Vale da Lua: uma viagem ao espaço na Chapada dos Veadeiros

Quem diria que dava para conhecer um pouquinho da Lua em Alto Paraíso de Goiás? O Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros, é uma das atrações mais visitadas da região, exatamente por ser um dos cenários mais inusitados por lá.

O Vale da Lua tem uma paisagem de beleza única na Chapada dos Veadeiros. Por lá, o grande atrativo são as formações do relevo, cheias de crateras, piscinas e grutas. Um cenário que mais parece uma versão das superfície da Lua, bem aqui na terra.

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros: Uma viagem ao espaço

Fizemos a visita ao Vale da Lua no mesmo dia em que conhecemos a Fazenda São Bento, onde está a incrível cachoeira Almécegas I. As duas atrações ficam no mesmo caminho: saindo de Alto Paraíso de Goiás, em direção ao município de São Jorge, pela GO-239. Da entrada da Fazenda São Bento, são cerca de 20,5Km de estrada, até o quilômetro 29 da GO-239, onde fica o acesso ao Vale da Lua.

Saindo da estrada principal, são 4 km de em estrada de terra até o estacionamento do Vale da Lua. A estrada é protegida por árvores, e o único problema é o barro bem fino. Ir atrás de outro veículo é um pesadelo: sobe tanta poeira que às vezes fica difícil de ver qualquer coisa.

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

Chegando no Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

Depois dos 4km, chegamos na área de estacionamento, que é bem ampla. Por lá, há uma casinha que funciona como recepção. Colocamos nossos nomes no caderno de visitantes, e pagamos a taxa de acesso: R$20,00 por pessoa. No centro de visitantes, há também banheiros e lanchonete.

Dali, começamos a trilha até o Vale da Lua. O percurso é bem curto (600m) e de intensidade fácil. Não há necessidade de guia. A gente nem sente o caminho passar, observando as belezas da vegetação ao redor, marcas do cerrado.

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

Quando a gente chega ao Vale da Lua, o cenário muda completamente. São tantas crateras desenhadas na rocha cinzenta, que não tem como evitar a referência com a superfície lunar.

Formado há 600 milhões de anos, ele alterna tons de cinza na superfície e, como foi esculpido por um rio, ficou com aparência semelhante à das crateras lunares. Completam o cenário diversas piscinas naturais entre grutas e fendas.

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

Mas como se formou o Vale da Lua?

Foram milhões de anos em um trabalho lento de erosão. Ainda hoje, o Rio São Miguel corre furioso nas profundezas das rochas, e continua modelando as ‘crateras’ do Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros, formando fissuras, grutas e piscinas naturais. Com cuidado, a gente pode chegar perto das fendas e ver a água procurando caminho entre as rochas, lá embaixo. Mas atenção para não cair, porque as rochas são inclinadas e escorregadias.

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

Fomos seguindo o  mesmo caminho do Rio, encontrando as piscinas naturais que se formam ao longo do curso do rio pelas rochas. A primeira estava fechada para banho por medida de segurança. A segunda e a terceira estavam abertas.

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

A segunda piscina é bem rasa, mas a gente apenas olhou. Depois de várias fotos das rochas “lunáticas”, decidimos entrar na água na terceira piscina. As águas são bem calmas, mas super geladas – como sempre na Chapada dos Veadeiros. Durante a tarde, o sol se esconde atrás das árvores e já não alcança essa piscina, o que esfriou ainda mais a experiência. Para quem não nada bem (Oi, gente!), dá pra aproveitar a piscina até uns 3 metros da borda. Mais que isso fica muito, muito fundo. É preciso nadar um bom pedaço até chegar a um platô, bem perto da pedra por onde a água do Rio alimenta a piscina.

Por dentro do Vale da Lua

Rafa foi até esse platô algumas vezes. Como viajamos em junho, época de seca na Chapada dos Veadeiros, o nível de água estava bem baixo. Nessa época, quem chega ao platô consegue achar uma entrada pelas rochas. Um mundo incrível de cavernas escavadas pela erosão se revela: o subterrâneo do Vale da Lua. Quedas d’água, escorregas, hidromassagem natural. Quem sabe nadar aproveita muito mais o Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros – mas sempre faça tudo com segurança para evitar acidentes, ok?

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

Como eu não tinha coragem de me arriscar lá dentro (na verdade, nem tentei chegar até o platô), aproveitei para sair da água e tirar fotos de Rafa lá de cima da pedra, procurando ele pelas fissuras da rocha, nas profundezas onde corre o Rio São Miguel.

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

O que achamos?

O cenário é bem diferente de tudo que vemos na Chapada, e por isso o passeio vale a pena. Mas tenho que ser sincera e dizer que, depois de tantas recomendações, eu esperava um pouco mais do Vale da Lua. A ‘rocha lunar’ não é tão grande, e embora a piscina seja bem agradável, a atração costuma ser bem procurada no período da tarde. Você ainda corre o risco de encontrar a piscina lotada.

Para quem sabe nadar, desbravar o interior das ‘rochas lunares’ é um atrativo a mais. No meu caso, só pude mesmo curtir a piscina gelada e tirar as fotos de Rafa, que se divertia lá embaixo.

Passamos pouco mais de 2 horas no Vale da Lua, porque estava muito gelado e bem lotado. De toda forma, metade do dia é mais que suficiente para visitar essa atração.

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

Dica importante:

A melhor época para visitar o Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros é durante as secas – tanto para conseguir visitar o interior das rochas, quanto para evitar as trombas d’água. Na época de chuvas, a região fica sob o risco de aumento repentino do volume de águas, o que pode causar acidentes e risco de vida.

Ficha técnica

O quê? Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros
Onde? Rodovia GO-239, km 29 – Alto Paraíso de Goiás
Principais atrativos? Formações rochosas, piscinas naturais.
Quando? Todos os dias, das 7 às 17:30h.
Quanto? R$20,00.
Estacionamento no local? Sim.
Como chegar? De carro.
O que levar? Máquina fotográfica, roupa de banho, roupas confortáveis para trilha leve, repelente e protetor solar.
Quanto tempo reservar? Pelo menos duas horas.
Não deixe de ver: Em tempo de seca, é possível atravessar a fenda que dá acesso ao interior das rochas, na última piscina natural.

Salve esse post no seu Pinterest pra lembrar do nosso site sempre que for planejar sua viagem! 😊

Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros

 

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:

Esse é um dos lugares mais incríveis do Brasil! Realmente não parece dentro do planeta Terra… apenas fenomenal!

Klécia disse:

Muito bacana né, Gabriela 😉

Primeiro preciso dizer que desempenhou muito bem seu papel de fotógrafa rs, adorei a foto em que você “acha’o Rafa no meio das fissuras. =D

Adoro essas viagens ao espaço, a minha primeira (e única) foi no Atacama, justamente no vale da lua. =D Acho sempre uma experiência incrível e com um pouquinho de imaginação PAH nós vemos no espaço! rsrsrs Um pena que tenha se frustrado (um pouco) a expectativa é sempre a maior inimiga de um viajante, ela é capaz de “acabar” com qualquer viagem!

Klécia disse:

Ahahaha, quem não sabe nadar se vira na fotografia 🙂 Eu conheci três Vales da Lua na terra (esse foi o primeiro, depois teve Bolivia e Atacama). Hoje paro pra pensar e acho que esse do Atacama tem o solo mais parecido com o que eu acho que seja a Lua – embora nossa referencia de Lua seja mais Hollywoodiana que qualquer coisa. O cenário é bem bonito, mas eu sou uma viajante que costuma fugir de multidões, então esse fator foi o mais difícil pra mim no Vale da Lua da Chapada – talvez se eu tivesse ido de manha, a experiência fosse completamente diferente…

Tbm sou dessas de fugir da galera rsrsrs procuro sempre o melhor horário =D Que prazer conhecer três vales da Lua. 😉