O que fazer em Lumiar, RJ: 3 dias de cachoeira e gastronomia

O que fazer em Lumiar RJ | Desde que os preços das passagens aéreas dispararam, nós tiramos do bolso o projeto de fazer viagens mais curtas, de carro, e explorar o estado do Rio de Janeiro e arredores.

A boa notícia é que essa proposta vem rendendo uma viagem deliciosa atrás da outra. Muitas vezes a gente fica sonhando somente com os destinos de longe, e esquece que tem tanta coisa linda para descobrir aqui do lado de casa!

Nós passamos 3 dias em Lumiar (sexta a domingo), graças a um feriado prolongado. Mas essas dicas sobre o que fazer em Lumiar podem ser facilmente adaptadas para um final de semana / 2 dias de viagem, também.

Onde fica Lumiar e o que esperar dessa viagem

Lumiar não é uma cidade, mas sim um distrito de Nova Friburgo, na serra fluminense. A região ficou mais famosa pelas opções de passeio na natureza.

Confesso que eu imaginava que Lumiar era um povoado bem pequeno e por isso essa seria uma viagem mais off-line, com muita cachoeira de dia, e com noites sossegadas em casa. Mas a vida noturna de Lumiar me surpreendeu!

O centro de Lumiar é super charmoso, com um lago na praça principal, ao redor do qual se concentram a maioria dos restaurantes e até cervejarias locais.

Especialmente nos finais de semana, quem procura o que fazer em Lumiar à noite encontra muita música ao vivo e diferentes pegadas gastronômicas nos muitos restaurantes – inclusive opções vegetarianas e veganas!

A estrutura das hospedagens também é boa, e há algumas agências de passeio para quem não vai de carro ou prefere não colocar o veículo nas estradas de barro.

Há alguns mercados na cidade (de porte pequeno e médio). Fizemos algumas compras no Multi Market (R. Guilherme Henrique Spitz, 220), que funciona de segunda a sábado, de 7:30h – 19h. Ao lado do mercado há um caixa eletrônico 24h.

O que fazer em Lumiar RJ: roteiro de 3 dias

Depois de devidamente apresentados para a estrutura de Lumiar, vamos ver o que fazer por lá em 2 ou 3 dias de viagem.

Sobre a estrada Rio de Janeiro – Lumiar

Existem algumas opções de caminho para chegar em Lumiar:

– Via BR101, até Casimiro de Abreu, e daí subindo a Serramar até Lumiar (173 km).

– Via BR101, até Itaboraí, quando segue pela RJ116 até Nova Friburgo, e de lá pela RJ142 até Lumiar (157 km).

– Via Magé, seguindo pela Linha Vermelha, BR040 e BR116 até Nova Friburgo, e de lá pela RJ142 até Lumiar (172 km).

Saímos do Rio de Janeiro depois do almoço e calculamos no Waze qual a opção com menos trânsito. Seguimos pela Serramar.

A estrada é bonita, mas vai em mão dupla e é cheia de curvas (algumas bem fechadas). De modo geral, estava em bom estado de conservação e sinalizada na maior parte do caminho.

Chegamos em Lumiar por volta das 16h, com cerca de 3 horas de estrada (pegamos chuva, mas quase nenhum trânsito).

Dia 1: centro de Lumiar e Cervejaria Ranz

Depois de fazer o check-in na nossa hospedagem (alugamos uma casa por temporada, mas vou falar mais sobre onde se hospedar em Lumiar no final desse post), fomos explorar o centrinho.

Fizemos algumas compras no mercado para abastecer a despensa e (escolhemos o Multi Market por ser o maior) e voltamos com o carro até a Praça de Lumiar, o marco do centro do povoado e onde está o lago que é cartão-postal do centro de Lumiar.

Centro de Lumiar - lago de Lumiar

O agito já tinha começado e foi difícil até achar vaga pra estacionar no centro. Apesar da chuvinha fina, tinha bastante gente nos restaurantes e muita música ao vivo rolando.

O lago de Lumiar é a principal referência do centro. Ao redor dele, muitos restaurantes, com pegadas diferentes. Cerveja, vinho, fondue, carne, massa, vegetariano e muito mais. Me surpreendi de verdade com tantas opções!

O lugar mais animado naquela noite de sexta era o Espaço Nagib Pedro, uma espécie de galeria / praça de alimentação com piso térreo e primeiro andar, que reúne alguns restaurantes e tem um pequeno palco para shows no pátio central.

Como as mesas do Espaço Nagib Pedro estavam bem disputadas, demos uma volta na praça do lago para encontrar um lugar mais tranquilo para jantar.

No caminho, encontrei um totem com esse mapa do Circuito de Cachoeiras de Lumiar, que aproveitei pra fotografar e direcionar os passeios dos próximos dias:

Circuito de Cachoeiras em Lumiar, Rio de Janeiro

Seguimos caminhando e escolhemos parar na Cervejaria Ranz, ali ainda nas margens do lago. Pronto, esse casal cervejeiro encontrou o lugar perfeito para #sextar em Lumiar.

Esse é o bar dessa cervejaria local, nascida e criada na serra fluminense. A Ranz tem como diferencial os nomes curiosos com que batiza as cervejas (Topada, Racha Cuca, Capineira, e assim vai), e os ingredientes locais que adiciona nas receitas.

A cervejaria também levanta a bandeira de fazer cerveja sem usar nenhum aditivo químico, além disso não filtra nem pasteuriza as bebidas.

O espaço é bem agradável, tem tanto uma área interna coberta quanto um espaço externo que funciona como Bier Garten. O cardápio também tem petiscos interessantes para harmonizar com as cervejas da marca.

Anota o nome das cervejas que provamos: Maria Fumaça (uma Rauchbier, favorita da noite), Cara Pálida (American Pale Ale), Topada (Imperial Red Ale) e Tcheca.

Ranz Bier em Lumiar

Para quem é viajante cervejeiro como a gente, é parada obrigatória em Lumiar.

Depois do jantar, caminhamos nas ruas próximas para conhecer um pouco mais do centro de Lumiar. Fomos até a Praça do Coreto (outro point gastronômico forte do centro) e descemos até a Praça Levy Ayres Brust, que é pequena mas bem charmosinha também.

Dia 2: Cachoeiras em Boa Esperança

Chegou a hora de conhecer as primeiras cachoeiras de Lumiar. Pegamos o carro e seguimos até o povoado de Boa Esperança, que fica a mais ou menos 5km do centro de Lumiar.

Até chegar no povoado, a estrada é asfaltada e bem tranquila. E ainda bem pertinho de Lumiar, você encontra a primeira atração do roteiro:

Poço Belo

Paramos o carro no pequeno estacionamento na beira da estrada e voltamos um pouco a pé até a entrada do Poço Belo, escondida pela vegetação – o que dá um pouco de privacidade para esse lugar lindo que fica bem às margens da rodovia.

O Poço Belo tem uma pequena cachoeira e um poço que eu particularmente achei muito bonito. Pela proximidade de Lumiar, muita gente vem até ali para bater foto, ou ficar bebendo com a vista.

Com tanto movimento, não tinha ninguém tomando banho – talvez pela falta de privacidade mesmo, já que o lugar fica na beira da estrada.

Bonito, é. Mas só paramos para tirar foto mesmo e seguimos.

Poço Belo em Lumiar

Ao chegar no bairro da Boa Esperança, a estrada asfaltada acaba e você precisa encarar estrada de chão para visitar as duas cachoeiras próximas: Cachoeira Indiana Jones e a Cachoeira de São José.

Como havia chovido, decidimos deixar o carro no povoado e seguir a pé. Na bifurcação, a placa indicava, para a esquerda, 800 metros até a São José, e para a direita, 1km até a Indiana Jones.

Pegamos a esquerda.

Cachoeira de São José

A subida é íngreme mas compensa. Na subida, vimos que o carro até chegaria lá em cima, tinha muita gente com carro baixo indo até lá – mas seguro morreu de velho e uma caminhada faz bem pra saúde.

Algumas placas no caminho e uma indicação na porta marcam o lugar. A entrada da propriedade é uma rampa toda florida (e um pouco úmida e escorregadia) que nos leva até a portaria onde cobram a entrada: R$4,00 por pessoa dão direito a usar toda a estrutura.

Uma piscina com água de nascente, uma bica com água da cachoeira e um chuveirão, um bar na piscina com sucos, cervejas e petiscos, mesas e cadeiras – e seguindo alguns metros mais à frente, a linda Cachoeira de São José.

Cachoeira São José em Lumiar

O lugar tem ótima estrutura para quem viaja com crianças ou quer passar o dia relaxando com a natureza, contando com essas facilidades.

A família que gerencia o negócio. A filha cobra a entrada, a mãe comanda a cozinha e o pai recepciona a gente, bate um papo, fala de como construiu tudo por ali. Um pessoal bem simpático e acolhedor.

Cachoeira São José em Lumiar

Sentou com a gente e mostrou o vídeo de umas semanas antes, quando uma cabeça d’água chegou na cachoeira – sempre vale avisar pra ter cuidado ao viajar em temporada de chuvas. Converse com os locais para saber como estão as chuvas na cabeça dos rios e nascentes.

Tomamos banho na cachoeira (que água gelada!!!), na bica (que funciona com água que vem direto da cachoeira!), lanchamos pastéis e bolinho de aipim no bar. Tudo muito simples e por isso mesmo delicioso.

Bica de água da Cachoeira de São José, Lumiar RJ

Cachoeira Indiana Jones

Voltamos todo o caminho até a bifurcação e agora fomos para a direita, a caminho da Cachoeira Indiana Jones.

O caminho parecia menos íngreme e eu pensei que o trajeto fosse até mais fácil. Doce ilusão!

Depois dos primeiros metros planos, começa um sobe – sobe daqueles. O caminho é bem íngreme e tive que parar algumas vezes no caminho até chegar.

Aqui, em dia de chuva, só vale a pena ir de carro 4×4. Carro normal vai sofrer muito ou talvez nem chegue.

A sinalização para chegar na Cachoeira Indiana Jones também é mais deficiente. Na chegada, a placa que indica a cachoeira à esquerda é pequena e estava toda pichada.

Caminho até a Cachoeira Indiana Jones

Um pequeno descampado serve de estacionamento para os carros e jipes de agência turística.

A entrada da trilha fica antes de uma antiga cabana, sem nenhuma placa. Vimos um pessoal descendo por ali, e por isso seguimos e acertamos. Mas se não tivesse ninguém, ia dar um trabalhinho pra achar o caminho.

Caminho para a Cachoeira Indiana Jones

A trilha de mata segue sem bifurcações, por isso daí pra frente fica difícil se perder.

O trajeto não é muito longo, e é praticamente todo em descida até chegar na pedra que serve de apoio para quem visita a cachoeira.

Não tem nenhuma estrutura além dessa: uma pedra maior onde a gente apoia as coisas.

Cachoeira Indiana Jones em Lumiar

Seguindo pela pedra na margem da água, é preciso entrar no riacho (a água na metade da canela) e seguir em frente contrário a correnteza para encontrar a formação rochosa que dá nome a cachoeira.

Um pequeno cânion formado por uma pedra encaixada entre outras duas maiores, por onde passa a água do rio. Em época de seca, é possível chegar bem mais perto, mas quando fomos o rio estava com muita água e só conseguimos ver de longe.

Cachoeira Indiana Jones em Lumiar

Mesmo assim, o banho na água rasa perto da pedra de apoio foi uma delícia. Longe da formação de pedras, a água estava mansa e dava pra sentar no fundo de areia, boiar, meditar…

Só fomos embora quando um grupo grande chegou e o local acabou ficando muito cheio. Se não fosse isso, poderia ficar bastante tempo curtindo o clima mais recluso da cachoeira Indiana Jones.

Dicas gastronômicas

Pra terminar o dia, voltamos pra Lumiar e almoçamos (no meio da tarde) no Restaurante Armazém da Serra. Fica bem na Praça do Coreto, pertinho do lago de Lumiar.

O lugar é especializado em truta e tanto eu quanto Rafael provamos pratos com base no peixe – que estavam bem gostosos e com preço justo. Eu pedi uma truta acompanhada de cogumelos e cuscuz marroquino e acertei muito na escolha!

Armazém da Serra - onde comer em Lumiar

Pra acompanhar, chopp de outra marca local, a Barão Bier de Nova Friburgo.

Ficamos na área externa e estava rolando música ao vivo – e pelo que vi na agenda no final de semana sempre rola música ao vivo por lá.

Ao lado do restaurante Armazém da Serra, funciona a cafeteria / sorveteria deles também – fica a dica para a sobremesa!

Depois do almoço fomos descansar um pouco, para voltar ao centro à noite. Dessa vez chegamos cedo e conseguimos jantar num dos restaurantes do Espaço Nagib Pedro.

Escolhemos o bistrô com pegada francesa Ces’t la Vie – Gourmet and Champanheria. Dividimos um vinho e partilhamos uma mignon com molho gorgonzola e torradas que estava bem gostoso.

Carne com gorgonzola, onde comer em Lumiar

No dia seguinte, provamos o cardápio do restaurante vizinho, o Casa da Picanha, com uma porção de picanha fatiada com aipim – que também estava muito boa!

Fica como outra dica para quem procura onde comer em Lumiar.

Casa da Picanha - onde comer em Lumiar

Dia 3: Pedra Riscada, Encontro dos Rios e Toca da Onça

Mais um dia de cachoeiras! Dessa vez seguimos pela Serramar, que conecta Lumiar a Casimiro de Abreu. Nas margens da estrada, você pode ver a Pedra Riscada, outro cartão-postal da região de Lumiar – muito procurado por praticantes do montanhismo e ecoturismo.

No caminho, dois pontos de interesse para quem procura o que fazer em Lumiar.

Encontro dos Rios

Saindo da estrada principal e pegando o caminho de terra batida, nossa primeira parada é o Encontro dos Rios. Uma ponte de madeira marca o lugar onde é possível ver os rios Macaé e Bonito se encontrando. Paramos o carro um pouco depois da ponte e saímos a pé explorando.

Tem um trecho de águas bem calmas, onde é possível relaxar num banho de rio. E o lugar por si é de uma beleza sem igual.

Encontro dos Rios em Lumiar

É também daqui que partem os passeios de rafting e canoagem pelo rio, tem uma barraca de apoio logo depois da ponte (que estava fechada quando fomos, provavelmente pelo maior volume de águas nessa época do ano).

Toca da Onça

De volta para o carro, seguimos em frente pela mesma estrada de barro, até a Toca da Onça.

O local é um pequeno bar às margens do rio Macaé, com estrutura de apoio como mesas, gramado para jogar bola e banheiros.

A prainha de rio é uma delícia e os petiscos tem um preço muito justo. O lugar não cobra entrada e você pode facilmente se programar para passar boa parte do dia por lá.

Toca da Onça em Lumiar

Mas atenção: Só há um caminho para chegar lá: seguir sempre em frente. A estrada para chegar lá não é bem sinalizada, por isso a gente quase desistiu achando que tinha se perdido ou que o lugar não existia mais.

Do Encontro dos Rios até a Toca da Onça, são 4km aproximadamente. No caminho, você vai passar pelo Espaço Dona Onça – que também é bar, pesque-pague e pousada, mas esse não chegamos a visitar.

Cachoeira Santa Luzia e Cachoeira da Cascata

Voltamos para a estrada e seguimos pela Serramar para tentar encontrar a Cachoeira Santa Luzia e a Cachoeira da Cascata, indicadas no mapa que eu tinha fotografado na praça de Lumiar.

A Cachoeira da Cascata nós avistamos de um mirante na estrada, apenas. E a Cachoeira Santa Luzia nós procuramos bastante qualquer placa indicativa mas não encontramos nada.

Vimos a entrada de uma comunidade chamada Santa Luzia, mas a subida íngreme era demais para nosso carro de passeio e desistimos de seguir.

Como na Serramar não há sinal de telefone, não conseguimos pesquisar na internet e acabamos desistindo e voltando para Lumiar.

Dica extra: Poço Feio em Lumiar

Quando chegamos pertinho de Lumiar, ainda passamos em frente ao Poço Feio. É o lugar pra banho mais perto do centro, e oferece uma estrutura boa para quem vai com crianças.

Além da pequena queda-d’água que forma o poço de águas calmas, o local conta com cadeiras, mesas e guarda-sol na prainha, além de um restaurante que serve essas mesas na beira da água. Tem também tirolesa, sauna e estacionamento.

O que fazer em Lumiar - Poço Feio
Poço Feio em Lumiar – Foto: Facebook Poço Feio

No entanto, eles cobram uma taxa de R$15 por pessoa para entrar, e já era final de tarde. Desistimos de visitar pelo custo-benefício, mas fica mais uma dica de um dos pontos turísticos mais procurados de Lumiar: o Poço Feio.

Só vale atentar que, como fica bem perto do centro, em finais de semana e feriados de sol, o lugar pode ficar bem cheio.

Planeje sua viagem para Lumiar

Quando ir a Lumiar?

Lumiar fica na serra fluminense, a 700 metros de altitude. A época ideal para curtir o clima de serra Lumiar são os meses mais frios (de junho a agosto), quando as temperaturas caem e um fondue com vinho para jantar vai cair super bem.

Nessa época chove menos, o que facilita o acesso para as cachoeiras pelas estradas de terra. Mas as águas mais geladas são um desafio que você talvez não consiga encarar.

No verão (de dezembro a fevereiro), a temperatura convida para um banho, mas nessa época também chove mais. É preciso ficar atento e conversar com os locais sobre as condições das estradas e a possibilidade de cabeça-d’água nas cachoeiras.

Passeios e agências de turismo em Lumiar

Nós fizemos tudo por conta própria – indo de carro e encarando as estradas a pé quando o caminho era mais íngreme ou difícil para fazer de carro.

Mas para quem prefere um pouco mais de comodidade, é possível encontrar em Lumiar algumas agências de turismo que organizam passeios.

O mais famoso é o tour de jipe pelas cachoeiras, que vai te levar na São José, Indiana Jones, Encontro dos Rios e Poço Feio.

Lumiar também oferece passeios como rafting nas corredeiras do rio Macaé, canoagem, rapel, arvorismo, trekking pela Pedra Pintada e muito mais.

No centro de Lumiar, você encontra quiosques da Lumiar Aventura e da Aventura Tour, e pode agendar os passeios com eles.

Onde se hospedar em Lumiar

Lumiar tem hospedagens para todos os gostos e bolsos, das mais simples às mais sofisticadas.

Casa de temporada em Lumiar: Quem quer um pouco mais de privacidade, viaja em família e gosta da liberdade de ter uma cozinha para preparar alguma coisa durante a viagem, pode optar por alugar uma casa de temporada em Lumiar.

Essa casa de temporada em Lumiar fica bem perto do centro e ainda oferece a possibilidade do hóspede tomar um belo banho de rio! Tem 2 quartos, o que é ótimo para quem vai viajar com mais pessoas e quer economizar. Fica bem pertinho do Poço Feio.

Reserve sua hospedagem numa casa de temporada em Lumiar

Chalé do Recanto: ótima pousada no centro de Lumiar, também fica perto do Poço Feio, a poucos metros da praça do lago em Lumiar. É muito recomendada para quem viaja em casal, tem um clima romântico com vista da montanha e estrutura bem confortável.

Reserve sua hospedagem no Chalé do Recanto

Jardim Real: Hospedagem ideal para quem quer ficar afastado do centro, mais conectado com a natureza exuberante de Lumiar.

Reserve sua hospedagem no Jardim Real

Ainda não encontrou sua hospedagem ideal? Existem muitas outras opções de hospedagem em Lumiar (inclusive campings e hostels).

Veja outras opções de hospedagem em Lumiar

Dica para combinar

A vila de São Pedro da Serra fica a apenas 5km de Lumiar e também pertence a Nova Friburgo. Muita gente combina os dois destinos, tirando um almoço ou uma noite para curtir em São Pedro.

Nós não chegamos a combinar porque preferimos dedicar uma viagem só para São Pedro, numa outra oportunidade. Mas o que me contaram é que as duas vilas tem a mesma pegada rústica e acolhedora, com muito verde, lojinhas de artesanato e restaurantes.

Inclusive, dizem que a noite em São Pedro é até mais animada que a de Lumiar e eu já estou curiosa pra ver ao vivo!

Gostou das dicas de o que fazer em Lumiar?

Se você está planejando uma viagem para Lumiar, conta aqui nos comentários para quando é sua viagem e se você pretende usar alguma de nossas dicas!

E se você já visitou Lumiar e tiver alguma dica bacana para acrescentar, pode escrever aqui nos comentários também!

Avatar for Klécia
Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
FERNANDA MENDES DE FRANCA disse:

Obrigada pelas dicas, é importante chegar no lugar sabendo de algumas coisas!

Rafael Cassemiro disse:

Faz toda diferença, Fernanda! Que bom que curtiu as dicas!

Ana disse:

Nossa Klécia, amei o seu post!!! Altas dicas!!!
Eu, minha família e uma família de amigos iremos à Lumiar na próxima semana (2a quinzena de Março) e estava procurando algum post com dicas do local, pois não conheço. Estou com um certo receio do tempo, pois dizem que o mês de Março é um mês de muita chuva, mas essa viagem já estava programada a muito tempo, tivemos que adiar uma vez, por conta de um de nós ter contraído COVID logo na semana da viagem. Alugamos uma casa de temporada e por conta do momento que estamos vivendo, estamos um pouco reciosos de realizarmos esta viagem, mas como já havíamos programado e adiamos. Agora resolvemos ir e espero que possamos aproveitar seguindo todos os protocolos de segurança.

Klécia disse:

Oi Ana,

espero que você tenha uma viagem tranquila e segura, aproveite!