Bate-e-volta em Tigre: o que fazer nos arredores de Buenos Aires

Quando fomos na Argentina em 2016, ficamos sete dias na capital do país. Foi tempo mais que suficiente para curtir a cidade e dar uma voltinha pelos seus arredores, a chamada Grande Buenos Aires. Nossa escolha para um bate-e-volta foi Tigre.

A cidade fica na região metropolitana de Baires, a 32Km a noroeste da capital argentina. É um daqueles destinos bucólicos e cheios de charme. Com 32000 habitantes, é uma ótima opção para fugir da euforia de Buenos Aires sem precisar ir muito longe.

O que fazer em Tigre, Argentina

A maior atração da região é o Delta do Rio Tigre. A região é formada por vários rios e pequenas ilhas, cercados por uma natureza linda e bonitas mansões. Muita gente visita a cidade apenas para fazer o passeio de barco pelo Delta do rio Tigre.

Tigre é um destino muito procurado pelos Buaneirenses nos finais de semana, que vão para as casas de campo aproveitar as belezas e tranquilidade da região.

Geograficamente, delta é a foz de um rio, que é formada por vários canais ou braços do rio, antes que este desague no mar, ou em outro rio. Deltas são comuns em rios de planície, devido à pequena inclinação, o que faz com que a pequena capacidade de descarga de água favoreça o acúmulo de areia e aluviões na foz.

Para nós, brasileiros, o Delta do Rio Tigre é mais conhecido como Delta do Rio Paraná. O Rio Paraná é o segundo maior rio da América do Sul e o quinto maior do mundo. Ele nasce em Minas Gerais e deságua em outro rio, o Rio de La Plata, na fronteira entre Argentina e Uruguai.

O que fazer em Tigre, Argentina
Foto: Fui Ser Viajante

Leia mais: O que fazer em Buenos Aires: roteiros de 3, 5 e 7 dias

Como chegar em Tigre, Argentina

Saindo de Buenos Aires, existem duas maneiras de chegar a Tigre: para a mais bonita (e um pouco mais cara) é preciso pegar um trem na estação Retiro e seguir viagem até a estação Mitre. A viagem dura cerca de meia hora e custa 20 pesos argentinos.

Na estacão Mitre, pegue o Trem de La Costa, um trem turístico que segue pelos subúrbios de Buenos Aires, acompanhando a costa.

As paisagens do caminho são lindas. Uma opção dessa rota é descer nas pequenas cidades do caminho, como San Isidro, fazer um pequeno tour de reconhecimento das cidades e voltar para o trem.

A segunda opção é sair da estação Retiro com um trem comum direto à Tigre (pegue o trem na plataforma 1 ou 2 da Estação Retiro). A viagem dura cerca de uma hora e o trem é bem confortável.

A opção é mais em conta: Com o Cartão Sube você paga 4 pesos argentinos pela passagem. Para pagamentos em dinheiro (sem o cartão), a passagem custa 12 pesos por trecho.

Escolhemos a segunda opção. A ideia inicial era ir pelo trem convencional e voltar pelo Tren de La Costa.

Porém, no final do passeio estávamos tão cansados que achamos que não íamos aproveitar bem. Voltamos no trem convencional mesmo. Minha dica: se quer experimentar o Tren de La Costa, vá com ele logo na ida, porque o dia vai ser cansativo.

Estação de Tigre, Argentina
Estação Retiro, Buenos Aires. Foto: Fui Ser Viajante

O que fazer em Tigre, Argentina

Passeio de barco e City tour em ônibus turístico

O passeio custou 220 pesos argentinos por pessoa. Tem gente que fala que consegue um desconto chorando um pouco no guichê, mas honestamente a gente não tentou.

Na compra do ingresso, ganhamos um cupom de crédito de 50 pesos para usar no Cassino Trillenium de Tigre, com validade de 7 dias.

Chegamos em Tigre por volta das 11:30h (saímos da estação Retiro às 10:34h). Rapidinho, corremos para comprar o passeio de barco com saída ao meio-dia.

A empresa Sturla ofereceu o transfer da estação de trem (ponto 0 do ônibus turístico) até a estação fluvial de Tigre (ponto 1), onde acontece o embarque para o passeio pelo rio.

Tivemos cerca de 1h de navegação, passando por 5 rios do Delta do Paraná: Rios Luján, Carapachay, Angostura, Espera e Sarmiento.

Durante o passeio, o guia explicou vários aspectos da geografia, da população ribeirinha e da economia dessa que é uma das regiões mais lindas da Argentina, com ilhas e casas construídas em palafitas por causa das cheias dos rios.

Vamos sendo apresentados aos atrativos às margens, como o Museu Sarmiento. Essa é uma casa histórica dentro de uma imponente caixa de vidro, que chama logo a atenção.

A caixa protege a casa, construída em 1860, das intempéries do tempo. Seu proprietário, o Presidente Domingo Faustino Sarmiento, foi um dos precursores do ensino na Argentina, criando escolas em todas as províncias e importando professores de diversos países. Hoje o local abriga um museu em homenagem ao seu trabalho.

Outros atrativos são os tradicionais clubes de remo da região, o Parque de La Costa e o Museo de Arte de Tigre. No preço da passagem estava incluído um café e um alfajor. O alfajor era daqueles mais tradicionais e estava bem gostoso. Já o café, não terminei de beber porque era bem meia boca.

O barco não era dos mais modernos, mas era confortável o suficiente. Tinha uma área coberta com poltronas acolchoadas e um deck aberto. A gente dividiu o tempo entre a área coberta e a área aberta, com bastante vento geladinho no rosto.

Vimos muitas casinhas coloridas às margens dos rios. Descobrimos com o guia que as residências dali são abastecidas por barcos-mercado, que passam diariamente pelo rio. Caso a pessoa precise das compras, basta colocar um saco preto no pier e o barco para por lá.

Chegamos de volta com fome, muita fome. O desembarque é de volta na Estação Fluvial, e de lá seguimos andando pela cidade até o Puerto del Frutos, mais uma das paradas obrigatórias na cidade.

Puerto de Frutos, Tigre, Argentina
Foto: Fui Ser Viajante

No Puerto de Frutos estão várias lojas de artesanato, roupas, decoração, além de mercadores de frutas e verduras que fazem seu comércio na cidade. Tudo fica ainda mais interessante porque o Puerto fica às margens do Rio Luján.

É um lugar agradável para passear pela cidade, além de ter alguns restaurantes para um almoço em Tigre. Comemos no Amarras Snack Bar, um restaurante com uma linda vista para o rio e com uma boa comida por um preço razoável.

Comemos sem pressa, aproveitando a vista e a boa comida argentina. Foi um almoço bem agradável e não muito caro.

O Cassino Trillenium de Tigre fica pertinho do Puerto de Frutos. Dá pra combinar um almoço seguido de uma jogatina.

Cassino de Tigre, Argentina
Foto: Fui Ser Viajante

Agora com menos fome, decidimos conhecer o restante da cidade. Usamos o sistema dos Bus Turístico – eles dão uma pulseirinha de acesso que garante as reentradas.

Os pontos de parada do ônibus são o Museu do Mate, o Museu Naval, o Museu de Arte de Tigre (que é lindo, por sinal), o Museu Reconquista, o Museu da Prefeitura, a Paróquia Imaculada e a Antiga Aduana.

Se for escolher apenas um lugar pra descer, escolha o Museu de Arte, com seus lindos jardins. Como segunda opção, o Museu Naval. Vale também um passeio pelo Paseo Victorica, um bonito calçadão às margens do Rio Luján.

Outra atração de Tigre é o Parque de La Costa, um pequeno parque de diversões na beira do rio.

Parque de la costa, Tigre
Parque de la Costa

Quando cansamos de passear sem rumo pela cidade, tomamos o caminho de volta a Buenos Aires na Estação de Trem.

Vale a pena fazer um bate e volta em Tigre, Argentina?

Tigre é aquele lugar pra aproveitar o dia, tomar um sorvete, um doce de leite… Esquecer um pouco da correria de Buenos Aires. A cidade é um charme, limpa, organizada e cheia de lugares fotogênicos.

Não tem muitas atrações badaladas, e por isso mesmo me encantou tanto. Você vai sem pressa de ser feliz. Aproveita as lindas paisagens do passeio de barco e anda pelas ruas sem nenhuma ambição, apenas aberto às surpresinhas que esse pacato lugarzinho pode te dar. Se recomendo a visita a Tigre? Muito!

Existe também a opção de realizar o passeio de barco em Tigre com a volta de barco direto a Buenos Aires, pelo Rio de La Plata. Fica um pouco mais caro, mas parece ser uma boa opção, especialmente para quem curte navegação.

Passeio de barco pelo Delta do Tigre – Empresa Sturla

Site: http://www.sturlaviajes.com.ar (consultar preços atualizados no site)
Horários de saída do passeio de barco: 10:30 / 12:00 / 13:30 / 16:00 
Para horários do ônibus turístico: http://www.busturisticotigre.com.ar/horarios-bus-turistico-tigre.php
Tarifa: $220 por pessoa 

Planeje sua viagem

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
José Luiz disse:

Em 05 de janeiro proximo faremos um cruzeiro com destino a Buenos Aires (4 adultos). Ficaremos na cidade por 2 dias, chegando às 9 horas de um dia e saindo às 17 do outro. considerando que já conhecemos um pouco de Buenos Aires (Caminito, La Boca, Cemiterio Ricoletta…), o que vocês podem nos oferecer como passeios nestes dois dias? Precisamos ter a garantia de estarmos no porto as 15 horas do segundo dia.
Obrigado

Rafael Cassemiro disse:

Olá José, no post Buenos Aires além do básico: roteiro de 5 ou 7 dias você encontra várias opções de passeios que podem ser realizados nos seus dias livres na cidade!
Grande Abraço e boa viagem!

Erica disse:

Olá. Foi neste blog que eu encontrei a melhor pesquisa sobre Tigre. Vcs estão de parabéns. Muito obrigada.

Rafael Cassemiro disse:

Oi Érica, ficamos felizes que o post te ajudou a organizar sua viagem! Obrigado pelo comentário e boas viagens.

Sarah disse:

Oii, adorei as dicas!! Estou começando a planejar meu roteiro para BsAs e quero mt incluir Tigre, mas vou viajar sozinha e estou em duvida se pego um pacote que já esteja tudo incluso, pagando um pouco mais. Ou vou por conta. Como funciona o ônibus? Vai parando nos pontos turísticos com um tempo para visitar?
Obrigada pelo conteúdo. Abraços

Klécia disse:

Oi Sarah! É muito tranquilo para ir mesmo sozinha! Tigre é uma cidade pequena e bem calma, você não vai ter problemas para circular por lá! O ônibus ao qual você se refere é o hop on hop off em Tigre? Ele para em todos os pontos da rota turística em Tigre, mas não espera. VOcê desembarca, visita e precisa esperar o próximo ônibus passar para seguir o passeio! Abraco e boa viagem!

Bárbara disse:

Oi Klécia e Rafael, tudo bem? Obrigada pelas valiosas dicas!
Me tira uma dúvida, por favor, esses valores no site da Sturla são em pesos, né?

Rafael Cassemiro disse:

Oi Bárbara, Os valores presentes no site da Sturla estão em Pesos Argentinos.
Obrigado pela visita e boa viagem.

Rebeca Chaves disse:

Me fez ficar ainda mais apaixonada e ansiosa pela viagem para Argentina!!! obrigada por dividir conosco suas experiências e alegrias!

Rafael Cassemiro disse:

Olá Rebeca, esperamos que sua viagem seja incrível e que te deixe muitas memórias e lembranças.
Obrigado pelo comentário e boa viagem

Engels disse:

Amigos, obrigado pelas dicas. Vou agora em outubro para BUA e vou visitar Tigres com certeza, depois de ler este post. Parabéns e obrigado pelas dicas.

Rafael Cassemiro disse:

Olá Engels, ficamos felizes que as nossas dicas ajudaram a montar sua viagem. Tigre vale a visita com certeza.
Obrigado pelo comentário e boa viagem.

Eros disse:

Estou fazendo meu roteiro para Buenos Aires e já estou incluindo esse aqui. Você fala da possibilidade de conhecer San Isidro pelo caminho antes de chegar a Tigre. Daí me surgiu a dúvida se Tigre merece um dia inteiro, chegando mais cedo para aproveitar melhor o tempo. O que você acha? Parabéns pelo conteúdo! Estou adorando os textos. =]

Klécia disse:

Oi, Eu gostei bastante da cidade, passei um dia por lá – entrei passeio de barco, almoço tranquilo e passeios no parque, museu, etc. por isso escolhi não visitar San isidro, acabei me encantando com Tigre. Mas depende muito de você, do que você curte. Se não estiver curtindo Tigre, sempre pode voltar de trem e parar em San Isidro 🙂

Eros disse:

Obrigado pela resposta. Vou seguir a recomendação de ir direto para Tigre e avaliar ficar o dia, já que meu roteiro tem folga para conhecer San Isidro outro dia. Como eu já fui a Buenos Aires antes, estava procurando um roteiro mais alternativo. Suas dicas são ótimas! Parabéns!

Post muito bom, lindas paisagens e fotos e ótimas dicas. Adorei!

Klécia disse:

Tigre é linda 🙂

Que giro ler este post 🙂 Voltei há pouco mais de 1 semana de Buenos Aires. Fiz este passeio de um dia a Tigre, com barco e tudo!!!

Klécia disse:

Que coincidencia! Aposto que gostou, né? É um ótimo passeio!

Simone Hara disse:

Noooosa ! esse post me fez viajar lá pros idos de “mil novecentos e minha vó de meia”… hahaha
Fiz esse passeio quase três décadas atrás e confesso que não lembro muita coisa dele… Lembro que fomos até o barco num ônibus da agência e achei o passeio bem agradável, mas a gente com certeza não desceu em lugar nenhum… só fizemos o passeio pelo delta de barco e de volta pro ônibus… agora lendo teu post sei bem que preciso voltar e refazer esse passeio com calma!
Adorei!

Klécia disse:

Será que mudou muita coisa? Tigre parece ser daquele jeitinho há anos!! Mas eu faría de novo o passeio com certeza, adorei demais!

Kata disse:

Olá!! Gostei mto de suas dicas! Só não entendi uma coisa: vc chegou em Tigre por trem, indo de Buenos Aires. Lá em Tigre vc pegou um barco? Pq existem barcos de buenos Aires para Tigre, né?

Klécia disse:

Oi Kata, sim fomos de trem. O que fizemos foi contratar um passeio de barco em Tigre, que dá uma volta pelo delta do rio por algumas horas. Infelizmente não conheço nenhuma empresa que vá de barco de BsAs a Tigre direto para te indicar. Boas viagens!

Ótimas dicas!!! Post bem completo. Ainda não conheço Buenos Aires, mas quando for quero fazer esse passeio.

Klécia disse:

Espero que seja em breve, Viviane!

Adorei as dicas. Parece ser bem interessante conhecer Tigre. Quem sabe na próxima visita a gente dá uma esticadinha.

Klécia disse:

É super fácil de chegar e conhecer! Vale a pena, Eloah!

Olá pessoal, estivemos 3 vezes em Buenos Aires, e sempre adiando o passeio do Rio Tigre. Vocês nos deram um baita estímulo para finalmente fazer o tour. Parabéns pelo post!

Klécia disse:

Tomara que dê pra encaixar na próxima, Francisco!!!

Fui para Buenos Aires em 2013 e não tive tempo de conhecer Tigre. Está na lista para uma próxima visita à capital Argentina.

Klécia disse:

Queria voltar sempre em BsAs. Espero que você consiga voltar em breve, Diego!

Débora disse:

Quando estive em BA também dei um pulo nos arredores, só que eu fui até Lujan porque me disseram que é Tigre não tinha nada pra ver. Agora lendo seu post me sinto totalmente arrependida. Ah! Se arrependimento matasse.. 🙁

Klécia disse:

Ah, tem sim! Na próxima, vai em Tigre também! Vale muito o passeio!

Itamar Japa disse:

Este passeio parece ser muito legal mesmo. Nas vezes em que estive em Buenos Aires, não consegui fazer, mas ainda gostaria de ter a chance de conhecer esta região.

Klécia disse:

É uma região linda, Itamar! Tomara que você passe por lá um dia!

Maria disse:

Oi Klécia é Rafael. Irei em maio para B. Aires e pretendo ir até Colônia Del Sacramento, assim como penso em ir a Cordoba, mas agora, vendo o seu post, fiquei com vontade de ir nessa cidade também. Sei que vcs não mencionaram Cordoba, mas vcs sabem se é muito cansativo e CARO ir para lá e voltar a Buenos Aires ?

Rafael Cassemiro disse:

Oi Maria, Nós nunca fomos em Cordoba, mas para você ter uma idéia, a cidade fica à 700km de distância de Buenos Aires, sendo possível chegar lá de avião (cerca de 1hora de voo), Carro (cerca de 7 horas de viagem), Onibus (entre 9 e 13 horas de Viagem dependendo da empresa) ou trem (cerca de 19 horas de viagem).
A não ser que você faça de avião (que é o meio mais caro), acredito que seja bem cansativo para ir até Cordoba.
Obrigado pela visita e boa viagem!

Thais disse:

Ola.
Que excelente opção de passeio. Estive em Buenos Aires e nao deu tempo de fazer.
Adorei o post.
Abraços
Thais

Klécia disse:

É um passeio ótimo, Thais! Tomara que você consiga fazer um dia 🙂