Instituto Ricardo Brennand: um dos melhores museus do Brasil

O Instituto Ricardo Brennand em Recife sempre aparece nas listas de melhores museus do Brasil, mesmo estando um pouco afastado do centro e rota turística tradicional da cidade.

Eu morei em Recife de 2006 até 2013. Minha casa ficava ali pertinho, no bairro da Várzea. Por sorte, logo nos primeiros meses morando ali, eu descobri que eu tinha essa maravilha de vizinho: o Instituto Ricardo Brennand.

Na época, o museu ainda tinha visitação gratuita todos os dias da semana. Acabou se tornando meu lugar favorito para passar as tardes sem aula durante os anos de faculdade.

Em Brennand, eu aprendi a apreciar a arte, celebrei aniversários, ri e chorei.

Foi o Instituto Ricardo Brennand que me ensinou a admirar a arte e as belezas da natureza, nas tardes em que eu passeava pelo acervo ou só descansava com os amigos nos jardins do instituto.

Definitivamente, é um lugar especial no mundo para mim. Mas acredite: não é somente por isso que eu recomendo fortemente que você vá conhecer o Instituto Ricardo Brennand quando visitar Recife.

Esse museu merece todos as recomendações, pode acreditar. Mesmo se você está hospedado na região de Boa Viagem, onde fica a maioria dos hotéis em Recife, vale a pena desviar um pouquinho da rota e conhecer o Instituto Ricardo Brennand!

Reserve seu hotel em Boa Viagem, pertinho da praia em Recife
Alugue um carro para se locomover em Recife com mais facilidade

Instituto Ricardo Brennand

Instituto Ricardo Brennand: um dos melhores museus do Brasil

Não é só pra mim que o Instituto Ricardo Brennand é especial.

Por dois anos consecutivos (2014 e 2015), o centro cultural foi eleito como o melhor museu da América Latina e o 19° melhor museu do mundo, segundo os votos de viajantes no Traveler’s Choice Museums, do TripAdvisor.

A coleção do Instituto Ricardo Brennand impressiona. Várias peças chamam a atenção por lá, mas eu tenho umas queridinhas.

Talvez a maior delas seja a réplica de O Pensador, de Rodin. Essa é uma das 25 cópias da peça que foram feitas utilizando um molde do original.

E essa é só uma das maravilhas que fazem do Instituto um dos museus mais impressionantes que já visitei. Vem comigo que eu vou te mostrar os outros porquês.

Instituto Ricardo Brennand

A história de Ricardo Brennand – como nasceu o Instituto

Com sete anos, Ricardo ganhou um canivete do seu tio, que também se chamava Ricardo Brennand.

Esse pequeno evento que podia passar desapercebido na vida de muita gente transformou o pequeno Ricardo em um colecionador de armas brancas.

Durante muitos anos, Ricardo se dedicou como empresário aos negócios da família, que atuava em diversos ramos na cidade de Recife.

Mas um dia, pra nossa sorte, Ricardo resolveu vender uma parte dos bens e fundar o Instituto Ricardo Brennand. A inauguração foi em 2002, e o centro cultural foi batizado em homenagem ao seu maior incentivador, o tio Ricardo.

Instituto Ricardo Brennand

Brennand não sonhou pequeno.

Construiu o maior centro cultural da região, com direito a uma pinacoteca, um castelo e uma biblioteca.

Mas não para por aí. O Instituto Ricardo Brennand ainda tem o Parque de Esculturas nos jardins e uma capela, onde são realizados glamurosos casamentos da sociedade recifense – e que sonho deve ser casar ali!

Melhor ainda: ele fica bem pertinho de outro centro cultural muito massa em Recife: A Oficina Cerâmica de Francisco Brennand. Que tal fazer um combo e visitar os dois?

Como é a visita ao Instituto Ricardo Brennand em Recife?

Nem pense que estamos falando de um museu pequenininho. O Instituto Ricardo Brennand impressiona até pelo tamanho do seu acervo, além da quantidade de áreas de visitação. Vamos conferir?

Galeria

O primeiro prédio que a gente visita logo que chega ao Instituto Ricardo Brennand impressiona pela grandiosidade.

O salão da galeria é imenso, os lustres são enormes. Tudo ali parece ser um lembrete para a ostentação.

Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand

Conheça outros museus em Recife: Museu Paço do Frevo, no coração de Recife

Entre os três prédios do complexo, a Galeria é o menos expressivo em números de peças expostas.

São algumas dezenas de quadros nas paredes, que circundam o enorme salão de piso branco e preto.

Talvez uma referência à maçonaria, talvez um enorme tabuleiro de xadrez. A visita à Galeria serve bem para abrir o apetite para o que ainda está por vir.

Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand

Pinacoteca do Instituto Ricardo Brennand

O Instituto Ricardo Brennand colocou Pernambuco na rota das grandes exposições de pinturas do mundo.

De forma permanente, estão na Pinacoteca 15 quadros de Frans Post, o pintor que veio com Maurício de Nassau durante a invasão holandesa, na época do Brasil colonial.

É a mais expressiva coleção de quadros sobre o Brasil Holandês do mundo, além de ser a maior coleção de obras do pintor que se tem notícia.

Eu já visitei incontáveis vezes, e mesmo assim sempre passo horas na Pinacoteca.

Por lá, estão expostos quadros, peças de escultura, tapeçaria, artigos decorativos de diversos lugares e de diferentes épocas.

Além disso, a Pinacoteca é equipada com a melhor tecnologia para preservação e segurança das obras.

Além da exposição permanente ‘Frans Post e o Brasil Holandês’, atualmente na Pinacoteca estão em cartaz as mostras ‘Paisagem Brasileira do Século XIX’  e o ‘Julgamento de Nicolas Fouquet’.

Esta última é uma recriação da cena do julgamento de Nicolas, contada com bonecos de cera que impressionam pela precisão e detalhismo.

Leia também: O que fazer em Recife e Olinda: roteiro completo!

Instituto Ricardo Brennand

No espaço da Pinacoteca, funcionam também a cafeteria, a biblioteca (com ênfase em História do período Brasil-holandês) e a loja de lembranças do Instituto Ricardo Brennand.

Castelo São João

A arquitetura reproduz um castelo medieval, cenário ideal para a guarda da inacreditável coleção de armas brancas de Brennand, uma das maiores do mundo.

Além de canivetes, espadas e outras armas, estão expostas também armaduras, chaves, armas modernas e esculturas.

Tem até fuzis que pertenceram a D. Pedro I e D. Pedro II. É como mergulhar num passeio pela história, com cavaleiros e armas provenientes da Europa, Ásia, Américas e África.

Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand

As peças são classificadas por tipo (armas de caça, armas de guerra, armas de proteção pessoal e exibição, armaduras para cavalos e cavaleiros), e são datadas entre os séculos XV ao XXI.

Uma das peças que mais gosto é uma armadura completa e completamente preservada de um cavaleiro e seu cavalo, proveniente da Alemanha.

Parque de Esculturas nos Jardins

Os jardins de Brennand viram uma fase muito boa da minha vida, com amigos, pouca preocupação e muita história pra contar. São cerca de 18 mil hectares, decorados lindamente.

Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand
Instituto Ricardo Brennand

Lagos artificiais, ponte levadiça, brasões em alto relevo…

Esculturas enormes que reproduzem grandes obras da humanidade, como o Davi de Michelangelo e a Dama e o Cavalo, de Botero.

Sentar nos bancos, conversar, curtir o vento, passear pelo lindo corredor de palmeiras que recebe a gente na entrada do Instituto. Algumas das melhores lembranças da minha vida Recifense.

Visite o Instituto Ricardo Brennand

O tempo passou. O Instituto Ricardo Brennand não tem mais a entrada gratuita, nem é mais o meu quintal de casa.

Mas adoro voltar, e adoro levar pessoas para passear por lá. Dá um orgulho enorme ver um museu dessa qualidade no Brasil, ainda mais em Pernambuco, minha terra.

Tomara que você consiga visitar um dia. Daí, você passa aqui nos comentários e me conta como foi!

Instituto Ricardo Brennand

Instituto Ricardo Brennand
Site: www.institutoricardobrennand.org.br
Endereço: Engenho São João, s/n, Várzea, Recife.
Funcionamento: De terça a domingo, das 13h às 17h.
Entrada gratuita na última terça-feira de cada mês, exceto nos meses de janeiro, julho e dezembro. Limitação de 2.000 visitantes/dia.
Quanto: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia)
Informações:  (081) 2121-0352 ou 2121-0365

Post publicado em 27 de julho de 2017.
Post atualizado em 06 de maio de 2019.

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
CLAUDIA MONTESOU disse:

Que achado teu post … graças a vc vou conhecer essa semana. Depois volto aqui!

Lila Cassemiro disse:

Que bom Claudia, ficamos felizes de ajudar!

Zudi Dadalt disse:

Oi Klécia! Que legal ter achado seu post pelo Pinterest. Estou há muito tempo querendo visitar o Instituto e agora que tenho data para concretizar isso, estava precisando ler um pouco mais sobre ele. Seu entusiasmo aumentou ainda mais o meu. Lindo relato! Em novembro estarei lá. Bjs

Klécia disse:

Que legal que a gente pode ajudar, Zudi! Você vai adorar o Instituto! É um lugar muito especial!

Quanta coisa bacana para conhecer em Recife!! Só estive na cidade a trabalho e posts como esse me fazem ter vontade de ir sem pressa!!

Klécia disse:

Recife é uma cidade incrível! Merece essa visita sem pressa! 🙂

Magnífico! O tipo de lugar que me leva para outra dimensão e me tira do eixo! Sempre que estou em lugares assim, sinto uma alegria extrema que sou incapaz de dimensionar apenas com palavras. Você foi privilegiada por ter a oportunidade de passear livremente por estes jardins e observar de perto e tranquilamente estas obras bárbaras e voltar ao passado holandês de Pernambuco. Sei, contudo, que você soube aproveitá-lo muito bem!

Em minha recente visita a Pernambuco, onde eu redescobri Recife, o Instituto ficou de fora. O tempo foi curtíssimo e em momentos assim, a pressa não pode me acompanhar. Preciso de tempo para ir e voltar desse mundo paralelo criado pelas artes. Por enquanto, fico degustando o lugar por aqui, o que já tem um bom tamanho e peso. 🙂 bjus

Klécia disse:

Foi uma época muito boa e especial, Ana! Desejo uma volta a Recife cheia de calma e de coisas lindas pra você! <3

bstorquato disse:

Que lugar fantástico! É bom demais ter um lugar assim perto de casa pra relaxar né? No meu caso era o Jardim Botânico em Curitiba. Não conhecia esses instituto, e fiquei muito curioso pra conhecer.

Klécia disse:

Também adoro o Jardim Botânico de Curitiba! Eu passearia sempre por lá, se morasse ali pertinho!

RoadTrio disse:

Visitamos Recife em uma escala só e nem deu tempo de conhecer nada. Queremos voltar logo, esse lugar parece bem legal!

Klécia disse:

É lindo e muito interessante! Voltem lá qualquer dia!

Diego Arena disse:

Nossa, que interessante esse museu! Já fui para Recife algumas vezes mas nunca o visitei! Já deixei anotado aqui para não perder da próxima vez. Adorei.

Klécia disse:

Não deixa mesmo passar, Diego! É muito bacana!

Thiago disse:

Noossa que relato incrível! Me senti lá! Adorei saber desse museu, não conhecia.irei com certeza!

Klécia disse:

Você deve gostar bastante, Thiago!

rui batista disse:

Artigo muito interessante. Confesso que não conhecia, mas o entusiasmo com que falam deixa muita vontade de seguir os vossos passos 🙂

Klécia disse:

Vem pra Recife, Rui! 😀

Adriana Magalhães disse:

Já ouvi falar muito dele e seu relato apaixonado é mais um convite a conhecer quando estiver em Recife!

Klécia disse:

<3 fico feliz que minha paixão pelo Instituto tenha transparecido no meu texto, Adriana!

Fabia Fuzeti disse:

Que delícia de post! Pra gente que é louco por arte e cultura, é um deleite. Não conheço o Instituto Ricardo Brennand mas já está no topo da minha lista para quando voltar para Recife…

Klécia disse:

Torcendo pra ser em breve, Fabia!

Que post mais lindo. Nunca tinha ouvido falar no Instituto Ricardo Brennand, mas já quero conhecer. As fotos estão tão lindas que me senti dentro dele, passeando com vcs. =)

Klécia disse:

Que bom Martinha! É mesmo um lugar muito lindo!