O que fazer em Sintra, Portugal: principais atrações

O que fazer em Sintra | Pertinho de Lisboa, a encantadora Sintra é um dos destinos favoritos dos turistas que querem explorar os arredores da capital lusitana.

Essa charmosa vila portuguesa tem uma quantidade surpreendente de atrações, incluindo algumas muito famosas, como o colorido e icônico Palácio Nacional da Pena, eleito em 2007 como uma das 7 maravilhas de Portugal.

Outro ponto de destaque é que a vila de Sintra está encravada na Serra de Sintra, uma enorme área verde com muita beleza natural. A maioria das atrações que você vai visitar em Sintra vão te levar para fora da vila histórica, pelas belíssimas estradas sinuosas dessa serra.

Além disso, Sintra é a cidade de origem de alguns dos doces portugueses mais famosos: a queijada e o travesseiro de Sintra. Então se você não abre mão de um bom doce português, esse é mais um destino para por na sua lista.

O que fazer em Sintra: meu roteiro de 1 ou 2 dias

Com tantos pontos a favor, eu estava muito empolgada para conhecer Sintra. Mas a vida sempre pega umas peças na gente e, embora eu tenha me apaixonado pela vila e pelas belezas naturais da região, passei por alguns perrengues que prejudicaram minha experiência na cidade.

Vou contar tudo aqui nesse post (a parte boa e a nem tão boa assim), pra você já ir preparado e aproveitar muito mais o que Sintra tem a oferecer!

Dia 1: Cabo da Roca e Palácio Nacional da Pena

Cabo da Roca

Para quem chega a Sintra de carro vindo de Lisboa e/ou Cascais, uma boa dica é fazer uma parada no caminho para conhecer o Cabo da Roca em Portugal.

O Cabo da Roca é o ponto mais ocidental da Europa continental, fica bem no sopé da Serra de Sintra e é um lugar muito visitado, tanto pela posição geográfica quanto pela beleza natural.

Cabo da Roca - Sintra - Portugal

As falésias formam um bonito precipício, com uma vista de tirar o fôlego para o Oceano Atlântico. Como disse Camões em Os Lusíadas, é ali “Onde a terra se acaba e o mar começa”.

Leve um casaco leve e segure o chapéu, porque lá venta como se fosse mesmo o fim do mundo.

Atenção: é preciso ter cuidado ao caminhar na borda e respeitar a sinalização quando é indicado para não atravessar.

O passeio dura mais ou menos 1 hora e não é cobrado entrada. O Cabo da Roca tem um estacionamento amplo e também gratuito. O lugar ainda tem um restaurante simples e lojinha de lembranças.

Para ir de ônibus, você pode sair tanto de Sintra quanto de Cascais. De Sintra, pegue o ônibus 403 na Estação de Sintra, e peça pra descer no Cabo da Roca (falo mais sobre como se deslocar em Sintra alguns tópicos abaixo, nesse post).

Palácio Nacional da Pena

Se você tem apenas 1 dia em Sintra, ou num cenário mais extremo, está procurando o que fazer em Sintra em meio dia (para tentar combinar Sintra e Cascais num dia só), é essa atração que você vai querer colocar no roteiro.

O Palácio Nacional da Pena é o cartão-postal de Sintra, uma das atrações mais visitadas do país – e vale muito a pena colocá-lo no roteiro!

A expectativa é tanta que essa foi a primeira atração que visitamos depois de chegar na vila de Sintra. Fizemos check-in no nosso hotel (a simpática Casa de Hóspedes D. Maria Parreirinha) e seguimos para lá.

O Palácio Nacional da Pena não fica no centro da vila, mas sim no topo da Serra de Sintra, com muita ladeira e estradas sinuosas. Não tem como ir a pé.

O ideal é ir de carro e parar em um dos estacionamentos públicos gratuitos da Serra de Sintra (existem vários, que servem aos diferentes atrativos de lá).

Mas para conseguir uma vaga num dos estacionamentos mais próximos ao Palácio, a dica é ir bem cedo ou mais para o meio da tarde, quando muitos turistas já estão indo embora.

Outra dica importante é comprar o bilhete para visitar o Palácio Nacional da Pena com antecedência. Existem máquinas de venda automática mas dependendo do horário e da época do ano, haverá filas (grandes).

A visita ao Palácio Nacional da Pena leva pelo menos duas horas. Para os imensos jardins, você poderia levar o resto da tarde (ou até um dia inteiro).

Vale explorar cada cantinho e cada vista de varanda, porque o lugar é mesmo privilegiado. A arquitetura exótica, as cores diferentonas, a beleza natural e a história do lugar impressionam e fazem jus à fama do lugar.

Palácio Nacional da Pena em Sintra

Um aviso importante é que a Serra de Sintra tem estradas apertadas / sinuosas, e especialmente em feriados e finais de semana, bem movimentadas. Cuidado e atenção ao dirigir, sempre. E uma dose de paciência é sempre recomendável.

Dia 2: Castelo dos Mouros, vila e Palácio Nacional de Sintra

Castelo dos Mouros

Nosso segundo dia em Sintra começou subindo a Serra de Sintra mais uma vez, agora para explorar o Castelo dos Mouros.

Visitar essa que é uma das edificações mais antigas e majestosas de Sintra pode ser um desafio físico real.

Procure parar no estacionamento mais próximo do castelo. Como a gente foi meio desavisado sobre isso, paramos em um antes, no estacionamento Vila dos Lagos dentro dos Parques de Sintra.

Com isso, tivemos que encarar uma trilha pequena mas bem íngreme em estrada de chão, para chegar na portaria do Castelo dos Mouros (onde fica a bilheteria oficial da atração).

De lá, ainda temos que fazer mais uma trilha com subida, agora já contornando as antigas muralhas do Castelo dos Mouros. É importante citar que não há outro jeito de chegar lá em cima.

Todo mundo precisa fazer essa caminhada pelas muralhas e não é que o caminho seja muito difícil – é um percurso longo sobre calçamento de pedras.

Mas somando com a trilha que a gente já tinha feito antes, ficou puxado, especialmente para minha mãe que já tem 55 anos e é um tanto sedentária.

Depois dessa trilha, enfim chegamos na entrada das ruínas do antigo Castelo dos Mouros. É somente aqui que apresentamos os bilhetes da atração – que também compramos previamente. Até aqui, tudo pode ser visitado de graça e só é cobrado para entrar nas ruínas do Castelo dos Mouros em si.

Mas mantenha a disposição, porque as subidas continuam. Agora, junto com a vista maravilhosa e a natureza exuberante, temos degraus e passarelas apertadas para uma pessoa só, que circulam as muralhas.

Castelo dos Mouros, Sintra Portugal

O circuito completo leva você até o ponto mais alto do antigo castelo, a Torre Real. Dali, a vista do Palácio Nacional da Pena é o grande destaque. Conta a história que era dali que o rei D. Fernando II se refugiava para pintar.

Infelizmente, depois de tantas subidas e degraus, minha mãe não aguentou esse último esforço. Parou e ficou sentada esperando por mim nos bancos espalhados no pátio que fica logo antes da subida para a Torre Real, em frente à grande bandeira moura que tremula até hoje no Castelo.

Então, sobre o Castelo dos Mouros, é importante citar que o lugar é maravilhoso pela vista, natureza e sua história, mas exige certo grau de preparo físico para quem quer visitá-lo.

Também é preciso levar lanche e água, porque nas ruínas não há estrutura de apoio – somente nas lanchonetes dos estacionamentos e na bilheteria, lá embaixo.

Vila de Sintra

Voltando para o povoado de Sintra, deixamos o carro em frente ao nosso hotel e saímos a pé para explorar a antiga vila de Sintra.

Como era final de semana, a vila estava muito cheia. Havia bastante gente nos restaurantes, nas vielas, em toda parte. Isso prejudicou um pouco nossa experiência, mas não desanimamos.

Fomos passeando sem rumo, entrando e saindo das ruas, descobrindo os tesouros escondidos de Sintra.

Vila de Sintra, Portugal

Não deixe de procurar a loja das Queijadas da Sapa (Volta do Duche, 12) e a Pastelaria Piriquita (R. das Padarias 1/18) para provar os doces mais tradicionais da cidade.

Também é possível visitar museus diferentes (o MU.SA – Museu das Artes de Sintra e o NewsMuseum, dedicado ao jornalismo, são opções) ou só andar pelas lojas de lembranças, descobrindo mais um pouco sobre Sintra.

Só um conselho a mais: se puder, vá a Sintra fora de feriados e finais de semana, quando a cidade fica muito cheia com os grupos que vem de Lisboa para bate e volta.

Palácio Nacional de Sintra

Bem no coração da vila de Sintra está outra grande atração dessa viagem, o maior destaque do centro histórico: o Palácio Nacional de Sintra.

Também conhecido como Palácio da Vila, esse foi um grandioso palácio para os reis de Portugal.

Palácio Nacional de Sintra, Portugal

A história do lugar é fascinante, tendo sua primeira versão sendo construída ainda no tempo da dominação moura, e depois passando para o império português depois da reconquista cristã.

O Palácio foi utilizado pela realeza de Portugal praticamente até o fim da monarquia. Curiosamente, D. Manuel estava nesse palácio quando recebeu a notícia da chegada dos portugueses no Brasil.

O ingresso pode ser comprado com antecedência na internet, ou no local.

Outros pontos turísticos para visitar em Sintra

Nossa lista com o que fazer em Sintra ainda não acabou! Como comentei desde o começo, Sintra tem uma surpreendente quantidade de atrações para visitar.

Em um roteiro de 2 dias, consegui encaixar a maioria das atrações mais famosas, que cabem muito bem nessa proposta de primeira viagem pra Sintra.

No entanto, confesso que foi difícil deixar de fora esses outros lugares bacanas que tem por lá. Quero muito voltar a Sintra para conhecer também:

Quinta da Regaleira

Esse era um lugar que eu queria muito conhecer em Sintra. Tinha lido muito sobre os mistérios e belezas da Quinta da Regaleira, com seu enigmático Poço Iniciático e estilo exótico da construção.

Teimei que precisava ver esse lugar ao vivo.

Quinta da Regaleira, Sintra Portugal
Foto: Ines Gil por Pixabay 

Mas infelizmente, com a viagem no final de semana e a grande quantidade de gente nas estradas e na cidade, acabei perdendo muito tempo no trânsito e não consegui nem lugar pra estacionar perto do atrativo.

Esse lugar é o principal motivo pelo qual eu quero voltar em Sintra um dia. No blog Espiando pelo Mundo você pode ler um relato detalhado e inspirador sobre a visita à Quinta da Regaleira.

Palácio de Monserrate

Esse lugar lindo entrou na lista porque sou apaixonada por arquitetura de estilo mourisco – mas ele também combina expressões de estilo indiano e romântico. Ou seja, uma joia do ecletismo.

Palácio de Monserrate, Sintra Portugal
Foto: Alberto Frías por Unsplash

Fica relativamente próximo ao centro histórico de Sintra, mas sem abrir mão do charme da natureza da Serra de Sintra.

Os jardins exóticos ainda receberam uma coleção de espécies trazidas de várias partes do mundo, o que faz deste um dos mais ricos jardins botânicos de Portugal.

Convento dos Capuchos

Mais um lugar para entrar em contato profundo com a natureza. O antigo Convento de Santa Cruz da Serra de Sintra pertencia a ordem franciscana, e ficou conhecido como Convento dos Capuchos.

Convento dos Capuchos, Sintra, Portugal
Foto: degraaff por Pixabay 

A construção tem uma sobriedade profunda na arquitetura, relacionado com o voto de pobreza dessa ordem religiosa.

O interessante do lugar é notar como, com simplicidade, o convento se confunde com a natureza local, numa mistura quase mística.

No Outro Blog da Katarina Holanda tem um relato bacana e fotos lindas do Convento dos Capuchos.

Palácio Nacional e Jardins de Queluz

O jardins e o Palácio Nacional de Queluz são considerados um dos conjuntos de arquitetura palaciana mais belos de Portugal.

A construção combina estilos rebuscados como barroco, rococó e neoclassicismo, muito em uso entre os séculos 18 e 19.

Palácio Nacional de Queluz, Sintra Portugal
Foto: Bruno Fernandes por Pixabay 

Em 1747, foi iniciada sua construção como Palácio de Verão da família real de Portugal, mas acabou se transformando em residência oficial a partir de 1794.

Os reis de Portugal moraram no Palácio de Queluz até 1807, quando fugiram para o Brasil para escapar de Napoleão.

Você pode ler um interessante relato sobre a visita ao Palácio de Queluz no blog O Berço do Mundo, escrito pela minha blogueira portuguesa favorita, Ruthia. O blog dela é ótimo para dicas de viagem para Portugal.

O que comer em Sintra

Com tantas maravilhas culturais e essa impressionante beleza natural, fica fácil entender porque Sintra foi considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Mas a cidade não para de encantar e surpreender. Também pensando em viagens gastronômicas, Sintra é um prato cheio!

Doces típicos

Cada cidade portuguesa tem seu doce típico, por isso em cada parada dessa viagem eu tratava de descobrir qual a iguaria característica de cada cidade.

Em Sintra, há duas docerias mais famosos: a Fábrica das Verdadeiras Queijadas da Sapa (a mais antiga fábrica de queijadas de Sintra) e a Casa Piriquita.

A Fábrica de Queijadas da Sapa é uma das 5 marcas de queijadas oficialmente reconhecidas pela Câmara de Sintra, mas por algum motivo esta acabou ficando a mais famosa de todas.

Para provar o doce, vá até a rua Volta do Duche, perto da estação de trem (endereço mais ilustrativo, impossível).

Queijadas de Sintra, Portugal

Já a Casa Piriquita fica mais para dentro do centro histórico. O local por si já é uma viagem no tempo, com o balcão de vidro lotado de doces dos mais variados e algumas mesas no fundo do salão.

O carro-chefe dessa tradicional doceria são os travesseiros de Sintra. Com massa leve e textura cremosa, foi um dos melhores doces que comi em Portugal. Pode experimentar o sabor tradicional e variantes como esse com Nutella.

Travesseiros de Sintra, Portugal

Restaurantes

Outro destaque de Sintra é o Restaurante Incomum, comandado pelo chef português Luis Santos.

A proposta é de oferecer um ambiente elegante e confortável, e uma comida criativa, bonita e deliciosa, por um preço abaixo do praticado no restaurantes de alta gastronomia.

Vale conferir mas é bom reservar sua mesa, porque o lugar é bem concorrido.

Por um preço mais em conta, bom serviço e comida bem servida, comemos no Restaurante Tasca Saloia, bem na praça principal de Sintra (ao lado do Palácio Nacional de Sintra).

Planeje sua viagem

Quando visitar Sintra

Sintra é um destino para ser visitado o ano todo. A alta estação em Portugal acontece nos meses de verão na Europa (de junho a agosto), mas na média estação (meses de primavera e outono) a região é igualmente agradável e você vai encontrar menos turistas.

Nos meses de inverno (dezembro a fevereiro), também é possível visitar a vila mas é importante dizer que, por conta da altitude e vegetação na Serra de Sintra, nevoeiros costumam fazer parte da paisagem cotidiana.

Por isso, a bela visão dos pontos mais altos, como o Palácio Nacional da Pena e Castelo dos Mouros, pode ficar prejudicada.

Como chegar em Sintra desde Lisboa

Sintra fica a apenas 27km de Lisboa e é exatamente essa proximidade que facilita o bate e volta entre as cidades.

Você pode chegar em Sintra:

de carro: o método mais fácil e prático. São apenas 30 minutos de estrada. Importante citar que a Serra de Sintra tem curvas sinuosas e que no centro da vila é difícil encontrar estacionamento aos fins de semana.

de trem: com a linha Sintra-Azambuja, com saídas a cada 10 minutos de várias estações em Lisboa.

Chegando em Sintra, a partir da estação de trem você pode sair andando até o centro da vila ou você virar à direita e encontrar a estação terminal dos ônibus, que podem te levar até principais atrações de Sintra (falo mais abaixo).

Como se locomover em Sintra

Uma das informações mais importantes para saber antes de ir a Sintra é que a vila está localizada numa região montanhosa e que grande parte das atrações está espalhada por essa enorme área verde conhecida como Serra de Sintra.

As subidas são íngremes e sinuosas e fazer o percurso da vila até as atrações a pé não é uma boa ideia. O trajeto é longo, cansativo e pode até ser perigoso pelo fluxo de carros. Então a pergunta que não quer calar é: como se locomover em Sintra?

Para quem viaja de carro, você pode resolver essa questão dirigindo entre as atrações. Essa opção traz conforto e praticidade, mas vale lembrar que você estará sujeito a pegar trânsito nas estradas da serra e também na vila.

Outra dificuldade é a vaga de estacionamento. É preciso ir cedo para encontrar vaga nos estacionamentos públicos das atrações. Em finais de semana e feriados, é difícil também estacionar na vila ao longo do dia.

Enfrentamos essas duas dificuldades nos nossos 2 dias em Sintra. Inclusive, desisti de visitar a Quinta da Regaleira porque estava com carro e não consegui vaga pra estacionar de jeito nenhum.

Outra opção para ir até as atrações de Sintra é o ônibus. O terminal de ônibus fica bem ao lado direito da estação de trem de Sintra.

Anote as rotas de cada linha de ônibus em Sintra:

Linha 403 (Cascais Terminal / Sintra Estação): Faz o trajeto Cascais – Sintra, passando pelo Cabo da Roca. O bilhete custa € 4,25 o trecho (€ 8,50 ida e volta).

Linha 434 (Circuito da Pena): Passa pelo centro histórico de Sintra (onde está o Palácio Nacional de Sintra), e segue para a parte alta da Serra de Sintra, com parada no Castelo dos Mouros e Palácio da Pena.

A passagem custa € 3,90 (só ida) ou € 6,90 (hop-on / hop-off, subidas e descidas livres). O intervalo dos ônibus é, em média, de 15 minutos.

Linha 435 (Villa Express 4 Palácios): Passa pelo centro histórico de Sintra e segue para a parte baixa da cidade. Há paradas na Quinta da Regaleira, no Palácio de Seteais e Palácio de Monserrate.

A passagem custa € 5 (serviço hop-on / hop-off) e o intervalo dos ônibus é, em média, de 20 minutos. Com disposição, o trajeto para esses pontos turísticos pode ser feito a pé.

Também há opção de um passe turístico, com acesso a todas as linhas, que custa € 15 / dia, mas não achei vantagem.

Os bilhetes podem ser comprados com o motorista do ônibus ou no terminal ao lado da estação de trem de Sintra.

Você pode ver os valores atualizados dos bilhetes e os horários dos ônibus no site da empresa, Scott Urb.

Onde ficar em Sintra

Embora o bate e volta de Lisboa seja a principal procura dos turistas em Sintra, eu recomendo muito que você fique pelo menos 2 dias na vila de Sintra, para aproveitar mais o tanto de atrações que o destino oferece.

Hospedagem Econômica

Em Sintra, nós nos hospedamos na Casa de Hóspedes D. Maria Parreirinha, uma hospedaria simpática e confortável no centro de Sintra, embora bem simples. É uma opção econômica com quarto e banheiro privativo, roupa de cama bem limpa e serviço atencioso.

Apartamentos com bom custo-benefício

Casas da Biquinha: são apartamentos completos, localizados bem no centro de Sintra. Oferecem cozinha completa e equipada, o que é um diferencial especialmente para quem viaja em família. Alguns quartos tem uma linda vista para a Serra de Sintra.

The Point – Sintra 2: Um lindo e moderno apartamento, bem próximo à Quinta da Regaleira. O quarto também tem cozinha completa, além de uma vista linda tanto para a cidade quanto para a montanha.

Hospedagem com preço médio + café da manhã

Chalet Saudade: Um prédio histórico do século XIX, que foi transformado num charmoso hotel, super fotogênico. As acomodações ficaram modernas e confortáveis, sem perder o tom elegante e histórico.

Hospedagem de luxo

Tivoli Palácio de Seteais: Sim, você pode se hospedar num palácio em Sintra! O Palácio de Seteais hoje funciona como um elegante hotel 5 estrelas situado na falésia de Sintra, com vista privilegiada do Castelo dos Mouros e do Palácio Nacional da Pena.

Ainda não encontrou o seu hotel em Sintra? Veja outras opções de hospedagem em Sintra, e aproveite os descontos do Booking.com.

Seguro viagem para Europa

Não esqueça que o seguro viagem é obrigatório para toda viagem para a Europa. Você precisa escolher um seguro com cobertura mínima de € 30.000,00. 

Na hora de fazer a compra de seguro viagem, eu sempre uso o site da Seguros Promo. Esse site funciona como um comparador de preços entre as seguradoras. 

Basta colocar o destino e as datas da sua viagem, que você descobre facilmente qual o seguro que oferece o melhor custo-benefício pra você.

Se você não entende muito bem como funciona o seguro viagem, pode ler mais sobre Seguro Viagem aqui no site.

Ingressos e atrações

Sintra e Cascais: vale a pena combinar?

Outra boa notícia é que você pode combinar esse roteiro de o que fazer em Sintra com uma viagem para Cascais, a encantadora cidade litorânea que me deixou apaixonada em Portugal.

As duas ficam muito perto e com a linha de ônibus comunicando os dois destinos, não tem motivo para não ir!

Tem gente que faz as duas em 1 dia (meio período pra cada uma). Tanto que uma das principais perguntas que recebemos por aqui é o que fazer em Sintra em meio dia.

Mas aqui vou deixar minha opinião bem sincera: eu acho uma covardia dividir um dia entre essas duas cidades maravilhosas. Só faça isso se realmente for sua única opção e você não conseguir decidir entre ir em uma ou em outra.

O cenário ideal é reservar pelo menos 1 dia inteiro em cada. Melhor ainda se puder reservar 2 (ou até 3 dias) para Sintra. Como deu pra ver no post, tem muita coisa para ver por lá!

Outros destinos em Portugal

Portugal tem muitos outros destinos interessantes para você conhecer. E a boa notícia é que nós exploramos muitas cidades, de norte a sul do país.

Temos uma boa quantidade de posts com dicas de Portugal, e você pode consultar todos eles! Yay!

Visite nosso índice de posts de Portugal e planeje sua viagem completa com a gente!

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Joselma Soares da Silva Melo disse:

Amei conhecer Sintra e seus encantos, bem como Cascais.
Cidades encantadoras pela beleza natural e pela arquitetura dos palácios , castelos, etc.
Como você bem disse é preciso ter preparo físico para caminhar. Lembro que teve dias que chegávamos a caminhar 15, 18km, mas valeu a pena.
Parabéns pelo texto!

Klécia disse:

Sim, tem que ter disposição 😀 Feliz que a senhora gostou da viagem, mainha!