Roteiro Rota das Emoções: 9 dias no Maranhão, Piauí e Ceará

Roteiro Rota das Emoções | Tá aqui um dos roteiros no Brasil que a gente mais gostou de conhecer.

Se você também é fã de contato com a natureza, aventura, gastronomia e cultura, numa viagem que pode oferecer opções de personalização que vão desde o turismo de luxo até a viagem econômica / mochileira, esse é o destino certo pra você.

A Rota das Emoções é uma rota integrada que aproxima três grandes maravilhas naturais do Brasil: os Lençóis Maranhenses, o Delta do Parnaíba e Jericoacoara. Quem tem pouco tempo para percorrer a Rota geralmente foca nesses 3 pontos principais do mapa.

Mas além desses 3 grandes atrativos, quem tem mais tempo e quer explorar o roteiro a fundo vai descobrir que a Rota tem muitas outras “emoções” que também valem a pena visitar e conhecer.

Roteiro Rota das Emoções

Nós passamos 9 dias explorando a região. Nosso roteiro da Rota das Emoções passou pelos 3 atrativos principais, mas também tivemos o privilégio de conhecer alguns outros dos 14 municípios que fazem parte da rota.

Foi um roteiro básico, ideal para quem tem pouco tempo mas quer conhecer os principais atrativos da Rota das Emoções.

Mas 9 dias são suficientes para um roteiro Rota das Emoções? Considere esse período de 9 a 10 dias como o tempo mínimo necessário para quem quer percorrer a rota passando por Maranhão, Piauí e Ceará.

Para quem tem menos tempo que isso, a sugestão é dividir a viagem e focar em um ou dois estados de cada vez.

Para quem tem mais tempo (15, 20 dias ou mais), dá pra estender a permanência nas cidades, fazer desvios e conhecer mais a fundo a Rota das Emoções.

Fizemos um post, inclusive, dando sugestão de roteiro para 15 e 20 dias, além de dicas essenciais quem quer para fazer essa viagem.

Leia mais: Rota das Emoções: sugestões de roteiro, dicas, quanto custa fazer

Vimos tanta coisa linda, conhecemos tantas pessoas incríveis e tivemos uma imersão cultural tão gostosa depois desse roteiro de 9 dias na Rota das Emoções, que ficou a certeza que precisamos voltar mais vezes para explorar um pouco mais da região.

Aqui está o índice do post, com o passo a passo do roteiro. Se quiser ler uma parte específica, é só clicar no link:

Roteiro de 9 dias pela Rota das Emoções: como a gente fez

Para todo mundo que vai fazer a Rota das Emoções, a primeira escolha é a direção do roteiro – onde vai ser o início e o fim do percurso.

Nós percorremos a rota no sentido Maranhão -> Ceará, “contra o vento”. Há quem diga que esse é o sentido mais cansativo, porque vamos guiando contra o vento que traz a areia das dunas ao longo de toda a viagem.

Por do sol Rota das Emoções

Por outro lado, a gente começa a viagem pela parte mais cansativa da viagem, nas estradas que levam aos Lençóis Maranhenses, e acabamos o roteiro descansando na estrutura da vila de Jericoacoara. Pensando assim, dá certo demais fazer a viagem nesse sentido também.

Outra coisa: nesses 9 dias do nosso roteiro estão incluídos os dias de deslocamento, com vôo de chegada e saída. Nossa chegada foi pelo aeroporto de São Luís e voltamos pra casa pelo aeroporto de Fortaleza.

Então vamos lá: nosso roteiro de 9 dias na Rota das Emoções, passo a passo!

Dia 1 – São Luís

– deslocamento até São Luís (MA)
– city tour pelo centro histórico de São Luís

Hotéis indicados: Íbis São Luís | SLZ Lagoa Hotel

Nosso primeiro dia de roteiro Rota das Emoções começou bem cedo, com o voo do Rio de Janeiro para São Luís.

Voamos com a Azul Linhas Aéreas, com uma conexão em Confins (MG). Grande parte dos voos para o Nordeste, saindo de outras regiões do país, hoje envolvem pelo menos uma conexão.

A dica é evitar voos com conexões muito longas, para já não chegar cansado demais no destino, ainda no primeiro dia da viagem.


Seguros Promo

São Luís – MA

Chegamos em São Luís no meio da tarde e já tratamos de aproveitar o finalzinho do dia com uma atividade cultural, ótima opção para entender um pouco mais da história da cidade.

São Luís não faz exatamente parte do Roteiro Rota das Emoções, é mais certo dizer que a cidade é uma das portas de entrada dessa aventura. Mas já que chegamos pela cidade, porque não aproveitar para explorar a cidade um pouquinho?

City tour no centro histórico
Empresa que oferece o tour: Sindegtur – MA

Quem conduziu o tour pelo centro histórico de São Luís foi o José Ribamar, guia cadastrado na Sindgetur – MA, a associação de guias de turismo do Maranhão.

O Ribamar era pura simpatia e nunca esqueci o nome dele porque ele se apresentou como Ribamar, o nome mais popular no Maranhão.

Ele nos levou para conhecer todo o centro histórico, contando detalhes sobre da cidade, influências estrangeiras e curiosidades sobre a formação da identidade cultural do São Luisense.

Passando por ruas cheias de história, fomos desde a Catedral de São Luís até o Museu do Reggae, que homenageia o ritmo mais característico da cidade.

Catedral de São Luís Maranhão

Além das dicas culturais, a presença do guia nos transmitiu uma sensação de maior segurança para explorar o centro, especialmente nesse momento do começo da noite.

Recomendo que você também faça contato com um guia do Sindegtur – MA para aproveitar mais o passeio.

Jantar no restaurante Dom Luiz

Depois do city tour, fomos jantar no Restaurante Dom Luiz, que pertence ao no SLZ Lagoa Hotel (um dos hotéis mais conceituados de São Luís).

Nos servimos na opção buffet self-service, com várias opções de pratos típicos do Maranhão – como torta de sururu, arroz de cuxá, entre outros.

Jantar no restaurante Dom Luiz, São Luís

Pernoite no Hotel Íbis São Luiz

Depois do jantar, fomos pernoitar no Hotel Íbis São Luís. É aquela aposta certeira de hotel com boa estrutura e preço justo.

A localização é central e ajuda muito na saída cedinho no dia seguinte para pegar a estrada a caminho da nossa próxima parada.

Dia 2 – Barreirinhas

– deslocamento até Barreirinhas (com parada em Rosário)
– almoço na pousada Boa Vista
– passeio cultural no Rio Preguiças (comunidade Marcelino)
– jantar no Restaurante Bambaê

Hotéis indicados: Pousada Paraíso dos Lençóis | Pousada Murici

Chegou o dia de começar de verdade o roteiro Rota das Emoções. E lá vamos nós pegar a estrada a caminho de Barreirinhas, a nossa base para explorar os Lençóis Maranhenses.

Várias empresas fazem o transfer entre as cidades, já que esse é um dos circuitos turísticos mais procurados a partir de São Luís.

Como estávamos percorrendo a Rota das Emoções a convite do Sebrae, fizemos esse trecho do percurso com a equipe do Sebrae – Maranhão.

Rosário – MA

No total, são 3:30h de deslocamento de São Luís até Barreirinhas. Mas não fomos direto.

Fizemos uma parada na cidade de Rosário, que é um dos 14 municípios que fazem parte da rota, mas são beneficiados porque estão no caminho dos turistas que estão seguindo pela Rota das Emoções.

Pra você que nunca ouviu falar de Rosário, deixa eu te contar. A cidade é o quarto município mais antigo do Maranhão, foi lá que foi criado o Bumba-meu-boi maranhense, “sotaque” orquestra (aquele que é acompanhado por instrumentos de sopro e sanfona).

Só por essa manifestação cultural tão autêntica, já vale uma parada para quem visita a Rota das Emoções em época de festejos juninos.

Além disso, Rosário ainda é a capital maranhense do turismo de aventura (com eventos de competição de ciclismo mountain bike, canoagem, trail, escalada, encontros de motociclistas e jipeiros).

Nossa parada em Rosário foi curta. Conhecemos a antiga estação de trem no centro da cidade, que está sendo reformada para virar centro de atenção ao turista, biblioteca e centro cultural e provamos um delicioso beiju de tapioca com bolo de milho, pratos típicos da região.

Inclusive, uma das paradas mais tradicionais para quem está na estrada entre São Luís e Barreirinhas fica nos arredores de Rosário: o restaurante Fazendinha Café Lanches e Empório é o último ponto para ir ao banheiro, comprar lanches e seguir na estrada até Barreirinhas.

Barreirinhas – MA

Chegamos em Barreirinhas na hora do almoço. Para quem vai aos Lençóis Maranhenses pela primeira vez, sempre bate a dúvida de onde se hospedar: Atins, Barreirinhas ou Santo Amaro.

Dentre essas opções, Barreirinhas oferece a maior estrutura de hotéis, restaurantes e serviços em geral, por isso acaba sendo a escolha de quem vai pela primeira vez aos Lençóis Maranhenses. Acredite ou não, mas Barreirinhas tem até Subway!

Almoço no restaurante da Pousada Boa Vista

Ao chegar, fomos provar a comida caseira da Pousada Boa Vista (que inclusive tem uma ótima estrutura na área externa, com piscina, redes e um varandão amplo com as mesas).

Um ambiente bem gostoso para já entrar no clima de Barreirinhas.

Pousada Boa Vista Barreirinhas MA

Passeio cultural no Rio Preguiças (comunidade Marcelino)
Empresa responsável pelo tour: Vale dos Lençóis Ecoturismo

Depois do almoço, hora de fazer o check-in no hotel (em Barreirinhas, ficamos na Pousada Paraíso dos Lençóis) e já partimos para o primeiro passeio na região, um roteiro cultural pelo Rio Preguiças.

Eu já tinha ouvido falar dos dois passeios mais tradicionais no Rio Preguiças: 1) a navegação em barco voadeira rumo a foz do rio, com paradas em Vassouras e Caburé e 2) bóia-cross no rio.

Confesso que foi a primeira vez que ouvi falar do passeio cultural, com parada numa comunidade ribeirinha, a comunidade Marcelino, para uma conversa com mulheres que trabalham com a fibra do buriti, uma palmeira típica da região, confeccionando bolsas e artesanatos diversos.

De cara, fiquei muito empolgado com a proposta do turismo de experiência. Esse é um roteiro ainda pouco conhecido em Barreirinhas, oferecido por poucas agências em Barreirinhas. Quem nos levou foi a agência Vale dos Lençóis Ecoturismo.

E como não podia deixar de ser, foi uma baita experiência. A saída acontece do deck da Pousada Murici (outra ótima pousada, nos hospedamos nela na nossa primeira viagem aos Lençóis Maranhenses, em 2015).

Passeio de barco no Rio Preguiças
Rio Preguiças (MA) – Foto: Fui Ser Viajante

Subimos o rio no barco voadeira, na direção oposta a dos passeios tradicionais.

A natureza nas margens do rio é encantadora e vai nos distraindo pelos 50 minutos de navegação, até que chegamos ao ponto de desembarque na Comunidade Marcelino.

O trabalho desempenhado pela associação de mulheres na comunidade Marcelino é incrível.

Vimos como elas extraem a fibra a partir do olho do buriti (retirado da copa das palmeiras pelos homens), como tingem tudo com corantes naturais extraídos ali mesmo, das plantas do quintal de casa, e como tecem a fibra e transformam em bolsas, chapéus e até roupas.

Artesanato na comunidade Marcelino, MA

Tudo natural, eco-sustentável e comunitário. Um trabalho bonito de se ver.

Klécia não resistiu e trouxe uma bolsa pra casa. O preço surpreende. Com certeza, em qualquer loja na cidade, custaria muito mais que os R$ 40 que pagamos na comunidade – e comprando lá você ainda incentiva diretamente o trabalho dessas mulheres!

Na volta de barco, ainda fomos presenteados com um lindo por do sol.

Jantar no Restaurante Bambaê

À noite, chegou a hora de jantar no Restaurante Bambaê, um dos mais conceituados de Barreirinhas.

O casarão rústico de madeira e palha tem uma decoração de muito bom gosto. Funciona como bar, restaurante e pizzaria – a música ambiente era muito agradável e nos divertimos muito com drinks e boa comida.

Restaurante Bambaé - Barreirinhas

Para quem chega antes do por do sol, ainda é possível admirar a vista do Rio Preguiças a partir do deck.

Pernoite na Pousada Paraíso dos Lençóis

Para dormir, voltamos pra nosso quarto na pousada Paraíso dos Lençóis. As instalações são confortáveis e amplas, com decoração simples mas muito confortáveis.

Pousada Paraíso dos Lençóis - MA

O café da manhã tem bastante variedade e a área comum da pousada tem um lindo jardim entre os quartos, com um redário que é um convite para uma soneca depois dos passeios.

Dia 3 – Barreirinhas + Tutóia

– nascer do sol nos Lençóis Maranhenses
– almoço na Orla Náutica Pousada
– deslocamento até Tutóia
– Tour de praias + Pequenos Lençóis em Tutóia
– jantar no Flor do Mangue Tutóia

Hotel indicado em Barreirinhas: Pousada Paraíso dos Lençóis | Pousada Orla Náutica
Hotel indicado em Tutóia: Baluarte Pousada e Ecoturismo

Barreirinhas

Para esse dia do roteiro Rota das Emoções, seguimos com a manhã em Barreirinhas para ver a maior atração da cidade: o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

Como funciona a visita aos Lençóis Maranhenses

O tour mais procurado saindo de Barreirinhas é o passeio para ver o por do sol de cima das dunas dos Lençóis Maranhenses. Você pode ver esse espetáculo em um dos dois circuitos de visita ao parque, saindo de Barreirinhas:

Circuito Lagoa Bonita, mais bonito e mais difícil. Para chegar em cima da primeira duna, é preciso encarar uma subida de 30 metros apoiado por uma corda.

As lagoas são maravilhosas (inclusive uma delas foi cenário na novela O Clone) mas secam super rápido. Por volta de agosto, esse circuito já está com baixo volume de água nas lagoas.

Circuito Lagoa Azul, mais fácil para visitar e com lagoas que duram mais tempo. Tem um amplo estacionamento e os carros param já bem perto da primeira lagoa.

De lá, são 2 km de trilha pelas dunas para visitar todas as lagoas do percurso, até chegar na última, a Lagoa Azul. É o circuito mais visitado fora da alta temporada nos Lençóis Maranhenses (que vai de maio a setembro).

Na nossa primeira visita aos Lençóis Maranhenses, visitamos o circuito Lagoa Azul – por estarmos acompanhados de pessoas mais velhas e por ser março, com as lagoas ainda pegando água com as chuvas.

Fomos ver exatamente o por do sol e foi uma experiência muito legal. Os passeios são realizados com jardineira, e os grupos saem de Barreirinhas por volta das 14h.

Em geral, esse passeio é bem concorrido e você vai encontrar bastante gente tanto nas lagoas quanto em cima da duna – fica todo mundo na duna ali perto do estacionamento, porque depois os carros saem em fila e todos os motoristas querem sair primeiro para pegar “menos trânsito”.

Pois nessa segunda vez que fomos aos Lençóis Maranhenses, era novembro e as lagoas já estavam secando.

Voltamos ao Circuito Lagoa Azul, mas dessa vez para uma experiência totalmente diferente: fomos ver o sol nascendo sobre as dunas dos Lençóis Maranhenses!

Nascer do sol no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (com café da manhã)
Empresa que oferece o tour: Caetés Turismo e Expedições. Também fomos acompanhados por um monitor do ICMBio, que gerencia o Parque.

Esse passeio é muito novo, operado apenas por uma agência em Barreirinhas: a Caetés Expedições (empresa especializada em Tours nos Lençóis Maranhenses).

A jardineira da empresa passou por volta das 3:40h da madrugada para nos pegar na pousada Paraíso dos Lençóis.

Atravessamos o Rio Preguiça de balsa e seguimos por 40 minutos na trilha pelas dunas até o estacionamento do Circuito Lagoa Azul. Exatamente o mesmo caminho de quem faz o tour à tarde.

E atenção: não dá pra se aventurar sozinho nessa rota! Precisa de guia credenciado para entrar no Parque Nacional dos Lençóis, viu?

Estacionamos o carro e já subimos a duna para esperar o espetáculo. Com uma lagoa ali pertinho a dúvida foi grande se eu esperava o sol nascer em cima da lagoa ou na beira da água!

O sol foi nascendo meio preguiçoso, embrulhado num bocado de nuvens. Ainda assim, foi lindo demais de ver.

Mais incrível ainda foi que nosso grupinho de quase 10 pessoas estava sozinho lá, com a imensidão dos Lençóis Maranhenses toda pra nós!

Nascer do sol nos Lençóis Maranhenses

Depois do sol nascer, o grupo da Caetés Expedições serviu nosso café da manhã em cima da duna, com frutas, sucos, pães e frios.

Depois, ficamos livres para percorrer a trilha de 2km do circuito e tomar banho.

Café da manhã nos Lençóis Maranhenses

Outro diferencial do passeio do nascer do sol também deu pra notar nessa caminhada.

O vento da noite apaga todas as pegadas dos turistas que visitaram no dia anterior. A sensação é que éramos os primeiros a pisar ali, um ambiente intocado esperando por nós!

Fizemos todo percurso até a Lagoa Azul. Como era novembro, o volume de água na maior parte das lagoas já estava bem baixo.

Lençóis Maranhenses em novembro

Decidimos voltar para a Lagoa da Preguiça, que fica mais ou menos no meio do circuito, pois ela estava com maior volume de água e uma transparência linda.

Ficamos bem à vontade por lá, sem nenhum outro turista. A lagoa inteira só pra gente!

Lagoa da Preguiça - Lençóis Maranhenses

Começamos o caminho de volta por volta das 8:30h. Quando estávamos saindo do estacionamento, encontramos o primeiro grupo de tour regular chegando ao parque.

O nascer do sol nos Lençóis Maranhenses ficou marcado como uma experiência exclusiva e inesquecível dessa Rota das Emoções!

Almoço na Pousada Orla Náutica

Chegamos de volta na Pousada Paraíso dos Lençóis a tempo de fazer um lanchinho, pegando o final do café da manhã (que vai até 10h).

Em seguida fizemos o check-out e fomos almoçar (eu sei, a gente não para de comer, hahah). Aproveitamos a oportunidade para conhecer mais um hotel da região, a Pousada Orla Náutica.

A Pousada fica a 1,5km do centro de Barreirinhas, e pode ser uma boa opção para quem quer um pouco mais de sossego.

Para completar o cenário, a pousada fica às margens do rio Preguiças e oferece hospedagem nuns chalés individuais e bem coloridos.

A estrutura oferece ainda restaurante, piscina, um deck com vista para o rio Preguiças e um grande salão de jogos com vista para os jardins, onde foi servido nosso almoço. Comemos um verdadeiro banquete!

Pousada Orla Náutica, almoço

Deslocamento para Tutóia
Empresa que faz o transfer: JJ Tur – Tutóia

Hora de pegar a estrada novamente. O serviço de Transfer da empresa JJ TUR (com sede em Tutóia) foi nos buscar na pousada Orla Náutica. A empresa também oferece passeios de buggy, veículos 4×4 e quadriciclos.

Fizemos o trecho em jardineiras abertas, com bastante vento no rosto – mais a cara dos Lençóis Maranhenses, impossível. Só capriche no protetor solar antes de encarar o percurso de mais ou menos 1:30h até chegar em Tutóia.

Jardineira nas dunas - Tutóia

Tutóia – MA

Passeio Circuito Praias e Pequenos Lençóis
Empresa que oferece o tour: Grupo Baluarte

Chegamos a Tutóia, nossa última parada no Maranhão. Apenas deixamos as coisas na pousada (ficamos na maravilhosa Pousada Baluarte) e já saímos para explorar a cidade.

Confesso que nunca tinha ouvido falar de Tutóia – e agora só penso em quando é que vou poder voltar pra lá!

Fiquei completamente encantado pela beleza natural dessa cidade que é a porta de entrada do único delta oceânico das Américas e um dos maiores do mundo.

Sabia que o Delta do rio Parnaíba só perde em extensão para o delta do Rio Nilo no Egito e para o delta do rio Mekong, no Sudeste Asiático? Pois é, isso é Brasil!

Tutóia é a cidade que marca o fim dos Lençóis Maranhenses e o começo da região do Delta. Quem visita a cidade tem o privilégio de ver os dois ecossistemas lado a lado!

Fizemos um tour de praias com a Baluarte Ecoturismo (empresa do mesmo grupo que gerencia a Pousada Baluarte, o Grupo Baluarte). Em um Toyota 4×4 (jardineira), saímos pelo litoral conhecendo as praias da região.

Uma beleza natural quase intocada, a maioria das praias completamente deserta. Dá aquela sensação que a gente está literalmente desbravando o Brasil, sabe?

Uma coisa inexplicável, mas é esse tipo de lugar paradisíaco que faz tudo valer a pena pra gente aqui do Fui ser viajante.

Pequenos Lençóis em Tutóia

O passeio circuito praias da Baluarte Ecoturismo nos levou para explorar um litoral de praias quase intocadas. Começamos pela praia da cidade, a praia da Barra, onde uma carcaça de barco naufragado desperta curiosidade em todo mundo.

Seguimos pela praia da Moita Verde. Ali, em cima de uma duna, podemos ver a divisão entre os Lençóis Maranhenses e o Delta do Parnaíba.

No povoado Arpoador, paramos para fotos em antigas casas e barcos à beira mar e descobrimos uma casa de pescador, onde um senhor consertava sua rede e bateu um papo com a gente sobre sua vida.

Tutóia, Maranhão

Por último, chegamos na praia do Amor, que tem esse nome por ser completamente deserta há alguns anos, e muito procurada por casais de namorados.

Bem, hoje em dia não dá exatamente pra dizer que a Praia do Amor anda muito movimentada. Você até encontra algumas pessoas, mas a cara de paraíso intocado permanece.

Hora de sair das praias e entrar um pouco no território, em direção aos Pequenos Lençóis. O cenário lembra muito o dos Grandes Lençóis de Barreirinhas.

A beleza das dunas, lagoas e palmeiras não fica devendo em nada, só a extensão territorial que é um pouco menor.

Pequenos Lençóis Maranhenses

Mas como é nos pequenos frascos que encontramos os melhores perfumes, tivemos uma boa surpresa.

Foi na lagoa pertinho do Morro do Grito, onde paramos para ver o por do sol, que encontramos a lagoa com maior volume de água até esse ponto da viagem! Isso mesmo, ali nos Pequenos Lençóis!

O pessoal se junta em cima da duna para ver o por do sol, os mais aventureiros se arriscam no esqui-bunda e eu que não sou bobo aproveitei que estávamos cercados de cajueiros para provar uma fruta colhida do pé.

E tivemos mais um por do sol lindo na Rota das Emoções!

Na volta pra pousada, ainda paramos na casa do Sr. Vitinho, um antigo morador da região, cheio de histórias pra contar.

Sr. Vitinho nunca usou cartão de crédito, colocou energia elétrica na casa dele um dia desses, e tem muito orgulho em dizer que vive numa cultura de subsistência – o que ele precisa, planta, pesca ou cria. O que ele não tem como produzir, troca com os vizinhos.

Jantar no Restaurante Flor do Mangue

Hora de provar culinária local! E olha que maravilha: muita gente diz que o melhor camarão do Brasil é pescado ali em Tutóia!

Por conta do micro-ambiente formado pelas águas do rio que se misturam com o mar na baía de Tutóia, uma alga única no mundo cresce ali na região.

O camarão se alimenta dessa alga e pronto: não tem camarão no mundo melhor que o de Tutóia. Pode perguntar a qualquer um por lá, que eles vão confirmar.

Com essa fama toda, claro que nosso jantar tinha que ser uma porção farta desse camarão tão especial. Se é o melhor do mundo eu não sei, mas que a sequência de camarões que provamos no restaurante Flor do Mangue era muito boa, isso era!

Restaurante Flor do Mangue - Camarão de Tutóia

Pernoite na Pousada Baluarte

Depois de um dia intenso, nada melhor que repousar numa pousada bem estruturada. E numa cidade pequena, encontrar uma pousada com o conforto da Pousada Baluarte é como ter um óasis pra chamar de nosso.

Os quartos são em chalés individualizados. Ficamos em um quarto para casal super amplo, com uma cama era enorme! Enorme mesmo!

Numa área recuada perto da entrada, tinha espaço para abrir as malas e espalhar tudo, sem atrapalhar a circulação – o que foi ótimo para rearrumar as malas nessa altura da viagem.

O banheiro também era grandão e com uma decoração rústica que combinava demais com o clima de Tutóia.

Na área externa, a Pousada Baluarte tem uma piscina, um bar / restaurante e uma recepção – que funciona também como centro de reservas da agência de ecoturismo do Grupo Baluarte.

Pousada Baluarte - Tutóia

Ou seja, tudo que você precisa para explorar Tutóia, o Grupo Baluarte pode oferecer.

Ainda há outros Tours disponíveis que nós não fizemos (tour Ilhas do Delta, Circuito Rios) – então precisamos voltar pra lá em breve para explorar mais. Ficamos mesmo apaixonados!

Dia 4 – Tutóia + Ilha Grande + Parnaíba

– nascer do sol em Tutóia – MA
– deslocamento para Ilha Grande – PI
– caranguejada no Restaurante Barlavento
– passeio de barco pelo Delta do Parnaíba
– almoço na Casa de Caboclo
– vivência da cata do caranguejo e revoada dos guarás
– transfer até Parnaíba
– jantar e pernoite do Hotel de Charme Casa de Santo Antônio

Hotel indicado em Tutóia: Baluarte Pousada e Ecoturismo
Hotel indicado em Araioses: Pousada Casa do Caboclo
Hotel indicado em Parnaíba: Hotel de Charme Casa de Santo Antônio

Tutóia – MA

Nascer do sol em Tutóia

Seguimos a todo vapor com nosso roteiro Rota das Emoções. Dia de deixar o estado do Maranhão e entrar no Piauí. O transfer até Ilha Grande (PI) estava marcado para buscar a gente às 7h da manhã, mas antes de ir embora de Tutóia, a gente não conseguiu resistir.

Acordamos cedinho para ter o último gostinho de Tutóia. Fomos ver o sol nascendo na praia da Barra, que fica a menos de 5 minutos andando da Pousada Baluarte.

Só os pescadores e a gente na praia. E mais um momento pra não esquecer nessa rota das Emoções!

Sol nascendo em Tutóia MA

Deslocamento até Ilha Grande – PI
Empresas: EcoAdventure Tour e Rota Combo

Pegamos a estrada por mais de 2 horas entrando no estado do Piauí.

As estradas não estavam muito conservadas, mas os carros que fizeram nosso transfer (das empresas Rota Combo e EcoAdventure Tour) era bem confortável. Deu pra descansar no caminho.

Ainda fizemos uma parada numa barraca no caminho, absolutamente no meio de nada, para experimentar a tiquira, a cachaça de mandioca que é a favorita na região.

Tiquira, cachaça de mandioca

Muito cedo pra provar cachaça? Sim, verdade. Mas não somos desses de desperdiçar oportunidade de provar cultural local! 😀

Ilha Grande – PI

Caranguejada no Restaurante Barlavento

Mais uma coisa que eu não tinha ideia: o Piauí é um grande produtor de caranguejo. Inclusive, a maioria do caranguejo consumido no Ceará é catado na região do Delta do Parnaíba.

E não é qualquer caranguejo! É um produto da melhor qualidade, que repetidamente é avaliado como o melhor caranguejo da região.

Logo que chegamos em Ilha Grande, a ideia era parar na Casa das Rendeiras na praça da cidade, para ver o trabalho comunitário. Mas era domingo e o centro cultural estava fechado.

Como preencher esse horário? Com comida, claro.

Paramos no Restaurante Barlavento para experimentar a culinária local.

Começamos com um copo de cajuína bem geladinha – uma bebida típica do nordeste brasileiro, que é muito consumida no Maranhão, Ceará e principalmente no Piauí. Inclusive, a cajuína é patrimônio estadual no Piauí, pra você ter noção da importância da bebida na região!

Cajuína, bebida típica do Piauí

Depois da cajuína, mandamos ver na caranguejada. Uma corda de 4 caranguejos grandes, servidos com acompanhamentos, custavam R$20.

Barato, né? Pois imagine que esse caranguejo aqui da foto nem era o grande, era o MÉDIO! Imaginem quanto caranguejo a gente comeu!

Restaurante Barlavento - caranguejos

Passeio de barco pelo Delta do Parnaíba
Empresa responsável pelo tour: EcoAdventure e Natur Turismo

Finalmente, chegou a hora do passeio mais esperado por mim no Piauí: o passeio pelo delta finalizando com a revoada dos Guarás.

O embarque foi no Porto dos Tatus, de onde saem os passeios pelo Rio Parnaíba.

Além das duas empresas operadoras de turismo, quem nos acompanhou no passeio foi Adilson, secretário de turismo de Ilha Grande. Uma pessoa incrível com uma super história de vida.

De catador de caranguejo ao primeiro de sua família a se formar na faculdade. Além de muito inteligente, sabia tudo da região e foi uma ótima companhia no barco!

Fizemos a primeira parada do passeio foi numa prainha bem ao lado do porto, com uma apresentação temática e interativa de um ator local caracterizado de índio, apresentando a história do índio Mandu Ladino.

Apresentação Mandu Latino - Delta do Parnaíba

Conta a lenda que Mandu Latino lutou contra a tomada de terras por parte dos colonizadores que chegaram ao Piauí. Ele contou sua história e interagiu com o grupo com brincadeiras e perguntas.

Seguimos navegando pelo rio Parnaíba, a caminho da Barra das Canárias (um dos 5 braços por onde o Rio Parnaíba se derrama no mar).

Passamos lado a lado com uma região onde enormes dunas de areia encontram o rio – lugar chamado de Caída do Morro.

Paramos para banho e a água estava deliciosa! Klécia subiu a duna para descobrir muito mais dunas e areia até perder de vista. Ficamos uma meia hora por ali, mas a vontade era não ir embora nunca mais.

Dunas no Rio Parnaíba - a caminho das Ilhas Canárias

Almoço na Casa de Caboclo

Nossa próxima parada foi mais uma das boas surpresas desse roteiro na Rota das Emoções.

Navegando, chegamos até o território que pertence ao município de Araioses. Paramos na Casa de Caboclo para almoço. Confesso que, do píer de atracamento, era impossível imaginar o paraíso que nos espera lá em cima.

O restaurante com vista para o rio, a comida deliciosa (nunca vou esquecer do sabor daquele prato de peixe, banana e queijo, chamado com razão de Peixe Delícia), a paz e beleza daquele lugar: só isso seria motivo para ficar encantado.

Casa de Caboclo - restaurante e pousada

Mas a Casa do Caboclo também funciona como pousada (Pousada Casa de Caboclo), com quartos confortáveis que vão garantir o seu lugar bem ali, na varandinha em frente ao paraíso.

Ficamos tentados a voltar e ficar hospedados alguns dias por lá. Os barcos que passam em frente a propriedade podem fazer o transfer de volta a Ilha Grande ou para os outros passeios na região (tour do Peixe-boi marinho, passeio do cavalo marinho, visita a comunidades tradicionais e mais.

Ou, como o proprietário no falou, a Pousada Casa do Caboclo é o lugar perfeito para quem quer aprender a fazer vários NADA ao longo do dia.

Um dia todo na rede, com vento no rosto, banho de rio e Peixe Delícia não cairia nada mal…

Depois do almoço, ainda saímos para caminhar na praia perto do restaurante, e demos de cara com essas simpatias tomando um belo banho de rio.

Veja mais e reserve sua hospedagem na Pousada Casa de Caboclo

Comunidade ribeirinha no Delta do Parnaíba, na Rota das Emoções

Vivência da cata do caranguejo e revoada dos guarás
Empresa responsável pelo tour: EcoAdventure e Natur Turismo

Saímos da Casa de Caboclo e seguimos navegando pelo rio em companhia da Eco Adventure Tour e da Natur Turismo. O cenário vai mudando e em algum tempo estamos navegando em meio ao mangue e seus igarapés.

Prestando atenção às margens, começamos a ver o vermelho dos caranguejos. Todos do barco vão se divertindo, tentando ver os caranguejos em meio ao mangue.

Cata do caranguejo no delta do Parnaíba

Num determinado momento, os guias encontram um ponto ótimo para a gente entrar no mangue e vivenciar a cata do caranguejo mais de perto.

Os guias muito experientes rapidamente encontraram os caranguejos – enormes e lindos.

Mostraram a diferença entre macho e fêmea (só os machos podem ser retirados), deixaram a gente segurar – sempre com cuidado para não levar uma pinçada.

Para terminar o dia, chegamos na famosa ilha onde os guarás vem passar a noite. Já no caminho, vimos alguns grupos voando, passando por nós.

Chegando lá, não acreditei nos meus olhos. Eram tantos pássaros vermelhos pendurados nas árvores que mais parecia uma árvore de natal. E mais e mais guarás chegando!

As câmeras disparavam sem parar e realmente era impossível conter a emoção. Um espetáculo da natureza acontecendo diante dos nossos olhos!

Revoada dos Guarás no Delta do Parnaíba

Parnaíba – PI

Pernoite no Hotel de Charme Casa de Santo Antônio

Seguimos para a pousada do dia, e dessa vez a escolha foi pensada direitinho para uma viagem de casal.

Ficamos no Hotel de Charme Casa de Santo Antônio, que faz parte da associação Hotéis de Charme do Brasil.

Hotel Boutique Casa de Santo Antônio

Fomos recepcionados com um suco fresquinho, doce na cabeceira da cama e um escalda-pés para recuperar do cansaço do dia.

O banheiro amplo e o quarto decorado com requinte deram o tom do romance nesse ponto da viagem.

Para jantar, ficamos no restaurante do hotel à beira da piscina e provamos um menu de 3 pratos preparado pelo chef, tudo com produtos locais.

Dia 5 – Parnaíba + Itaqui + Macapá + Barra Grande

– tour de quadriciclo pelos Lençóis Piauienses
– almoço na Vila Itaqui na Praia de Itaqui
– praia de Macapá
– por do sol na Pousada BGK com vivência de kitesurfe
– jantar e pernoite na Pousada Manati

Hotel indicado em Parnaíba: Hotel de Charme Casa de Santo Antônio
Hotel indicado em Barra Grande: Pousada Manati OU Pousada BGK

Parnaíba – PI

Trilha das emoções de quadriciclo pelos Lençóis Piauienses
Empresa responsável pelo tour: Quadri & Aventuras

Junto com a equipe do Quadri & Aventuras, embarcamos para mais uma super aventura: um tour de quadriciclo atravessando os Lençóis Piauienses.

Passeio pelos Lençóis Piauienses
Lençóis Piauienses

A empresa oferece dois tours prontos: um de 5 horas, com a travessia completa dos Lençóis) e outro de meio-dia, que vai até a Lagoa do Portinho.

Por conta do nosso tempo disponível, fizemos um roteiro personalizado, que era uma mistura dos dois.

Cruzando dunas numa aventura empolgante, dirigimos o quadri até a Lagoa do Portinho, ótima parada para banho. A paisagem é espetacular e o guia vai conduzindo tudo com muita tranquilidade.

Alguém empacou o quadri na duna? Ele volta lá e ajuda. E vamos seguindo.

Nesse passeio, vale relembrar a dica do protetor solar, porque foi o dia que voltamos pra casa mais queimadinhos (especialmente costas e coxas). Quem tiver blusa com proteção UV, vale usar.

E também pra quem for dirigir, vale anotar a dica de ir de calçado fechado por causa dos pedais do quadri.

Almoço na Vila Itaqui

Nosso passeio acabou na Vila Itaqui, uma super estrutura de restaurante e pousada montada na praia de Itaqui, que pertence ao município de Luis Correia.

Uma piscina natural formada na maré baixa convidava para o banho enquanto a comida não ficava pronta.

Piscina Natural Vila Itaqui - praia de Itaqui

E quando a mesa foi servida, nos esbaldamos com um peixe frito delicioso acompanhado de uma cerveja gelada. Tudo que a gente queria.

Depois do almoço, ainda aproveitamos para conhecer os amplos bangalôs de Vila Itaqui – e adivinhem? Anotamos mais uma pousada que queremos aproveitar numa próxima viagem pela Rota das Emoções.

Veja a estrutura da Pousada Vila Itaqui

Árvore Penteada
Transfer com Adventure Eco Tour

O nosso próximo destino dentro do roteiro Rota das Emoções será a praia de Macapá, no Piauí, mas no caminho fizemos uma parada rápida para visitar a Árvore Penteada, símbolo da região.

Aqui é se jogar com a criatividade para registrar algumas fotos.

Rota das Emoções - Árvore Penteada - Piauí

Praia de Macapá 
Transfer com Adventure Eco Tour

Dessa vez o lugar surpreendeu muito! Ficamos completamente apaixonados pela beleza natural da praia de Macapá.

É até difícil explicar como esse praia é maravilhosa. E como se a beleza da natureza não fosse suficiente, foi ali nosso primeiro contato com muita gente (muita mesmo!) praticando kitesurfe na Rota das Emoções.

Rota das Emoções - Praia de Macapá (PI)
Praia de Macapá (PI)

Acho que a gente nem falou sobre isso ainda nesse post, então aqui vai. A Rota das Emoções pode ser percorrida por terra, mas também pelo mar.

O vento que move as dunas é o mesmo que sobe as pipas de kitesurfe, uma febre entre brasileiros e estrangeiros que viajam para a região atraídos pelo vendaval dessa época do ano.

Todos os anos, quando começa a temporada de ventos, o esporte atrai milhares de turistas, transformando a Rota das Emoções numa verdadeira meca para os kite e windsurfistas.

E muitos atletas estavam ali, colorindo céu da Praia de Macapá com suas pipas. A paleta de cores perfeita.

O único arrependimento é que a parada de 30 minutos aqui foi muito rápida. Queria ter ficado a tarde toda, mas já tínhamos point para o próximo por do sol. Então, vamos!

Barra Grande – PI

Por do sol na Pousada BGK – Barra Grande
Transfer com Adventure Eco Tour

Seguimos viagem até Barra Grande, onde iríamos fazer a próxima pernoite no roteiro Rota das Emoções.

Já chegamos deixando as coisas na pousada (em Barra Grande, ficamos na bem estruturada Pousada Manati) e corremos para a Pousada BGK, para ver o por do sol enquanto os praticantes de kitesurfe riscavam o céu, fazendo altas manobras.

A Pousada BGK tem uma estrutura maravilhosa, e é um dos points dos kitesurfistas (lá funciona até uma escola de kitesurfe, BGKite School).

Enquanto o céu se punha, alguns membros da escola caíram na água para fazer uns manobras pra nossas câmeras. Uau!

Kitesurf na Rota das Emoções

Jantar e pernoite na Pousada Manati

O cansaço estava batendo, hora de ir para a Pousada descansar um pouquinho. Ficamos na Pousada Manati, uma das mais estruturadas de Barra Grande.

Antes de ir pro quarto, não resistimos. Caímos na piscina gigante da pousada para relaxar um pouco.

Pousada Manati - Barra Grande

Depois do banho, jantamos no restaurante da própria Pousada Manati – que fica num espaço aberto, em frente à piscina. Delicioso – o ambiente e o jantar.

E ainda demos uma passadinha no bar Manga Rosa (bem ao lado da nossa pousada) para provar uma batida de coco bem famosa em Barra Grande.

Batida de coco restaurante Manga Rosa

O quarto era confortável, com cama, armário, aparadores, TV e uma grande varanda. As amenidades do banheiro eram da Natura, dando um perfume a mais na hora do banho.

Dia 6 – Barra Grande + Curimãs + Camocim

– nascer do sol em Barra Grande
– manhã na piscina / praia da Pousada Manati
– transfer para Ceará (parada em Chaval e Barroquinhas)
– Chegada em Camocim
– jantar no Restaurante.10
– pernoite no hotel Village Sonhos

Hotel indicado em Barra Grande: Pousada Manati OU Pousada BGK
Hotel indicado em Camocim: Village Sonhos

Barra Grande – PI

Nascer do sol em Barra Grande + praia

Já deu pra perceber que a gente adora um nascer do sol, né? É sempre um momento especial, com uma boa luz pra foto e quase sem nenhum turista na rua, então conseguimos explorar tudo com mais calma.

Barra Grande foi outra praia que levantamos cedinho pra explorar. Aproveitamos que a pousada Manati tinha saída direto para a praia, uma enorme vantagem nessa vila que tem poucas saídas públicas para o mar.

E não é que descobrimos mais algumas paisagens maravilhosas nesse roteiro Rota das Emoções?

Roteiro Rota das Emoções - praia em Barra Grande - PI

Aproveitamos o resto da manhã na praia e na piscina da pousada. A estrutura oferecida é muito boa, dá pra ficar o dia inteiro por lá sem precisar de mais nada!

Almoço no Restaurante Pé de Vento (Pousada BGK)

Na hora do almoço, voltamos para a Pousada BGK, agora para conhecer um dos restaurantes do complexo – o Pé de Vento.

Pousada BGK - Barra Grande

E mais uma vez, a vibe desse lugar ganhou a gente. Música boa, os kites no céu, uma vontade de bater na porta da BGKite School e fazer umas aulas…

Ficou para uma próxima viagem – mas pode ter certeza que a gente vai voltar! E vamos querer mais dessa moqueca!

Pousada BGK - Barra Grande

Transfer de Barra Grande para Camocim
Empresa que fez o tour: Experimente Jeri e Coop Jeri 4×4

Hora de fechar as malas novamente e partir de Barra Grande (já sentindo saudades!). Foi o nosso adeus ao Piauí, chegou a vez do roteiro Rota das Emoções nos levar até o Ceará!

Entramos nos carros 4×4 das empresas Experimente Jeri e Coop Jeri 4×4. Nosso destino final era Camocim, mas no caminho ainda fizemos duas paradas.

Chaval – CE

A primeira parada foi na cidade de Chaval, município que abre as portas do Ceará pra quem vem fazendo a Rota das Emoções vindo do Piauí.

Lá, visitamos a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, conversamos com os guias da cidade sobre como o turismo de base comunitária é importante para Chaval, e de longe avistamos as formações rochosas da trilha da Carnaúba, principal atrativo da região.

Roteiro Rota das Emoções - Chaval Ceará

Uma pena que a gente não tinha tempo para encarar a trilha, porque vontade de não faltou para conhecer um lugar que impressiona tanto, já de longe!

Barroquinha – CE

Seguimos viagem até nossa segunda parada, a cidade de Barroquinha. Depois de uma voltinha no centro, seguimos para nosso maior ponto de interesse na cidade: a Praia de Curimãs.

A natureza foi generosa com a Praia de Curimãs. Os locais estão apostando que essa vai ser a “Jeri do futuro”, porque é tão linda quanto, mas ainda desconhecida da maioria dos turistas.

A gente ficou bem feliz de ter tido a oportunidade de conhecer esse lugar inacreditável.

Fizemos uma parada gastronômica no Restaurante Brilho do Mar. O restaurante é novo e é um dos poucos estabelecimentos que oferecem estrutura para receber turistas em Curimãs.

O Brilho do Mar tem um varandão privilegiado, bem de frente para a praia. O cardápio está recheado de delícias, preparadas e servidas com requinte.

Restaurante Brilho do Mar, praia de Curimãs

Olha que curioso: o dono é francês e escolheu morar e montar o restaurante ali na remota praia de Curimãs. A gente agradece!

Dando uma voltinha pelo povoado, ainda encontramos o proprietário da Pousada Mandala, um alemão que também fixou residência em Curimãs (ele fugiu de Jeri depois que o agito tomou conta da vila) e transformou sua propriedade numa acolhedora pousada.

Para vocês terem uma ideia, a pousada nem está no Booking, mas é um SONHO. Quartos amplos, uma decoração multi-temática, com peças que ele trouxe do mundo inteiro enquanto viajava trabalhando num navio.

Curimãs é um lugar tão incrível que é até difícil de acreditar que ainda seja tão pouco conhecido. Parece que os estrangeiros estão descobrindo esse tesouro antes da gente.

Para terminar o dia, vimos o por do sol no rooftop rústico do Restaurante Brilho do Mar, mais um espetáculo.

Praia de Curimãs, Ceará

Então seguimos para a cidade onde faríamos a próxima pernoite, Camocim do Ceará. Esse roteiro Rota das Emoções não para de surpreender.

Camocim – CE

Jantar no Restaurante.10

Chegamos e já fomos comer, hahaha. Já deu pra perceber que a gente é bom de garfo, né? E não dá pra negar que a culinária da Rota das Emoções é de primeira, não dá pra pular nenhuma refeição!

Nosso jantar do dia foi no Restaurante Ponto 10. O chef preparou alguns pratos especialmente para nos receber, e a gente se esbanjou num camarão cremoso servido no abacaxi, que estava mais que divino!

Pernoite na Pousada Village Sonhos

Gente, precisamos destacar essa pousada em Camocim porque a Village Sonhos é coisa de cinema. A pousada fica um pouco afastada do centrinho da cidade, mas nada que 5 minutos de carro não resolvam.

Ao chegar lá, fomos para nossa suíte no segundo andar. O quarto muito espaçoso, cama grande e a estrutura toda nova surpreenderam, mas a surpresa mesmo veio ao abrir a porta da varanda.

Pousada Village Sonhos, Camocim

Uma piscina exclusiva esperava pela gente! Com cascata e iluminação, a piscina da Village Sonhos é, literalmente, um sonho para qualquer casal!

Vocês não tem ideia de como foi delicioso descansar nessa piscina depois de um dia de passeios. Brindamos com champagne (uma simpática cortesia da pousada, que por sinal tem um atendimento impecável).

De manhã, a satisfação na estadia continuou com o café servido à beira da piscina. Tapiocas, sucos, frutas, queijos e um delicioso cuscuz recheado com queijo, tudo chegando quentinho na mesa.

Pousada Village Sonhos, Camocim

A estrutura das piscinas na pousada foi inspirada no famoso e caríssimo Hotel Essenza em Jericoacoara. Você pode aproveitar dessa estrutura espetacular por um preço bem mais convidativo, ao visitar Camocim.

É um diferencial de luxo e sofisticação que vai marcar a sua viagem, com certeza. Eu não abro mão, na próxima viagem para Camocim vamos nos hospedar na Village Sonhos de novo!

Reserve sua hospedagem na Pousada Village Sonhos Camocim

Dia 7 – Camocim + Jericoacoara

– passeio para Barra dos Remédios e Lagoa Encantada
– almoço na Praia de Maceió + drinks (Barraca do Por do Sol + Bistrô Kite)
– Travessia para Ilha do Amor + Mangue Seco
– chegada em Jericoacoara + Duna do Por do Sol
– jantar e forró no Restaurante Dona Amélia
– pernoite na Pousada Naquela

Hotel indicado em Camocim: Village Sonhos
Hotel indicado em Jericoacoara: Naquela Pousada (veja uma seleção completa de pousadas em Jericoacoara)

Camocim – CE

Passeio para Barra dos Remédios e Lagoa Encantada 
Empresa que fez o tour: Experimente Jeri e Coop Jeri 4×4

Dia de acordar cedo e pegar a estrada novamente para explorar os arredores de Camocim, uma cidade que merece muito destaque dentro do roteiro Rota das Emoções.

As atrações que estavam programadas para visitarmos nesse dia ficam na mesma direção, e o plano era sair de Camocim e ir até a atração mais distante (Barra dos Remédios), e voltar até chegar novamente em Camocim.

Vamos nessa, então. Junto com a Experimente Jeri e a Coop Jeri 4×4, seguimos em direção a Praia Barra dos Remédios. E que bela surpresa esperava pela gente!

Um destino pouco visitado na região – mas eu honestamente não entendo o porquê! O lugar é um paraíso!

A beleza do tom verde das águas entre as dunas brancas impressiona de cara. Dá logo pra entender porque Barra dos Remédios é considerada o Caribe Cearense.

Barra dos Remédios - Ceará

Sem ondas, a água é tão calma que mais lembra uma piscina. Quentinha, convida para um mergulho. Pena que ficamos tão pouco tempo por ali!

O lugar é bucólico e praticamente selvagem, já que não há nenhuma estrutura turística (nem barracas, nem nada). E pra ser sincero, prefiro assim, com essa cara de paraíso intocado.

Em seguida, voltamos pro carro e encaramos mais um bocado de duna e areia até chegar na nossa próxima parada: a Lagoa Encantada de Cangalhas. E olha, esse dia não para de nos presentear com uma paisagem linda atrás da outra. Que lugar!

Lagoa Encantada. - Ceará

Arrisco dizer que a Lagoa Encantada foi a lagoa mais linda que vimos até então. Uma combinação perfeita de temperatura da água, dunas cor de rosa e água em tons de azul e verde. Dá pra chamar de encantada, mesmo.

Aqui você já encontra uma estrutura com barraca e alguns turistas. Dá pra descer correndo na duna e se jogar na água, tudo para depois descansar na rede como se o paraíso fosse bem ali. Sou capaz de apostar que é!

Almoço – Barraca por do sol 

A barriga nos chamando novamente. Hora do almoço e voltamos mais um pouco na estrada sentido Camocim, para dessa vez parar na Praia de Maceió.

A praia é point de kitesurf e vimos alguns atletas se aventurando com o vento. Mas no momento todo nosso foco e energia estava em provar os sabores da Barraca do Por do Sol, um restaurante comandado por uma família local e dos estabelecimentos mais antigos ali na praia.

A especialidade da casa é a lagosta, mas comemos um pouco de tudo: camarão, peixe e até carne de sol. Tudo com um tempero delicioso. Temos que agradecer muito ao pessoa da Barraca do Por do Sol e do @camociminesquecivel pelo convite!

Sobremesa / drinks – @Bistrokite

E quando você pensa que acabamos de comer, a gente sai para comer um pouquinho mais.

Os barraqueiros da praia de Maceió se dão muito bem e trabalham em parceria, por isso depois do almoço andamos alguns metros para visitar o empreendimento vizinho, o Bistrô Kite, e provar sobremesas locais!

Caju, batidas, caipirinha frozen, bolo gelado e muito mais. O vento no rosto e os kites no céu. Quer mais o que da vida?

Bistro Kit em Camocim Ceará

Centro de Artesanato e Turismo de Camocim

Voltamos a Camocim, para pegar a uma barca e atravessar até a Ilha do Amor, seguindo pelo caminho mais curto que liga Camocim a Jeri.

Enquanto a gente esperava, aproveitamos para visitar o Centro de Artesanato e Turismo de Camocim, com muitas obras de artistas locais a preços bem interessantes – fica a dica para quem quer levar uma lembrancinha pra casa.

Ainda demos a sorte de pegar um grupo de pescadores voltando do mar bem ali na nossa frente, mostrando o resultado do trabalho da madrugada. Histórias é que não faltam nesse roteiro Rota das Emoções!

Ilha do Amor – Mangue seco – vila de Jeri

A Ilha do Amor fica bem em frente à orla de Camocim, dá pra ver do calçadão. Tem esse nome porque antigamente os casais atravessavam para ir namorar sossegados lá do outro lado.

Vamos atravessar para a Ilha do Amor para seguir até Jeri, já que assim o caminho fica bem mais curto do que ter que dar a volta por terra.

Para atravessar, existe um serviço de balsas regulares que cobra R$ 5 por pessoa. O trajeto não dura nem 10 minutos, mas a balsa bem pequena e balança bastante.

E tem mais: entra muita água na parte da frente do barco, por conta do contra-peso feito com concreto para equilibrar o peso dos carros.

As dicas: Vá de chinelo e evite levar na mão coisas que não podem ser molhadas (como celular e carteiras).

Do outro lado, com os carros 4×4 desembarcados, seguimos por dentro da Ilha do Amor. A vegetação vai mudando ao longo do caminho e as dunas dão mais emoção para a rota.

Depois de um bom tempo de estrada, chegamos no Mangue Seco, no município de Guriú.

Mangue Seco - Rota das Emoções

Muita gente visita o Mangue Seco saindo de Jeri, por isso acabam confundindo e pensam que essa atração pertence ao município de Jijoca de Jericoacoara. Mas não, o Mangue Seco pertence a Camocim, viu?

Uma antiga área de mangue que foi invadida pela areia das dunas. O mangue morreu mas ficou um cenário espetacular e inusitado, que rende fotos lindas.

O local ainda tem várias barracas vendendo água de coco e artesanato.

Jericoacoara – CE

Chegada em Jeri

Pegamos a estrada de novo, até o próximo ponto de travessia de barca, agora no limite entre os municípios de Camocim e Jijoca de Jericoacoara.

Mais uma vez, balsas bem pequenas fazem o percurso, que é bem rápido. A lagoa que a gente atravessa não é funda, as balsas são movidas por um pequeno motor e a gente nem precisa desembarcar do carro para fazer o trajeto.

Do outro lado, em poucos quilômetros já chegamos em Jericoacoara. Existe um controle de acesso na entrada da vila, onde a gente precisa pagar a taxa de preservação (R$ 5 por pessoa, por noite de permanência) e eles pedem o nome da pousada que você reservou, para depois conferir os dados.

Jericoacoara - Ceará - Rota das Emoções

Não é possível entrar em Jeri com carro particular, somente com os carros das agências. Quem vai de carro precisa deixar o veículo em Jijoca e pegar um transfer até Jeri.

Duna do por do sol

Como chegamos a tempo, já fomos direto curtir uma das atrações mais famosas de Jeri: assistir o por do sol na duna que fica ao lado esquerdo da vila, que não é chamada de Duna do Por do Sol à toa.

Enquanto a gente ia chegando, já dava pra ver todo mundo indo pra lá também. É um verdadeiro Point. Rolou até pedido de casamento em cima da duna ao por do sol, já imaginou?

Apesar do vendaval que jogava areia pra todo lado, a vista lá de cima é realmente muito bonita.

Por do sol Jeri

Confesso que se tivesse mais um dia no roteiro, ia tentar fazer uma variação desse passeio. Queria assistir um por do sol direto da praia, de costas pra duna do por do sol.

Enquanto a gente estava lá em cima da duna, vi um pessoal em baixo na praia e fiquei curiosa para descobrir qual a vista lá de baixo também.

Hotel em Jeri – Naquela Pousada

Fomos fazer check-in em nossa pousada em Jeri, que também foi uma bela surpresa desse roteiro Rota das Emoções.

Uma estrutura ideal para casais que viajam numa proposta mais romântica. Nosso quarto era um chalé em dois andares, sendo que no andar inferior a gente tinha uma sala, banheiro e closet, e no andar superior um super quarto, com varanda, cama espaçosa e ofurô.

Já imaginou relaxar no ofurô com seu amor, num banho com sais e pétalas de rosas? Na Naquela Jeri isso é realidade.

A área externa também é maravilhosa. Uma piscina grande, jardins, bar que funciona até a noite e salão de jogos.

Naquela Pousada - Jericoacoara

O café da manhã é servido desde às 7h, com muita coisa deliciosa e servida quentinha (ainda não superei o sabor daquela bruschetta!).

Para completar, é possível contratar serviços à parte, como massagem.

Jantar com forró no Dona Amélia

Com a viagem já chegando perto do fim, a gente queria aproveitar cada segundo. Por isso, a animação era total para jantar no Dona Amélia, um dos bares mais tradicionais que toca forró ao vivo em Jeri.

E a experiência não decepcionou. Comemos muito bem, dançamos muito, rimos e conversamos a noite toda, num clima super animado.

E para terminar a noite, fomos atrás de um sorvete que tinha sido muito recomendado na vila: o Gelato e Grano fica bem na Rua Principal e é impossível ir em Jeri sem passar por ele. Aproveite, anote a dica e prove um sorvete. Vale mesmo a pena!

Dia 8 – Jericoacoara

– passeio de buggy (litoral leste) + Buraco Azul
– Lagoa do Paraíso parte 1: Alchymist Beach Club
– Lagoa do Paraíso parte 2: Pousada Paraíso Natural
– brinde no Hotel Essenza
– happy Hour no Club Ventos
– jantar no Restaurante Siará

Hotel indicado em Jericoacoara: Naquela Pousada

Jericoacoara – CE

Passeio de Buggy – Pedra Furada, Arvore da preguiça, Buraco Azul, Lagoas Azul e do Paraíso – @coopbjj@experimentejeri

E chegamos ao último destino âncora do roteiro Rota das Emoções! A famosa Jericoacoara tem dois passeios bem tradicionais: o passeio pelo litoral Oeste e pelo litoral leste.

Como as atrações do lado oeste a gente tinha visto (pelo menos algumas delas, como o Mangue Seco) no caminho de chegada a Jeri, partimos para fazer o passeio do lado leste.

De buggy, fomos até a Pedra Furada, passamos pela Árvore da Preguiça e pela famosa praia do Preá, e paramos no Buraco Azul, a atração sensação de Jeri no momento. Por fim, o passeio leva a gente até a Lagoa do Paraíso.

Pois bem, a dica é visitar a Pedra Furada o mais cedo possível, se você não quer pegar filas para tirar uma foto sozinho na atração.

Jericoacoara - Rota das Emoções

Apesar de ser um pouco afastado e envolver até uma trilha curta (1100 m) para chegar lá, o lugar é muito concorrido. A trilha é leve na ida, mas na volta para o estacionamento do buggy tem uma subida cansativa.

A mesma coisa vale para a Árvore da Preguiça. Começa a se formar uma fila a medida que os passeios vão passando, e quem não quer encarar isso precisa chegar lá bem cedo.

O Buraco Azul é a nova sensação do momento e não é à toa. A cor da água é inacreditável e dá o contraste perfeito com os paredões brancos da antiga pedreira.

Buraco Azul perto de Jericoacoara

A lagoa é muito funda em certos pontos, mas perto da rampa de entrada fica raso e dá pra dar um mergulho mesmo sem saber nadar.

Quem não se arrisca na água ainda pode aproveitar as redes do entorno do buraco ou a água de coco geladinha das barracas.

Depois do Buraco Azul, pegamos mais uma trilha off-road para chegar na Lagoa do Paraíso. Lá fizemos duas paradas, com propostas diferentes.

Primeiro, visitamos o Alchymist Beach Club, um clube de luxo com uma hiper-mega-estrutura. É na passarela desse clube que fica o famoso “portal do paraíso” de Jeri.

Alchymist Beach Club

Lá, você paga R$20 para entrar e pode aproveitar a praia e os restaurantes. Quem prefere um atendimento mais exclusivo paga R$ 100 pelo Day-use da área VIP, com bangalôs individuais, toalhas e cardápio igual ao do restaurante geral (mesmo preço).

Inclusive, provamos alguns petiscos e sucos de fruta lá e tava tudo uma delícia!

Em seguida, fomos para a Pousada Paraíso Natural, também na Lagoa do Paraíso. A proposta aqui é mais familiar, com atendimento mais próximo entre os proprietários e o cliente.

Aproveitamos as redes dentro da lagoa, almoçamos uma bela galinhada e tomamos uma cervejinha com aquela vista incrível. Mais um dos lugares que conhecemos na Rota das Emoções e que a gente poderia ter ficado a tarde toda…

Visita aos hotéis do grupo Essenza

Voltamos para Jeri e partimos conhecer os hotéis do Grupo Essenza, que são referência em hotelaria na vila. A rede é uma ótima opção de hospedagem para quem faz esse roteiro Rota das Emoções passando por Jeri.

Começando pelo Essenza, com todo o luxo da sua piscina na varanda do quarto e vista pro mar.

Essenza Hotel em Jericoacoara

Ficar ali é um sonho (que o dinheiro pode pagar). Se o que você busca em Jeri é uma hospedagem cinematográfica, reserve seu quarto no Hotel Essenza.

Inclusive, eles contam com duas propriedades, o Essenza Hotel e o Essenza Dune – bem pertinho um do outro e com a mesma estrutura requintada.

Roteiro Rota das Emoções - Balanço em frente ao mar no Hotel Essenza Jericoacoara

Ainda visitamos o Blue Residence (com apartamentos com cozinha compacta) e o My Blue (com uma leve referência à arquitetura grega nas instalações), todos praticamente lado a lado na Avenida Beira Mar de Jeri.

Por do sol no sunset lounge bar do ClubVentos

Para terminar o dia, fomos tomar uns bons drinks, ver os kites e o sol se por no animado ambiente do Club Ventos.

Kite surf em Jericoacoara - Rota das Emoções

A energia do ambiente é muito legal, com todo mundo dançando, celebrando a vida e o privilégio de estar naquele lugar maravilhoso.

A comida também era de primeira qualidade e a vista para o mar era privilegiada.

Enquanto a gente tomava bons drinks e o forró tocava, o sol foi indo embora, disputando espaço com as pipas de kite no céu, completando o visual dos sonhos.

Drinks no Club Ventos - Jericoacoara

Jantar – Restaurante Siara – chef Bruno Schmatz

Calma que ainda não acabou. Para encerrar nossa experiência em Jeri, ainda fomos provar o sabor da culinária do chef Bruno Schmatz, que comanda o Restaurante Siará (que pertence ao Blue Residence do Grupo Essenza).

Provamos o melhor da culinária local (a entrada de ostras em três apresentações estava perfeita!) e ainda batemos um papo com o chef, que é muito gente boa.

Entrada de ostras restaurante Siará

Dia 9 – Trairi + volta por Fortaleza

– transfer para Trairi
– passeio de buggy em Flecheiras (até a Pedra da Índia)
– almoço na barraca Maré Alta
– passeio de catamarã em Mundaú
– transfer para Fortaleza

Trairi – CE

Transfer para Trairi

Começando nosso último dia de roteiro Rota das Emoções. Dá pra acreditar que passou tão rápido? Dá pra acreditar que vimos tanta coisa legal?

Pegamos o transfer com a Tribus EcoTrip, dessa vez a caminho de Trairi, município que fica no caminho entre Fortaleza e Jeri.

Flecheiras e Mundaú

Paramos na praia de Flecheiras, onde a Giu (do instragram @praiadeflecheiras) esperava pela gente junto com o pessoal da associação de bugueiros de Trairi.

Passeio de buggy em Flecheiras - CE

Seguimos num passeio de buggy pela praia até a Pedra da Índia (onde os bugueiros ainda deram uma AULA de história, falando sobre achados arqueológicos da ocupação indígena no local.

Voltamos para a vila de Flecheiras, para almoçar no Restaurante Maré Alta, e seguimos para Mundaú, distrito vizinho, para fazer um passeio de catamarã (por umas paisagens que você não vai acreditar de tão lindas).

Nosso barco foi o Bicho Preguiça, que faz saídas regulares desse passeio a partir do píer de Mundaú.

O barco conta com bar e banheiros, e faz paradas ao longo do percurso, finalizando o roteiro com um lindo por do sol sob as dunas.

Roteiro Rota das Emoções - Passeio de barco em Mundaú -CE

Ficamos pouco tempo em Trairi, mas ja ficou aquela vontade que de voltar com mais tempo para explorar a região mais a fundo. Ouvi falar muito das piscinas naturais de Flecheiras e preciso ver isso ao vivo!

O blog Viajoteca tem um post sobre o que fazer em Flecheiras, vale conferir e quem sabe planejar para ficar pelo menos um dia na região.

Transfer para Fortaleza

E acabou nosso roteiro Rota das Emoções, esse foi nosso último passeio nesses 9 dias!

Começando o caminho de volta pra casa, a Tribus EcoTrip fez nosso Transfer de Trairi até o aeroporto de Fortaleza com conforto e segurança.

E nós entramos no avião já pensando em quando vamos voltar!

Se você também se apaixonou pelo Roteiro Rota das Emoções, a boa notícia é que vamos escrever muitos outros posts sobre a rota, com mais dicas! Tudo para ajudar você a descobrir esse roteiro maravilhoso.

Então fica ligadinho que tem muito mais conteúdo aqui no blog sobre a Rota das Emoções!

– Rota das Emoções: Guia completo com dicas, o que fazer, quanto custa

Ficou alguma dúvida? Pergunte nos comentários!

Caprichamos na descrição do roteiro Rota das Emoções para que você entenda como funciona a rota e o que dá pra combinar numa viagem de 9-10 dias.

Caso tenha ficado alguma dúvida, deixe sua mensagem aqui nos comentários. Sua dúvida pode ajudar a explicar melhor alguma parte do roteiro ou incluir informações que vão ajudar outros viajantes.

Participe e contribua a fortalecer nossa comunidade de apaixonados por viagem.


*Fizemos a viagem para conhecer a Rota das Emoções a convite da Prisma Consultoria e do Sebrae Nacional, por meio dos escritórios estaduais do Sebrae Maranhão, Sebrae Piauí e Sebrae Ceará.

Blogs que viajaram com a gente pela Rota das Emoções:

360 Meridianos
Blog Andarilho
Dicas de Viagem
Prefiro Viajar
Turista Profissional
Vaz Aonde
Viagens Cine

Avatar for Rafael Cassemiro
Rafael Cassemiro
Carioca, tricolor, engenheiro, fã de viagens e tecnologia.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Úrsula disse:

Olá!! Gostaria de saber quanto devo considerar como uma média de valor referente a alimentação por dia. Obrigada

Declev disse:

Que post enoooooormeeeee!! Muito maneiro, com TUDO!