As aventuras de Alice: Curitiba para crianças

Hoje inauguramos uma nova assinatura no blog Fui Ser Viajante! É a sessão de Guest Posts, onde blogueiros, leitores e amigos vão escrever pra gente e contar sobre seus destinos favoritos, suas aventuras de viagem, suas experiências pelo mundo!

Apresentar outras modalidades de viagem que nós do FSV não abordaríamos por aqui, ou lugares que ainda não fomos. O tema do nosso primeiro Guest Post é Curitiba pra crianças.

Quem escreve é o Thiago Amaral, autor do blog Cultura Random. Ele conta um pouco das aventuras da família nas férias em Curitiba, agora em janeiro de 2017. 

O maior destaque fica por conta da Alice, a filha do Thiago e da Marcela, que é aquelas crianças que a gente se apaixona logo que conhece! A Alice, inclusive, tem até um canal próprio no Youtube, uma gracinha!

O Thiago mostra como a Curiti-linda foi o destino perfeito para as férias de uma família com filho pequeno. Vamos conferir? Fala, Thiago!

— // —

As aventuras de Alice: Curitiba para Crianças

Curitiba é a minha cidade favorita. Não que eu conheça muitas, pelo contrário, ainda tenho pouquíssimas milhas acumuladas.

Mas sequer precisava conhecer de perto essa terra maravilhosa pra amá-la. Já a admirava à distância antes mesmo de ir até lá. E um dia ainda parto pra lá de vez. Mas isso é outra história.

A primeira vez que estive na presença dessa linda, foi em 2014. Foram 5 dias no total, mas já cheguei pela noite e fui embora cedo, portanto, dias realmente aproveitados foram só 3.

Dessa forma, tive que fazer uma meia maratona pra conhecer o que gostaria e, ainda assim, deixar muita coisa bacana de fora.

No entanto, até que deu pra turistar bem. Minha pequena Alice estava prestes a fazer dois anos (nem mesmo pagou passagem no avião, foi no colo) mas mesmo assim pudemos passear bastante com ela e dá pra dizer que ela aproveitou o máximo que uma criança de sua idade poderia aproveitar.

Curitiba paara crianças
Foto: Fui Ser Viajante

Mas meu texto não vai focar nessa viagem, e sim, na mais recente, agora em Janeiro de 2017. Dessa vez ficamos 10 dias e, além disso, Alice já estava às margens dos 5 anos e pôde aproveitar muito mais.

Ademais, como acreditamos, poderá guardar mais memórias próprias. Acredito que a idade ideal pra que se possa começar a ter memórias e curtir, de fato, é a partir dessa faixa, por volta dos 5 anos.

Antes disso, apenas os pais guardarão as memórias e as contarão.

O que fazer em Curitiba com crianças?

1 – Passeios ao ar livre

Curitiba é um ótimo lugar pra se passear com crianças. Existem inúmeros parques pros pequenos correrem, pularem e fazerem amizades.

(A propósito, não sei se minha família que é simpática/comunicativa demais, ou se essa história de que curitibano é um povo frio e fechado é mito, afinal, onde ia, Alice fez amizade e brincou com as crianças que lá estavam sem problema algum, e nós, os adultos, só andamos com motoristas de Uber gentis e fomos muito bem atendidos em todas as lojas).

Ainda sobre o Uber, é uma ótima opção pra ir a qualquer lugar da cidade, pois fica um valor bem acessível e a qualidade do serviço é excelente.

Se quiser economizar um pouquinho mais pode ir de ônibus de boa, pois a cidade tem um sistema de mobilidade urbana de excelência e modelo no país. Dá pra se visitar qualquer lugar da cidade de ônibus, sem se estressar nem gastar muito.

Ficamos hospedados na casa de um amigo, por essa razão, não posso opinar a respeito de hospedagem e valores.

A casa do nosso amigo fica num bairro chamado Bacacheri. É um ótimo bairro pra se viver, super calmo e com toda estrutura necessária pra se viver bem (mercados, restaurantes, posto de gasolina, farmácias, linhas de ônibus e etc).

O grande (único?) atrativo turístico do bairro é o Parque General Iberê de Mattos (ou simplesmente Parque Bacacheri).

Parque Bacacheri em Curitiba
Parque Bacacheri

É um belo parque, com muito verde e um lago. Há uma trajeto asfaltado onde se pode praticar caminhadas ou pedalar. Há também um parquinho pras crianças e um daqueles espaços com equipamentos pra exercícios físicos.

Ou seja, você pode deixar seus pequenos brincando no playground enquanto bota as gordurinhas pra queimar curtindo o verde.

Já que estou falando de parques, eles são, pra mim, o melhor lugar pra curtir com a família. E você pode fazer um tour por todos eles. O melhor de todos, pra mim, é o Parque Barigui.

pontos turísticos de Curitiba - Parque Barigui
Foto: Thiago Amaral

Um enorme monte de verde onde, todos os dias, centenas de pessoas vão correr, pedalar, fazer piquenique, relaxar ou até mesmo tirar fotos das simpáticas capivaras que ali habitam.

O parque é bem grande mesmo, e dependendo do seu nível de sedentarismo, pode até ficar cansado só de atravessá-lo. Mas as crianças AMAM.

Outro parque bem legal de visitar com as crianças é o Passeio Público (não visitei nesse ano =[ ). Esse é bem menor, e eu o comparo com a Quinta da Boa Vista no Rio de Janeiro, guardadas as proporções.

Pois é um espaço com bastante verde e bem legal pra um piquenique. Dentro dele há uma área que é tipo um mini zoológico, mas em que os animais parecem ser muito bem tratados, quase como se estivessem em habitat natural.

Não são muitos bichinhos, mas em geral, é o suficiente pra alegrar a criançada.

Entretanto, no quesito parques/bosques e especialmente se tratando de crianças, nada supera o Bosque Alemão. O ideal é começar de cima pra baixo.

Bosque Alemão, parques de Curitiba
Foto: Thiago Amaral

Lá no alto, há uma estrutura de madeira com uma bela vista a ser apreciada enquanto descemos. Logo depois, vem uma trilha por dentro da mata fechada que tem a intenção de refazer o caminho de João e Maria até a casa da Bruxa.

Não se preocupe, a trilha é ladrilhada, bem de boa e fácil, especialmente porque é uma descida.

No caminho, existem tipo uns totens cada um com um trechinho da história de João e Maria (que pra quem não sabe, é um conto alemão e seus protagonistas se chamam Hensel e Gretel, originalmente).

Se os pequenos já sabem ler, incentive-os a acompanhar a história ao longo do trajeto. Se ainda não sabem, leia pra eles.

De uma forma ou de outra, é certo que eles vão curtir muito (além de ser uma forma muito legal de incentivar a leitura).

No meio da trilha, tem a tal casa da Bruxa, que é toda decorada como se fosse uma casa mesmo, com direito a caldeirão no lugar da lareira, mas na verdade trata-se de uma biblioteca infantil.

Tem muita coisa legal pros pequenos por lá, tem até coisa em alemão pra entrar ainda mais no clima.

Legal mesmo, é conferir os horários em que há contação de histórias. Não lembro exatamente, mas acho que é de Terça a Domingo as 11 da manhã e 4 da tarde.

As crianças sentam em roda e há uma recreadora contando histórias infantis com dramatização e tudo mais. Nem precisa dizer o quão incrível eles acham, né?

Fora os parques já citados, há ainda alguns pontos turísticos tradicionais que são bem legais de se visitar com os pequenos.

O Jardim Botânico é lindo e tem um colorido incrível onde você poderá tirar as lindas fotos enquanto a criançada corre pelos jardins.

O Parque Tanguá também é um dos lugares mais bonitos a serem visitados por lá, e qualquer foto lá fica linda, especialmente com as luzes do entardecer. As crianças costumam se encantar com os chafarizes e com a cachoeira.

É claro que existem muitos outros bosques, parques e até praças interessantes e com atrações que crianças curtem. Fomos também ao Bosque do Papa, que tem uma pequena trilha e um memorial ao povo polonês no fim. É bem bonito, florido e tem um mini museu da cultura polonesa, além de uma capela.

Há um playground que pode fazer as crianças curtirem após a trilha. Dica fundamental: leve repelente! Não só pras crianças, mas pra você também! Passamos na Alice (assim como em todos os outros dias) mas subestimamos os mosquitos curitibanos. Resultado: caroços que duraram quase dez dias e coçavam como se não houvesse amanhã. No meu caso, que sou alérgico, tive até que tomar remédio, pois no dia seguinte estava tão inchado que estava até difícil mover o braço.

Entre o Bosque do Papa e o Museu Niemeyer, há um grande espaço verde que pode servir como área de piquenique, mas que é legal mesmo no fim de semana (não me lembro se é no Sábado, Domingo ou nos dois dias) quando rola uma espécie de ‘encontro de cachorros’. Os donos levam seus amigos pra brincar e socializar e isso acaba sendo a maior diversão pra todos, inclusive/especialmente pras crianças. A Praça do Japão é pequena quando comparada com os outros bosques, mas é bem bonitinha e tem um centro cultural bem legal.

Tem ainda o Parque Tingui, que infelizmente ainda não visitei em nenhuma das duas passagens, mas dizem ser bem bonito também e que de quebra é junto do Memorial Ucraniano. Visitamos a Ópera de Arame, que é bonita e tal… Mas não tem nada demais. Não vale a pena ser visitada com crianças, a não ser que você esteja com tempo e a caminho do Parque Tanguá. De um pro outro é cerca de 1Km (subindo) e, com disposição, dá até pra ir a pé.

Já o Museu Oscar Niemeyer é um passeio que pode ser atrativo pra eles ou um saco. Alice gostou bastante a princípio, especialmente pelo fato de ter estudado a respeito do arquiteto brasileiro mais famoso do mundo na escola (sim, ela estudou sobre ele!). Por isso, já estava ansiosa pela visita antes mesmo de decolarmos em direção à cidade. Quando finalmente entrou, tudo era novidade e divertido. A primeira parada foi um quadro branco com canetas pra desenhar, logo na primeira parte do museu.

Alice adora desenhar e escrever e se deixássemos, ficaria horas ali. Depois, vieram as exposições. A partir daí começou a ficar um tanto repetitivo e talvez até tedioso pra ela. Só voltou a ficar legal na área interativa, onde tem jogos e máquinas pra tirar selfies com as principais construções de Niemeyer ao fundo. Ah, também havia uma exposição do lado de fora, no entorno do museu bem bonita e que pode agradar aos pequenos, mas não sei se é permanente. No geral, pode não ser um passeio tão proveitoso pras crianças menores, especialmente por ser pago, mas se eles já estão mais crescidinhos e você deseja não só desenvolver a paciência (deles e sua) e o gosto por arte e cultura, eu recomendo mesmo assim.

Curitiba: passeios indoor e dicas de alimentação

Falando nisso, também cabe incluir uns passeios indoor com seus pimpolhos. Há vários shoppings espalhados pela cidade e outras atrações pros dias de chuva (que durante Janeiro é todo dia por algumas horas).

No Parque Barigui, por exemplo, dá pra passear no parque e ir direto pro shopping fugir da chuva ou tomar um sorvete, pegar um cinema…

Sem dúvida, o shopping mais legal pra molecada é o Shopping Estação. Ele tem esse nome porque foi construído num espaço que antigamente era uma estação de trem. Há até um pequeno museu ferroviário dentro do shopping e uma locomotiva real pra apreciação.

Além do mais, um pequeno trenzinho cruza o shopping e suas crianças podem dar um passeio nele por cerca de 10 reais. Parece bobo pra nós adultos mas eles adoram.

Se você é um viajante que curte, digamos assim, ‘degustar a comida local’, não se pode dizer que foi à Curitiba sem comer em dois restaurantes clássicos da cidade: o Madalosso (no simpático bairro de Santa Felicidade) e em algum dos vários Madero espalhados pela cidade.

No primeiro, a especialidade é cozinha italiana, você paga uma taxa única de aproximadamente R$ 50,00 e come à vontade. E eles tem uma salinha kids bem equipada, apesar de não supervisionada.

Além do valor agradável e de comida deliciosa, outro atrativo do restaurante é o ambiente em si, super confortável e aconchegante apesar dos vários e enormes salões. Não importa se você visitará o Velho Madalosso ou o ‘novo’, o importante é curtir a experiência gastronômica.

Já o segundo citado, é um steak house que faz jus ao próprio slogan: the best burger in the world. Não importa o que você comerá, seu paladar passará a ser Am/Dm – Antes do Madero e Depois do Madero.

E não tem desculpa pra não visitar: tem cerca de 10 restaurantes espalhados pelas ruas da cidade e mais 4 em shoppings. Só o que faltou foi um espaço pras crianças brincarem (pelo menos no que fui, no bairro Cabral, não havia). Pelo menos eles dão um desenho e giz de cera pra criança colorir…

E por último, o único ‘passeio’ noturno que fizemos. Primeiro fomos ao Taco El Pancho, um restaurante mexicano onde você pode comer o que/quanto quiser/conseguir por apenas 39,90. A decoração é típica e muito maneira, e a comida deliciosa. Se isso não é atrativo suficiente, eles te ganham aqui: uma sala kids bem espaçosa e fechada com recreadora. Você pode se esbaldar de tacos, nachos, jalapeños e etc. e deixar sua cria na sala despreocupado, pois elas estarão se divertindo com os acessórios e brinquedos do espaço, no maior conforto e segurança. E você não paga nada a mais por isso.

Como se não fosse o suficiente, o restaurante é colado no Sheridan’s Irish Pub, que é dos mesmos donos. Nesse pub, toda segunda toca uma banda cover de U2 que dizem ser bem legal. Nas terças, dia que fui, toca um cover de Legião Urbana que é SENSACIONAL. A impressão que dá é de que você está assistindo ao próprio Renato Russo cantando. Mas sabe qual a melhor parte? Dá pra deixar as crianças na sala kids do restaurante enquanto você curte o show!! E dá pra ir lá de tempos em tempos só pra dar uma conferida se tá tudo ok. E pode ficar despreocupado mesmo, afinal, o show costuma ser de 10 da noite as 11:30 mais ou menos, e a salinha funciona até meia noite. Todo mundo se diverte, todo mundo fica feliz!

Bem, é claro que há muito mais a se fazer em Curitiba e certamente há outros locais interessantes e ideais pra visitação com crianças. Mas essas são as dicas que eu posso dar por experiência própria. Espero que você curtam e que se apaixonem por Curitiba tanto quanto eu.

-> Gostou da história? Quer aparecer aqui também? Não importa se você tem ou não blog, você tem um espaço aqui no Fui Ser Viajante! Escreve pra gente em contato@fuiserviajante.com e conta a sua história! Os relatos mais bacanas vão aparecer aqui nos próximos Guest Posts!

Thiago Amaral
Thiago é um professor de Inglês que, apesar dos seus (já) 30 e poucos, ainda vai ser jornalista. Não viaja tanto quanto gostaria, mas também um dia o fará. Por ora, se arrisca escrevendo sobre assuntos aleatórios e eventualmente viaja com sua esposa Marcela e filha Alice. E por isso foi convidado a escrever (eventualmente) neste blog: para dar dicas e contar sobre a experiência de viajar em família e com criança.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:

Curitiba é uma cidade muito fotogênica e é sempre bom para nós, com crianças, encontrar destinos que sejam legais para eles também. Obrigada pelas dicas… e pela foto do hamburguer kkkkkk

Gente! O que é aquele hamburguer?!!! Morri aqui só imaginando essa delícia.

Gisele Ramos disse:

Que legal! Tenho muitos amigos em Curitiba e quero muito conhecer a cidade, mas ainda não tive oportunidade. Vou botar aqui na minha lista de prioridades! 🙂

Que show! Amo Curitiba e seu post me deixou até com vontade de quero mais. hahaha! Parabéns.

Marcia disse:

Ler este post me levou de volta a Curitiba, quando minha filha tinha 3 anos. Realmente é uma boa opção para crianças com tantos parques.

Eu também adoro Curitiba e a visito com frequência. É uma cidade ótima para crianças e adultos: calma, tranquila agradável. O texto está muito bom, especialmente para quem gosta de viajar com os pequenos. Aproveitei para matar as saudades de lá. 🙂

Thiago Amaral disse:

Eu sou apaixonado por Curitiba, um verdadeiro Curitilover! Que bom que gostou do texto e pode matar saudades com ele. E muito obrigado pelo comentário. Abraços!

Confesso que fiquei curiosa pra provar o melhor hamburguer do mundo, hahaha
ótimo roteiro, eu ainda não tenho filhos, mas quero fazer muitas viagens com crianças no futuro!

Thiago Amaral disse:

Olha, o Madero faz mesmo jus ao slogan! Não provei muitos hamburgeres pelo mundo (ainda), mas não tenho dúvida que ele, no mínimo, está entre os melhores. Sobre viajar com crianças, um bom planejamento e saber lidar com situações de improviso resolvem tudo! Hehehe! Não é tão difícil quanto pode parecer. E é uma delícia poder compartilhar tantas memórias legais com eles.

Mayte disse:

Klécia, muito legal a iniciativa dos guests posts, com certeza vou querer aparecer por aqui. =D

Thiago, parabéns pelo post e principalmente por incentivar sua filha de apenas 5 anos a apreciar um museu tão importante para o nosso país. Eu adoro viajar e descobrir os parques da cidade, ainda não tenho filhos, mas com certeza esse será um delicioso passeio com os meus pimpolhos no futuro.

Thiago Amaral disse:

Muito obrigado, Mayte! Na verdade nem precisei fazer muito esforço pra incentivá-la. Como disse no post, ela já conhecia bastante da obra do Niemeyer por conta da escola, então ela mesma ficou ansiosa pra visitar o Museu quando a contamos que ficava lá.
Se você adora parques Curitiba é, definitivamente, uma cidade que você precisa visitar, com ou sem filhos! Espero que se lembre das dicas pra quando for, mas também faça suas próprias descobertas e volte aqui pra nos passar. 😀

Documentar o Mundo disse:

Fui mãe recentemente e desde então tenho tentado adaptar as viagens ou simples saídas por cá ao meu filho. É importante que se sinta bem porque caso contrário fará birra e não será bom para ninguém. No fim do dia, o melhor é que passámos tempo juntos e criámos memórias.

Thiago Amaral disse:

Exatamente isso! Quando somos pais, absolutamente tudo que fazemos, pensamos primeiro na criança. Também demoramos um pouquinho pra curtir mais com a Alice, tanto, que essa viagem de 2014 foi o tempo e distância mais longos que saímos com ela (já com quase 2 anos). A viagem do RJ pra lá é curtinha, menos de 1h em média, então ela não incomodou nada no avião.
Espero que você consiga curtir e passear bastante com seu bebê e criar quantas memórias for possível! =)

Paloma disse:

Que delicia, sou de Minas e estive por 1 semana em Curitiba, inclusive cheguei semana passada, adorei tudo, só estava muito calor, tirando isso, é um lugar bom para ir com as crianças.

Thiago Amaral disse:

Pois é, realmente nessa época do ano faz bastante calor. Mas eu sou do RJ, então pra mim o calor de lá é uma noite de verão aqui… Agora, por exemplo, nessa hora em que escrevo (22:37) estou suando talvez tanto quanto no dia que senti mais calor lá… =(

Gabriela disse:

Já estive em Curitiba, é uma cidade linda e cheia de pontos interessantes. O que eu mais tive vontade de fazer é um piquenique num dos inúmeros parques, bem “criança”, né? rs. Fiz o passeio com o ônibus de turismo, pois tinha pouco tempo e adorei o jardim botânico, a ópera de arame e o museu Oscar Niemeyer. Estive num restaurante maravilhoso: Barolo Tratoria! Ótima matéria! Abraços, Gabriela

Thiago Amaral disse:

Olá, Gabriela. Que bom que gostou da matéria, fico feliz! =)
Também fiz o passeio de ônibus na primeira visita em 2014. Fazer um piquenique não é apenas para criança, pode até ser romântico! E quanto ao restaurante, anotarei a dica pra próxima visita e/ou pra quando for pra lá de vez. Abraço!