Igrejas de Salvador, Bahia: roteiro pelo centro histórico

Diz a lenda que existem 365 igrejas em Salvador, uma para cada dia do ano. A Arquidiocese de Salvador conta algumas a mais e diz que existem no total 372 templos católicos na cidade.

Mas não se engane: as igrejas de Salvador representam muito mais que uma religião. São símbolos da história do nosso país, da formação e cultura do nosso povo.

Fiquei tão admirada com a riqueza da arquitetura sacra de Salvador, que achei que era mais que justo fazer um post só pra contar um pouquinho do que vi e aprendi visitando algumas das igrejas de Salvador.

Num roteiro básico pelo Centro Histórico de Salvador e Pelourinho, você vai encontrar algumas das mais importantes igrejas de Salvador. A maioria delas cobra uma pequena taxa de visitação.

Para ter ideia do preço e do que esperar em cada uma, estabeleci uma lógica básica:

Igrejas ornamentadas com ouro eram mais caras, custavam cerca de R$5,00 por pessoa.

Igrejas mais simples (sem ouro) custavam aproximadamente R$3,00 por visitante.

Igrejas de Salvador: um roteiro de beleza e muita história

Eu não resisto ao passar na frente das portas de uma igreja. Sempre fico curiosa pela história e arquitetura, e acabo visitando várias em nossas viagens.

Preparei uma lista com as impressões sobre as igrejas de Salvador que nós já visitamos. Assim você pode organizar seu roteiro!

Leia também: 
+ Como visitar o Castelo Garcia D’Ávila na Praia do Forte, Bahia

1 – Igreja da Ordem Terceira de São Francisco

A fachada da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco chama atenção logo de cara. Ela é toda esculpida em pedra arenito, sendo a única igreja no Brasil com essa característica.

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A construção do templo atual começou em 1702. A fachada foi primeiro construída em estilo barroco, mas no século XIX o estilo foi substituído pelo neoclássico.

As ordens terceiras eram confrarias católicas, mas não eram formadas por padres.

Seus membros eram homens brancos leigos com prestígio na sociedade, que desempenhavam importante papel na construção de templos e realização de eventos religiosos. 

Uma curiosidade: A primeira ‘Ordem Terceira’ da Igreja Católica foi instituída por São Francisco de Assis, que idealizou uma forma dos fiéis leigos seguirem uma vida espiritual parecida com a dos religiosos da ordem, mas sem precisar viverem nos mosteiros.

Ficou assim instituído que a ordem primeira era para monges, a ordem segunda para as freiras e ordem terceira para pessoas inseridas na vida social.

Sobre os detalhes da arquitetura, a igreja da Ordem Terceira em São Francisco tem lindos painéis de azulejos portugueses no pátio.

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Também me chamou muita atenção a Sala dos Santos, com várias imagens em tamanho natural, como o Senhor dos Passos, Nossa Senhora da Conceição e Nossa Senhora das Dores.

Há também uma escultura do Senhor Morto, de autoria de Francisco das Chagas Xavier, em que as gotas de sangue são representadas por rubis. 

A Igreja da Ordem Terceira de São Francisco situa-se ao lado da Igreja e Convento de São Francisco.

Instagram blog Fui Ser Viajante

2 – Igreja e Convento de São Francisco

Uma das igrejas mais famosas –  e lindas de Salvador.

Externamente, ela perde em beleza se comparada à vizinha, a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco. Mas lá dentro, ela é completamente majestosa.

Igreja e Convento de São Francisco
Foto: Fui Ser Viajante

A riqueza de detalhes em seu interior de estilo barroco já ganhou fama internacional.

E é impossível não se deslumbrar com os detalhes de uma igreja enorme com o interior completamente talhado em madeira e ouro.

Igreja e Convento de São Francisco, Salvador
Foto: Fui Ser Viajante

Tenho que confessar que pouco olhei para as imagens, de tanto que as paredes, a obra como um todo, chamava a atenção.

É difícil fixar o olhar em alguma coisa quando você está frente a frente com tantos detalhes!

Que relíquia em história, arquitetura, religiosidade e cultura!

Igreja e Convento de São Francisco
Foto: Fui Ser Viajante

A igreja contém duas pias de pedra, doadas por D. João V, rei de Portugal. O teto tem lindas pinturas, não deixe de olhar pra cima!

No pátio externo que comunica com o convento, mais um banho de delicadeza e história, nos azulejos portugueses que fazem a decoração.

Siga o blog Fui Ser Viajante no Youtube
Igreja e Convento de São Francisco, Salvador
Foto: Fui Ser Viajante

3 – Igreja da Ordem Terceira de São Domingos Gusmão

Essa igreja fica no Terreiro de Jesus, uma das regiões mais antigas de Salvador.

A fachada é em estilo rococó, mas o interior é neoclássico com alguns detalhes em ouro.

greja da Ordem Terceira de São Domingos Gusmão, Salvador
Foto: Fui Ser Viajante

Mais uma igreja que era barroca por dentro, e depois acabaram mudando o estilo com reformas.

O teto tem uma pintura incrivelmente linda e o altar-mor tem uma clarabóia que muda completamente o ar dentro da igreja, traz uma luz linda.

No teto tem uma pintura incrível, de aspecto ilusionista, que dá uma dimensão de profundidade.

greja da Ordem Terceira de São Domingos Gusmão, Salvador, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

4 – Catedral-Basílica Primacial de Salvador

A Catedral fica no Terreiro de Jesus também, que tem ainda outros prédios lindos, como a Faculdade de Medicina.

Infelizmente, quando fomos em Salvador, essa igreja estava fechada para reformas. Ficamos admirando só a fachada, que é muito imponente. 

Catedral-Basílica Primacial de Salvador
Foto: Fui Ser Viajante

5 – Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos

Situada no Pelourinho, a Igreja de Nossa Senhora dos Pretos foi fundada em 1685.

Foi construída inteiramente por homens pretos, muitos deles escravos, já que eles não podiam circular livremente pela igreja dos homens brancos.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A irmandade dos homens pretos que construiu a igreja acabou se tornando Ordem Terceira em 1899.

Por dentro, a igreja é bem bonita e foi uma das que mais gostei, pela história envolvida na sua construção.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Nas laterais, lindos azulejos fazem a decoração – acredita-se que eles foram confeccionados na Fábrica do Rato, em Portugal pelo renomado artista português Francisco Gonçalves da Costa.

E olhem a linda pintura do teto! De tirar o fôlego!

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Outra coisa legal dessa igreja é que ela tem várias imagens de santos negros, como São Benedito.

6 – Igreja do Santíssimo Sacramento da Rua do Passo

Essa foi mais uma Igreja que estava fechada para restauração quando visitamos Salvador.

Tantas reformas até me deixam feliz em ver que alguns cuidados estão sendo tomados para que o patrimônio seja preservado.

A igreja foi construída em um terreno de forte declive, o que lhe rendeu um lindo diferencial: a linda e enorme escadaria em frente à Igreja.

Igreja do Santíssimo Sacramento da Rua do Passo, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A escadaria foi cenário do filme O Pagador de Promessas (1962), único filme brasileiro a vencer a Palma de Ouro de Cannes. Era na escadaria que a promessa deveria ser paga.

No filme, a igreja é chamada de Igreja de Santa Bárbara, mas, na verdade, é a Igreja do Passo. Essas escadarias também foram o palco da gravação do clipe The Obvious Child, de Paul Simon com o Olodum.

Nos arredores da igreja, podemos ver vários sobrados dos séculos XVIII e XIX. Bem ao lado da Igreja, está a casa de Castro Alves.

A igreja pode ser acessada tanto pela estreita rua do Passo, quanto pela larga escadaria em frente, que liga a Ladeira do Carmo com a Rua do Passo.

7 – Igreja da Ordem Primeira e Convento do Carmo

Essa Igreja fica no Alto do Carmo, ao lado da Igreja da Ordem Terceira do Carmo. O conjunto da Igreja e Convento foram construídos no século XVII, e possuem estilo neoclássico.

Igreja da Ordem Primeira e Convento do Carmo, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Contam que a sacristia é uma das mais belas do Brasil, mas a gente não conseguiu visitar.

Aqui funcionou o maior convento da Ordem do Carmo no mundo. Na época da invasão holandesa no Brasil, o Convento abrigou o Quartel General das forças de resistência e foi ali que os holandeses assinaram a rendição. 

Igreja da Ordem Primeira e Convento do Carmo, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Atualmente, o convento está desativado e no local abriga um hotel de luxo, o Hotel Pestana.

8 – Igreja da Ordem Terceira do Carmo

Essa foi uma das igrejas que achamos mais bonitas! São muitos detalhes em ouro e uma linda pintura sacra no teto.

A igreja da Ordem Terceira do Carmo começou a ser construída em 1644, mas em 1788 ela foi quase totalmente destruída por um incêndio. Salvaram-se apenas algumas imagens.

 Igreja da Ordem Terceira do Carmo, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

O novo templo, que começou a ser construído logo após o incêndio, levou 50 anos para ser concluído. A fachada é decorada com pedras de Lioz (trazidas de Portugal).

Os altares do interior foram decorados em estilo neoclássico.

Dentro, são vários salões para reuniões da Ordem e uma linda sacristia. Das janelas superiores, dá pra ter uma vista do Centro Histórico.

 Igreja da Ordem Terceira do Carmo, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A única tristeza foi o estado de conservação desse templo, que era bem preocupante. Muitos bancos sem cuidado, paredes e altares laterais precisando de restauração. Uma pena.

Por uma escadaria lateral, é possível acessar a área do coro no andar superior.

Lá está um exemplar de um antigo órgão de tubos, construído pelo francês Aristide Cavaillé-Coll, em 1888, que tem fama de ser o mais renomado construtor de órgãos do século XIX. 

Além da visita à Igreja, é possível visitar as antigas catacumbas no subsolo da Igreja, que é bem interessante.

Igreja da Ordem Primeira e Convento do Carmo, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

9 – Igreja Basílica Santuário Senhor Bom Jesus do Bonfim

A Igreja do Senhor do Bonfim é uma das igrejas mais famosa do Brasil.

É lá que acontece a famosa festa do Senhor do Bonfim e a celebração da lavagem das escadarias, na segunda quinta-feira de janeiro, depois do Dia de Reis.

Basílica do Senhor do Bonfim, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Aqui a gente vê bem como os ritos católicos e afro-brasileiros se misturam de uma forma mística e culturalmente interessante em Salvador.

Enquanto a primeira cultua o Senhor do Bonfim como a representação do Cristo crucificado, no candomblé, ele é sincretizado com Oxalá.

Ambas entidades sofreram e foram purificadas.

A Festa de Nosso Senhor do Bonfim é um marco da população da Bahia.

Tão forte e intensamente presente na população, que ela até foi, em parte, trasladada para a África pelos agudás, africanos que saíram da Bahia e retornaram ao Benin.

A igreja foi construída entre 1746 e 1754 para abrigar uma imagem do Senhor Bom Jesus do Bonfim, trazida de Lisboa em 1745. 

A arquitetura é em estilo neoclássico e a fachada tem traços de rococó.

Igreja Basílica Santuário Senhor Bom Jesus do Bonfim, Salvador
Foto: Fui Ser Viajante

Segue a influência das igrejas portuguesas, com seus afrescos e azulejos. Na frente, os muros estão tomados de fitas coloridas, as fitas do Bonfim, que carregam os pedidos dos fiéis.

As fitinhas do Senhor do Bonfim são confeccionadas desde o início do século 19. Originalmente, devem ter a medida do comprimento do braço direito até o peito da imagem do Senhor do Bonfim.

O que fazer em Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Hoje podemos dizer que a Igreja do Bonfim é um dos maiores patrimônios da cidade, atraindo peregrinos, religiosos e turistas ao local.

10 – Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia

Essa igreja fica bem em frente ao mar, na cidade baixa. Descendo do Elevador Lacerda, siga para a esquerda, no sentido oposto ao do Mercado Municipal.

A ordem de construção partiu de Tomé de Sousa, primeiro governador-geral do Brasil, logo após sua chegada na Bahia, em 1549.

A imagem de Nossa Senhora da Conceição foi trazida no barco do governador, que também era dedicado à santa.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, Salvador, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A igreja atual foi construída a partir de 1736, sobre essa antiga capela. Partes da construção anterior foram descobertas no interior da igreja atual há alguns anos.

Em 1832, quando a expedição de Charles Darwin passou por nossas terras, Augustus Earle fez uma das mais belas ilustrações de Salvador do século 19, na qual se vê a Igreja com suas majestosas torres.

O curioso sobre a construção é que a igreja foi pré-fabricada em Portugal e transportada de navio para o Brasil.

As pedras de cantaria vieram numeradas, e os lindos azulejos portugueses que decoram a Igreja também merecem destaque. Nossa Senhora da Conceição é considerada padroeira da Bahia, e foi nessa igreja que a Irmã Dulce foi sepultada.

Leia também: O charme de Congonhas, a cidade dos 12 profetas de Aleijadinho

Igrejas de Salvador: quais visitar?

Precisaremos de várias outras visitas para conhecer mais sobre o Patrimônio Arquitetônico de Salvador, que inclui tantas construções históricas.

É impossível visitar todas as Igrejas de Salvador, e diria que também é difícil escolher quais visitar. Eu diria que, entre todas, essas 10 citadas no post são algumas das mais importantes. Vale a pena visitar qualquer uma delas.

Tenho uma verdadeira admiração por arte sacra e pela dedicação à construção e decoração dos templos religiosos na história do Brasil.

Quero voltar um dia para conhecer outras das numerosas igrejas que não visitamos ou que estavam em reforma nesta visita. Mas voltei pra casa com o coração cheio de alegria.

Pude ver de perto uma parte tão importante da nossa história! Aprendi muito sobre o Brasil Colônia e suas relações com a religiosidade. Salvador dá um banho de cultura, arquitetura e arte.

E se você gosta de história e cultura, indico que leia, antes da viagem, alguns posts sobre a região.

Temos um post com dicas de o que fazer em Salvador em 2 dias, e também indico o Guia Completo do Pelourinho, publicado no blog Meu Destino é Logo Ali.

> Alugue um carro em Salvador
> Reserve seu hotel em Salvador

Planeje sua viagem

Queremos que você saiba: esse post contém links de afiliados. Isso quer dizer que, ao clicar e fazer sua reserva a partir desses links, você apoia nosso trabalho (sem pagar nada a mais por isso). Queremos te dizer muito obrigado!

Para saber mais sobre nosso trabalho e conhecer nossos parceiros, consulte a política do blog.

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
elena orge pimenta machado disse:

Klécia, que excelente relato! De grande valia para quem vier conhecer Salvador e até para os nativos, como eu. Sou baiana, de Salvador e confesso que não conheço alguns lugares que você citou, como o Museu da Gastronomia Baiana e o Centro Cultural Solar do Ferrão. Já vou tratar de ir lá! Quando vier novamente, dedique uma manhã ou uma tarde para conhecer o bairro de Santo Antonio Além do Carmo, Santo Antonio Além do Carmo, que reputo como uma verdadeira relíquia. Tombado pela UNESCO como patrimônio da humanidade, é formado de casarios coloniais como o Pelourinho mas com a diferença que é habitado. É o bairro preferido das pessoas ligadas às artes. Lá residem músicos, pintores, escultores e os seus ateliês ficam abertos à visitação pública e você pode conversar com eles. Há diversos restaurantes cujas varandas tem vista para o mar! Vale muito a pena conhecer o Cafélier, que é ao mesmo tempo um cafeteria, galeria de arte e atelier. A vista para a Baia de Todos os Santos é simplesmente espetacular e proporciona um por do sol inesquecível! E também aí temos um forte, o Forte Santo Antonio Além do Carmo, onde costumam acontecer rodas de samba e de capoeira. E, como não poderia faltar, há a Igreja de Santo Antonio, de valor histórico por que abrigou a resistência aos ataques holandeses. Parabéns pelo seu blog!

Rafael Cassemiro disse:

Oi Elena, Obrigado pelas ótimas dicas para nossa próxima visita a Salvador, e esperamos que seja muito em breve!

Wilton Ribeiro da Silva Júnior disse:

Próxima vez, visite o Museu de Arte Sacra, localizado no Convento e Igreja de Santa Tereza D’avila, descrição:Arquitetura

A edificação com localização privilegiada, no alto da escarpa, conta com uma área total construída de 5.250m², inserida em uma área livre de 8.000m².
A arquitetura da Igreja de Santa Teresa D’ Ávila é nitidamente de influência renascentista, com destaque para sua torre sineira ou “espadaña” e para sua imponente e erudita fachada com modenatura de traço maneirista. Marcante também, as duas grandes volutas que ladeiam o corpo central e prenunciam o estilo barroco que marca definitivamente todo o século XVIII no Brasil.
Internamente chamamos atenção para os confessionários integrados na própria arquitetura, únicos no país, como também para a elegante cúpula sobre pendentes no transepto da igreja, com coroa de consolos lavrada primorosamente em arenito. A Igreja une-se ao convento através de um claustro de sóbrias proporções. Obra prima de bom gosto, o conjunto de arcadas em pedra de arenito e de gosto renascentista é formado por uma harmoniosa seqüência de arcos sobre pilastras dóricas que sustentam a cimalha circundante. Os corredores deste claustro são valorizados pela cobertura em abóbadas de arestas, caiadas de branco.

Klécia disse:

Olá Wilton! Dicas preciosas anotadas para nossa próxima viagem a Salvador <3

Júlio Ferreira disse:

São Salvador da Bahia de Todos os Santos, já foi a maior arquidiocese da Terra, não à toa é uma das cidades que mais possui igrejas no mundo. Tem mais igrejas que os dias do ano e uma mais bela que a outra, a maioria do barroco português. Aliás, o Brasil tem milhões de igrejas belas e clássicas. Infelizmente são divulgadas na mídia as mais estranhas, como as novas catedrais do Rio de Janeiro e Brasília, com arquitetura moderna e gosto duvidoso, mas as barrocas e as neo-góticas serão sempre mais belas.

Rafael Cassemiro disse:

Oi Júlio, As igrejas da Bahia são realmente um absurdo de lindas.. eu mesmo não consigo escolher minha favorita.. ricas principalmente em história!!
Obrigado pela visita e pelo comentário!!

Paula Abud disse:

Eu também amo histórias, Klécia e amo visitar igrejas! Desde bem pequena minha mãe me ensinou que em cada igreja, que nunca entrei, quando entrar uma primeira vez poderia fazer um pedido e depois uma prece. Sigo com essa tradição até hoje!
Sou à moda Antiga haha, fiquei encantada com as igrejas, mas a que me deixou boquiaberta, tanto pelo interior quanto exterior foi a da Ordem Terceira, que arquitetura perfeita!
Sempre que viajamos eu procuro conhecer as igrejas porque ali estão muitas histórias, parabéns como sempre!
Beijo!

Klécia disse:

Ow Paula, minha mãe me ensinou a mesma coisa! E continuo com a tradição, e continuo tendo desejos realizados 🙂 Muito bom manter as nossas tradições vivas! A da Ordem Terceira é de tirar o fôlego mesmo!

gentedoceo quanta igreja, não imaginava que tinha tantas! e cada uma bem diferente da outra né, algumas cheias de detalhes e outras clean! interessante essa comparação com portugal!

Klécia disse:

Lembra um pouquinho mesmo o interior de Portugal, né? Olinda também lembra muito!

Eu também tenho essa little thing com coisas antigas! Belissimas as igrejas, uma pena que nem todas se mantiveram bem conservadas ne?

Klécia disse:

<3 coisas antigas. Pena mesmo, torço muito pra um dia nosso pais valorizar mais suas origens, cultura e tradição!

Oi, Klécia, parabéns pelo post, super guia das igrejas! Passei algumas horas em Salvador e elas foram o foco principal. Pena que só li agora, teria aproveitado melhor as visitas.

Klécia disse:

Pra quem gosta de passeio histórico-cultural, vale muito a pena passar pelas igrejas de Salvador, não é Marcia? 🙂

Que arquiteturas lindas! Eu ainda não conheço Salvador, mas gosto muito de visitar igrejas quando viajo. Amei tuas dicas!

Klécia disse:

Obrigada, Kat 🙂 As arquiteturas são lindas mesmo!

Eu adoro visitar igrejas quando viajo. Dependendo da cidade ou do país os estilos são muito diferentes.
Adorei conhecer as igrejas de Salvador, são muito lindas!

Klécia disse:

São lindas mesmo, Juny! E sempre passo nas igrejas quando visito um lugar! Contam um bocado da história do destino!

Ju Garzon disse:

O que é essa igreja de São Francisco? Gente! Olha, eu já entrei em tudo quanto é igreja que vi pela frente, em diversos países, mas nunca vi isso! Sério, voltei no post para ver de novo, nem sei mais o que dizer. Estou literalmente de boca aberta. kkkk

Klécia disse:

Fantástica, né? Fiquei desse mesmo jeito que você quando vi ao vivo! 🙂

Dayana disse:

Salvador é recheado de igrejinhas bonitas e, portanto, um prato cheio para quem curte um turismo religioso, né? Confesso que não sou muitoooo fã, mas de vez em quando passo por uma. hahaha Só para ver essa arquitetura lindona mesmo. 😛

Klécia disse:

Só pela arquitetura vale demais a pena já! 🙂

esse passeio me lembrou muito um que fiz por Ouro Preto, adoro visitar as igrejas coloniais, com certeza quero fazer esse passeio em Salvador, todas as igrejas são lindas!

Klécia disse:

Lembra Ouro Preto sim! Inclusive, uma cidade que preciso conhecer ainda!

Ana Carolina Miranda disse:

Salvador tem mesmo muitas igrejas lindas. Gostei muito de conhecer a do Senhor do Bonfim e me surpreendi com o Memorial da Irmã Dulce. Achei o lugar incrível!

Klécia disse:

Não visitei o Memorial da Irmã Dulce! Vou anotar pra outra passada na cidade!

Gabi disse:

Uau! Não fazia ideia que existia tanta igreja em Salvador. A gente acaba sempre ouvindo falar do Bonfim, né. Mas olha, esse Convento de São Francisco me lembrou muito o Mosteiro de São Bento, no RJ, por dentro. Muita opulência, muito barroco, muito lindo! Eu já fi pra Salvador algumas vezes, mas sempre para ir pra outro lugar, tipo Morro de SP ou Praia do Forte. To querendo muito conhecer melhor a cidade, e ver essas riquezas todas.

Klécia disse:

A gente se surpreende com a quantidade né? Fiquei assim também quando visitei Olinda pela primeira vez, anos atrás. É igreja que não acaba mais! haha

Gabriela disse:

Que post bacana. Não conheço Salvador, uma pena, pois adoro o clima baiano. Essas igrejas são realmente lindas e contam muitas histórias mesmo! Achei incrível o seu post. Parabéns!

Klécia disse:

Obrigada, Gabriela! Tomara que você vá em breve a Salvador! O clima é mesmo muito bom!

Leo Vidal disse:

Adoro visitar igrejas quando viajo. Sempre pesquiso antes nas cidades que visitarei quais são as mais interessantes para conhecer. Acabo me surpreendendo com algumas pequenas e não tão conhecidas na maior parte das vezes. As de Salvador ainda não conheço, mas já estou com um ótimo roteiro após ler esse post bem completo.

Klécia disse:

Espero que o roteirinho sirva pra você, Leo! Tem várias outras igrejas na cidade, tantas que é impossível conhecer todas. Mas essas chamaram minha atenção 🙂

Acho que me sentiria em casa em Salvador! Essas fotos bem podiam ter sido tiradas aqui em Portugal 🙂 Obrigada pela partilha!

Klécia disse:

Portugal deixou muito de si aqui nas terras brasileiras. Dá pra ver isso com muita clareza em cidades mais antigas como Recife, Salvador e Rio de Janeiro. 🙂

Rui Baptista disse:

Parabéns pelo post… senti-me em Portugal. Senti-me em casa 🙂

Klécia disse:

Tem um quê de Portugal em várias cidades do Brasil, e Salvador é uma delas! 🙂

Que igrejas lindas! Eu sou fascinada por turistar em igrejas. Já conheço Salvador e conheci algumas das que você mencionou no post. Parabéns pelo post!

Klécia disse:

Obrigada Ana! Também adoro visitar igrejas nas minhas viagens!

Ruthia disse:

Poderia ser em Portugal, especialmente no interior, excepto talvez a Igreja de Nossa Senhora dos Pretos, pela cor da fachada. Acho que é a mais bonita, de resto. Muitas delas estão a precisar de intervenções de conservação ou restauro urgentes, não acha?
Abraço desde Portugal
Ruthia d’O Berço do Mundo

P.S. I also have this thing with old places

Klécia disse:

Acho sim, Ruthia! Vinha comentando isso com uns amigos. Seria tão bom que valorizássemos mais o nosso patrimônio histórico e cultural!

Olá! 🙂
Para falar a verdade, não sou muito chegada a visitar igrejas, mas o seu post está muito legal, repleto de informações!
Na minha rápida passagem pelo Pelourinho, há vários anos, vi várias igrejas sendo reformadas. Se eu tivesse tido tempo para fazer um tour para conhecer a história por trás delas teria achado mais interessante. Abs!

Klécia disse:

Fiquei sabendo que parece que essas reformas estão durando anos já. Não sei se pela demora em recuperar obras tão raras ou pela morosidade do serviço mesmo. Mas vamos torcer pra que no meio do processo não se perca nada da história tão bonita do nosso país contada nesses templos 🙂

Marianne disse:

Quantas igrejas lindas! Quando estive em Salvador passeio por algumas delas, mas não entrei! Adorei ver por aqui! Quanta riqueza de detalhes, né? Lindo demais!

Klécia disse:

Muitos detalhes, muita história, muita coisa linda pra ver! 🙂

Klécia, que post bacana! Infelizmente eu não conheço Salvador ainda, mas confesso que depois de conhecer Portugal, principalmente Lisboa e ouvir o pessoal falando que Salvador é muito parecido, a cidade já entrou na minha lista. Depois de ver tanta igreja bacana fiquei com ainda mais vontade! As vezes me sinto muito mal por valorizar tão pouco o nosso país, as nossas igrejas, os nossos monumentos, mas também é muito triste ver o estado de templos tão importantes para a nossa história não é mesmo? Não que seja uma desculpa, e não é, mas isso me deixa triste! Ao mesmo tempo fiquei feliz em ver que outras já estão sendo cuidadas. 😉 Obrigada pelo post =D

Klécia disse:

Você vai curtir muito Mayte! A cidade é bem mais cuidada do que eu imaginava (embora, claro, ainda tenha muita coisa a melhorar). Mas o Brasil tem coisa linda demais pra gente visitar, fico me lembrando disso o tempo todo! Vamos torcer pra que isso seja cada vez mais valorizado e cuidado! Obrigada pela visita, Beijos

Olá! Você gosta mesmo de templos, Klécia! Quanta informação! 🙂 Para mim a Conceição da Praia é a igreja mais bonita de Salvador. Acho-a belíssima, olhando para a Baía de Todos os Santos.

Algumas delas, como A Ordem 3° de S. Francisco e a Catedral do Terreiro de Jesus eu conheço porque alguns amigos meus casaram nelas. Outras estão em reforma desde que eu me conheço por gente.

O Convento do Carmo é alguma coisa de extraordinário. É um dos meus lugares favoritos na cidade. Pena que eles proibiram a visitação. Eu costumava tomar café da manhã ali.

Enfim… parabéns! O texto está sensacional. Quem ama igrejas vai se deliciar. Volte um dia para conhecer mais, ou pelo jeito, capaz de você ser minha guia na cidade! 🙂 beijos

Klécia disse:

Querida Ana, eu gosto tanto de história, e tem tanto dela nos templos do Brasil. Logo eu, que vim de Recife e Olinda, cresci ouvindo como nossa história se misturava com as igrejas que surgiam nas ruas. A Conceição da Praia é de tirar o fôlego mesmo!! Fiquei super triste de não ter entrado na Catedral, tenho mesmo que voltar!!! Pena mesmo terem proibido a visita no convento. Espero voltar logo para conhecer Salvador com a ajuda dos seus olhos