Novas regras para visitar Machu Picchu: o que está valendo em 2018

Se você está viajando para o Peru pela primeira vez, provavelmente o Parque Arqueológico de Machu Picchu está no seu roteiro.

Entre as muitas variáveis que entram na conta na hora de planejar essa viagem, aposto que a pergunta “Como comprar os ingressos para Machu Picchu” passou pela sua mente.

Se foi por isso que você veio parar aqui, temos boas notícias! Esse post tem notícias fresquinhas sobre como está funcionando na prática a venda de ingressos e a entrada em Machu Picchu. Tudo de acordo com a última mudança nas regras de acesso ao parque.

Regras para visitar Machu Picchu: o que está no papel

A última alteração nas regras para visitar Machu Picchu aconteceu em julho de 2017. Todo mundo ficou muito assustado, especialmente quem tinha viagem marcada para o Peru, como eu!

As regras estão sendo alteradas com certa frequência nos últimos anos, sempre com a intenção de preservar esse sítio histórico que é um verdadeiro tesouro da humanidade.

Por outro lado, as regras para acesso a Machu Picchu ficam cada vez mais restritivas para os visitantes. Pra você ter uma ideia, as regras lançadas em 2017 (e que estão valendo para 2018) determinam:

  • Ingressos em dois turnos

Desde julho de 2017, os ingressos para Machu Picchu foram divididos em dois grupos, separados pelo horário de acesso ao sítio arqueológico.

Os ingressos da manhã (Machu Picchu) permitem acesso das 6h às 12h. Os ingressos da tarde (Machu Picchu segundo turno) dão acesso aos visitantes das 12h às 17:30h. 

Também há lotação máxima: por dia são disponibilizados 2.500 ingressos gerais de acesso ao parque arqueológico. Não são mais vendidos ingressos para ‘o dia todo’ dentro do sítio arqueológico.

  • Ingressos para as montanhas Waynapicchu e Machu Picchu

Dentro do parque arqueológico de Machu Picchu existem duas montanhas. Existe um componente mágico ao percorrer a antiga trilha inca até o topo das montanhas sagradas e a vista da cidadela lá de cima é incrível.

Para subir essas montanhas, é preciso pagar um ingresso extra. A trilha para Waynapicchu é chamada de rota alternativa 1 e para a Montanha Machu Picchu temos a rota alternativa 2.

Os ingressos para as montanhas têm horário marcado. O primeiro grupo para Waynapicchu deve passar na portaria da montanha (que fica dentro do parque arqueológico) entre 7h-8h da manhã.

O segundo grupo deve passar nessa mesma portaria entre 10h-11h.

Já para quem vai visitar a Montanha Machu Picchu, a passagem pela portaria de acesso deve ser realizada entre 7h-8h. O segundo grupo deve passar entre 9h-10h. Essa portaria também fica no interior do parque arqueológico.

Com isso, só quem comprou ingressos para o turno da manhã pode acessar as trilhas para as montanhas.

Além disso, os horários de passagem na portaria de acesso a cada trilha devem ser respeitados ou você não pode nem começar a trilha. Para cada uma das duas montanhas são vendidos 400 ingressos por dia (200 para cada grupo).

O percurso pelas trilhas Intipunku, ou Porta do Sol (rota alternativa 3) e a Ponte Inca (rota alternativa 4) continuam gratuitas e não necessitam de horário marcado.

  • Obrigatoriedade de entrada com guia

Segundo a nova regra, nenhum visitante pode entrar no Parque Arqueológico de Machu Picchu sem o acompanhamento de um guia. O guia pode ser privado ou podem ser formados grupos de até 16 visitantes.

O guia pode chegar com você (trazido de Cusco ou uma agência de escolha) ou ser contratado na portaria de entrada, antes das catracas de acesso à cidadela. De acordo com a nova regra, os visitantes não podem se afastar do guia ou trocar de grupo.

Os guias também receberam restrições quanto aos locais de parada dos grupos. Elas só podem ser realizadas em áreas amplas, que não prejudiquem o fluxo dos outros visitantes.

A lei indica que áreas proibidas de acesso ou parada serão indicadas no parque arqueológico. Nada de parar nas ruas apertadas para explicar qualquer coisa.

  • Circuitos de visita

Com a obrigatoriedade de acompanhar um guia nas visitas, ficaram também determinados 3 circuitos de visitação. O Circuito de visita A inclui a visita até a parte alta e baixa da cidadela de Machu Picchu e dura 3 horas.

O Circuito de visita B inclui Machu Picchu + subida até Waynapicchu. O Circuito de visita C combina a cidadela de Machu Picchu com a Montanha Machu Picchu.

  • Proibições: mochila, pau de selfie – e mais!

Não é permitido entrar com mochilas de grande volume, tripé, pau de selfie, alimentos, instrumento musical, bandeiras e muitos outros itens no Parque Arqueológico de Machu Picchu.

Também é proibido ‘pular’ dentro da área arqueológica. Isso mesmo. Nada de fotos com pulinhos em frente à cidadela.

  • Proibição de reingresso

A maior de todas as tristezas da nova regra. Segundo essa regra, nenhum visitante pode entrar de novo na cidadela, “salvo por razões de força maior ou caso fortuito”.

Basicamente, você deve seguir o seu guia pelo circuito escolhido e sair quando terminar o percurso.

Por que isso é tão ruim? Bem, não há banheiros dentro da cidadela. Nem comida. Nem vendedores. Nem nenhuma estrutura de apoio.

Confira aqui a íntegra do documento com as novas regras de visita a Machu Picchu (documento em espanhol).

O que realmente está valendo: nossa experiência em setembro de 2017

Nós visitamos Machu Picchu em setembro de 2017, pouco depois da implementação dessas regras. Claro que a adrenalina era total, afinal ninguém sabia ao certo o que estava valendo, e em que medida essas regras (tão rígidas) estavam sendo cumpridas.

Vamos ver passo-a-passo nossa experiência visitando Machu Picchu de acordo com as novas regras:

1. Compra de ingressos para Machu Picchu

Compramos os ingressos online, com antecedência pelo site (http://www.machupicchu.gob.pe).

A compra foi tranquila e fizemos cerca de 2 meses antes da viagem, para garantir que não íamos ficar sem ingresso.

Como a gente ficou com medo de como ia funcionar o acesso e o tempo para as trilhas das montanhas, optamos por não comprar ingressos extras para as trilhas da Montanha Machu Picchu e Waynapicchu.

Decidimos fazer apenas as trilhas gratuitas, que não tinham horário marcado. Mesmo com essa economia, gastamos uma nota com os ingressos para Machu Picchu. Cada ingresso custou 158,13 soles por pessoa! E só dá pra pagar com cartão Visa.

Os ingressos são nominais. Você preenche o nome do visitante e no dia da visita precisa apresentar documento de identificação na portaria. Eles conferem o nome do ingresso e do documento para permitir a entrada no parque arqueológico de Machu Picchu.

Quem vai comprar ingresso para as montanhas, também realiza a compra por esse mesmo site (http://www.machupicchu.gob.pe).

Não esqueça que o Seguro Viagem é item essencial em qualquer viagem internacional.

> Faça uma cotação com a Real Seguros e aproveite o super desconto de até 16% no seguro viagem (11% OFF pelo link + 5% de desconto para pagamento em boleto).

2. Horário de entrada geral, guia e reentrada no parque

Chegamos no sítio arqueológico de Machu Picchu perto das 6:30h da manhã, por causa da enorme fila para embarque nos ônibus para Machu Picchu.

Chegando lá, desvendamos os mistérios quanto aos bilhetes, guias e reentradas. Primeiro, quando compramos o bilhete para a manhã (6h – 12h), isso quer dizer que podemos entrar em qualquer horário entre 6h e 12h. Nenhum minuto depois disso.

O mesmo acontece com os bilhetes para a tarde 12h-17:30h. No entanto, a gente ouviu relatos de gente com bilhetes para a tarde e conseguiu entrar às 11h. Acho que depende de quem está no portão de acesso.

O que vimos em setembro de 2017 foi que a exigência de entrada obrigatória com guia não estava valendo! Há vários guias na porta, mas nós mesmos entramos no parque sem a companhia de nenhum guia na nossa segunda entrada no parque.

Isso mesmo, segunda entrada!

A reentrada não está proibida – pelo menos por enquanto. Na própria portaria havia vários bilhetes informando que é permitida apenas uma (1) reentrada, desde que ela seja feita dentro do horário de validade do bilhete.

Nós aproveitamos para ir no banheiro, carimbar nosso passaporte com o carimbo especial de Machu Picchu, e voltar para a cidadela! Sim, isso ainda é possível!

3. Visita guiada – e sem guia – em Machu Picchu

Nós contratamos um guia para a primeira entrada (fizemos uma visita em grupo, que inclusive tinha bem mais que as 16 pessoas da regra).

Pagamos 30 soles por pessoa para o guia. Contar com explicações pelos caminhos da cidadela foi muito bom para aprender mais sobre Machu Picchu e sua história. Ele nos levou por todas as partes da cidadela e a visita durou cerca de 2 horas.

O próprio guia nos informou que podíamos reentrar na cidadela (apenas uma vez), conforme tínhamos lido nos avisos da portaria.

Quando terminamos a visita guiada, saímos da área do parque para ir no banheiro (pago, 2 soles) e reentramos no parque, agora sozinhos – sem nenhum guia!

Em cada entrada no parque, eles carimbam nosso bilhete. Na segunda entrada, quando ganhamos o segundo carimbo no bilhete, eles avisaram que essa é a segunda – e última – entrada.

Na segunda visita decidimos fazer a trilha gratuita Intipunku, até a porta do sol. Fizemos todo o percurso sozinhos e ninguém nunca nos parou ou perguntou onde estava nosso guia!

4. Horário de saída do Parque Arqueológico de Machu Picchu

Compramos o ingresso da manhã, e ninguém expulsou a gente ao meio-dia. Na verdade, pelo tamanho do parque, essa regra é praticamente impossível de ser colocada em prática.

É possível sim, limitar que o turno da tarde entre na parte da manhã, mas é só isso. Quem está de manhã, se aguentar a fome e não tiver vontade de ir no banheiro, pode ficar até depois de meio-dia no sítio arqueológico.

O que não pode: entrar no sítio arqueológico fora do horário do bilhete. Reentrar no sítio arqueológico fora do horário do bilhete. O que eu não sei: como funciona o esvaziamento do parque no final da tarde, na hora do fechamento.

Não fiquei por lá nesse horário e não conheço ninguém que tenha ficado até o final do horário depois das novas regras.

5. Subida às montanhas

Apesar da gente ter escolhido não fazer a subida às montanhas, nós encontramos com alguns brasileiros que fizeram as trilhas. O que é importante aqui: você tem que começar a trilha no horário marcado.

Se você comprou Waynapicchu 7h-8h, por exemplo, você pre-ci-sa passar o portão de acesso da trilha nesse horário. Atenção: não estou falando do portão de acesso geral ao parque arqueológico!

Estou falando do portão de acesso para a trilha, que fica dentro da área do parque. Se você não apresentar seu bilhete dentro do horário determinado, aí sim você perde o dinheiro e o passeio.

Nesse caso do horário de subida para as montanhas, não estão sendo feitas concessões!

6. Proibições

Os seguranças revistam nossas bolsas na entrada. Pau de selfie está realmente proibido. Mochilas, nem tanto. Vimos várias pessoas com mochilas dentro da área da cidadela.

As áreas de circulação estão demarcadas e sempre que você faz algo ilegal (como pular para uma foto, ou entrar em área proibida) aparece um guarda com um apito que chama atenção de todo mundo.

Regras x realidade da visita a Machu Picchu

Basicamente, essas são as grandes diferenças entre o que está nas regras de visitação para Machu Picchu em 2018 e a nossa experiência real no parque.

Muita coisa do que está nas regras mais recentes ainda não está sendo cumprido – e talvez nunca venha a ser, como o caso do horário de saída, circuitos determinados de visita e proibição de reentrada.

Dá pra aproveitar muito bem a visita em um turno, sem pressa. Não vai dar pra ver tudo, claro. Mas vai dar pra combinar a visita guiada na cidadela com uma (ou até duas) trilhas em Machu Picchu. Tudo depende do que você escolher visitar na cidadela.

* Nossas dicas te ajudaram? Que tal reservar seu hotel aqui pelo site?

Somos parceiros do Booking.com! Este post contém links afiliados dos hotéis que nos hospedamos em Cusco (Pirwa Posada del Corregidor) e Águas Calientes (Hostal La Payacha). Reservando por esses links, você não paga nada a mais e nós recebemos uma pequena comissão do Booking.com. Isso ajuda a financiar as despesas do blog! Se quiser dar uma olhada em outros hotéis nas cidades que nos hospedamos pelo Peru, pesquise e reserve por esses links: Lima | Cusco | Ollantaytambo | Águas Calientes/Machu Picchu Pueblo. A gente agradece demais a você 🙂

Quer saber mais sobre nosso mochilão pela América do Sul?

Veja aqui todos os posts do Fui Ser Viajante no Peru!

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Ronaldo disse:

Ola, boa noite! tenho a intenção de visita Machu Picchu em maio de 2020. Gostaria de vistar as montanhas Machu Picchu e waynapicchu. como funcionaria nesse caso: da pra fazer em um só dia, ou teria que dividir em dois dias, e nesse caso teria que pagar ingresso novamente? me dê uma luz por favor. Obrigado!

Rafael Cassemiro disse:

Oi Ronaldo, Para conseguir fazer as 2 montanhas no mesmo dia, é preciso conseguir comprar a subida para montanha Machupicchu pro primeiro horário da montanha (entrada na portaria da montanha entre 7 as 8am) e o ingresso para a montanha Waynapicchu pro último horário (entrada na portaria da montanha entre 10 e 11am), de qualquer forma é bem desgastante, eu recomendaria fazer em 2 dias, comprando a subida pra montanha MachuPicchu em um dia e a Waynapicchu para o outro. Pois em caso de algum problema, você não consiga chegar na portaria dentro da janela de horário, não poderá entrar para a montanha!
Sobre o ingresso, cada montanha tem 1 ingresso específico com faixa de horário para acessar a portaria do parque e também a montanha, de qualquer forma seria necessário comprar 2 ingressos!
Grande Abraço e Boa viagem!

Alexsandra disse:

olá, você pegaram o trem para retornar a Cusco de que horas? Estou na dúvida de comprar o trem de volta a cusco das 15:20 e ficar muito corrido.. A outra opção trem é só as 19:00 horas. Poderiam me ajudar?

Rafael Cassemiro disse:

Oi Alexsandra, nós pegamos o trem das 13:37 para Ollantaytambo, e realmente foi um pouco corrido. Chegamos no parque bem cedo, e então pegamos o ônibus para descer por volta de meio dia. O trem das 15:20 é uma boa opção, desde que vc entre bem cedo no parque.
Obrigado pelo comentário e boa viagem.

Luzia disse:

Por favor, peço o contato do guia para Machu Picchu que você pagou 30 soles por pessoa.

Rafael Cassemiro disse:

Oi Luzia,
Infelizmente não temos o contato, fechamos com o Guia na entrada do parque. Na fila para passar na catraca, você verá vários deles identificados com crachá e abordando as pessoas oferecendo os serviços, eles montam grupos não muito grandes, e é normal eles redistribuirem as pessoas entre eles, para fechar um grupo só em espanhol, outro só em inglês, francês ou outro idioma, sempre negocie o valor pedido por eles.
Obrigado pela visita e boa viagem.

ana disse:

VOCÊS CONSEGUIRAM GUIA EM PORTUGUES?

Klécia disse:

Oi Ana, tudo bem? Não. Somente guias em inglês e/ou espanhol.