La Trappe: visite a trapista mais famosa da Holanda

Quando falamos de cervejas trapistas, o nome da La Trappe entra logo na conversa. Uma das cervejas trapistas mais consumidas no mundo inteiro, a La Trappe povoa o imaginário de todo cervejeiro brasileiro que está de férias nos Países Baixos.

Fala pra mim, amigo cervejeiro: Como não programar uma visita a La Trappe estando ali, passeando pela Holanda?

Brasileiros parecem mesmo amar a cerveja La Trappe. No dia do nosso tour, o guia nos recebeu com um aperto de mão caloroso.

Quando perguntou nossa nacionalidade, confessou que toda semana recebe muitos brasileiros no tour. Acredita que ele perguntou pra gente por que os brasileiros amam tanto a La Trappe?

Eu poderia dizer que o preço para comprar a cerveja direto na fonte é um grande motivador. A relativa proximidade com Amsterdam também influencia, já que a La Trappe é a trapista mais fácil de visitar saindo da capital. Mas sabemos que não é só isso.

A La Trappe conquistou o paladar do cervejeiro brasileiro. Especialmente por ter sido uma das primeiras tripel e quadrupel que nós conseguimos importar para o país.

Mas quer saber qual é a maior vantagem de ter tantos brasileiros procurando o tour pela cervejaria?

A La Trappe viu o potencial do nosso mercado e investiu em criar uma versão do site oficial toda em português. Uma comodidade pensada para agradar esse público sedento por consumir todo conteúdo da marca!

Se você também está planejando sua própria aventura cervejeira na La Trappe, chegou ao lugar certo! Aqui você vai encontrar todas as dicas para visitar o mosteiro Koningshoeven na Holanda, a casa da cerveja trapista La Trappe.

Vamos contar a toda a nossa experiência na visita à La Trappe [com direito a informações atualizadas de como chegar lá e o que é imperdível]. Ficou interessado? Então vem com a gente!

Prove o silêncio: como é visitar um mosteiro trapista?

“O som mais bonito do mundo é o silêncio. Quando tudo está quieto, você pode ouvir a si mesmo e aos outros. Silêncio é o sono que nutre a sabedoria. Silêncio começa com atenção e o que recebe sua atenção começa a crescer. Silêncio é o espaço em branco entre as linhas escritas. As coisas se tornam mais intensas com o silêncio. Prove o silêncio.”

Li essa frase durante a nossa visita à cervejaria La Trappe e, para mim, isso representa perfeitamente o espírito do monastério trapista de Koningshoeven. O slogan “prove o silêncio” está por toda parte, nos lembrando que ali, religião e tradição se unem para produzir cerveja. Uma das melhores combinações do mundo, me permitam dizer.

Existem três regras básicas para uma cerveja ser considerada uma autêntica trapista. Primeiro, ela deve ser produzida por monges, ou sob a supervisão de monges. Segundo, ela deve ser produzida dentro dos limites de um monastério da ordem trapista.

Por fim, a produção não deve visar ao lucro. O dinheiro arrecadado com a venda deve ser usado para manutenção da vida no monastério e todo restante deve ser doado à caridade.

A ordem dos Cistercienses da Estrita Observância, criada no século XVII na abadia francesa de La Trappe (na Normandia), hoje são os monges que nós conhecemos como trapistas.

De acordo com seu fundador, São Benedito de Nursia, os monges deveriam combinar oração com trabalho manual, com muito respeito ao ambiente e uma vida simples.

Assim, os monges começaram a produzir cervejas para financiar a vida dentro dos mosteiros. Quem diria que um projeto tão despretensioso poderia dar tão certo?

As cervejas trapistas, pelo sabor, ou mesmo pelo sincretismo e curiosidade que despertam, são um dos tipos de cerveja mais apreciados no mundo. Ter a oportunidade de ver tudo isso acontecendo de perto é ter uma experiência marcante para nossa vida de cervejeiro.

Tour pela La Trappe: passo a passo

Uma das primeiras coisas que vai saltar aos seus olhos ao chegar no mosteiro Koningshoeven é a beleza do lugar.

Como é comum na tradição trapista, a área rural de Tilburg tem a paz e a beleza que pede a vida reclusa de um monastério.

Na chegada, você vai primeiro encontrar a lojinha do mosteiro, onde geralmente um simpático monge paramentado trabalha no caixa, computando as vendas de cervejas, queijos trapistas e outros mimos da marca (que podem muito bem servir de lembrancinha da visita!).

Paramos na loja para perguntar onde seria o ponto de encontro do tour. O monge nos indicou o caminho que cortava o bosque, entrando pelos domínios do mosteiro.

É só seguir em frente até encontrar o restaurante, com os bancos de madeira na área externa, que já dão vista para a igreja da abadia.

Visita a cervejaria La Trappe na Holanda

Ao lado do restaurante está a porta que procuramos: a entrada da sala de degustação.

Nosso guia já nos esperava lá, com a lista de reservas na mão. Para fazer o tour guiado, é preciso comprar o tour antecipadamente pela internet, no site da La Trappe. Não deixe para última hora, é comum as vagas esgotarem.

Já para almoçar no restaurante e fazer compras na lojinha, é só chegar!

Conhecendo a cervejaria histórica e a fábrica moderna da La Trappe!

O tour na La Trappe dura aproximadamente 45 minutos. O grupo tem que seguir sempre junto, para ninguém andar sozinho pela área de acesso restrito, onde fica a abadia e a fábrica da La Trappe.

A última coisa que você deve esperar ao visitar a La Trappe é encontrar uma pequena salinha com monges fazendo a brassagem e enchendo tanques de fermentação.

A La Trappe cresceu muito desde o tempo que só os religiosos davam conta de toda produção.

Enquanto nosso guia explica sobre segunda fermentação, evolução das garrafas e o sucesso da marca, vamos caminhando pelas dependências super modernas da cervejaria. Fica bem claro para todos que a La Trappe hoje é uma indústria.

O contraste fica ainda mais evidente quando visitamos o pequeno museu, com o maquinário lá no começo da história da La Trappe. Logo em seguida, passamos pelo enorme galpão onde hoje acontece o envase e o empacotamento. Um barulhão danado, empilhadeiras e gente andando pra todo lado! Uma cervejaria em escala industrial!

Mas espera um pouco!

Trapista não tinha que ser produzida por monges, sem lucro e tudo mais?

É fato que o sucesso da La Trappe fez a cervejaria expandir mais e mais. Pouca gente sabe, mas a cervejaria chegou a perder o selo de autêntica trapista, porque a Associação Internacional Trapista colocou em dúvida se as regras para o selo estavam sendo realmente cumpridas.

A La Trappe precisou provar que sim, a supervisão da produção ainda estava sob a tutela dos monges trapistas. E que a cervejaria conta com inúmeros empregados, mas todos fazem parte da comunidade local.

A verdade é que a La Trappe gera (muitos) empregos. E também investe o lucro das vendas em projetos na própria comunidade, e atualmente está enviando fundos também para Uganda.

No final do tour, passamos pelos jardins da cervejaria e vimos a cena do pessoal local envolvido com as tarefas da abadia.

Oração, cerveja e trabalho lado a lado com a comunidade. Esse é o verdadeiro espírito trapista. Dá ou não dá vontade de abrir mais uma cerveja? Cada trapista bebida é como fazer uma boa ação!

E chegou a melhor hora: vamos para a sala de degustação!

O tour termina com todos reunidos de volta na sala de degustação. Primeiro vemos um filme sobre o grande lema do mosteiro: Prove o silêncio.

Em seguida, chega a aguardada hora da degustação. O ingresso do tour dá direito a degustar uma cerveja La Trappe à sua escolha. Tratamos de escolher uma das cervejas que ainda não chegaram no Brasil.

Eu fui de La Trappe Isid’or, uma Belgian Pale Ale com 7,5% de teor alcóolico. Ela foi lançada como cerveja comemorativa em 2009, no aniversário de 125 anos da cervejaria. Rafa escolheu a La Trappe Witte Trapist, uma Witbier muito refrescante, com 5,5% de teor alcóolico.

A La Trappe Isid’or foi batizada em homenagem a Isidorus, ao primeiro mestre-cervejeiro do Mosteiro Koningshoeven.

Visita a cervejaria La Trappe na Holanda

Restaurante La Trappe e loja da marca

A nossa experiência só poderia estar completa depois de provarmos mais algumas cervejas e a cozinha do restaurante La Trappe. Escolhemos a área interna, porque estava frio demais pra ficar lá fora.

O cardápio é tentador. Todas as La Trappe bem ali, prontas para serem provadas.

Além da La Trappe Isid’or e da Witte Trapist, você também tem a La Trappe Puur (Belgian Pale Ale, 4,7%), La Trappe Blonde (Belgian Blonde Ale, 6,5%), La Trappe Dubbel (Belgian Dubbel, 7%), La Trappe Trippel (Belgian Trippel, 8%), La Trappe Quadrupel (Belgian Specialty Ale, 10%) e La Trappe Bockbier (Belgian Specialty Ale, 7%).

Essas cervejas também estão disponíveis na loja da cerveja, e claro que passamos lá na saída para comprar um pack e alguns ótimos queijos trapistas La Trappe.

Visita a cervejaria La Trappe na Holanda

Mas quer saber o que tem somente no restaurante? A oportunidade de provar as super raras La Trappe Jubilaris (Belgian Dark Strong Ale, 6%) e La Trappe Oak Aged (Wood Aged Beer, 10%).

A experiência de provar a La Trappe Oak Aged foi um dos momentos mais intensos dessa vida cervejeira. Forte, não precisa de muito mais que uma garrafa pra derrubar um bebedor desprevenido.

Acompanhamos com alguns hambúrgueres da casa (com direito a opção vegetariana) e tivemos um dos almoços mais memoráveis da nossa vida cervejeira!

Visita a cervejaria La Trappe na Holanda

Como visitar a La Trappe na Holanda?

Quem já deu uma pesquisada sobre os mosteiros trapistas na Europa deve ter percebido que a maioria deles fica em áreas rurais isoladas. Nem sempre é fácil programar uma visita se você não estiver viajando de carro.

Nos posts sobre a nossa visita a Chimay e a Westvleteren falamos mais sobre as dificuldades de acesso com transporte público!

Pois bem, no caso da La Trappe essa dificuldade é reduzida. Dentre as trapistas, essa é uma das mais fáceis de visitar. A La Trappe fica na cidade de Tilburg, no sul da Holanda.

Você tanto pode escolher uma cidade-base para fazer sua visita (nós ficamos em Tilburg mesmo!), ou encarar 2 horas de trem ou 1:30h de carro para ir e voltar de Amsterdam.

Organize sua visita a La Trappe: como chegar saindo de Amsterdam?

De carro é o jeito mais fácil, e foi o que nós escolhemos! Alugamos um carro com a RentCars e depois de fazer a visita, alugamos um hotel em Tilburg, para não passar pelo problema de beber e dirigir.

Você pode fazer a cotação de carro com a RentCars aqui. O pagamento é em reais e pode ser parcelado em 12 vezes.

Em Tilburg, nós nos hospedamos no confortável Hostel Herberg, Het Wapen van Tilburg. Alugamos um quarto família com banheiro compartilhado, mas há outras opções disponíveis. Você também pode ver as ofertas em outros hotéis de Tilburg aqui.

Para chegar na La Trappe com transporte público, você vai pegar o trem na Amsterdam Central até Rotterdam. de Rotterdam, mais um trem até Tilburg.

Saia da estação de trem de Tilburg e caminhe aproximadamente 10 minutos até a Estação Central de Tilburg. Lá, você vai pegar o ônibus 141 (Best via Moergestel). Desça 7 paradas depois, na Moergestel KL Koningshoeven.

De ônibus, o trajeto leva aproximadamente 10 minutos. Você também pode fazer o trajeto de bicicleta, à moda holandesa. Alugue uma bike em Tilburg e o trajeto vai levar mais ou menos 15 minutos.

Dica extra: há uma rota de bicicleta muito bonita nos arredores do monastério. Os mapas estão disponíveis na sala de degustação e você pode combinar a visita com esse passeio!

Faça a reserva no tour da La Trappe com antecedência!

O tour em inglês só acontece quando há reservas no site. Por isso não adianta chegar lá “de surpresa” esperando o tour.

Os horários para tour em inglês disponíveis no site são terças e quintas às 13h, e sábados às 11:30h. Maiores de 18 anos pagam €12 com direito a uma degustação. Crianças entre 12 e 17 anos pagam €6 (sem degustação). Crianças de 3 a 11 pagam €2,50.

La Trappe Trappist – Bierbrouwerij de Koningshoeven
Eindhovenseweg 3, 5056 RP, Berkel-Enschot.
Para horários de funcionamento: Confira o site da La Trappe

Clique aqui para reservar o seu tour na La Trappe

Gostou das dicas cervejeiras? Que tal ajudar o blog?

Sabia que você pode ajudar nosso blog? Reserve seu hotel em Tilburg com os links aqui do site! Você aproveita as ofertas do Booking.com e ainda ajuda muito nosso site – sem pagar nada a mais por isso!

Você também pode conferir todos os nossos destinos de cerveja na página de Turismo Cervejeiro aqui do blog!

Foto em destaque: Beer in Hawaii

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Vanessa Buzzoni disse:

Olá Klécia, adorei seu blog! Muitas informações úteis e tudo muito bem detalhado. Parabéns! Estou organizando minha viagem e você está me ajudando muito!
Quanto a visita à Westvleteren, não encontrei o link. Gostaria de saber se tem alguma informação de como chegar de transporte público.
Muito obrigada!

Klécia disse:

Oi Vanessa! O post da Westvleteren atrasou um pouquinho porque a gente estava viajando e voltou hoje! Mas vou tentar publicar essa semana com todas as dicas tá? Mas adiantando: a melhor é ir até Poperinge, e de lá contratar um taxi/van ou mesmo alugar uma bike para ir até o bar da cervejaria. 🙂

Klécia disse:

Oi Vanessa! O post da Westvleteren está no ar! 🙂
https://www.fuiserviajante.com/belgica/como-ir-cervejaria-westvleteren/

Vanessa Buzzoni disse:

Oi Klécia. Obrigada pelo retorno, vou ler o post. =)