Parques em Curitiba: quais valem a pena visitar

Parques em Curitiba | Se você começa a planejar uma viagem para Curitiba, logo vai perceber que um principais atrativos da cidade (se não o principal) são os parques de Curitiba.

Acredite em mim: dá pra dedicar uma viagem inteira apenas para fazer um tour pelos parques de Curitiba. E honestamente, eu duvido que vai dar tempo de visitar todos…

Porém, o mais provável é que você vai querer dividir seu tempo entre os parques e as outras atrações de Curitiba.

Pois bem, pra te ajudar a montar seu roteiro, vamos falar um pouco sobre os parques em Curitiba – quais parques priorizar na sua primeira vez na cidade e quais parques deixar para conhecer em uma segunda visita?

Como morador da cidade e grande apreciador de passeios ao ar livre, posso ajudar você, amigo viajante, a fazer essa escolha. Vamos bater um papo sobre os parques de Curitiba?

Conhecendo os principais parques de Curitiba

Parque Tanguá

Vou começar pelo meu parque favorito em Curitiba – e que aparentemente não é uma escolha tão óbvia, já que ele nem sempre aparece nas sugestões de roteiro em Curitiba.

O Parque Tanguá tem dois ambientes diferentes, por assim dizer. A parte de cima, mais famosa por sua estrutura em semi-círculo, que serve como mirante, e a parte de baixo, onde temos um ambiente mais bucólico com muito verde e uma bela queda d’água.

A parte de cima costuma ser a entrada principal dos turistas. A vista do mirante é linda e fica absolutamente irresistível ao pôr do sol, com cores lindas e uma vista única.

+ Linha Turismo de Curitiba: Como visitar as atrações na cidade

Parque Tanguá, o parque mais bonito de Curitiba
Foto: Fui Ser Viajante

Além dessa vista e de uma bela arquitetura do mirante em si, essa parte de cima também tem um chafariz bem bonito e um colorido jardim. Essa área ainda serve como início de uma queda d’água que pode (e deve) ser apreciada pela parte de baixo do parque.

Como se essa área por si só já não valesse a pena a visita, ‘o outro ambiente’, na parte de baixo do parque Tanguá é, no mínimo, tão bonita quanto.

Assim que você desce, você chega a um deck onde há uma lanchonete e uma estrutura toda em madeira à beira de um belo lago.

À frente, fica a tal queda d’água que despenca sobre um lindo e rústico paredão que formou-se em decorrência de uma antiga pedreira que operava no local. Coisa linda!

Parque Tanguá, o parque mais bonito de Curitiba
Foto: Fui Ser Viajante

Seguindo a partir dali, há um jardim que leva a uma área bem bacana para caminhada e para pedalar.

Vale a dica: se for subir de volta por essa área, fique ciente que a subida é um tanto íngreme. Mas se puder, faça um esforcinho, especialmente se tiver luz natural do entardecer. Não se arrependerá.

Definitivamente o Parque Tanguá merece entrar no seu roteiro. E se você quiser, pode aproveitar e fazer uma visita à Ópera de Arame (outro ponto turístico da cidade) no mesmo dia, pois fica a cerca de 2 km dali.

+ Onde se hospedar em Curitiba: melhores bairros

Jardim Botânico

O Jardim Botânico é outro parque de Curitiba que é essencial estar em seu roteiro. Até porque esse é provavelmente o principal ponto turístico da cidade.

A entrada principal do parque leva à famosa estufa que estampa a maioria dos cartões postais e propagandas de turismo da cidade. Entre a entrada e essa estufa, passamos pelo coloridíssimo jardim com vários tipos de flores.

Jardim Botânico de Curitiba
Foto: Thiago Amaral

A estufa em si é um passeio simples, você entra, tem muitas plantas e, como é toda rodeada por vidro, oferece uma boa vista, lindas fotos.

Atenção ao chão, que é todo vazado, em ferro, tipo uma grade. Algumas pessoas podem ter vertigem. Minha esposa e minha sogra morrem de medo. Nada demais pra maioria, mas algumas pessoas sentem esse desconforto, então vale o aviso.

Apesar dessa parte ser bem bonita, a impressão que fica é que é apenas um lugar bem ‘instagramável’ e só. Mas calma, não é só isso.

Ao caminhar para a esquerda de quem olha a estufa de frente, há um caminho que leva a uma descida. E ali há muito mais coisa legal.

Logo no início desse caminho, fica o Jardim das Sensações. Reza a lenda que é possível fazer uma visita por lá, onde caminhamos de olhos vendados com o objetivo de estimular outros sentidos como olfato e tato.

De toda forma, dá pra fazer uma passeio pela área e ver diversas flores e plantas raras, todas devidamente catalogadas.

Seguindo a descida, chegamos a uma ampla área, ótima para piqueniques, à beira de um lago.

Há também uma estrutura de madeira, com uma ponte sobre um lago habitado por tartarugas, peixes e outros animais que, vez ou outra, aparecem para a alegria dos visitantes.

Por fim, pra quem curte caminhar, correr ou pedalar, o período do finzinho da tarde é muito frequentado por uma galera que também curte, então é uma ótima oportunidade pra fazer junto.

Parque Barigui

O Parque Barigui é o parque preferido dos curitibanos para contemplação da natureza, atividades esportivas, passeios e lazer.

Não são apenas os humanos que procuram descanso no parque. Preás, socós, garças brancas, gambás, tico-ticos, sabiás e dezenas de outros animais nativos literalmente moram nesse parque de Curitiba.

pontos turísticos de Curitiba - Parque Barigui
Foto: Thiago Amaral

Mas, sem dúvida, as capivaras são as habitantes mais famosas e queridas do parque. Elas costumam ficar descansando e se banhando na espécie de península que se forma na parte do lago que fica bem no meio do parque.

O Parque Barigui ainda dispõe de churrasqueiras, quiosques, pistas, canchas / quadras poliesportivas, equipamentos para ginástica, estacionamento e restaurante.

O Parque Barigui é o parque mais bem estruturado de Curitiba e um dos principais pontos turísticos daqui.

Ainda lá dentro, você pode aproveitar pra visitar o Museu do Automóvel (e o qual já citamos aqui no post sobre os museus de Curitiba). Definitivamente merece sua visita.

Parque Tingui

Assim como o Barigui, o Parque Tingui é muito frequentado por que curte praticar esportes de forma amadora e ao ar livre. Esse parque de Curitiba é tão bonito e enorme como o supra citado.

pontos turísticos de Curitiba - Parque Tingui
Foto: Thiago Amaral

O fato de nesse parque também haver um memorial dedicado aos imigrantes ucranianos o torna uma atração e tanto para os turistas. Ambos parque e memorial são muito bonitos e precisam estar presentes em seu roteiro.

Pela sua localização, dá pra fazer um combo Tingui – Barigui – Santa Felicidade, aproveitando os passeios pelos parques pra depois fazer uma boquinha no bairro mais gastronômico de Curitiba.

Bosque Alemão

O Bosque Alemão é um passeio muito legal de se fazer em Curitiba, especialmente se você está viajando com crianças.

Se você começar o passeio pela parte superior do bosque, já logo de cara passa por uma estrutura de madeira que tem um mirante com uma bela vista da cidade.

Bosque Alemão, parques de Curitiba
Foto: Thiago Amaral

Descendo, você acompanha uma trilha de paralelepípedos e ao longo dela há totens contando a história de João e Maria, um conto alemão.

No centro do bosque fica a Casa da Bruxa, e quando não está rolando contação de histórias por lá, o local é uma biblioteca bem estilosa.

Além desses atrativos, o bosque em si é bem bonito e tem muito verde. É uma trilha bem fácil e gostosa de fazer. Ao fim, tem um belo jardim colorido de muitas flores e um portal, tudo muito instagramável.

Unilivre

Esse é o único parque de Curitiba que está nessa lista mas que (infelizmente) eu ainda não visitei. Mas por falta de oportunidade mesmo, não de vontade.

Esse espaço é a Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre). Foi criado com o objetivo de incluir a sociedade em discussões sobre o meio ambiente e desenvolve programas e treinamentos de diversos segmentos ambientais.

Unilivre - parques de Curitiba
Foto: heygiuliano por Pixabay 

Mas na prática é muito mais do que ‘só isso’ (não que seja pouca coisa, pois é uma ótima ideia): um bosque (que na verdade se chama Bosque Zaninelli) repleto de verde, um lago e um silêncio contagiante e calmante.

E pra melhorar ainda é possível curtir esse visual do alto, através das passarelas de acesso que ajudam a compor um cenário ainda mais admirável.

É um passeio bem curtinho e rápido, muito mais pra contemplar a natureza mesmo. Então esse aqui eu deixo no meio termo.

Se você estiver passando por ali perto, vale a pena investir um tempinho do seu passeio por lá, se não, não precisa incluir no seu roteiro.

Passeio Público

Talvez muitas pessoas não considerem o Passeio Público exatamente como um parque em Curitiba, estaria mais para ‘praça’. Na verdade, eu diria que o local é uma mistura dos dois e ainda um mini-zoológico.

Passeio Público de Curitiba
Foto: João Balão por Pixabay 

O Passeio Público tem uns pequenos lagos cheios de pontes e travessias. Também há um viveiro com diversos tipos de pássaros.

Segundo consta, foram animais resgatados e que não viveriam mais com segurança se fossem soltos novamente na natureza. Há aves de diversas regiões do Brasil e do mundo e todos eles são catalogados para que os visitantes possam conhecê-los melhor.

De forma sazonal, o local também recebe eventos e atrações especiais, como no início de 2020, quando recebeu um carrossel gratuito e um trenzinho que fazia um passeio ao redor do parque.

No Passeio Público também rola um evento do Natal em Curitiba. É bem legal, cheio de música, teatro e luzes.

Parques de Curitiba que podem não valer tanto a pena

Eu sou muito fã de parques e, por mim, todos valem a pena ser visitados. Como morador de Curitiba, pra mim é (relativamente) fácil visitá-los até com certa frequência.

Mas entendo que quem viaja tem menos disponibilidade de horário e precisa fazer escolhas.

Por isso, fiz essa divisão entre os parques de Curitiba que considero imperdíveis para uma primeira visita, que citei acima, e os outros parques, que você pode deixar de fora e quem sabe visitar numa outra oportunidade na cidade.

Cabe a você ver se algum desses parques de Curitiba estão mais próximos do local da estadia ou perto de outra atração que você quer visitar – aí sim, quem sabe valha a pena encaixar esses parques no seu roteiro em Curitiba.

Assim, vou mencionar aqui outros parques de Curitiba que são ‘mais do mesmo’, que não tem um diferencial super bacana para que se destaquem dos demais parques em Curitiba.

Vou chamá-los de parques não-essenciais. Você pode cortá-los se estiver com o roteiro/tempo limitado em Curitiba.

Bosque do Papa

Assim como o Parque Tingui homenageia os ucranianos, o Bosque do Papa é dedicado aos poloneses. Ele foi inaugurado na época da visita do Papa João Paulo II (que era polonês) a Curitiba em 1980, e por isso o nome.

No interior do bosque fica o Museu da Imigração Polonesa, onde você encontra artesanato típico e mobília tradicional dessa cultura.

Bosque do Papa, parques de Curitiba
Foto: cleversonlima via Flickr [Attribution 2.0 Generic (CC BY 2.0)]

Ele fica bem pertinho do Museu Oscar Niemeyer (MON ou Museu do Olho), então, se por acaso você for ao museu e quiser dar uma esticada aqui, pode ser legal, afinal ele é bem pequenininho.

Mas a não ser que você esteja com esse tempo ‘sobrando’ e/ou tenha muita curiosidade a respeito da cultura polonesa, ele pode ficar de fora do seu roteiro enxuto.

Parque São Lourenço

Esse parque de Curitiba é ótimo para moradores da região, pois aqui há muito espaço para pedalar, fazer piquenique e até mesmo churrasco. Todas essas atividades são bem frequentes, especialmente no verão.

Ele até tem um diferencial curioso: uma ladeira com pista asfaltada muito usada para descida com carrinhos de rolemã.

Muitas famílias por aqui tem desses carrinhos e vem descer a ladeira juntos. Rolam até eventos da Prefeitura que incluem essa atividade nas férias escolares.

Contudo, a não ser que você queira dar uma esticada após uma visita à Ópera de Arame (e/ou ao Parque Tanguá) que fica a uns 2 ou 3 km dali, não chega a ser um passeio que agregará tanto à sua visita.

Parque Bacacheri

Outro caso de parque que é bem bonito e muito frequentado por moradores da região. Da mesma forma que o São Lourenço, o Parque Bacacheri é ideal pra prática de esportes e piqueniques e churrascos em família.

Ele pode ser uma boa opção pra descansar e ter um contato com a natureza após uma visita ao complexo do Museu Egípcio (que já mencionamos no texto sobre os museus em Curitiba).

Mas apenas isso, não chega a valer uma visita com o único objetivo de conhecê-lo, até mesmo por ficar um pouquinho mais afastado do centro.

Bosque Capão da Imbuia

Esse é um passeio até bem interessante. Nesse bosque fica o Museu de História Natural, dedicado à preservação e pesquisa do meio ambiente. Por lá você pode ver animais taxidermizados, fósseis e até um aquário.

É um passeio que as escolas adoram fazer e é realmente muito interessante para crianças. Além de um passeio pela mata, dá pra visitar um museu bem legal.

Só que ele fica bem afastado da maioria das outras atrações da cidade, então é difícil encaixá-lo em algum roteiro. No máximo, nas proximidades dele você tem o Jóquei e o Shopping Jockey Plaza.

Assim sendo, mesmo sendo interessante, pode deixar esse como ‘não prioridade’ em sua visita a Curitiba.

Dicas bônus: parques de Curitiba mais afastados do centro

Parque Passúna

O Parque Passaúna é outro que ainda não fui mas não vejo a hora de conhecer. Ele é o que fica mais afastado de todos, algo em torno de 20 km do centro da cidade.

Há quem diga que ele é a ‘praia dos curitibanos’. Ele costuma atender bem às necessidades de quem quer aproveitar um dia de sol e se refrescar na água.

Não é possível nadar, mas dá pra praticar stand up paddle ou entrar no rio com caiaque, canoa havaiana ou mesmo uma prancha comum, como muitos fazem.

Uma de suas principais atrações é o mirante de cerca de 12 metros de altura. Ele fica bem no alto de um morro à beira da represa, à 60 metros do nível do lago e oferece uma vista inigualável das águas mansas, da exuberância da mata e até mesmo do município vizinho de Campo Largo.

Há também uma trilha ecológica, com 3,5 km de extensão, junto ao lago e em meio ao bosque, que percorre caminhos com pontes de madeira, recantos com churrasqueiras, entre outras atrações ao longo do caminho.

Assim sendo, se você quiser explorar o que há de melhor em parques na cidade, o Passaúna poderia estar incluso em seu roteiro, mas eu o marcaria com um ‘talvez’ ao lado, especialmente pela distância.

Parque Iguaçu

O Parque Regional do Iguaçu ocupa 8 milhões de m² de área, na região sul-sudeste de Curitiba, sendo, portanto, o maior parque em área da cidade.

Ele tem muitas atrações, incluindo o Zoológico de Curitiba. Possui um setor náutico, com raias de remo. Abriga também um setor de esportes com quadras esportivas, equipamentos de recreação e (veja só!) um estádio de beisebol.

O Parque também conta com churrasqueiras, quiosques, lanchonetes e a Casa do Acantonamento, onde as crianças recebem aulas de educação ambiental.

Assim como o Parque Passaúna, também fica um pouco mais afastado do centro da cidade, há até quem diga que ele não fica em Curitiba e sim em São José dos Pinhais (há controvérsias).

Por essa razão, pode ser difícil encaixá-lo em algum roteiro, mas se conseguir, definitivamente vale a visita, até mesmo pelo zoo (gratuito).

Mais parques em Curitiba?

No total, Curitiba tem 33 parques e/ou bosques, que representam algo em torno de 5% da área da cidade. Logo, há muito o que ver e fazer por aqui em relação à natureza e passeios ao ar livre.

Fizemos essa lista com base em preferências pessoais, claro. Se algum parque de Curitiba não apareceu aqui mas você considera essencial ou super interessante para os turistas, comenta aqui embaixo pra gente trocar uma ideia e quem sabe aumentar esse post.

Inclusive, qual é seu parque favorito em Curitiba?

Foto em destaque: Thiago Amaral

Avatar for Thiago Amaral
Thiago Amaral
Thiago é um professor de Inglês que, apesar dos seus (já) 30 e poucos, ainda vai ser jornalista. Não viaja tanto quanto gostaria, mas também um dia o fará. Por ora, se arrisca escrevendo sobre assuntos aleatórios e eventualmente viaja com sua esposa Marcela e filha Alice. E por isso foi convidado a escrever (eventualmente) neste blog: para dar dicas e contar sobre a experiência de viajar em família e com criança.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Itamar Japa disse:

Excelente seleção! Curitiba é agraciada com parques e eles são realmente lindos! Nós gostamos muito do Parque Tanguá e do Bosque do Alemão, que são os que mais visitamos!

Thiago Amaral disse:

Oi, Itamar! O Tanguá é meu favorito também, como coloquei no texto. É lindo demais! Também já fui várias vezes ao Alemão, sempre que algum familiar ou amigo vem nos visitar levamos lá.

Murilo Pagani disse:

Excelente essas dicas de parques em Curitiba!
Durante minha viagem consegui visitar alguns deles, mas muitos ficaram de fora do meu roteiro! Queria ter conhecido o Parque Passúna mas não deu tempo…

O parque da Unilivre vale super a pena. Foi um dos que eu mais gostei!

Abraço