Centro de Florianópolis: principais pontos turísticos

Quando você pensa em visitar a capital de Santa Catarina, qual a primeira coisa que vem à sua mente? Vou arriscar aqui qual seria sua resposta: as praias de Florianópolis!

Com um litoral tão incrível e famoso, essa procura pelos pontos turísticos praieiros em Florianópolis é mais do que esperado. Mas acontece que a cidade possui vários outros atrativos.

Há muitas áreas de lazer espalhadas pela cidade, pólos gastronômicos e um comércio para quem curte comprinhas nas viagens.

Além de uma oferta incrível de restaurantes e pólos gastronômicos, em Floripa você vai encontrar uma grande quantidade de trilhas, além de passeios que combinam história e cultura.

Só pra dar um exemplo, já publicamos um post todo dedicado aos museus de Florianópolis.

Nesse post, a dica é um passeio pelo centro histórico de Florianópolis. Diferente de outras capitais, o centro de Floripa não é muito grande, e pode ser facilmente explorado a pé em poucas horas.

Reserve seu hotel em Florianópolis

Em uma manhã ou uma tarde, você pode conhecer a maioria dos pontos turísticos da região, e ainda aproveitar a gastronomia local. É um programa que pode render belas fotos e muito conhecimento sobre a história da cidade.

Mapa do centro de Florianópolis

Para ajudar quem não conhece a cidade, aqui abaixo vai um mapa do centro de Florianópolis, marcando os principais pontos turísticos – que vamos visitar no nosso roteiro.

Vale a pena salvar no celular para consultar no dia do passeio, e localizar onde fica cada atração com mais facilidade.

Centro histórico de Florianópolis: principais pontos turísticos

Praça XV de Novembro

Vamos começar nosso roteiro pelo centro de Florianópolis por ela que é uma das praças mais importantes, históricas (e bonitas) da cidade: a Praça XV de Novembro.

E por que vamos começar por aqui? Bem, dá pra dizer que a Praça XV é o coração do centro histórico de Florianópolis. Muitas das outras atrações que vamos visitar no roteiro pelo centro ficam ao redor da praça, ou bem perto dela. Então começar por aqui é uma decisão estratégica.

Eu realmente acho a Praça XV bem interessante. O espaço verde que ganha ainda mais destaque por conta das árvores de porte avantajado, principalmente as grandes figueiras e palmeiras imperiais que circundam a praça. 

Praça XV, Florianópolis
Foto: Second-Half Travels via Flickr (CC BY-NC 2.0)

A história da Praça XV tem a ver com a história de Florianópolis, pois foi ali que, em 1662, o bandeirante Francisco Dias Velho fundou a Vila Nossa Senhora do Desterro, que deu início ao povoamento que se transformaria na cidade de Florianópolis.

Inclusive, bem no centro da praça está a Figueira Centenária, uma árvore repleta de lendas e superstições.

A tradição conta que essa árvore nasceu em 1871, em frente à Catedral de Florianópolis, e teria sido transplantada para a praça em 1891. Dizem que, para atrair casamento ou dinheiro, basta dar algumas voltas em torno do tronco gigante. Não custa arriscar, né?

Na Praça XV, você ainda vai encontrar alguns monumentos relacionados com a história de Santa Catarina, como o Monumento em honra aos heróis mortos na Guerra do Paraguai e bustos de alguns artistas e personalidades catarinenses.

A maioria dos prédios em volta da praça também são históricos e merecem uma espiada.

Inclusive, vamos seguir nosso roteiro pelo centro de Florianópolis visitando três desses monumentos: o Palácio Cruz e Sousa (que abriga um excelente museu em Florianópolis), a Catedral de Florianópolis e o Memorial a Mira Mar.

Palácio Cruz e Sousa

Logo em frente à catedral está o Palácio Cruz e Sousa, que por décadas serviu como a sede do governo de Santa Catarina e chegou a receber a visita dos imperadores Dom Pedro I e Dom Pedro II.

Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa
Foto: Márcio Cabral de Moura via Flickr (CC BY-NC-ND 2.0)

Não se sabe a data exata de sua construção, mas estima-se que tenha sido antes de 1785.

Hoje, ele abriga o Museu Histórico de Santa Catarina, um dos principais museus da cidade, que acolhe exposições temporárias e um acervo permanente que vale a pena visitar.

O prédio é tombado como Patrimônio Histórico de Santa Catarina e você vai facilmente entender o porquê.

A arquitetura do palácio, em si, também é uma atração. A fachada é imponente, e o andar térreo se comunica com o andar superior por meio de uma magnífica escada dupla, além de muitos ornamentos que decoram das paredes ao teto.

Na exposição permanente em exibição no andar superior, você pode ver como o edifício era antigamente, com pinturas, mobílias e objetos de decoração originais.

No térreo, uma pequena exibição conta mais sobre a história do palácio, e há um salão para receber as exposições temporárias.

Vale a pena ainda passear pelos jardins e visitar o mausoléu onde estão os restos mortais de João da Cruz e Souza (que dá nome ao palácio e foi um dos principais artistas do Simbolismo no Brasil).

Catedral Metropolitana de Florianópolis

A bonita Catedral Metropolitana de Florianópolis é um prédio tombado como patrimônio histórico nacional, e seu nome “completo” Catedral de Nossa Senhora do Desterro.

A igreja foi construída em 1678 a mando do bandeirante Francisco Dias Velho – aquele mesmo que iniciou o povoamento na região e deu origem à cidade.

Catedral de Florianópolis
Foto: Caio Vilela/MTur via Flickr (Public Domain Mark 1.0)

Subindo os degraus de sua escadaria, prepare-se para encontrar um bonito acervo de arte sacra, um órgão de tubos importado da Alemanha e um carrilhão de cinco sinos, que até hoje repicam pela cidade.

Outro destaque do interior da catedral é a escultura “Fuga para o Egito”, do artista tirolês Demetz Groeden. Construída usando dois blocos macicos de cedro, a imagem em tamanho real reproduz a fuga da Sagrada Família, fugindo da perseguição de Herodes.

Memorial ao Mira Mar

Vamos agora caminhar para o lado oposto da Praca XV de Novembro, mais precisamente, na Praça Fernando Machado, para visitar outro de interesse histórico no centro de Florianópolis, o Memorial ao Mira Mar.

Trata-se de uma homenagem ao antigo Trapiche Municipal Miramar, que foi construído em 1925 e servia como ponto de embarque e desembarque para quem fazia o trajeto de barco ilha-continente.

E você pode se perguntar porque um trapiche foi construído tão longe do mar. Pois bem, aqui vai uma informação importante e que vai dar sentido a tudo: toda essa região do centro de Florianópolis, do antigo trapiche até o mar, foi aterrada.

Antigamente, o mar vinha mesmo até ali, nas proximidades da Praça XV, mas o crescimento da cidade transformou completamente essa região do centro de Florianópolis.

Na época em que foi construído, o trapiche de Mira Mar era um símbolo da modernidade em Florianópolis, por facilitar o trânsito entre o continente e a ilha.

O seu portal de acesso representava essa época de ouro, e foi construído como uma verdadeira obra de arte, combinando vários estilos arquitetônicos combinados.

Em 1928, foi inaugurado o Bar Mira Mar em um prédio anexo ao trapiche. O estabelecimento funcionava ao mesmo tempo como confeitaria, restaurante e bar, e era frequentado pelas famílias mais ricas de Florianópolis, que vinham ao trapiche para fazer a travessia ou “ver e ser visto” nessa área de certa forma nobre da antiga Florianópolis.

Mas o tempo passou, as coisas mudaram, e o antigo trapiche foi entrando em decadência. A estrutura foi parcialmente derrubada para abrigar um teatro de arena, que não vingou a estrutura do trapiche acabou sendo completamente demolida.

Depois de muitos anos e disputas sobre a melhor forma de reviver essa memória, a prefeitura decidiu construir o Memorial, que tenta reproduzir a planta arquitetônica básica do trapiche. O local escolhido é exatamente o local onde antes funcionava o Bar Mira Mar.

Muita gente critica o monumento, por ser uma reprodução muito simplista, representando apenas o frontão do que foi o lendário trapiche.

De toda forma, é um lugar que representa muito da história de Florianópolis e fica nas proximidades, por isso entrou para nossa lista.

Museu Victor Meirelles 

Para os fãs de museus, tenho mais um ponto turístico para indicar na região. Apenas um quarteirão atrás da Praça XV, você pode visitar mais um dos museus de Florianópolis: o Museu Victor Meirelles.

Esse museu está instalado desde 1952 na casa onde nasceu esse artista catarinense. Funciona como espaço para divulgação de suas obras, além de acolher exposições temporárias de outros artistas locais.

Museu Victor Meireles, Florianópolis
Foto: Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania – via Flickr (CC BY 2.0)

No acervo permanente, há pinturas a óleo, aquarelas e desenhos de Victor Meirelles, cobrindo várias fases de sua trajetória artística.

O museu pode ser visitado gratuitamente, de terça a sexta, das 13h às 18h.

Calçadão da Felipe Schmidt e Conselheiro Mafra

A partir da Praça XV, nascem duas ruas comerciais de muita tradição na cidade de Florianópolis: a Rua Felipe Schmidt e a Rua Conselheiro Mafra.

No calçadão da Felipe Schmidt, você pode apreciar vários prédios históricos, a maioria em bom estado de conservação.

Calçadão da Felipe Schmidt, Florianópolis
Foto: Willian Silveira (will) via Flickr (CC BY-NC 2.0)

Um que vale destacar em especial é o histórico Ponto Chic, mais conhecido como Café Senadinho, local de importantes acontecimentos políticos e boêmios no centro de Florianópolis, que em 2020 reabriu as portas após reforma.

Já a Rua Conselheiro Mafra, paralela a rua Felipe Schmidt, também tem caráter comercial, construído em cima de prédios centenários. Passeando por ela, você vai encontrar a próxima parada do nosso roteiro pelo centro histórico de Florianópolis: a Casa da Alfândega.

Largo e Casa da Alfândega

Largo da Alfândega é uma grande praça que fica em frente ao prédio da antiga alfândega de Florianópolis. A Casa da Alfândega foi inaugurada em 29 de julho de 1876, escolhida por coincidir com o aniversário da princesa Isabel.

O prédio histórico funcionou por mais de 90 anos, atendendo ao porto marítimo de Florianópolis até o encerramento de suas atividades, em 1964.

Casa da Alfândega de Florianópolis
Foto: Daniel Vianna/MTur via Flickr (Public Domain Mark 1.0)

O monumento no centro da praça é uma representação dos bilros, peças de madeira que ajudam a criar as rendas de bilro, tradição do artesanato local. Muitas feirinhas de artesanato e apresentações culturais em Florianópolis acontecem aqui no Largo da Alfândega.

Desde 1988, o prédio da Casa da Alfândega passou a abrigar o projeto Galeria do Artesanato, encabeçado pela Associação de Artistas Plásticos de Santa Catarina. Os estandes expõem e vendem obras de artistas de várias partes do estado, por isso a Casa da Alfândega é um excelente lugar para comprar lembrancinhas de viagem.

Mas atenção: desde 2019, o prédio entrou em processo de restauração, e o projeto Galeria do Artesanato está funcionando provisoriamente em um prédio histórico da Praça XV (Praça XV de Novembro, 270 – marcado em vermelho no mapa).

Mercado Público Municipal

Quem segue caminhando pela Rua Conselheiro Mafra vai encontrar com os fundos de outro prédio muito importante para a história da cidade: o Mercado Público de Florianópolis.

Esse é um dos lugares mais legais para visitar no centro de Florianópolis.

Eu diria até que é um daqueles pontos turísticos que deviam entrar em todos os roteiros, mesmo se você não quiser conhecer os outros pontos turísticos do centro de Florianópolis, deveria visitar pelo menos o Mercado Público.

Mercado Público de Florianópolis
Foto: Daniel Vianna/MTur via Flickr (Public Domain Mark 1.0)

O prédio histórico foi construído em 1851, no Largo do Palácio, bem na frente do mar. Como faltou espaço para abrigar todos os vendedores, foi construído um galpão anexo, que ficou conhecido como Galpão do Peixe, inaugurado em 1891.

Muitas mudanças ainda vieram depois, sempre para modernizar a estrutura e atender melhor os clientes, mas buscando preservar ao máximo a estrutura arquitetônica que é patrimônio histórico e cultural de Florianópolis.

Hoje o Mercado abriga, além dos estandes de vendedores (que negociam desde calçados e roupas até artigos de pesca e produtos frescos), além de restaurantes e bares que atraem turistas e locais para um happy hour, quase sempre com música.

As ostras vendidas no Mercado Público de Florianópolis são muito famosas na ilha, e ficam como sugestão de prato ou petisco para quem vai fazer a visita.

Para visitar o Mercado Público de Florianópolis, se programe: em dias úteis, ele funciona das 7h às 19h, e aos 7h às 14h aos sábados. Já os bares seguem funcionando até 22h em dias úteis e às 17h em finais de semana e feriados.

Vale citar também que, no canteiro central da Av. Paulo Fontes, em frente ao Mercado Público, funcionam várias barracas de camelôs, inclusive vendendo comidas típicas.

Para esticar o roteiro: atrações no grande centro de Florianópolis

As duas próximas atrações que vou indicar ficam um pouco afastadas desse miolo de pontos turísticos que visitamos até então, por isso só vale inclui-las no roteiro se você está com tempo e disposição para caminhar mais um pouco, ou se está de carro.

Quer alugar carro em Florianópolis? Faça uma cotação online e gratuita

Trapiche da Av. Beira-mar Norte

Que tal dar uma voltinha a beira-mar? Embora o trapiche da Avenida Beira-mar Norte fique um pouco afastado do centro histórico, compensa o deslocamento com a vista!

Trapiche da Avenida Norte, Florianópolis
Foto: Caio Vilela/MTur via Flickr (Public Domain Mark 1.0)

Você pode começar pela Praça de Portugal, onde está o Trapiche Municipal de Florianópolis. O trapiche tem 62 metros de extensão e é utilizado principalmente por pequenos barcos.

Na Praça de Portugal, há um quiosque e uma simpática área de lazer, com academia, mesas e bancos para sentar e apreciar a paisagem.

Há poucos anos, toda a praça no seu entorno foi restaurada, com calçadas mais largas, novos equipamentos de lazer e o plantio de mais árvores.

Ao longo de toda a Av. Beira-Mar Norte, foi construído um grande calçadão arborizado e uma ciclovia. Se você parte do trapiche e caminha para o lado esquerdo, pode ir até a Ponte Hercílio Luz, um dos mais maiores cartões-postais de Florianópolis.

Para quem escolhe seguir pela direita, após uma boa caminhada, você encontra o mais antigo e tradicional shopping de Florianópolis, o Beiramar Shopping.

Mirante do Morro da Cruz

Apesar de ainda estar no centro da cidade, o Mirante do Morro da Cruz fica do lado totalmente oposto ao Trapiche Municipal, por isso a recomendação é que você vá até lá de carro.

Esse mirante fica a uma altitude de 285 metros, e de lá você vai apreciar uma vistas incrível tanto do centro de Florianópolis, quanto das baías norte e sul da ilha.

Em dias de tempo bom, dá até pra ver toda a região continental de Florianópolis. Muitos fotógrafos procuram esse mirante para fazer fotos panorâmicas da ilha.

Mirante do Morro da Cruz, Florianópolis
Foto: Giuliano Maiolini via Flickr (CC BY-NC 2.0)

Apesar da subida íngreme, o acesso é tranquilo, por uma estrada asfaltada.

Também é possível o acesso via trasporte público. Há um ônibus da linha Morro da Cruz que parte da plataforma A no Terminal Central da Cidade e leva cerca de 15 minutos até o mirante.

Outros pontos turísticos de Floripa

Nesse texto tentamos mencionar alguns dos principais pontos turísticos apenas do centro cidade de Florianópolis. É claro que a cidade tem muito mais a oferecer do que apenas os lugares que foram citados aqui.

Aqui no blog, vocês podem conferir também um post sobre as principais praias de Florianópolis e outro com dicas de museus em Florianópolis. Confira as dicas e monte um roteiro bacana na cidade!

Também recomendo o post do blog Turista Profissional, que montou um guia completo sobre o que fazer em Florianópolis.

Mas conta pra gente: você se animou a dar esse rolé pelo centro de Florianópolis? Quais dicas você pretende usar na sua viagem?

Se quiser deixar alguma dica ou comentário, estamos abertos a sugestões: Acha que deixamos de mencionar algum lugar muito importante nesse passeio? Fala aqui pra gente nos comentários!

Foto em destaque: Foto: Caio Vilela/MTur via Flickr (Public Domain Mark 1.0)

Avatar for Thiago Amaral
Thiago Amaral
Thiago é um professor de Inglês que, apesar dos seus (já) 30 e poucos, ainda vai ser jornalista. Não viaja tanto quanto gostaria, mas também um dia o fará. Por ora, se arrisca escrevendo sobre assuntos aleatórios e eventualmente viaja com sua esposa Marcela e filha Alice. E por isso foi convidado a escrever (eventualmente) neste blog: para dar dicas e contar sobre a experiência de viajar em família e com criança.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *