A casa de Monet e os jardins de Giverny, na França

Sabe quando você espera muito de um lugar e a realidade supera muito a expectativa? Visitar os jardins de Monet em Giverny é como entrar numa obra de arte. A luz, os detalhes, as cores: tudo deixa a gente flutuando entre fantasia e realidade.

Depois de flanar pelos jardins, podemos ainda entrar na casa onde Monet viveu, pintou, amou e morreu. Quase dá pra sentir a alma do pintor, ainda presente em cada detalhe.

Seja você um fã do impressionismo ou apenas um curioso viajante, vale a pena separar espaço no roteiro para visitar a casa de Monet e os jardins em Giverny, na França.

Prepare-se porque esse é um daqueles programas imperdíveis, um lugar inesquecível!

Leia também: 5 dicas para saber antes de visitar Giverny

Casa de Monet e jardins de Giverny, na França

Toda poesia de Giverny, o vilarejo de Monet

Giverny é um pequeno vilarejo no norte da França. E quando digo pequeno, estou sendo bem literal. São apenas duas ruas maiores, cruzadas aqui e ali por algumas pequenas vielas. Esse vilarejo tão curioso fica na Nova Normandia, uma região francesa bem pitoresca e ainda pouco explorada pelos brasileiros.

Você pode reservar um dia (ou até meio período) para ir de Paris até Giverny de transporte público, para visitar a casa de Monet e os famosos jardins de Giverny. Vou te ensinar como chegar lá para um bate e volta de maneira fácil e rápida. E também vou te dar opções de atrações nos arredores, para quem quer curtir a região da Nova Normandia com mais calma. Tudo explicadinho mais ao final do post.Seguro viagem é obrigatório na Europa!
Faça uma cotação com a Seguros Promo e aproveite o desconto de 5% em todos os planos 

use o cupom FUISERVIAJANTE5 –

Quem paga no boleto ainda ganha mais 5% OFF!

Giverny e Monet: amor à primeira vista

Giverny é um vilarejo bem antigo, mas permaneceu esquecido pelos mapas por muito tempo. Em 1883, Monet fazia uma viagem de trem pelo norte da França e, ao olhar pela janela, viu Giverny pela primeira vez.

Imediatamente, a vila tomou conta do imaginário do artista. Monet alugou uma casa de dois pisos e se mudou para essa Giverny, de apenas 300 habitantes. Sete anos depois comprou a casa e mais tarde o terreno onde construiu o seu jardim. Ao longo dos anos, a casa de fachada rosada, o lago e as flores foram se tornando o que conhecemos hoje – a casa e o jardim dos sonhos de Claude Monet, o maior pintor impressionista de todos os tempos.

De pintor a jardineiro, o mestre do impressionismo cuidadosamente plantou cada uma das flores, escolhendo cuidadosamente a posição de cada coisa no seu jardim. Um jardim projetado para florir o ano todo, com espécies que desabrocham em diferentes estações.

Casa de Monet e jardins de Giverny, na França

O lago, os salgueiros chorões e a ponte japonesa vieram para compor ainda mais o cenário. Tudo ali era inspiração e Monet pintou seu jardim centenas de vezes, fazendo ali algumas de suas principais obras de arte.

A dúvida ao visitar Giverny é se a vida imita a arte, ou a arte imita a vida. Monet cultivava o jardim que queria pintar, ou pintava o jardim que queria cultivar? Para quem já viu os quadros e chega um dia nesse jardim, é impossível responder a essa pergunta. Arte e realidade se confundem e se misturam em Giverny.

O artista viveu grande parte de sua vida entre as flores do jardim de Giverny. Ao morrer, foi enterrado no cemitério da igreja que fica a poucos metros de sua casa, no final da rua. Ali, bem perto do seu jardim. Porque não poderia haver outro lugar no mundo onde Claude Monet gostaria de estar.

Leia também: As melhores dicas de francês para viajantes

A visita passo a passo: nossa experiência em Giverny

Se você já teve oportunidade de apreciar as obras de Monet, especialmente a famosa série de quadros Lírios de Água (expostas no Museu d’Orangerie, em Paris), invariavelmente vai se sentir “dentro de um quadro” quando entrar nos jardins de Monet em Giverny.

Nós chegamos bem cedo. Antes dos grupos e excursões, é possível aproveitar ao máximo a casa de Monet e os jardins de Giverny.

Ao entrar na casa museu, você pode seguir dois caminhos. Para a direita, a caminho dos jardins de Giverny, com o lago e a ponte japonesa. Para a esquerda, ao encontro da charmosa casa rosada de Claude Monet e dos jardins que a circulam, chamados de Clos Normand.

Você sabia? A casa de Monet e todos os seus jardins não foram adquiridos ao mesmo tempo. Primeiro, Monet comprou a casa rosada e o Clos Normand, um terreno de um hectare ao redor da casa, que encantou o artista. Havia um pomar de macieiras e uma horta, além um largo caminho de ciprestes que conduzia até a entrada principal da casa. Ali começou o amor de Monet por seu jardim. Só algum tempo depois o terreno com o lago foi incorporado à propriedade.

Casa de Claude Monet e jardins de Giverny, na França

Por onde começar a visita a Giverny?

Meu conselho: vá primeiro para o jardim do lago. Assim você aproveita para passear com calma e fotografar a ponte japonesa sem uma multidão de turistas ao redor.

Nós fomos andando com calma, descobrindo cada detalhe. O jardim é bem pequeno, mas é fácil se encantar em meio aos salgueiros chorões, então não tenha medo de caminhar mais devagar e aproveitar a vista. É fácil se apaixonar por cada uma das mil cores e flores nos jardins de Monet.

Quando tiver aproveitado bem a área do lago, é hora de entrar na charmosa casa de paredes rosadas. Volte pelo mesmo caminho e passe pela passagem subterrânea, para chegar em Clos Normand, meu espaço favorito em Giverny. Aqui, eram tantas flores, tantas formas, que foi nesse pequeno jardim que eu gastei o maior tempo da minha visita. Tudo ali convidava para uma foto!

Casa de Monet e jardins de Giverny, na França

Por fim, chegou a hora de entrar na fotogênica casa de Monet. Nos dois andares, os cômodos foram cuidadosamente decorados e tudo por ali respira a alma do pintor.

É quase como se, a qualquer momento, o próprio Monet fosse se materializar na curiosa cozinha amarela, ou se recostar numa das janelas de seu estúdio de pé direito alto e super iluminado, hoje repleto de réplicas de obras do pintor.

Casa de Monet e jardins de Giverny, na França

Dica: Eu havia lido relatos que o interior da casa não podia ser fotografado, mas estava todo mundo tirando mil fotos lá dentro. Então aproveitei pra fazer umas pra mim também. Não sei se mudaram a regra, ou foi só nesse dia que abriram uma exceção.

Casa de Claude Monet e jardins de Giverny, na França

Por fim, a visita termina na lojinha de lembranças, que é uma das melhores que já vi. Muitas opções de todo preço, produtos interessantes e muito lindos!

Dicas para visitar a casa de Monet em Giverny

Parafraseando Monet, ‘o jardim era sua maior obra-prima’. Então aqui vão algumas dicas para você aproveitar ao máximo a sua visita à casa de Monet em Giverny:

Quando ir?

A casa de Monet e os seus jardins abrem diariamente, das 9h30 às 18h, do início de abril até o fim de outubro. A instituição só fecha as portas no inverno europeu, quando o jardim recobra as forças para encantar a todos na próxima primavera.

Dizem que é na estação das flores que os jardins de Giverny ficam mais bonitos. Mas é também nessa época que a casa de Monet recebe mais visitantes.

Mas, verdade seja dita, Giverny pode ser visitada e admirada em outras épocas do ano. As flores foram cuidadosamente escolhidas e plantadas para que haja cores e cenários deslumbrantes no verão e no outono também. A cada estação, um novo jardim se revela aos visitantes.

Leia também: Dicas de francês para viajantes

O verão, por exemplo, é a estação na qual florescem as famosas ninféias dos quadros mais famosos de Monet. Já no outono, temos a estação das flores maiores e multi-coloridas, como os gerânios e as rosas!

Fomos no outono e fomos recebidos com muitas cores e flores – e bem poucos turistas! O combo perfeito pra gente!

Casa de Claude Monet e jardins de Giverny, na França

Como comprar ingressos?

Se a sua viagem é na alta estação, comprar o ingresso com antecedência é uma boa ideia. A fila pode ficar bem grande na primavera! Dá pra comprar o ingresso diretamente no site da Fundação Monet, por € 10,20.

Você também pode comprar os ingressos antecipados e ingressos fura-fila (sem precisar agendar o dia de uso) diretamente no escritório de turismo de Nouvelle Normandie, em Vernon.

Você também pode comprar tours que te levam de Paris a Giverny para um bate e volta de um dia. Também há Tours que oferecem visita guiada em Giverny, incluindo os jardins e a casa de Monet. Ajuda muito para quem quer conhecer Giverny sem se preocupar com mais nada!


Quanto tempo reservar?

Você pode conhecer a casa e os jardins de Monet com calma em uma manhã ou uma tarde. Se programe para chegar cedo, para evitar os grupos de turismo e aproveitar mais a cidade.

A casa de Claude Monet e os jardins de Giverny abrem diariamente entre os meses de abril e outubro, das 9:30h até as 18h, com a última entrada às 17:30. Confira no site oficial de Giverny as datas de abertura e fechamento de temporada, que mudam a cada ano.

Onde comer em Giverny?

A pequena Giverny está repleta de opções convidativas para um café ou um almoço após a visita. Preparamos uma lista de recomendações com os melhores restaurantes da vila:

– Les Nymphéas, bem ao lado da casa de Monet,
– o tradicional e super fotogênico “Ancien Hôtel Baudy”,
– La Brasserie des Artistes, dentro do Museu do Impressionismo, e
– Le Jardin des Plumes, premiado com uma estrela Michelin.

Como chegar?

Quem viaja por conta própria saindo de Paris, pode reservar uma manhã ou uma tarde para a visita à casa de Monet e jardins de Giverny. De transporte público, basta pegar um trem na Gare St. Lazare até a cidade de Vernon (linha Paris – Rouen, numa viagem que dura em média 45 minutos). Você pode comprar a passagem de trem antecipadamente e imprimir o ticket nas máquinas da estação usando o cartão de crédito da compra.

Em Vernon, bem próximo da estação de trem fica a parada dos ônibus que fazem o percurso até Giverny. A frequência de ônibus acompanha a chegada dos trens e a viagem até Giverny dura apenas 10 minutos. Chegando na parada em Giverny, uma pequena caminhada de 5 minutos já te coloca na entrada da casa de Monet.

Se você vai de carro, é só colocar Giverny no GPS que não tem erro. Como a gente viajou com chip internacional e garantia de internet ilimitada, não tivemos problema para usar o Waze no exterior. Estacionamos bem em frente à casa de Monet. O espaço deste estacionamento é pequeno, mas foi fácil encontrar vaga fora de estação. Na primavera seja um pouco mais complicado, pela concorrência e por isso é bom chegar cedo para não ter que parar em um dos outros estacionamentos mais distantes.

Dá pra combinar com outras atrações?

Que tal viajar sem pressa? A região francesa da Nouvelle Normandie (Nova Normandia) é cheia de belezas simples e muita história! Inclusive, preparamos um post recheado de dicas para curtir outras atrações na região de Giverny!

Mesmo sem sair de Giverny, não se resuma a conhecer a casa e os jardins de Monet. Reserve mais um tempinho para conhecer a vila, flanando pelas ruas pitorescas. Aproveite para conhecer o busto de Monet e visitar seu túmulo no cemitério da pequena igreja de Sainte-Radegonde.

Pelas ruas, entre nos ateliês de artistas locais e aproveite o clima dos charmosos cafés de Giverny. Ainda ali perto da casa de Monet fica o Museu dos Impressionistas, que complementa perfeitamente a visita por contar a história e as influências de alguns artistas desse movimento.

Casa de Claude Monet e jardins de Giverny, na França

De ônibus, dá pra combinar Giverny com a cidade de Vernon, bem ali ao lado. A visita ao Musée de Vernon é gratuita no primeiro domingo de cada mês. Você pode conferir uma impressionante exposição sobre história e primeira guerra, obras de artistas impressionistas como Claude Monet e Blanche Hoschedé Monet, bem como exposições temporárias de ótima qualidade.

Aos sábados, Vernon tem uma feira de rua com produtos locais, que funciona na Place de Gaulle e ruas ao redor. O mercado funciona o dia todo, mas a dica é visitar pela manhã para apreciar as delícias das barracas de comidas locais, que fecham por volta das 13h. Um passeio super bacana que pode ser combinada perfeitamente com a visita a Giverny.

Para quem está de carro, dá pra esticar um pouco e visitar a charmosa Les Andelys, uma pitoresca cidade normanda onde estão as ruínas do Château Gaillard, castelo medieval construído pelo rei Ricardo Coração de Leão, um dos principais monumentos históricos da França. Fizemos um artigo especial para contar os detalhes da nossa visita a Les Andelys e ao Château Gaillard!

____
Nós visitamos Casa de Monet em Giverny a convite do escritório de turismo de Nouvelle Normandie. Apesar disso e em respeito aos nossos leitores, tudo que descrevemos no post reflete a nossa experiência real no destino.

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *