Delta do Parnaíba, Piauí: passeio de barco e revoada dos Guarás

Antes de começar a ler sobre a Rota das Emoções no Nordeste, eu sabia muito pouco sobre o Piauí. Já tinha ouvido falar do cartão-postal do estado, o Delta do Parnaíba, mas não sabia muito bem como seria a viagem e o que eu ia encontrar por lá.

E o melhor de viajar é justamente isso, né? A gente se joga no desconhecido e tem oportunidade de ser surpreendido por destinos de uma forma que a gente nem imaginava.

Eu voltei pra casa completamente apaixonada pelas paisagens naturais quase intocadas do Piauí. E também pela simpatia do piauiense, pela gastronomia e pelo enorme potencial turístico do estado.

O Piauí é um tesouro que o brasileiro ainda não descobriu. E precisamos mudar isso!

Passeio de barco no Delta do Rio Parnaíba - PI
Foto: Rafa Cassemiro

E para abrir a série de posts sobre o Piauí aqui no blog, eu decidi falar sobre a paisagem natural mais maravilhosa que encontrei no estado: a natureza perfeita do Delta do Parnaíba, no Piauí, é coisa de outro mundo!

Talvez você pense que estou exagerando. Mas juro que não estou. Já vi muitos lugares lindos no Brasil e mundo afora, mas se você ama natureza, vai entender que esse pedacinho de paraíso no Piauí é mesmo pra lá de especial.

Nesse post, vou relatar o passeio de barco que fizemos pelo Rio Parnaíba, durante a Rota das Emoções. É o passeio carro-chefe da região, que vai te dar uma visão geral sobre o que fazer no Delta do Parnaíba – e assim despertar seu interesse para os outros passeios disponíveis na região.

Vamos nessa?

Mas primeiro: o que é o Delta do Parnaíba?

Para entender um delta de rio, precisamos falar um pouquinho de geografia. Lembra do que é a foz de um rio, o lugar onde o curso de água encontra o mar?

Delta é um tipo de foz de rio, que acontece geralmente em rios de planície. Como há pouca inclinação, as águas do rio descem com pouca força pelo terreno, o que favorece o acúmulo de areia e formações de bolsões / ilhas.

A água acaba procurando novas passagens, por entre essas ilhas e bolsões de areia – e o resultado é que o rio desemboca no mar não em um lugar só, mas por meio de diversos braços que vão abrindo caminhos.

O Rio Parnaíba percorre 1450 km pelo Brasil, até chegar ali na fronteira entre Maranhão e Piauí, onde se desdobra em 5 braços de rio para encontrar o Oceano Atlântico, como se fossem os dedos de uma mão.

São eles: Barra de Tutoia, Barra do Caju, Barra do Igaraçu, Barra das Canárias e Barra da Melancieira.

Na parte que pertence ao Maranhão (70%), o delta ficou conhecido como Delta das Américas, e na parte do Piauí (30%), como Delta do Parnaíba. Apesar dos nomes distintos, estamos falando do mesmo delta, do mesmo rio.

Apesar da maior parte do Delta pertencer ao estado do Maranhão, os principais acessos de barco ficam no estado do Piauí. Por isso a região ficou mais conhecida como Delta do Parnaíba.

O que faz do Delta do Rio Parnaíba tão especial é que esse é o único delta em mar aberto das Américas e o terceiro maior do mundo – atrás apenas do Delta do Rio Nilo, na África, e do rio Me Kong, no Vietnã.

No Delta do Parnaíba, já foram catalogadas mais de 70 ilhas e uma diversidade impressionante de fauna e flora. As condições de salinidade na água do Delta do Parnaíba são únicas no mundo – o que gera uma riqueza de ecossistemas diferentes na região, como mangues, lagoas, dunas e uma mata nativa muito preservada.

Passeio de barco no Delta do Rio Parnaíba - PI

O mais legal de visitar o Delta do Parnaíba é a oportunidade de conhecer um Brasil de natureza exuberante, e quase intocado. Cenários paradisíacos e inesquecíveis, que você não vai encontrar em outro lugar do país nem no mundo.

Deu pra ver que fiquei mesmo apaixonada pelo Piauí e o Delta do Rio Parnaíba, né? Então agora vou te mostrar como foi o passeio por lá!

Passeio de barco pelo Delta do Rio Parnaíba: como foi a experiência

Nosso ponto de partida foi o Porto dos Tatus, na pequena cidade de Ilha Grande, que fica a 9 km de Parnaíba.

Parnaíba é a segunda maior cidade do Piauí, e por conta da sua proximidade e estrutura, ficou conhecida como a Capital do Delta. Por isso, foi a cidade que escolhemos como base de hospedagem. No final do post, vou falar mais sobre nosso hotel e outras opções de hospedagem em Parnaíba.

Chegamos na cidade por volta da hora do almoço, por isso fomos comer alguma coisa antes de começar o passeio.

Almoço em Ilha Grande: Restaurante Barlavento

O restaurante Barlavento fica na rua de trás do Porto dos Tatus (menos de 5 minutos de caminhada), e lá provamos alguns dos sabores mais típicos do Piauí:

– cajuína bem gelada, acompanhada de uma corda de caranguejos (R$20, com quatro caranguejos médios, farofa e molhos de acompanhamento).

Caranguejos do Restaurante Barlavento, Ilha Grande - PI

Estava tudo muito saboroso, e confesso que fiquei assustada com o preço, que achei bem barato para uma comida super bem servida.

Depois do almoço, voltamos para o Porto dos Tatus para embarcar em nossa aventura pelo rio Parnaíba.

Empresas que fazem o passeio de barco pelo Delta do Parnaíba: Eco Adventure e Natur Turismo

Nosso passeio foi conduzido em parceria por duas empresas que operam o turismo na região do Delta do Parnaíba: a Eco Adventure e Natur Turismo.

As duas empresas operam com saídas diárias, levando turistas para o passeio de barco pelo Rio Parnaíba.

Nesse passeio, nosso grupo saiu de lancha para visitar o braço do rio chamado de Barra das Canárias, com parada para banho de rio e almoço numa das ilhas da região, além da vivência da cata de caranguejo no mangue, visita às dunas e finalizando com a observação da revoada dos guarás.

A saída do porto aconteceu às 11h da tarde e só voltamos para Ilha Grande depois do por do sol, desembarcando no Porto dos Tatus por volta das 19h.

Esse foi um roteiro incrível, montado pelas agências especialmente para nosso grupo, para que pudéssemos visitar em um só passeio uma boa diversidade dos ecossistemas do Delta do Parnaíba.

Mas essa não é a única opção de roteiro. As agências oferecem aluguel de lanchas e flexibilizam os roteiros para personalizar a experiência de acordo com cada cliente.

É possível visitar outras regiões do Delta do Parnaíba, bem como ficar mais tempo em determinada atividade, retirando outras do passeio.

Quer fazer um orçamento com as agências e saber mais sobre cada passeio? Mande um email para gente que colocamos você em contato com as empresas.

Quanto custa o passeio de barco no Delta do Parnaíba?

As lanchas que fazem o passeio personalizado pelo Delta do Parnaíba tem lugar para aproximadamente 6 – 8 pessoas, com a tripulação. O aluguel da lancha permite flexibilizar o roteiro e custa a partir de R$450,00.

Também há opção de fazer o passeio em um barco maior (para até 65 pessoas).

O passeio fica mais barato (em torno de R$ 75,00 por pessoa), mas há um limitante: o roteiro é fixo, já que o barco é mais lento e não consegue navegar por alguns braços mais estreitos do rio.

Paradas do passeio de barco

Encenação do índio Mandu Ladino

Uma das coisas mais bacanas desse passeio de barco pelo Rio Parnaíba foi a oportunidade de aprender mais sobre a cultura e tradições locais.

Isso aconteceu muitas vezes durante o tour, e uma delas foi logo nos primeiros instantes do passeio, pouco depois do barco partir do Porto dos Tatus em Ilha Grande.

Numa pequena clareira de mata na margem do rio, um ator local devidamente caracterizado fez uma apresentação muito curiosa, contando a história da Revolta de Mandu Ladino, um índio que lutou para defender seu povo da invasão do homem branco que chegava para dominar o Piauí.

Apresentação Mandu Latino - Delta do Parnaíba

O ator era muito bom, interagiu com as pessoas do barco e passou sua mensagem de forma marcante. A gente se divertiu, ao mesmo tempo que aprendeu mais um pouco da tradição cultural do Piauí.

A encenação faz parte do pacote de atrações do passeio com a EcoAdventure Tour – nem toda agência apresenta esse diferencial.

Banho de rio e dunas

Seguimos navegando em direção ao braço do rio conhecido como Barra das Canárias. A paisagem vai mudando ao longo do caminho: matas, mangues, e de repente, dunas!

Numa região conhecida como “Caída do Morro”, nossa lancha fez mais uma parada, agora com tempo para a gente cair nas águas mornas do rio Parnaíba.

Ao lado do rio, uma enorme duna de areias brancas se levantava, dando um constraste surreal para a paisagem. Cheguei a subir na duna para conferir a vista lá de cima.

Para um lado, a beleza do rio. Para o outro, areia até não ter mais fim. O Delta do Parnaíba continuava a me surpreender positivamente!

O banho de rio durou uns 30 minutos. As águas eram muito calmas e, nas margens, a profundidade não chegava a meio metro, o que me deu muita tranquilidade para me banhar mesmo sem saber nada muito bem.

Mais para dentro do rio, a profundidade aumenta e a correnteza aperta um pouco, por isso a parada para nadar também oferece desafio e diversão para quem quer se aventurar.

Almoço na Casa do Caboclo

A ilha das Canárias, dentro da Barra das Canárias do Rio Parnaíba, é a segunda maior do Delta do Parnaíba, e um dos destinos mais procurados dentro do Delta do Parnaíba.

Ilha das Canárias - Delta do Parnaíba

Na ilha vivem cerca de 2500 habitantes, divididos em 4 povoados (Canárias, Passarinho, Torto e Caiçara).

Essas pessoas vivem do turismo (pousadas e restaurantes) ou de atividades extrativistas sustentáveis, já que a ilha está dentro da reserva ambiental do Delta do Parnaíba.

Nossa parada na ilha foi num dos restaurantes mais tradicionais da Ilha das Canárias, o Restaurante e Pousada Casa de Caboclo.

Ilha das Canárias - Delta do Parnaíba
Foto: Klécia Cassemiro

O lugar é inacreditável. Logo que nosso barco ancorou, a família de proprietários nos recebeu e apresentou tanto o restaurante quanto os quartos da pousada.

E a vontade de ficar hospedados naquele pedaço de paraíso bateu instantaneamente!

Casa de Caboclo - Ilha das Canárias - Delta do Parnaíba

Nos prometemos um dia, quem sabe, voltar com mais tempo, e ficar hospedados no meio da natureza da Casa de Caboclo – comendo o fabuloso peixe com queijo e banana que eles servem no restaurante e que é fa-bu-lo-so!

Veja mais e reserve sua hospedagem na Casa de Caboclo

Vivência no mangue

Depois de almoçar e descansar um pouquinho, voltamos para a lancha. Seguimos pelo rio Parnaíba, entrando cada vez mais dentro da mata, onde o mangue toma conta das margens.

Aqui e ali, começaram a aparecer os caranguejos bem vermelhos, constrastando com o manguezal. Nossos guias procuraram até achar uma clareira grande o suficiente para encostarmos os barcos.

Cata do Caranguejo - Delta do Parnaíba
Foto: Klécia Cassemiro

Quem queria, podia descer e literalmente enfiar o pé, a mão na lama, para experimentar a vivência da cata do caranguejo.

Conhecer a história, ver o trabalho dessas pessoas acontecendo na nossa frente nos ajuda a entender um pouco os desafios da profissão, e a ressignificar esse caranguejo que chega nas nossas mesas e restaurantes.

Dunas e mais dunas

Depois de lavar toda a lama, voltamos para a lancha e seguimos navegando no Parnaíba.

Nossa próxima parada foi um conjunto imenso de dunas, bem no meio do rio.

Dunas do Delta do Parnaíba - PI
Foto: Klécia Cassemiro

O sol já estava perto de se por, então a luz estava incrível para fotos e o cenário era espetacular demais. Ficamos uns 20 minutos por ali, e foi um misto de contemplação com vontade de tirar fotos infinitas desse momento.

Revoada dos Guarás

Nossos guias nos apressaram para voltar para o barco, porque aqui tempo é crucial.

Todos os dias, pouco antes do por sol, os guarás voam pelas matas nas margens do rio Parnaíba, rumo a essa pequena ilha no meio do rio.

Todos se encontram nas poucas árvores do lugar, que de verdes passam a ficar vermelhinhas com tanto guará pousando lá.

É de arrepiar ver tantas aves vindo juntas pro mesmo lugar. Sempre em bando, sempre exuberantes.

Tem alguma coisa mágica, especial de verdade com esse momento. É de arrepiar, o ponto alto do passeio.

Eu nem conseguia me concentrar para fazer fotos – tudo que eu queria era admirar uma das coisas mais bonitas que já presenciei na vida.

Revoada dos Guarás - Delta do Parnaíba - PI
Foto: Klécia Cassemiro

Quando o sol se pôs, nosso barco começou seu caminho de volta ao Porto dos Tatus em Ilha Grande. De lá, pegamos o carro para pernoitar em Parnaíba, a cidade com mais estrutura nas proximidades.

Vale a pena fazer o passeio de barco pelo Rio Parnaíba?

Eu amei esse passeio – por vários motivos.

Primeiro, pela oportunidade de ver de perto mais da cultura e tradições, seja por meio da conversa com os guias locais, seja pelas lendas e histórias, como o Mandu Latino.

E tem as paisagens, que por si só são qualquer coisa de espetacular. Aquele sentimento de estar explorando uma natureza quase intocada, sabe?

O Delta do Parnaíba é um dos lugares mais especiais que conheci no Brasil, com certeza.

Delta do Parnaíba - PI
Foto: Rafa Cassemiro

Planeje sua viagem

Quando ir para o Delta do Parnaíba?

A época de chuvas na região vai de janeiro a maio. A partir de junho, começa a melhor época para visitar o Delta do Parnaíba, com as lagoas secas e pouca / nenhuma chuva durante o dia para atrapalhar os passeios.

De agosto até novembro, a região entra na temporada dos ventos – que atrai os kitesurfistas do mundo todo para toda a região da Rota das Emoções. Por isso, hotéis e pousadas podem lotar muito rapidamente.

É importante dizer que, apesar do regime de chuvas, as empresas de tours e passeios na região operam o ano todo.

Como chegar no Delta do Parnaíba?

Existem duas cidades de onde você pode fazer as saídas de barco para explorar o Delta do Parnaíba: Tutóia, no Maranhão, e Ilha Grande, no Piauí.

Das duas, Ilha Grande é a cidade mais procurada porque o tempo de navegação até as principais atrações do Delta do Parnaíba é consideravelmente menor saindo de lá.

Para visitar Ilha Grande, o ideal é chegar e se hospedar em Parnaíba, cidade vizinha e com muito mais estrutura para turistas.

Para chegar em Parnaíba, você pode:

desembarcar no Aeroporto Internacional de Parnaíba – Prefeito Dr. João Silva Filho (apenas voos da Azul, e a frequência semanal de voos é bem baixa)

via Maranhão: desembarcar no aeroporto de São Luís e pegar um transfer / carro até Parnaíba.

via Ceará: desembarcar no Aeroporto Internacional – Pinto Martins em Fortaleza e pegar um carro / transfer até Parnaíba.

desembarcar no Aeroporto de Teresina – Senador Petrônio Portela e percorrer aproximadamente 320 km de carro até Parnaíba.

A empresa Rota Combo oferece transfer compartilhado em vans / microônibus, que são uma boa alternativa para quem quer economizar.

Há transfer ida e volta para Barreirinhas (MA), Tutóia (MA) e Jericoacoara (CE). Mas atenção: as saídas não são diárias. É preciso atentar para os dias da semana que o serviço funciona em cada cidade.

Onde se hospedar em Parnaíba?

Fiquei muito impressionada com a boa oferta de hotéis e pousadas em Parnaíba. Você vai encontrar desde opções de luxo até hostels para mochileiros.

Nós ficamos no Hotel de Charme Casa de Santo Antônio, que nos proporcionou uma experiência para lá de especial em Parnaíba.

Perfeito para casais em viagem romântica, e também para quem quer descansar com conforto, em uma hospedagem de luxo na região.

Outras opções interessantes na região são:

Pousada Vila Parnaíba (luxo)

Pousada Porto Rio (ótimo custo – benefício)

Anavi Hostel (mochilão / econômico)

Veja outros hotéis e pousadas em Parnaíba – PI.

Quanto tempo ficar no Delta do Parnaíba? Dicas de outros passeios

Nós ficamos apenas 2 dias e 1 noite na região do Delta do Parnaíba.

Em um dia fizemos o passeio de barco que descrevi no post, e no dia seguinte saímos para um passeio de quadriciclo pelos chamados Lençóis Piauienses, que nos levou até outros pontos turísticos da região como a Lagoa do Portinho.

Deu pra ter um bom gostinho da região, mas confesso que gostaria de ter ficado mais tempo. Conversando com locais, me recomendaram o tempo de 3 dias inteiros na região do Delta do Parnaíba.

Delta do Parnaíba - PI
Foto: Rafa Cassemiro

Assim, você fazer os passeios para outros braços do Delta do Rio Parnaíba (além desse mais tradicional que fizemos até as Canárias), passeios noturnos como o Delta Sáfari Noturno e ainda o tour de praias Litoral Leste (passando pelo litoral nas praias Atalaia, Peito de Moça, Coqueiro e Itaqui).

Quer fazer um orçamento com as agências e saber mais sobre cada passeio? Mande um email para gente que colocamos você em contato com as empresas.

Delta do Parnaíba dentro da Rota das Emoções

Nós visitamos o Delta do Parnaíba dentro do nosso roteiro de 8 dias pela Rota das Emoções.

Quem tiver a oportunidade, recomendo muito que separe de 8 a 15 dias para viver a experiência completa da Rota das Emoções, incluindo Maranhão, Piauí e Ceará.

Aqui no blog temos dois posts contando como foi nossa viagem (Dicas para fazer a Rota das Emoções e Roteiro da Rota das Emoções).

Ainda temos muitos outros posts sobre as atrações que visitamos e dicas de hospedagem na Rota. Vale a pena conferir tudo e começar a planejar sua viagem hoje mesmo.

Veja todos os posts dessa viagem na categoria especial Rota das Emoções aqui no blog!


* Fizemos a viagem para conhecer a Rota das Emoções a convite da Prisma Consultoria e do Sebrae Nacional, por meio dos escritórios estaduais do Sebrae Maranhão, Sebrae Piauí e Sebrae Ceará.

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *