Conhecendo os contrastes de La Paz: roteiro de 2 dias

Três mil e seiscentos metros de altitude. Muitas horas de ônibus e aventuras, cruzando as estradas da Bolívia. Enfim, chegamos a La Paz, a terceira maior cidade do país.

Era nossa primeira vez na cidade e nosso cronograma estava um pouco apertado: teríamos apenas um roteiro de 2 dias em La Paz e arredores da cidade, antes de partir para o pequeno povoado de Uyuni e começar o tour pelo Salar.

Pouco, né? Estava instituído nosso dilema: O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias?

Pesquisamos bastante e preparamos nosso cronograma de dois dias em La Paz com algumas das principais atrações que a região oferece: um dia dedicado às atrações da cidade e outro para desbravar algumas das atrações dos arredores de La Paz.

O que fazer em La Paz: o básico da cidade e um pouco mais

Uma pequena confusão boliviana deixa muita gente perdida: La Paz é a sede do governo da Bolívia desde 1898, mas a capital oficial do país está na cidade de Sucre.

Calle Jaen - O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

Pouca gente também sabe seu nome oficial, Nuestra Señora de La Paz.

Com uma temperatura média de 8 graus celsius e uma altitude que tira o fôlego de qualquer brasileiro, é preciso muita disposição e agasalhos para percorrer o sobe-e-desce das ruas de La Paz.

Não posso dizer que La Paz foi um caso de amor à primeira vista. Chegamos no começo da noite, no meio de um trânsito enorme e cansados de andar sem fim pelas ruas de La Paz até chegar na rodoviária.

A cidade é enorme, mesmo! Olhando pela janela do ônibus, não consegui ver uma cidade exatamente bonita: Uma imensidão de casas mal-acabadas, que se empilham e se estendem a perder de vista pelo altiplano boliviano.

Uma cidade que parecia um bocado caótica e cheia de poluição nas ruas, pela enorme quantidade de veículos antigos. Uma cidade dividida politicamente, entre o amor e ódio ao presidente Evo Morales.

Nosso hotel ficava na região do Mercado de las Brujas, a região mais turística de La Paz, e enfrentamos uma hora de confusão para chegar de táxi da rodoviária até lá.

Reserve seu hotel em La Paz com os descontos do Booking.com

O ar místico na penumbra da noite foi uma primeira impressão bem forte da cidade.

Com um roteiro de 2 dias em La Paz, nosso programa nessa primeira noite foi só jantar perto do hotel e ir dormir. Explorar a cidade era um programa para começar no dia seguinte.

O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

Alimentação em La Paz: o que comer e o que evitar

Já que eu falei em jantar, vale deixar uma coisa bem clara logo aqui no começo: todo mundo recomendou que a gente tivesse muito cuidado com a alimentação na Bolívia.

O país parece não transmitir muita confiança quando a questão é higiene dos alimentos.

Com isso em mente, tentamos sempre comer em restaurantes que pareciam minimamente organizados e evitamos comida de rua.

A boa notícia é que não passamos mal nenhuma vez! Foi tudo muito tranquilo e provamos comidas deliciosas e tradicionais da Bolívia.

Por outro lado, encontramos um grupo de 3 brasileiros que ficou por dias trancados no quarto de hotel em La Paz, por intoxicação alimentar.

Eles juram que não comeram nada suspeito, no máximo um suco natural. Eles nunca descobriram o que causou a intoxicação, mas ficaram paranóicos com isso e até os dentes começaram a escovar com água mineral.

No fim, cada caso é um caso. A minha experiência: fomos extremamente cuidadosos e no fim deu tudo certo com a gente!

Pique a lo Macho - O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

Sobre pratos típicos: provamos e adoramos o Pique a lo Macho. Uma entrada que serve muito bem como prato principal, que mistura ovos cozidos, carne, batatas, queijo, cebola, azeitonas, salsichas e pimentas rocoto, típica dos Andes.

Um prato pra macho porque é grande pra caramba. Pedimos um de entrada, dividimos e não aguentamos comer mais nada depois!

Uma versão menor e também tradicional na Bolívia são as Salchipapas, uma mistura de salsichas e batatas, como o nome já diz.

Se você quer provar comidas com o tradicional milho da região andina, sua pedida são as humintas, pamonhas bolivianas de milho branco.

E nós adoramos experimentar comidas típicas! Quando estávamos preparando essa viagem, um blog que me ajudou foi o Estrangeiras, com um post inteiro sobre dicas de onde comer bem em La Paz. Olha que delícia, gente!

O que fazer em La Paz: roteiro de 2 dias

La Paz é uma cidade enorme, intensa e cosmopolita. Pelas ruas, vemos tantos estrangeiros quantos bolivianos.

Não era raro encontrar europeus (principalmente franceses) se aventurando em um mochilão pela Bolívia, especialmente os espíritos mais aventureiros.

Opções não faltavam na hora de montar o roteiro, mas com apenas dois dias, decidimos passar um dia na cidade, explorando o centro histórico, e outro dia visitando algumas atrações nos arredores de La Paz.

Roteiro La Paz | dia 1: centro da cidade

Para descansar da viagem do dia anterior e para não forçar o físico no primeiro dia na altitude de La Paz, decidimos passar esse dia na cidade.

Mercado de las Brujas e região

Pra começar o dia, não precisamos andar muito. Estávamos hospedados no Residencial Alta Vista, na Calle Linares, bem na região do tradicional Mercado de las Brujas.

Foi só colocar o pé na rua para começar a descobrir uma La Paz mística, colorida, impactante, tradicional e única, tudo ao mesmo tempo.

Lojas de instrumentos musicais, artesanato, produtos místicos e ervas medicinais. Você encontra de tudo por lá.

E se prepare para ver coisas bem diferentes de nossa cultura, como pequenos animais empalhados usados nos rituais tradicionais.

É importante lembrar do respeito por outras culturas e nos cuidados para abordagem fotográfica nessas situações – afinal, é cultura local.

Para ir preparado, indico esse post do blog Viajando na Janela, falando em detalhes e mostrando em fotos um pouquinho do Mercado das Bruxas em La Paz.

Na região fica também o Museu da Coca, contando a história da cocaína na região andina, e a Calle Sarganaga, cheia de restaurantes, casas de câmbio e lavanderias de roupa – a alegria do mochileiro!

Mercado de las Brujas - O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

Praça e igreja de São Francisco

Caminhamos um pouco até chegar na Praça São Francisco, uma das principais de La Paz. Na praça, fica a Igreja de São Francisco e o centro cultural da igreja.

Por 20 bolivianos, podemos visitar com um guia o complexo cultural do antigo convento de São Francisco e subir até as torres da Igreja, com uma bela vista do centro de La Paz. 

Da igreja, visitamos o vizinho Mercado Lanza, bem tradicional e simples, apesar de bem grande.

Igreja de São Francisco - O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

Calle Jaen e seus museus

Então partimos para a Calle Jaen, considerada por muita gente como a rua mais charmosa de La Paz.

Mas aqui o percurso exigia umas paradas estratégicas para respirar no caminho, com as subidas de La Paz ficando cada vez mais íngremes.

A rua Jaen é mesmo uma graça, com suas casinhas coloridas em estilo colonial. Mas para mim, o grande atrativo da rua são os vários museus, um ao lado do outro.

Você visita todos por um preço único e aprende muito sobre a história de La Paz e da Bolívia.

Calle Jaen - O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

Plaza Murillo

De lá, seguimos para o centro administrativo de La Paz, a Plaza Murilo. Cheia de gente, turistas e locais.

E muitos, muitos pombos – como há muito tempo eu não via em lugar nenhum. Lá podemos visitar a Catedral e avistar o Congresso Nacional e o Palácio do Governo em La Paz.

Plaza Murilo - O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

Mirador Killi-Killi

Quando terminamos de turistar na parte central de La Paz, decidimos dar uma boa esticada (aproximadamente 1km, sofrendo para subir as ruas íngremes na altitude) até o Mirador Killi-Killi.

O mirador tem uma vista privilegiada, quase em 360 graus, da enorme cidade de La Paz. Dá pra ver o estádio, o El Alto, as estações de teleférico do centro, tudo. Uma das mais interessantes vistas de La Paz.

Mirador Killi-Killi - O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

La Paz dia 1: O que ficou faltando conhecer?

Uma das atrações mais interessantes em La Paz é o passeio de teleférico. São três linhas (vermelha, amarela e verde), que levam a diferentes partes da cidade.

A vermelha é a mais “turística” de todas, passando pelos bairros mais centrais. Falam que a vista lá de cima é bem interessante e é uma das formas mais autênticas de conhecer La Paz.

A gente não fez esse passeio, porque o teleférico (linha vermelha) estava desligado justamente no dia que estávamos no centro da cidade.

Roteiro La Paz | dia 2: arredores, tour Chacaltaya e Valle de la Luna

La Paz oferece muitas atrações nos arredores da cidade. Tem opções para todo gosto: aventura, história, paisagens inusitadas.

Uma das minhas maiores curiosidades era conhecer a estação Chacaltaya, que já foi a estação de esqui mais alta do mundo, mas que hoje se encontra desativada por conta dos efeitos do aquecimento global.

Tour Chacaltaya

Chegamos em La Paz em setembro, bem no começo da primavera.

O gelo já começava a derreter e as temperaturas estavam esquentando na América do Sul, mas as condições climáticas ainda eram bastante adversas para as montanhas.

Tivemos que perguntar bastante até encontrar alguma agência que fizesse o tour até a antiga estação de esqui na montanha Chacaltaya.

No dia que estávamos passeando pelo centro, conseguimos uma agência na Calle Jaen (HanaqPacha Travel) que estava operando o tour no dia seguinte.

Fechamos por 22 dólares por pessoa o passeio e o guia até o Chacaltaya, que incluía também a visita e o bilhete de entrada no Vale de la Luna, na zona sul de La Paz.

Foi uma das experiências mais congelantes e bonitas que tivemos em La Paz. O lugar é incrivelmente lindo, e impactante ver como o homem vem alterando o meio ambiente e mudando as relações dos ecossistemas.

Estação de esqui Chacaltaya - O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

Valle de la Luna

Compramos o passeio ao Vale de La Luna no pacote com o Chacaltaya. Quando retornarmos a La Paz, quem desejar desce no centro, e quem quiser segue para conhecer o vale, na parte mais ao sul da cidade.

Muito trânsito e algumas horas depois, chegamos nesse lugar no mínimo inusitado. Diferente de todos os cenários que vimos pela Bolívia.

O tour completo Chacaltaya + Vale de la Luna dura o dia inteiro e é excelente se você gosta de paisagens bonitas e diferentes.

Vale de la Luna - O que fazer em La Paz em um roteiro de 2 dias

La Paz dia 2: O que ficou faltando conhecer?

La Paz oferece muitos outros tipos de passeio. Se você gosta de aventura, não pode deixar de fazer o passeio de bicicleta pela Death Road, a estrada da morte.

Você desce de bicicleta pelos despenhadeiros, cercado de natureza e paisagens incríveis – um passeio que Rafael não deixou nem eu cogitar fazer, por motivos de ‘eu não tenho equilíbrio’ hahaha.

O Flávio e Geisei do blog Viajando na Janela tem um post super bacana contando tudo sobre a experiência de downhill na estrada da morte na Bolívia, vale a pena conferir.

Para quem curte história, outra opção interessante é o tour de Tiahuanaco, um sítio arqueológico pré-colombiano localizado a pouco mais de 70km de La Paz.

Acredita-se que as ruínas de Tiahuanaco são remanescentes de uma das mais importantes civilizações da cultura andina, precursora do império Inca, que floresceu na região por mais de cinco séculos. Um passeio cheio de cultura e história da América do Sul.

De La Paz para onde?

Nossos dois dias em La Paz passaram muito rápido.

Tinha muita coisa pra descobrir ainda, e eu tinha vontade de explorar mais a cidade, descobrir sua cultura e beleza, que se escondem por trás de uma primeira camada mal-acabada de poluição, confusão e casas mal-acabadas.

Mas já era hora de partir, hora de desbravar mais um dos pontos altos desse mochilão pela América do Sul: o Salar de Uyuni!

Seguimos de madrugada para o aeroporto de La Paz, em El Alto. De lá, pegamos um avião para o pequeno povoado de Uyuni, na Bolívia, para fazer o tour de 3 dias no Salar de Uyuni, o maior deserto de sal do mundo!

Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Analuiza disse:

É engraçado perceber que mesmo morando em um país tão diverso e desnivelado socialmente ainda nos sentimos com sentimento ambíguos quando nos deparamos com cenário como o que você descreve em La Paz… Em muitos trechos, se não soubesse que falava da Bolívia, poderia ser alguns bairros de algumas cidade brasileiras.

Claro que tem aí também um forte componente que só podemos sentir estando pessoalmente em um lugar: a energia que move as cidades, as pessoas, os aromas (por falar nisso, fiquei de água na boca com a imagem do prato para machos!) e isso torna cada cidade única.

La Paz me pareceu uma cidade muito peculiar, intensa, cheia de nuances para serem observadas, analisadas. Talvez também não sentisse muita simpatia por ela à primeira vista, mas nada como viver um pouco das cidades para mudarmos nossos sentimentos.

Me diga uma coisa: sentiu-se insegura em algum momento?!

Você está mesmo aguçando a minha curiosidade de ir ver de perto a Bolívia! 🙂 bjs

Klécia disse:

La Paz merece segundas e terceiras vistas. A beleza não salta aos olhos, ela está no cotidiano, nas tradições, numa cidade que é bem viva e única, como você disse.
Sobre insegurança, posso dizer que me senti desconfiada. Cada vez que me enveredava por ruas menos turísticas, como tudo por lá fora do centro histórico tem uma enorme cara de periferia, ficava com olhos e atenção redobrada. Mas nunca, em nenhum momento, me senti ameaçada ou insegura. Era muito mais nosso background nos preparando para um momento de susto, que nunca chegou a existir. Mais culpa do que nós esperamos ou julgamos do que o que La Paz oferece.