Morar no Rio de Janeiro: da beleza ao caos

Morar no Rio de Janeiro nunca esteve nos meus planos. Confesso que eu tinha aquele misto de medo e curiosidade, tão comum em quem só conhece a Cidade Maravilhosa pela novelas da TV e notícias dos jornais.

À primeira vista, o Rio de Janeiro assusta e hipnotiza. Tudo ao mesmo tempo. Se você ainda não pisou em território carioca, deve conhecer o sentimento.

Se você está planejando se mudar para o Rio, ou mesmo se apenas tem curiosidade sobre como é a vida real na Cidade Maravilhosa, vou contar a minha experiência.

“O Rio de Janeiro não é pra principiantes”, como dizia um velho amigo meu que passou visitando a cidade há uns anos. mas depois de quase 6 anos por aqui, posso dizer que aprendi algumas coisas sobre morar no Rio de Janeiro.

Por outro lado, ainda tenho muito a aprender e o Rio nunca pára de nos ensinar. Ah, e só pra deixar as coisas bem claras desde o começo: o Rio segue maravilhoso sim, apesar de todos os poréns dessa história.

Porque vim morar no Rio de Janeiro?

Eu sou pernambucana, morei entre o interior e a capital até meus 24 anos. Daí, passei uma temporada morando nos Estados Unidos e voltei pra Recife sete meses depois.

Minha primeira vez no Rio de Janeiro foi em novembro de 2012, em um feriado prolongado. Botei na cabeça que queria conhecer a cidade e vim, sozinha mesmo.

Foi meu primeiro contato com o Rio de Janeiro turístico, aquele idealizado para receber milhares de pessoas do mundo todo, a cada dia do ano. Fui do Pão de Açúcar ao Parque Lage, da praia de Copacabana até a Feira de São Cristóvão.

Só não fui ao Cristo Redentor, que cismou em se esconder entre as nuvens de uma sequência de dias nublados. Mas tudo bem. Talvez ali o destino já tivesse determinado que eu voltaria muitas outras vezes ao Rio de Janeiro.

Comecei a namorar um certo carioca, que por acaso hoje é meu marido e aparece nessa foto de Quem Faz o Blog, bem aqui ao lado. Beijos, Rafa!

Viagem vai, viagem vem, um belo dia decidimos casar e, quando dei por mim, estava fazendo as malas e vindo morar no Rio de Janeiro.

Vamos ver no que deu essa história.

Morar no Rio parte #1: Zona Sul

Meus primeiros meses no Rio foram como moradora da Zona Sul. Morava num apartamento pequenininho (mesmo!) em Copacabana, entre a rua Viveiros de Castro e a Barata Ribeiro.

A Zona Sul torna tudo muito fácil para quem acabou de chegar para morar no Rio de Janeiro: a praia é logo ali, as ruas são arborizadas e (quase sempre) tranquilas, restaurantes e botecos dão o tom de boêmia, gente do mundo todo andando pelas calçadas, mercadinho, farmácia e padaria abertos 24 horas.

Mas nem tudo são maravilhas, mesmo pra quem mora na Zona Sul carioca. Tive alguns problemas nos primeiros meses morando no Rio de Janeiro. Altos e baixos, sabe? Vou tentar achar o equilíbrio narrando um pouco dos dois lados aqui pra vocês:

Up: Eu me apaixonei pela boemia carioca

Ah, Rio de Janeiro! O carioca é despojado, tem um ar malandro, tem um sorriso que te envolve e um papo que te convida pra ficar um pouco mais.

O Rio de Janeiro tem gingado, tem malemolência. Tem um jeito que só o carioca tem.

Ficar até de madrugada num boteco, contando histórias com o cotovelo no balcão. Ficar amigo do garçom. Cair numa roda de samba. Se perder nas noites embaladas em Bossa Nova. Andar de bonde em Santa Teresa.

O Rio de Janeiro definitivamente tem boemia, tem bossa. Eu nem sei explicar direito, essa cidade hipnotiza a gente.

Down: Fazer amigos nem sempre é fácil

Como acontece em praticamente todo lugar do mundo, quando a gente muda de cidade sofre um pouco com a saudade dos amigos.

E o carioca é sim um povo muito simpático e acolhedor. Mas conversa de bar não significa relação de amizade, e foi isso que percebi nos primeiros meses no Rio de Janeiro.

Algumas vezes, me senti sozinha. Demorei um bom tempo para conseguir me incluir em círculos sociais de uma forma que eu me sentisse verdadeiramente acolhida. Ouvi brincadeiras nem tão divertidas assim sobre meu sotaque ou minha região. Isso piorou em tempos de campanha política.

Apesar de ter passado por tudo isso, não culpo o Rio de Janeiro ou o carioca. Já me mudei algumas vezes pra entender que esse sentimento de ‘não pertencimento’ pode ficar com a gente um pouco depois de uma mudança, até a gente encontrar nossa turma, nossa tribo, nossa gente na nova cidade.

Up: o Rio de Janeiro é lindo!

Eu já perdi as contas de quantas cidades já conheci no mundo. Mas o Rio de janeiro sempre vai aparecer na lista entre as cidades mais lindas que já visitei.

Morar aqui é privilégio. Aquela velha história de ‘eu moro onde você tira férias’. Baía de Guanabara, Cristo Redentor, Pão de Açúcar, os morros que circundam a cidade e fazem surgir um cartão-postal a cada esquina.

Os mirantes espetaculares da cidade. Os ângulos, cada cantinho rende uma foto. Ah, e a vista de cima é ainda mais espetacular. A vista do Rio para quem chega pelo aeroporto Santos Dumont vai te mostrar porque o Rio de Janeiro é sempre considerado uma das cidades mais lindas do mundo!

Down: O verão carioca pode te enlouquecer

Sabe aquela história de ‘Rio 40 graus’? Esqueça isso. A realidade pode ser bem mais cruel. Em um verão mais duro, como foi o meu primeiro aqui (2013), a sensação térmica chegou perto dos 50 graus com bastante frequência.

Lembro que mais de uma vez eu tive vontade de tirar a roupa na rua e sair correndo. Louco, eu sei. Mas o calor pode fazer isso com você hahaha.

Eu tenho uma predisposição à pressão baixa, então lidar com o calor carioca sempre foi uma dura batalha, e eu sigo falhando miseravelmente até hoje. O ar condicionado é meu melhor amigo e mais de uma vez desisti de um programa na rua porque eu não conseguia sair de casa com um calor ‘amostra grátis de inferno’.

Passa? Sim. Os piores meses são de dezembro a fevereiro. Calor insuportável, por vezes acompanhado de tempestades de verão que causam muitos transtornos no trânsito da cidade.

Mas no resto do ano, a temperatura fica mais amena e a vida fora de casa se torna bem possível – na verdade irresistível!

O Rio de Janeiro é uma daquelas cidades que te convida para curtir o dia lá fora, por isso amo tanto o outono e a primavera no Rio de Janeiro. É a melhor época para curtir a vida na cidade.

Nos meses de inverno, a temperatura cai, e os dias vão se dividir entre aqueles que os cariocas vão andar de casaco e bota pelas ruas e os outros, quando vai sair o sol e todo mundo vai pra praia, ostentando que por aqui é verão o ano todo. Um clima delicioso, uma ostentação que eu amo!

Up: O Rio de Janeiro te convida para uma vida ‘lá fora’

Com tanta praia, ciclovia, programas para curtir ao ar livre, o Rio de Janeiro convida a gente o tempo todo para sair de casa e ir curtir a cidade.

Praia, sol, lugar pra correr e praticar exercício ao ar livre é o que não falta.

Down: O Rio de Janeiro dos mega-eventos pode não ser tão divertido para quem é morador

Morando em Copacabana, passei por alguns grandes eventos na cidade: um réveillon, um carnaval e a Jornada Mundial da Juventude em 2013.

Com essas experiências, aprendi algumas coisas importantes sobre a logística do Rio de Janeiro. Em tempos de festa, se você mora em Copacabana precisa se preparar para alguns contra-tempos.

Por exemplo, prédio com vaga de garagem é raridade no bairro. Todo mundo estaciona na rua. E nessas grandes festas, a prefeitura proíbe o estacionamento na maioria das ruas pra facilitar o trânsito de pessoas. Prepare-se para estacionar o carro a quilômetros de distância.

Na verdade, se puder, abandone o carro e ande de metrô. Bom para o meio ambiente e ótimo para sua saúde mental.

O trânsito no Rio pode ser bem difícil, os motoristas costumam ser bem ‘ousados’ nas manobras e estacionar pode acabar com sua paciência (já tentou parar um carro num espaço inacreditavelmente apertado?) ou com seu dinheiro (já viu quanto custa uma hora num estacionamento privado no centro da cidade?).

Up: O Rio de Janeiro é muito mais que praias

Morar no Rio de Janeiro me deu a oportunidade de descobrir que a cidade é muito mais do que a rota de Tim Maia, do Leme ao Pontal.

A cidade tem museus incríveis (muitos totalmente gratuitos), tem exposições, parques, ótimos restaurantes, lugares charmosos pra tomar um café!

Leia também:
+ Lasai Restaurante: restaurante estrela Michelin no Rio
+ Bira de Guaratiba: um restaurante no meio do paraíso!
+ Bar do Mineiro em Santa Teresa, Rio de Janeiro

A cidade tem muita cultura e cada vez mais aparecem grupos oferecendo Tours para desbravar lugares secretos no Rio de Janeiro. Você pode conhecer a empresa Sou+carioca e curtir todos os roteiros incríveis que eles oferecem na cidade.

Down: Custo de vida

O Rio de Janeiro é bem caro. Uma das cidades mais caras que já morei. Isso inclui aluguel – prepare-se para pagar cerca de 3000 reais (aluguel + Condomínio) num apartamento pequeno e sem vaga de garagem na Zona Sul.

Mercado, restaurantes, isso também costuma ficar acima da média do custo de outras cidades no Brasil.

Ah, e o custo de vida é bem maior para quem mora na Zona Sul do que no restante da cidade. Foi justamente esse alto preço de morar em Copacabana que me levou para a próxima parte da minha história no Rio de Janeiro.

Morar no Rio parte #2: Zona Norte

Com a bolha imobiliária que veio com a copa do mundo, a Zona Sul começou a ficar fora do nosso orçamento. Afinal, quem quer viajar precisa economizar.

Começamos a procurar apartamentos em outras regiões da cidade e por fim optamos por morar na Zona Norte do Rio, pertinho do Maracanã.

Chegou a hora de descobrir um outro Rio de Janeiro. Fora dos holofotes turísticos, mas super interessante de viver e explorar.

Up: O Rio pode ser mais barato!

Sim, a zona norte pode estabilizar e muito seu orçamento! O preço de morar longe da praia equivale a ter um apartamento alugado com quase o dobro do tamanho e até metade do preço da Zona Sul. E vaga de garagem!

Os restaurantes são menos famosos, mas o preço também fica mais justo. A cidade é viva e muito autêntica fora da zona turística também. Tem muito bar legal na zona norte. Só pra dar um exemplo, conhece o pólo gastronômico da Praça da Bandeira?

Também foi nessa temporada de Zona Norte que descobri o tanto de coisa barata pra se fazer no Rio. E o tanto de coisa pra fazer totalmente de GRAÇA. Só pra dar um exemplo, olha esse post sobre como conhecer de graça 41 museus no Rio de Janeiro.

Down: acabou o 24h

Para quem vive uma vida louca, ter a facilidade de contar com comércio 24 horas é uma mão na roda. Mas diferente da Zona Sul, onde isso é bem comum, na zona norte tudo fecha. Acabou a facilidade do 24h aberto.

Up: chinelo tá liberado

Isso vale pra Zona Sul também: chinelo tá liberado em todo lugar – inclusive no shopping. Também está liberado ser casual, informal, super descontraído e bastante acolhedor, como fazem os cariocas.

Up and Down: entendendo costumes

Tem coisas que só a vida de anos no Rio de Janeiro me ensinou – embora eu ainda não tenha me acostumado.

Marcou uma festinha para às 14h? Se você chegar na hora marcada, vai ser o único por lá. Possivelmente, vai chegar antes mesmo do aniversariante e vai ficar batendo um papo com o garçom – e existe uma enorme chance de eles ainda estarem organizando o espaço do evento. Sim, pontualidade não tá com nada no Rio de Janeiro.

Agora, me planejo para chegar entre 1 e 2 horas depois do horário marcado. Não tem erro!

Ah, segundo na mesma linha, existe o famoso “vamos marcar’, uma instituição carioca. Todos falam, com frequência nas despedidas. Mas isso não quer dizer que querem mesmo marcar alguma coisa. É só a maneira simpática de se despedirem mantendo a conversa em ‘stand by’ até o próximo encontro casual.

No Rio de Janeiro, se fala Rolé, Qualé e Caô. Se come biscoito e se dá dois beijinhos no rosto ao encontrar alguém. Esse último eu ainda erro bastante.

Se te chamaram pra um churrasco em casa num sábado no almoço, é provável que a comida e bebida se arraste pela madrugada. Mais provável ainda que só termine no dia seguinte, no famoso ‘enterro dos ossos’. Está pra nascer um povo com mais disposição pra beber chopp na terra – especialmente se for verão!

Up and Down: o Rio de Janeiro de todo mundo

Tem uma coisa que só dá pra ter saindo da Zona Sul. Uma noção mais ampla sobre o Rio de Janeiro da maioria dos cariocas. O Rio de Janeiro do pessoal que está longe do glamour e dos holofotes, mas faz essa cidade acontecer.

Esse Rio nem sempre é tão bonito para mostrar na TV. Tem os problemas todos que você já viu na TV (embora muitas vezes pintem tudo bem pior do que realmente é). Assalto, violência, ônibus lotado, trânsito muito ruim. Tem tudo isso sim.

Mas isso não é tudo, muito menos define o Rio de Janeiro.

Foi vendo esse Rio de todo mundo, o Rio que não passa na novela, que realmente me apaixonei pela cidade. O Rio de quem faz acontecer, todos os dias. O rio que faz samba e amor até mais tarde, e sai pra trabalhar bem cedinho de manhã.

É nessa cidade que eu acredito. É aqui que eu quero morar, ajudando no que for possível para ver nascer um Rio de Janeiro melhor pra todo mundo.

Rio de Janeiro 454 anos: como homenagear a Cidade Maravilhosa

Esse post nasceu como uma homenagem para o Rio de Janeiro, no seu aniversário de 454 anos.

Essa cidade que me acolheu e me ensinou tanta coisa segue sim, cada vez mais maravilhosa. E estou falando de muito mais que as belezas naturais que fazem do Rio de Janeiro uma das mais belas cidades do mundo.

Estou falando de pessoas, projetos, ideias que fazem o Rio de Janeiro um lugar único no mundo. Com problemas, sim. Mas com muita gente querendo fazer melhor, querendo transformar realidades.

Quer ver um bom exemplo? Para ver mais gente valorizando e divulgando o melhor da Cidade Maravilhosa, você pode conferir as postagens do grupo de blogueiros cariocas da RBBV – basta seguir e acompanhar a #RIOunico.

E sempre que você quiser valorizar a cidade maravilhosa nas redes sociais, pode usar a #RIOunico também!

Quer ler outro relato bacana em homenagem ao aniversário do Rio de Janeiro? Confira o post do blog Olívia Garimpando por aí: 454 anos do Rio de Janeiro

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Fabiola disse:

Amei, estou querendo morar no Rio ano que vem, moro em Jeri aonde o custo de vida é muito alto, a único ponto positivo é a questão do deslocamento que vc faz tudo pé. Qual local para morar com indica, não precisa ser perto da praia não.

Lila Cassemiro disse:

Oi Fabiola, boa sorte na mudança! Espero que o Rio te acolha de braços abertos 🙂
O que te recomendo é, se puder, vir passar uma temporada por aqui, para conhecer alguns bairros ao vivo e encontrar algum que te atenda no que você precisa, com um apartamento que você goste. Um abraço

Carlos Potengy B.Ribeiro disse:

Belo comentário e cativante o modo de olhar a cidade. É que tbm veio esta cidade que não é para amadores.

Lila Cassemiro disse:

Um amigo que morou no Rio por uns anos me disse uma vez que o Rio não é para principiantes, e acho que é bem por aí, né? 🙂

Anna disse:

adorei o post, moro no interior de Goias e o pai da minha filha no rio ,somos separados minha filha é autista estávamos conversando sobre eu ir morar no Rio pra ver se os acompanhamentos dela seriam mais fáceis o que você diria sobre isso? rs’ seria uma boa

Lila Cassemiro disse:

Oi Anna,
Eu realmente tenho pouco conhecimento sobre esse suporte médico específico aqui no Rio. Talvez uma boa ideia seja procurar clinicas e profissionais da área, entrar em contato com elas para conhece-las de perto, para saber se correspondem as suas expectativas.
Espero que dê tudo certo 🙂

Francisco disse:

gostei da sua visão..senti o mesmo e conhecer o RJ, fiquei em COpacabana…mas sobre o custo de vida..achei acessível…mas aluguel deve ser mais puxado mesmo!!

Lila Cassemiro disse:

Oi Francisco,
Com certeza, essa referência de preços varia de realidade pra realidade. Minha base de comparação era vindo de Recife, onde meu custo de vida era menor que aqui. Mas acho o Rio bem comparável com outras cidades brasileiras, como São Paulo. Obrigada pelo seu comentário.

Fabiola disse:

Amei, estou querendo morar no Rio ano que vem, moro em Jeri aonde o custo de vida é muito alto, a único ponto positivo é a questão do deslocamento que vc faz tudo pé. Qual local para morar com indica, não precisa ser perto da praia não.

Lila Cassemiro disse:

Oi Fabiola, a questão de bairro aqui no Rio muda muito sua experiência na cidade e os preços também. O ideal seria você vir ao Rio a passeio antes, para conhecer melhor a cidade e quem sabe se hospedar em bairros diferentes para experimentar. Espero que tudo dê certo na sua mudança 😀

Jurandi disse:

Gostei muito do relato. Obrigado por compartilhar. Em 2022 terei que me mudar com a família pra o Rio. Trabalharei no Centro e tenho 2 filhos pequenos (1 e 3 anos). Tem algum bairro que você pode sugerir pra morar? Estou nessa pesquisa… =/

Rafael Cassemiro disse:

Oi Jurandi, eu gosto muito do eixo Botafogo – Flamengo – Largo do Machado. 3 bairros vizinhos que ficam perto do centro, são bem abastecidos de comércio, restaurantes e transporte. Se puder, quem sabe marque uma viagem para passar uns dias aqui no Rio e experimente ficar entre eles para sentir como é o dia a dia. Dos 3, meu favorito é Botafogo.
Se você faz questão de morar pertinho da praia, pensaria em Copacabana ou Ipanema.

Adriana disse:

Olá, amei seu post, muito esclarecedor….estou pensando seriamente em mudar de vez p o Rio, sempre estou aí, mas se eu for morar será na Urca, meu lugar preferido, uma cidadezinha dentro do Rio rsrs…mas tenho um forte obstáculo: detesto o calor 🙁

Rafael Cassemiro disse:

Oi Adriana! Também somos apaixonados pela Urca! É aquela carinha de cidade do interior, né? O verão realmente é um obstáculo pra Klécia também, os primeiros anos foram bem difíceis. Hoje ela ainda não sabe se está mais acostumada, ou se os verões dos últimos anos foram mais amenos, mas ela vem reclamando/sofrendo menos… Vamos ver esse ano kkkkk

Bruna Monteiro disse:

Adorei Klecia, super necessário para quem está vindo morar no Rio como eu, já tenho alguma noção por vim várias vezesas morar é totalmente diferente como achar boa localização do imóvel com preço acessível.

Seu relato, aquece o coração de quem está se aventurando na Cidade Maravilhosa e sabermos que não estamos sozinhos nos sentimentos.

Obrigada.

Alphonso disse:

Ameei o post acima
Meu sonho sempre foi morar no rio de janeiro
Gostsria de saber quanto mais o umenos deve se ter no bolso para arcar com as despesas ate encontrar algum servico

Klécia disse:

oi Alphonso,

Olha, essa pergunta infelizmente não dá pra responder, porque depende muito do seu estilo de vida. O que posso te dizer é que, comparando com outras cidades do Brasil, o Rio tem um custo de vida um pouco mais elevado (desde aluguel até alimentação e serviços em geral).

Giselle disse:

Estou lendo agora seu texto , tentando acalmar meu coração ! Sou de Belo Horizonte ,nunca morei em outra cidade . Meu esposo veio a trabalho transferido para São Paulo , tive receio no começo mas já estou apaixonada pela cidade . Recebi a notícia , que após curtos 3 meses aqui em SP, iremos para o RJ. Estou tão apaixonada por SP que o coração chega a doer… tenho que encontrar o meu Rio, conheço o lado turístico , mas preciso me apaixonar outra vez ..

Lila Cassemiro disse:

Oi Giselle, desejo muita sorte pra você nessa jornada! A cidade tem seus altos e baixos, mas tem muita coisa linda pra oferecer. Um abraço e boa sorte!

Mi disse:

Que texto incrível… meu sonho é morar no Rio e este ano vou concretizar! Mas estou pensando em morar na Barra da Tijuca. Teria alguma dica sobre? Obrigada.

Klécia disse:

Oie! A Barra é um bairro moderno e bem interessante da cidade, com uma praia linda e muitos restaurantes legais. Você vai trabalhar lá perto? O único contra é que é meio longe do centro, aí o ideal é ou concentrar suas atividades lá, ou ter um carro que facilite os deslocamentos. Dá pra usar transporte público também, mas pra chegar ao centro demora um bocadinho…

Renata disse:

Adorei o post!!!! Passei em direito na UFRJ e estou pensando em me mudar pro Rio, meu único receio é a violência. Como nunca fui a cidade só sei o que é dito na televisão e grande parte das vezes é assustador. O que vc indica pra uma mulher jovem que está indo estudar e morar sozinha pela primeira vez no Rio de Janeiro? A violência é realmente como retratam?

Klécia disse:

Oi Renata, tudo bem? Parabéns pela aprovação e muito sucesso na profissão.
Quando eu vim morar aqui, também passei um tempo na UFRJ, numa especialização 🙂 Eu morava em Copacabana e ia de ônibus até o campus da UFRJ na ILha do Governador.
Bem, o que posso te dizer é que a violência existe. Talvez valha dizer que, dentro da minha experiência cotidiana, morando fora das regiões mais críticas, a violência não é tão agressiva quanto os noticiários mostram, mas também não é algo a ser ignorado, sabe?
Eu nunca fui assaltada aqui. Mas tenho muitos amigos que foram. Eu ando sempre tomando todos os cuidados de uma cidade grande, levando o necessário, cuidando sempre. É uma cidade que te pede atenção, especialmente no centro. Mas tem a beleza, que é dificil de bater em qualquer outro lugar…
O Rio tem questões além da violência, como questões de transporte. Mas tem a parte boa demais de viver aqui, a boemia, a alegria, o carnaval, virar uma esquina e ver o Cristo Redentor.
Bem, se eu pudesse te dar um conselho, e você tiver tempo e condições, seria vir passar um tempo na cidade. Uma semana num Airbnb, mais ou menos no bairro que você quer morar, visitando mercado, usando os transportes, essas coisas bem locais. Assim você teria uma visão mais sua da cidade, o que conta muito para decisão de se mudar pra um lugar.
Se vier, me manda mensagem e podemos tomar um café 😉

Bruno disse:

Oi, Klécia! Muito bom seu post. Estou pensando em fazer uma seleção de mestrado em Direito na UFRJ e, assim, me mudar pro Rio. Meu único receio é em relação a trabalho, precisaria arrumar algum para me sustentar aí no Rio, né! E esse é um ponto que ainda me deixa inseguro em tentar ou não ir pro Rio.

Klécia disse:

OI Bruno, tudo bem? Dá uma olhada nas vagas do LinkedIn, e também fica de olho nas seleções avulsas publicadas na internet. Quando vim, consegui uma tutoria na URFJ e isso ajudou muito no orçamento. Tô torcendo pra dar tudo certo pra você!

MV disse:

Excelente relato! Sou do RJ e vim morar em SC com meus pais ainda pequeno (08 anos), mas estou retornando para fazer minha vida aí. Não que aqui em SC não seja o local ideal (é maravilhoso), mas Rio é Rio. Vou ler com mais calma o post depois e questionarei se ficar com dúvidas! Valeu pelo relato.

Klécia disse:

Que legal Marcus! Te desejo toda a sorte do mundo! 😀

Tatiane M. Hammes disse:

Que história bacana, e que energia positiva para quem está se planejando em morar no Rio. Sempre tem o outro lado da moeda, sempre tem o lado bom e o ruim. Gostaria de trocar mais experiência e algumas ideias com você. Estou me planejando em ir morar no Rio e poder conversar com alguém como você seria ótimo. Se pudéssemos trocar e-mails. Obrigada por sua história, e abraços.

Klécia disse:

Oi Tatiane, tudo bem? Claro, pode mandar um email aqui pro klecia@fuiserviajante.com 🙂

Anna disse:

posso mandar tambem? 🙂

Lila Cassemiro disse:

Claro, Anna! 😀

Fernanda disse:

Texto bem romantico…
Eu não aguento mais a boemia carioca debaixo da minha janela, com todo barulho que vem dessa festa, onde só se pensa em quem esta se divertindo e nao em quem precisa dormir. E ao reclamar do barulho, a gerente do bar responder que não pode fazer nafa porque são clientes.
Paisagem linda sim, mas sinceramente quero apenas voltar como visitante. Para mim chegou o fim da experiencia em terras cariocas.
Mas não posso deixar de comentar algumas experencias apaixonantes que irei levar na lembrança: a feira da General Glicerio com chorinho dos melhores; a peixe da rua do peixe na Lapa; a caminhada no calçadão de copacabana… Mas para mim não consigo mais romantizar o Rio de Janeiro.

Klécia disse:

Oi Fernanda, tudo bem?
Como falei no título, o Rio vai da beleza ao caos rs Sinto muito que sua experiência não tenha sido muito boa. Eu acredito que a cidade é uma diferente para cada um de nós, vivendo em lugares tão distintos e trazendo backgrounds tão diversos também. Desejo que você tenha MUITA sorte onde montar sua próxima morada. E espero ainda conseguir me encantar com esse nosso Rio de Janeiro enquanto sigo por aqui, apesar de! Um abraço! 🙂

Luiza disse:

Muito bom!!!

Rafael Cassemiro disse:

Bom dia desejo mudar pro Rio de Janeiro e estou pesquisando muito a respeito da cidade e sua postagem me ajudou muito. Mais preciso também me concentrar em encontrar emprego, você poderia fazer uma postagem em relação à isto.
Muito Obrigada.

Klécia disse:

Oi Helida, já deu uma olhada nas vagas para sua área disponíveis no LinkedIn? Abraço!

ELIS MARINA disse:

Estou me programando para me mudar para o Rio até o final deste ano. E ler seu depoimento me deixou muito mais motivada. Gratidão!

Klécia disse:

Espero que sua experiência seja a melhor possivel, Elis! E se precisar de dicas, pode mandar mensagem 🙂

Andréa disse:

Que bom ler isso, cada vez que digo que meu sonho é morar no Rio, só recebo críticas.O assunto é só violência e criminalidade, mas isso existe em todo lugar

Klécia disse:

O assunto da criminalidade é um fato no Rio, mas como você falou, é um fato em muitos lugares além daqui. É uma verdade que no Rio existe muita mídia envolvida também.
Espero que um dia a cidade viva dias melhores nessa questão, os cariocas, os turistas, todos merecem que o Rio seja um lugar de paz.
De toda forma, que seu sonho não seja atrapalhado por nada nem ninguém. Que você tenha a oportunidade de vir até aqui, ver e viver por si, e de todo coração espero que a cidade maravilhosa seja tudo que você sonha/precisa!
Beijos e torcida <3

Carlos Monteiro disse:

Muito, muito obrigado !!

Amei ler tudinho !!!

Vou guardar com carinho !!

Klécia disse:

Que bom que gostou, Carlos! Viver no Rio tem sido uma aventura e tanto!

Romis lira disse:

klécia vc é o cara valeu!