Top 10 pontos turísticos de Londrina

O que fazer em Londrina | Pense rápido e faça uma lista com 5 destinos turísticos legais para conhecer no sul do Brasil. Pensou? Agora olhe pra sua lista e me responda: você incluiu a cidade de Londrina no Paraná? Sou capaz de apostar que não.

Vai por mim: isso é uma pena!

Nesse post, vou te apresentar o que fazer em Londrina, e quem sabe colocar a cidade na sua lista de desejos! Londrina é uma cidade muito interessante e bonita – merece ser visitada uma (ou até mais vezes).

Londrina é a segunda maior cidade do estado do Paraná e a quarta da região sul (ficando atrás apenas de Curitiba, Porto Alegre e Joinville). E uma das razões que fez Londrina ficar mais conhecida rendeu um apelido que é usado até hoje: a ‘Capital do Café‘.

Londrina está cheia de opções de passeios que envolvem natureza e belas paisagens, mas não é só isso. A cidade também oferece boas opções históricas e culturais.

Leia também: Onde ficar em Londrina: 5 dicas de pousadas baratas

Embora tenha crescido bastante nos últimos anos, a cidade conserva prédios históricos e monumentos que dividem a paisagem com essa arquitetura mais moderna, um misto de cidade cosmopolita com destino histórico e charmoso.

Para que você conheça um pouquinho dessa joia no norte do Paraná, esse texto traz os dez principais pontos turísticos de Londrina. Vem descobrir o que fazer por lá e, quem sabe, já começar a planejar sua próxima viagem.

O que fazer em Londrina: principais pontos turísticos

Jardim Botânico

Horários: quarta a domingo, das 9h às 19h. Entrada gratuita.

A natureza nos arredores de Londrina é um espetáculo por si só. E o Jardim Botânico da cidade é, com certeza, um dos pontos turísticos ao ar livre mais bonitos de Londrina.

Mas além disso, o Jardim Botânico de Londrina é também um local que incentiva a ciência e a preservação.

Lá funciona uma das mais importantes unidades de pesquisa e conservação de espécies nativas e exóticas não só do Paraná, mas até mesmo do Brasil.

Leia também: Principais pontos turísticos de Curitiba, Paraná

Jardim Botânico de Londrina
Foto: Derick A. Vareschi via Flickr
[Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.0 Generic (CC BY-NC-SA 2.0)]

Isso inclui espécies silvestres raras, ameaçadas de extinção, e / ou que sejam importantes para a manutenção de ecossistemas específicos.

Mas é claro que também há diversão por lá! É um ótimo espaço para fazer piquenique, caminhar à beira do lago, se exercitar e brincar com as crianças.

Há ainda uma trilha ecológica de aproximadamente 1 km que percorre uma mata nativa.

Existem duas modalidades para essa trilha, leve e moderada, então mesmo quem não é experiente nesse tipo de atividade, pode (e deve) aproveitar para ainda aprender mais sobre a mata nativa enquanto curte a natureza.

Ah, outra coisa que acho bem legal é que no Jardim Botânico de Londrina há também uma coleção de mais de 100 espécies arbóreas nativas da flora brasileira, que revela formas e cores da vegetação ao longo das estações do ano. Uma beleza só!

E ainda tem as estufas, projetadas para coleção de bromélias e orquídeas, e outras espécies exóticas que precisam de um clima especial.

Com mais de 1 milhão de metros quadrados de mata nativa, nascentes e rios, o Jardim Botânico de Londrina foi criado em março de 2006, sendo assim, relativamente novo.

Lago Igapó

Horários: funciona 24h e tem entrada gratuita.

O Lago Igapó é certamente o maior símbolo turístico de Londrina.

O Lago Igapó é um lago artificial formado pelo represamento das águas do Ribeirão Cambezinho.

Na verdade, não é apenas ‘um lago’, e sim, um complexo de lagos que hoje é um espaço de lazer para os moradores, com pista de caminhada, ciclovia e aterro.

O complexo corta vários pontos da cidade e é um dos mais famosos cartões-postais de Londrina. Os moradores da cidade frequentam muito o Lago Igapó em qualquer horário do dia para a prática de esportes e piqueniques.

Lago Igapó, Londrina
Foto: MirianSantos por Pixabay 

Além disso, frequentemente são realizados eventos culturais e esportivos por lá. Como se trata de uma represa, o local é bastante propício para a prática de esportes náuticos.

É possível praticar wake board, esqui aquático, canoagem, caiaque, caiaque pólo, remo, Jet ski, entre outros. E pra quem curte só assistir, sempre tem alguém por lá dando show (ou nem tanto…), especialmente nos fins de semana.

Como se trata de um complexo com vários lagos, existem vários ‘endereços’: O Lago Igapó I fica perto da Prefeitura Municipal; o Lago Igapó II fica entre a Avenida Higienópolis e a continuação da Maringá; e o Lago Igapó III começa no final da Avenida Maringá e vai até a rua Prefeito Faria Lima.

Museu Histórico de Londrina

Horários: terça a sexta, das 9h às 11:30h e das 14:30h às 17:30h), sábado e domingo (13:30h às 17h). Entrada é gratuita.

Se você é da turma que adora visitar museus, Londrina também tem pontos turísticos dentro dessa pegada cultural.

Muito bem localizado na região central da cidade, o Museu Padre Carlos Weiss foi construído na antiga Estação Ferroviária de Londrina e tem como objetivo resgatar, preservar e divulgar o patrimônio cultural da cidade.

Nos anos 80, a Estação Ferroviária de Londrina foi desativada e os trilhos retirados da área central. Foi então que o Museu Histórico de Londrina, que funcionava no porão de um colégio, mudou de endereço. O padre Carlos Weiss (que dá nome ao museu) foi seu fundador e primeiro diretor.

Ele é considerado o maior e mais importante acervo do turismo histórico-cultural londrinense. E tem uma arquitetura que eu particularmente acho linda.

Museu histórico de Londrina
Foto: eduardorodrigues095 por Pixabay 

O museu é dividido em 3 setores: Imagem e Som, que possui aproximadamente 50 mil peças; Objetos, que conta com materiais do cotidiano londrinense desde a chegada dos colonizadores; e, por fim, a área de Biblioteca e Documentação, que conta com textos, mapas, plantas e depoimentos dos pioneiros da cidade.

O museu também registra importantes fatos relacionados ao crescimento da região, especialmente no que diz respeito à cultura do café. Ele conta com um acervo permanente e outro itinerante (que vai até escolas da região).

Catedral Metropolitana de Londrina

Horários das missas: às quartas (12h), sextas (15h), sábados (19h) ou domingos (7:30h, 9h, 10:30h e 19h).

Gosta de visitar igrejas em suas viagens? Pois Londrina tem uma bem bacana!

A primeira versão da Catedral de Londrina foi inaugurada em 1934. Por que ‘primeira versão’? Bem, a atual já é a terceira versão! A primeira era de madeira e bem mais simples!

Só que três anos depois de construída, a igreja de madeira já não comportava mais o número de católicos, que estava em franco crescimento, acompanhando o da cidade. Uma comissão, então, foi formada para construir um novo templo.

A segunda Igreja Matriz, que seria erguida no lugar da primeira, teve a as obras oficialmente iniciadas em 13 de fevereiro de 1938. Porém, a obra foi interrompida algumas vezes por falta de dinheiro.

Somente em 1943 foi inaugurada a ‘segunda versão’ da Catedral de Londrina, de alvenaria. Mais tarde essa igreja foi parcialmente demolida, para dar lugar à nova (e atual) Catedral Metropolitana de Londrina, construída em 1970.

Catedral de Londrina no Paraná
Foto: Fernando Stankuns via Flickr
[Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.0 Generic (CC BY-NC-SA 2.0)]

Pra ser sincero, apenas uma pequena parte da antiga construção foi mantida. Em fevereiro de 1967, a paróquia de Londrina foi elevada à categoria de Diocese e em novembro de 1970, foi elevada a arquidiocese.

Na Catedral, encontram-se os restos mortais de Dom Geraldo Fernandes Bijos, primeiro Bispo e Arcebispo de Londrina e que é de extrema importância para a vida social e história religiosa londrinense.

Dica bônus de turismo religioso em Londrina

Nem só de templos católicos vive o turismo religioso de Londrina. Com a influência de tantos grupos imigratórios que chegaram em grande número à cidade, como italianos, portugueses, japoneses, alemães e espanhóis, obviamente seria improvável uma hegemonia religiosa.

Isso sem contar os outros grupos imigratórios que vieram em menor número, como os árabes, judeus, poloneses, ucranianos, holandeses…. Imagine!

Assim sendo, em Londrina você vai encontrar templos de diversos credos e religiões, entre eles: budista, muçulmano; e espíritas, além de católicos e evangélicos de várias orientações.

Confira outros templos religiosos que podem entrar no seu roteiro em Londrina:

– Templo budista Honpa Hongwanji (R. Pôrto Alegre, 600);

 Mesquita Muçulmana Rei Faiçal (Rua São Marcos, 125);

Igreja Metodista (Av. Rio de Janeiro, 587), que conta com construção no estilo inglês e foi tombada pelo patrimônio histórico e cultural de Londrina.

Planetário de Londrina

Horários: segunda a sexta, das 9h às 11h e das 14h às 17:30h.

Gosta de astronomia? Pois o Planetário é o ponto turístico de Londrina ideal pra você!

Ele é um projeto de extensão da Universidade Estadual de Londrina, voltado tanto para fins educativos como culturais. Nas férias escolares, rola por lá uma programação especial, com filmes infantis sobre astronomia.

Então dá pra levar a criançada toda pra se divertir e aprender sobre os astros desde cedo, e nunca cair nessa história de Terra plana…

Sua atração mais procurada é o projetor de estrelas, equipamento que simula o céu no teto da construção, em forma de cúpula. Não tem adulto, criança ou idoso que não ache fantástico!

As visitas para escolas e grupos são agendadas pelo telefone. Os valores dos ingressos variam. Você pode se informar a respeito desses valores no site do Planetário de Londrina.

Zerão

Horários: funciona 24h e tem entrada gratuita.

A Área de Lazer Luigi Borghesi é conhecida como Zerão porque tem o formato de um grande zero.

Lá você encontra uma pista para caminhada de 1.050 metros, que contorna toda a área (daí o apelido?). O local é entrecortado por um pequeno riacho, o Córrego do Leme.

Neste espaço são realizadas várias manifestações artísticas, culturais e esportivas em Londrina.

Uma das coisas mais legais é o Projeto Brisa, uma ideia maravilhosa cujo objetivo é promover a cultura entre pessoas em situação em rua.

O projeto incentiva Saraus Artísticos para que todos possam expressar seus sentimentos, seus desejos e sua visão de mundo por meio da música, da dança, do teatro, da literatura e de outras artes.

Além disso, é ali que acontecem as apresentações do Festival de Música de Londrina (que além de apresentações de música popular e erudita, tendo até orquestra sinfônica, realiza oficinas de música para a população) e campeonatos de ginástica aeróbica.

Recentemente, foram anexados à área um anfiteatro com capacidade para 15.000 pessoas e um estacionamento com cerca de 220 vagas, além de outros itens que melhoraram muito a infraestrutura do local.

A Área de Recreação e Lazer Luigi Borghesi (Zerão) fica na Rua Júlio Estrela Moreira, s/n.

Parque Arthur Thomas

Horários: aberto diariamente das 8h às 18h com entrada gratuita.

O Parque Municipal Arthur Thomas conta com trilhas onde você pode ver diversos animais, lago e mirante, além de lanchonete e áreas recreativa e de descanso.

Ele é um dos últimos resquícios de Mata Atlântica original da região norte do Estado. Entre os animais que você pode encontrar no meio das trilhas, há macacos-prego, quatis, cotias, gambás e lagartos, além de eventuais aves da região e algumas migratórias passeando por lá.

E como se não bastasse tudo isso, através da trilha ainda pode-se chegar a uma das maiores surpresas do parque que é a belíssima visão da cascata com cerca de 20 metros de queda.

É ótimo para piqueniques, desde que você não leve bebidas alcoólicas (proibidas por lá). Ah, e é importante lembrar que não é permitido alimentar os animais.

O parque também abriga o Viveiro Municipal, que produz mudas de árvores e flores utilizadas para a arborização da cidade.

O Parque Arthur Thomas fica na (sugestiva) Rua da Natureza, 155.

Mata dos Godoy

Horários: terça a sexta das 9h às 17h e aos Domingos de 13:30h às 17:30h. Fechado aos sábados e segundas. Entrada gratuita.

Pra quem quer natureza, mas quer um pouquinho mais de aventura, a Mata dos Godoy em Londrina talvez seja uma boa opção. A reserva é uma mata nativa que foi transformada em parque estadual em 1989 e está aberto à visitação desde 1995.

Pra quem curte uma trilha em mata fechada, por lá existem três: a Trilha do Projeto Madeira, a Trilha Interpretativa (ou das Perobas e Figueiras) e a Trilha Álvaro Godoy (ou dos Catetos).

É claro que elas são ótimas para conectar com a natureza, mas também são fonte de pesquisa e educação ambiental. Por isso, o centro de visitantes de lá realiza visitas monitoradas através das trilhas onde são dadas explicações sobre as espécies da flora da região.

O Parque Estadual da Mata dos Godoy fica na Rodovia Mabio Gonçalves Palhano, Km 14, s/n.

Salto do Apucaraninha e Reserva indígena

Agora, se você busca aventura mesmo, natureza selvagem, então você precisa visitar um outro ponto turístico de Londrina: o Salto do Apucaraninha.

Trata-se uma cachoeira de 116 metros de altura, que fica a cerca de 80 km do centro de Londrina, próximo ao limite do município com o vizinho Tamarana.

A cachoeira está localizada dentro da reserva indígena Apucaraninha, pertencente aos índios Kaingang (ou caingangues). Por essa razão, para visitar tanto a reserva como a cachoeira, é preciso obter autorização da FUNAI.

Para se chegar à reserva, é preciso pegar uma estrada de terra. É um passeio rústico mesmo! O local não conta com estrutura alguma (nem mesmo centro de informações ou banheiros). É proibido acampar na reserva.

A reserva indígena abriga cerca de 1,4 mil pessoas, que vivem basicamente da agricultura, de benefícios do governo e da venda de artesanato.

Eles cultivam arroz, feijão e milho, além do plantio de hortas, eucalipto e palmito pupunha. Também produzem vários tipos de cestos e artesanatos, além de arco e flecha. Sua comercialização é feita nas próprias casas dos indígenas.

Para chegar até lá, é preciso seguir pela Rodovia Celso Garcia (PR445) até Lerroville (distrito de Londrina), onde você encontrará a estrada rural que o levará até a cachoeira. Essa estrada atravessa o rio na parte superior do Salto, onde há um mirante com uma vista perfeita!

Ah, você não paga nada pra entrar na reserva.

Rota do Café

Por fim, mas não menos importante, não poderíamos deixar de citar a famosa Rota do Café, um dos pontos turísticos mais importantes de Londrina.

A Rota do Café é uma das principais ações de promoção do café do Paraná no Brasil e no mundo. A ideia é resgatar a tradição e a cultura cafeeira do Estado.

Ela agrega conhecimento da história, especialmente da região norte do Paraná. Os roteiros incluem visitas às fazendas históricas, centros culturais, restaurantes rurais e lugares pitorescos.

E é claro que na Rota do Café não poderiam faltar locais para degustar a famosa e apreciada bebida que tão bem representa o Brasil. Um dos lugares mais bem avaliados para isso é o Armazém Café.

Um lugar aconchegante e que serve diversas delícias, não só o café, propriamente dito. Você pode apreciar um dos cafés mais famosos da região, produzido pela Fazenda Palmeira.

Além disso, de vez em quando acontecem eventos especiais, como palestras e oficinas com participações de baristas qualificados.

Mas não pense que é só isso! Tem muita coisa legal pra conhecer na Rota do Café. Só indo mesmo pra conhecer tanta coisa bacana, especialmente quem é apreciador dessa beleza.

O Armazém Café fica na Rua Belo Horizonte, 701 e funciona de segunda à sábado das 10h às 19h e no domingo das 14h às 19h.

Outros pontos turísticos de Londrina: ainda tem muito mais!

Aposto que te surpreendi com tantos pontos turísticos em Londrina, né? A cidade é realmente bem interessante e não faltam atrações para visitar.

Ainda tem vários pontos turísticos de Londrina que ficaram de fora desse post!

Se você conhece a cidade e acha que tem algum atrativo que precisava mesmo ser citado e acabou ficando de fora dessa lista, fala aí pra gente quais são nos comentários.

Quem sabe eu me empolgo e acabo montando uma “parte 2” com mais dicas sobre o que fazer em Londrina. O que acham? Vocês curtiriam?

Foto em destaque: Carlos Alves Carlos por Pixabay 

Avatar for Thiago Amaral
Thiago Amaral
Thiago é um professor de Inglês que, apesar dos seus (já) 30 e poucos, ainda vai ser jornalista. Não viaja tanto quanto gostaria, mas também um dia o fará. Por ora, se arrisca escrevendo sobre assuntos aleatórios e eventualmente viaja com sua esposa Marcela e filha Alice. E por isso foi convidado a escrever (eventualmente) neste blog: para dar dicas e contar sobre a experiência de viajar em família e com criança.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *