O Museu Paço do Frevo, no coração de Recife

Como pernambucana que sou, peço licença poética a Dorival Caymmi para dizer que ‘quem não gosta de frevo, bom sujeito não é’.

Estou aqui escrevendo esse post sobre o Museu Paço do Frevo em Recife ao som de Vassourinhas (não conhece? Escuta aqui!) e é difícil me segurar na cadeira para não sair pela sala arriscando uns passinhos.

A gente se empolga só de ouvir os primeiros acordes do hino que contagia multidões em Pernambuco, com sua efervescência e energia.

O frevo faz parte da identidade do povo pernambucano, do carnaval, da alegria. E para conhecer a alma do frevo, quem passa em Recife tem que conhecer o Museu Paço do Frevo, no bairro do Recife Antigo.

Museu Paço do Frevo

Oxe, mas você sabe o que é o frevo?

Ah, amigo! Frevo é uma brincadeira de letras com a palavra ferver, porque o ritmo vem mesmo da fervura gostosa que dá no corpo quando a música começa a tocar.

Como diz uma das canções de frevo mais conhecidas, essa é ‘a embriaguez do frevo, que entra na cabeça, depois toma o corpo e acaba no pé’.

É difícil ficar parado. Todo mundo acaba querendo seguir o ritmo alucinante dos passistas, com suas sombrinhas multicoloridas.

O frevo tem um compasso rápido e animado, que é a cara do carnaval pernambucano. 

O ritmo surgiu no século XIX, ali mesmo no estado nordestino. Veio de uma mistura de outros ritmos, como o maxixe e a marcha. Já a dança nasceu dos movimentos de defesa da capoeira, e exige habilidade e equilíbrio para os passos mais acrobáticos.

Você sabia que existem mais de 120 passos de frevo catalogados? Eu arrisco uns passinhos, mas já acabei algumas vezes sentada no chão ao tentar uma manobra mais ousada haha.

Mas quem consegue parar? A gente levanta e segue frevando!

Para confirmar a importância do ritmo para o estado de Pernambuco e para o mundo, o frevo foi declarado Patrimônio Imaterial da Humanidade em 2012 pela Unesco.

Museu Paço do Frevo

O Museu Paço do Frevo

O Paço do Frevo é um espaço cultural no coração da cidade do Recife, idealizado para virar referência sobre o ritmo, tanto no Brasil quanto no mundo.

Além disso, é um espaço para preservar a riqueza imaterial desse símbolo maior de pernambucano. 

Desde a inauguração do Paço do Frevo, em 2014, o turista que visita Pernambuco pode conhecer o ritmo dos carnavais durante todo o ano.

Museu Paço do Frevo

O Museu Paço do Frevo fica na Praça do Arsenal de Marinha, no bairro histórico do Recife Antigo.

O bairro é, por vocação, o ponto de encontro de arte e cultura na cidade pernambucana. Quase posso ouvir o som dos ensaios de Maracatu espalhados pelas esquinas nas tardes de domingo! Saudades, minha terra! 💙

Como é a visita ao Museu Paço do Frevo em Recife

O prédio em que funciona o museu é um lindo casarão histórico, que funcionou até a década de 1970 como sede da empresa de telégrafos Western Telegraph. A construção é uma das mais bonitas da Praça do Arsenal.

Eu me apaixonei logo de cara pela decoração do salão de entrada. Um vermelho intenso – lembrei logo da energia do frevo – que decora as paredes, com grandes nomes da música e cultura homenageados por todo lugar.

Museu Paço do Frevo

A visita começou muito bem, com uma linda exposição de fotos em preto e branco sobre o carnaval.

Acho que o preto e branco deixou ainda mais em destaque o movimento e alegria dessa festa que o pernambucano tanto ama. A essa altura, nossos corpos já começavam a se balançar ao som do frevo que tocava pelos corredores.

Museu Paço do Frevo
Artes expostas no Museu Paço do Frevo
Museu Paço do Frevo

No mesmo corredor de entrada, do lado direito, um mergulho na história do frevo e de Pernambuco. São recortes montados em pequenas revistas, que a gente foi folheando para descobrir a origem e a riqueza do frevo pernambucano.

Paço do Frevo: Um encanto a cada andar

As salas de exposição seguiram encantando pelos três andares do Paço do Frevo. No térreo, a história do frevo contada em vídeos, em artigos e fotos nas paredes.

E uma enorme parede-lousa para que os visitantes também possam contar a sua história com o frevo. Muitas cores, muitas palavras pelas paredes – como adoro lugares cheios de palavras!

Museu Paço do Frevo

No primeiro andar, funciona uma escola de dança. Numa viagem que eu for com mais tempo a Pernambuco, quero agendar uma aula de frevo por lá.

No segundo andar, estão as exposições temporárias. Eu visitei uma chamada Frevo Experimental, que estava linda demais!

Museu Paço do Frevo

Mas meu caso de amor com o Paço do Frevo nasceu mesmo no terceiro andar. Passei um bom tempo brincando sobre o chão de vidro, e admirando os estandartes dos blocos de rua de novos e antigos carnavais que estavam sob meus pés…

Fiquei tentando lembrar os que já conhecia, descobrindo vários que eu nunca tinha ouvido falar.

E como não amar as lindas janelas decoradas? Frases e poemas sobre o frevo, o Recife, a música e o amor. Olhar Recife Antigo pelas janelas do Paço do Frevo foi poesia pura! –

Especialmente à noite, quando a cidade se iluminou e os trechos dos poemas nas janelas ficaram ainda mais visíveis. Enquanto eu viajava nas palavras, as pessoas dançavam ao som do frevo que, por aqui, domina todo o ambiente.

Museu Paço do Frevo
Museu Paço do Frevo
Museu Paço do Frevo

Na saída, ainda brinquei no glossário carnavalesco, testando os conhecimentos de Rafael sobre Pernambuquês e carnaval de Recife.

Um passeio pra encantar os olhos e aprender muito sobre história e cultura!

Museu Paço do Frevo

Como dizia o grande Capiba, um dos maiores compositores de frevo da história, o frevo ‘é madeira de Lei que cupim não rói’.

E o Paço do Frevo está fazendo um trabalho incrível em preservar a identidade e a história desse ritmo tão Pernambucano.

Saí da visita verdadeiramente emocionada, com olhos marejados pela saudade de Pernambuco e por ver minha cultura retratada de forma tão linda!

Museu Paço do Frevo

A minha vontade é dizer a todo mundo que vai a Pernambuco: visite o Paço do Frevo para entender um pouco mais sobre meu querido Pernambuco, e sobre esse ritmo frenético, que não deixa ninguém parado!

O Museu Paço do Frevo é um verdadeiro mergulho em regionalismo, com muita poesia e interatividade.

A gente se sente parte do museu, quase abraçado pelas paredes vermelhas e pelo ritmo que ferve. Com certeza, um dos museus dedicados à cultura mais bonitos que eu já visitei – e não é somente meu coração pernambucano que diz!

Além de museu, o local também abriga a escola de dança, uma escola de música e um centro de documentação sobre o frevo. No térreo, funciona uma cafeteria que gosto muito.

O Malakoff Café é um dos meus xodós em Recife, tanto para comidas quanto para cafés quentes e gelados em diferentes preparos.

Um bônus:

Desde junho de 2017, o Museu Paço do Frevo pode ser visitado de qualquer lugar do mundo!

O museu passou a fazer parte da plataforma Google Arts & Culture, que oferece tours virtuais em museus e atividades culturais incríveis pelo mundo.

Mais de mil instituições de todo mundo estão na plataforma, e o Paço do Frevo foi o primeiro museu nordestino da plataforma.

Museu Paço do Frevo

Dá pra explorar o museu em fotos em 360º, brincar com uma ferramenta interativa sobre a história do frevo, aprender as variações do ritmo, fazer um tutorial de dança e ouvir a orquestra do Maestro Spok, separando o som de cada instrumento.

O material é muito bacana e você pode conferir aqui: O Frevo e o Paço.

Leia também: Uma visita ao Futuro: Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro

Museu Paço do Frevo

Site: http://www.pacodofrevo.org.br
Endereço: Praça do Arsenal da Marinha, sem número. Bairro do Recife, Pernambuco.
Horário de funcionamento: terça a sexta, das 9h às 17h. Sábados e domingos, das 14h às 18h. Fechado às segundas.
Valores: R$ 8 (inteira); R$ 4 (meia-entrada). Todas as terças e no último domingo do mês, a entrada é gratuita.
Agendamento de visitas guiadas: agendamento@frevo.org.br / +55 81 3355-9527

Salve esse post no seu Pinterest pra lembrar do nosso site sempre que for planejar sua viagem! 😊

Museu Paço do Frevo
Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
ana disse:

Não conhecemos esse museu do Frevo quando estivemos em Recife, é uma boa pedida.

Klécia disse:

vale muito a pena! É um dos meus favoritos por lá!

Mapa na Mão disse:

Eu não sabia que existia um museu sobre o frevo. A única vez que tive contato ao vivo com esta dança mesmo contagiante, foi na saída do porto em Recife em um cruzeiro que fizemos para lá e achei muito legal e animado o pessoal que dançava com as sombrinhas coloridas. Adorei o post e as dicas e achei o preço bem justo da atração. Beijos.

Klécia disse:

Essa recepção no porto/aeroporto é contagiante ne? Eu adoro quando volto pra lá e calha de me receberem assim! 😀

angiesantanna disse:

frevo é uma coisa muito distante pra mim, só vi na tv! gostei bastante desse museu, a decoração e o jeito que expoem as coisas é bem diferente, o que o torna mais atrativo e dá vontade de ler o que está escrito!

Klécia disse:

É muito interessante, Angie! Super bem montado, deixa cada andar mais interessante!

Nossa, eu não tinha ouvido falar desse Museu…sou paulistana mas concordo que é impossível ficar parada ao som do frevo!! Já está na minha lista de lugares a conhecer 🙂

Klécia disse:

Aeee, é muito bom saber que o ritmo contagia o país inteiro! Obrigada pelo comentário, Vanessa!

rayaneaz disse:

Klécia, eu adorei esse post! Nunca fui atrás do significado de frevo e adorei saber que ele é uma brincadeira com ferver. Eu amo dançar e sempre achei umas das danças mais difíceis (haja perna, né?). Estou encantada com o museu! Muito obrigada por compartilhar nossa cultura. Amei!

Klécia disse:

Que bom que curtiu, Rayane! Eu também sai toda empolgada do museu, achei o espaço um máximo! 😀

Parace realmente ser bem interessante este museu. Se for a Pernambuco vou procurar ir!

Klécia disse:

Que bom que gostou, Catarina! O museu vale mesmo a visita!

Que museu mais incrível!! Amei!! Nunca estive em Recife, mas já quero! Fiquei apaixonada por ele e sua história. O seu texto está encantador. Parabéns!! =)

Klécia disse:

Que bom que gostou, Martinha! Recife te espera!

Klécia, que super esse post! Ainda não conheço este museu, mas fiquei encantada com ele. Além de trazer a história desse ritmo tão bacana, ainda parece ser lindo e mega divertido. Adorei e vou colocar na listinha de afazeres para quando for para Recite! 😉

Klécia disse:

EU também me encantei muito pelo Paço do Frevo! Coloca na listinha sim, merece muito sua visita!

rui batista disse:

Bem interessante esse museu. Fica na lista…

Klécia disse:

Torcendo para que voce conheça em breve! 🙂

Fabricio disse:

Uau! Que lugar mais lindo, a dobradinha Recife-Olinda estão na minha lista de lugares do Brasil que eu adoraria conhecer, acho que aparecendo uma oferta boa no Smiles eu vou. Post salvo, parabéns =)

Klécia disse:

Vai sim, Fabrício! AS duas cidades são lindas, eu voltaria lá sempre, se pudesse!

Um texto emocionante! Daqui pude sentir a fervura do frevo e quase saio dançando (ou tentando). Com certeza, o Paço do Frevo me fará um dia voltar ao Recife: o museu está lindo e bem organizado! Uma bela homenagem, um lindo resgate/preservação deste símbolo pernambucano.

Em tempo: dancei muuuuuito Vassourinhas!!! É um clássico de nossa cultura sem dúvida alguma! 🙂

Adorei viajar com por este texto! Pura beleza, sensibilidade e poesia. bjuuus

Klécia disse:

Ana, você vai amar o Paço do Frevo, certeza! Eu sai muito emocionada, e feliz de ver a cultura pernambucana sendo valorizada da forma que merece!
Boas lembranças com Vassourinhas por aqui também! 🙂