Conhecendo o interior da Basílica de São Pedro, no Vaticano

Visita a Basílica de São Pedro, Vaticano | Tradição é tradição. Dizem que quem vai a Roma tem que ver o papa. Mas com apenas três dias na cidade, eu tive que fazer uma escolha difícil.

Como o Vaticano fica inacreditavelmente lotado nos dias que o papa faz suas aparições (geralmente aos domingos e quartas), eu decidi visitar o pequeno país num sábado, para tentar fugir das multidões e aproveitar o máximo do Vaticano em um dia.

Leia mais: Roteiro de 1 dia no Vaticano

Pelo meu roteiro, a visita à Basílica de São Pedro foi a última atividade de um dia que teve os enormes Museus do Vaticano, a Capela Sistina e a subida à Cúpula da Basílica de São Pedro.

Como funciona a visita à Basílica de São Pedro

A visita à Basílica de São Pedro é gratuita. Mas para chegar no interior da Basílica, é preciso ter paciência para a fila do detector de metais.

Eu levei, num sábado de abril, aproximadamente 2 horas na fila – com muito sol e calor.

Abril já é o comecinho da alta estação em Roma, e junto com o verão, chegam as filas cada vez maiores.

Pra piorar, o dia trazia a obrigação das roupas cobrindo joelhos e ombros, para não ser barrada na visita à Basílica de São Pedro – shorts também não são permitidos.

Mas definitivamente, eu não ia voltar pra casa sem ter visitado o interior da Basílica.

Pelo valor religioso, histórico, artístico, motivos não me faltavam. Passei as duas horas dando uma boa olhada na Praça de São Pedro e imaginando suas histórias.

Quando enfim passei do detector de metais, aproveitei para subir logo na Cúpula, pra começar a visita do alto.

Descendo da Cúpula, a escadaria já me deixou no interior da enorme Basílica. O encantamento é instantâneo. É impossível não ficar impressionado.

Tudo lá dentro é muito grande, é muito rico. Pelos primeiros minutos, eu fiquei meio perdida, me sentindo uma das coisas mais pequenas do universo perante aquele mundo de coisas tão grandes.

Fiquei perdida, sem saber para onde ir ou o que ver primeiro.

Cúpula da Basílica de São Pedro

Quando me recompus, fui até a porta da Basílica e comecei a minha visita pela lateral direita até o altar, vendo todas as obras, altares, sepulcros, tudo. Depois fiz o mesmo com o outro lado, até completar o ‘circuito da Basílica’.

Foi preciso me impor uma ordem ou definitivamente eu nunca terminaria a visita, que durou pelo menos umas 2 horas.

História da Basílica de São Pedro

‘Tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha igreja’. A famosa frase bíblica foi levada da forma mais literal possível pelos católicos.

Contam que o corpo de São Pedro, condenada à morte de cruz no ano 64d.C. foi sepultado num túmulo simples, na colina Vaticano, nos arredores de Roma.

Os anos se passaram e o local onde supostamente seria o túmulo de Pedro foi transformado num santuário. Cerca de 300 anos depois de sua morte, nasceu naquele lugar a Basílica de São Pedro, construída por ordem do Imperador Constantino.

Mas não é essa igreja que vemos hoje. A original foi destruída, reformada, reconstruída. Na construção do edifício atual, participaram nomes como Rafael Sanzio, Bernini e Michelangelo.

Cerca de 150 anos foram necessários para conclusão das obras, com os séculos seguintes ainda vendo um ajuste aqui e ali.

Visita à Basílica de São Pedro

Na década de 1950, com escavações na estrutura original, foram encontradas as fundações na necrópole, com túmulos e fragmentos de ossos que indicavam a localização do túmulo de Pedro bem abaixo do altar da Basílica.

Disso veio a tradição de sepultar papas nos subterrâneos da Basílica de São Pedro.

Curiosidades sobre a Basílica

A Basílica de São Pedro é um dos locais mais visitados do cristianismo, sendo capaz de comportar até 60 mil devotos na sua área de 23 mil metros quadrados.

Os números também não param de impressionar na Basílica, com seus 218 metros de comprimento, com somente a cúpula medindo 42m de diâmetro. Mais 46 altares, 233 janelas e incontáveis estátuas e ornamentos.

A Basílica de São Pedro, oficialmente, não é uma catedral – que são as igrejas assistidas por um bispo. A casa oficial dos papas, bispos de Roma, é a Basílica de São João de Latrão, no bairro de Laterano.

Muita gente confunde, porque afinal a Basílica de São Pedro é muito usada nas missas papais.

Visita a Basílica de São Pedro: o que ver por lá

Se você for como eu, apaixonado por arte e visita a templos religiosos, vai se encantar com a visita à Basílica de São Pedro. Tem muita, muita coisa para visitar.

Vou fazer uma pequena listinha do que você não pode perder no interior da Basílica:

A Pietà

Visita à Basílica de São Pedro

Logo na entrada, na primeira capela do corredor à direita do altar central, está uma das obras mais importantes de Michelangelo.

A Pietà, ou A Piedade, em português, é a famosa estátua da Virgem Maria carregando o corpo de Jesus.

A estátua foi esculpida no século XV, e hoje está protegida por um vidro que não deixa ninguém chegar muito perto. Em 1972, um homem atacou a obra com um martelo e danificou a Virgem Maria.

A única coisa boa do acidente foi que, com o restauro, foi revelado um monograma de Michelangelo na mão de Maria: um M desenhado nas linhas da mão, que ficou escondido por quase 5 séculos!

A imagem de Pedro com os pés gastos

Visita à Basílica de São Pedro

Todos os dias, milhares de fiéis entram na igreja mais famosa para os cristãos, e beijam os pés da estátua de São Pedro, logo na entrada da Basílica.

O pé direito da estátua está até gasto, dizem que por culpa de tantos beijos e preces. O que pouca gente sabe é que existe uma lenda em Roma, que diz que a antiga imagem de bronze é muito mais antiga do que se diz pelos corredores do Vaticano.

Que, na verdade, a estátua foi retirada do Panteão, na época em que a igreja resolveu destruir e converter todos os antigos ‘templos pagãos.

Se tudo isso estiver certo, na verdade o que se pensa ser Pedro é, na verdade, Júpiter, o deus romano. Já imaginou que confusão?

O baldaquino

Visita à Basílica de São Pedro
Visita à Basílica de São Pedro

Meu favorito! Tirei mil fotos do lindo Baldaquino de bronze de 30 metros de altura, que domina o altar papal e fica exatamente abaixo da cúpula da Basílica.

Mais um motivo para amar Bernini, que construiu essa obra linda. Os ornamentos tem relação com a família Barberini, do papa Urbano VIII, que ordenou sua construção.

Dizem que, para concluí-lo, o artista teve que usar todo o bronze das antigas portas do Panteão. Mais uma vez, pelos séculos de Roma, nada se perde, tudo se transforma.

A Cúpula

Visita à Basílica de São Pedro

A gente falou bastante da Cúpula da Basílica de São Pedro no post O Vaticano do alto: subindo na Cúpula da Basílica de São Pedro. Aqui, só vou garantir a você que a vista de dentro é quase tão magnífica quanto a lá de cima! 

A Cátedra

Visita à Basílica de São Pedro

Mais uma obra de Bernini. A cátedra de São Pedro, no fundo da Basílica, é uma enorme estrutura de bronze, de estilo barroco.

Os anjos se perdem nas nuvens e raios dourados, e sustentam o lindo vitral de tons amarelos e brancos, onde está a pomba que representa o Espírito Santo.

Não tirei nenhuma foto lá, mas dá pra ver um pedacinho dela lá atrás do Baldaquino, bem no centro dessa foto!

As capelas, os túmulos e as estátuas

Aqui é impossível listar todas as maravilhas que você vai ver. Ande com atenção em cada lado da Basílica, preste atenção em cada obra, nos tetos, nas capelas laterais. Não tem como não se impressionar!

Visita à Basílica de São Pedro

No lado esquerdo, visite os túmulos / obras de arte dos papa Pio VII , Inocêncio VIII. E o mais visitado de todos, e também o mais simples deles: o do papa João Paulo II.

No lado direito, fica o majestoso sepulcro do papa Clemente XIII, mais uma obra de arte.

Grutas do Vaticano / necrópole

As grutas do Vaticano correspondem ao espaço entre a velha basílica e a atual. Por ali, estão sepultados vários papas, mártires e devotos católicos.

Inicialmente, foi ali que João Paulo II foi sepultado, até ser removido para a nave esquerda da basílica. Nessa área ficam os túmulos mais recentes, descendo pela escada próxima ao altar.

A necrópole antiga, onde está o túmulo de Pedro, não é acessível por esse caminho.

É preciso agendar, com muita antecedência, uma visita especial para essa área, que a gente não conseguiu fazer. A visita à Necrópole do Vaticano ficou para uma outra vez.

Evitando as filas na visita à Basílica de São Pedro

Visita à Basílica de São Pedro

Existem duas formas de evitar as filas para entrar na Basílica do Vaticano. A primeira é através do tour guiado pelos Museus do Vaticano.

Na saída da Capela Sistina, há uma porta que comunica diretamente com a Basílica. Com isso, você não precisa sair dos museus e enfrentar nova fila para fazer a visita à Basílica de São Pedro.

O acesso é restrito aos grupos guiados. A segunda forma é comprando um ingresso VIP ‘fura-fila’ com a Tiqets, uma empresa multinacional que trabalha com vendas de atrações em todo o mundo.

Confira as condições e preços dos ingressos sem fila para a Basílica

Visita à Basílica de São Pedro

Endereço: Piazza San Pietro, Vaticano.
Horários das visitas: diariamente, das 7h e 18:30h. Horários das missas: segunda a sábado, às 9h, 10h, 11h,  12h e 17h. Nos domingos e dias santos, às 9h, 10:30h, 11:30h, 12:15h, 13h, 16h, 17:30h.
Atenção: Para entrar na Basílica, é necessário estar com os ombros e joelhos cobertos.

Avatar for Klécia
Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Juliana Moreti disse:

To pasma! Você pegou uma super fila, mas a basìlica està vazia! A primeira vez que entrei, a nave central estava fechada e podìamos apenas circular pela lateral (quase que em fila indiana). A segunda vez estava liberado, mas estava tao lotado, que dava agonia (mas curiosamente, peguei pouca fila nas 2x).

Teu post està òtimo! Eu nao me lembro de ter visto o “San Pietro preto” (rsrsrs), a Pietà era impossìvel de se ver. Mas eu me deliciei com o Baldacchino….. O que é aquilo!!!!??? Como nao amar Bernini????

Klécia disse:

Como ela é tao imensa, acho que o pessoal espalhou bem, e deu pra aproveitar muito lá dentro <3 E como não amar Bernini? 😀

Eu particularmente sou fã desse tipo de arquitetura! Acho incrível a engenharia utilizada com recursos tão artesanais. Belo relato

Klécia disse:

A Basílica é pra lá de linda! <3

cwrgutierrez disse:

As pinturas e esculturas que tem na Basília de São Pedro é algo impressionante, deixa a gente de boca aberta, de tão lindo.

Klécia disse:

É mesmo lindo demais! Uma das coisas mais inesquecíveis da minha viagem por lá!

Aline Dota disse:

Uau, 2 horas na fila!! Mas acho que vale a pena, pelas fotos parece lindíssima por dentro!!

Klécia disse:

Valeu cada segundo, Aline! É incrível por dentro <3

rui batista disse:

Verdadeira obra de arte… Sumptuosa e bela, embora contrária à humildade que a igreja deveria ter no mundo católico. ainda assim, de visita obrigatória quem vai a Roma/Vaticano.

Klécia disse:

As contradições e contrastes de Roma, Rui… Mas é mesmo visita obrigatória! E já que vamos, aproveitemos as belezas por lá! 🙂