoro fazer as visitas guiadas, tanto que aprendemos! Também fiz no Solis, mas não consegui entrar na sala principal por conta de um ensaio. Preciso conferir o de Havana!