7 castelos do Vale do Loire para colocar no roteiro

Bastou chegar no Vale do Loire na França, para ter aquela sensação que, de repente, abrimos um livro de contos de fadas. A cada curva na estrada, descobrimos um novo castelo.

Passamos dois dias explorando os castelos do Vale do Loire, usando como base as cidades de Orléans e Blois. Ainda incluímos mais um dia em Nantes, onde o lendário rio Loire encontra o mar, encerrando esse capítulo mágico da história.

No total, visitamos 7 castelos nesse roteiro pelo Vale do Loire, cada um com história, arquitetura e segredos únicos e inesquecíveis. Foi uma viagem muito bacana, onde vimos algumas das paisagens mais bonitas da França.

Para espiar nosso roteiro e ainda conferir o mapa da viagem pelo Vale do Loire, é só ficar ligadinho nas dicas desse post!

Vale do Loire: o que você precisa saber antes de ir

Não se chama Vale do Loire à toa. Acompanhando as curvas do rio Loire, o vale se espalha por cerca de 280 km de território francês.

Grande parte da região (entre Sully-sur-Loire e Chalonnes-sur-Loire) foi tombada pela Unesco no ano 2000, reconhecida como Patrimônio da Humanidade.

Leia também: Roteiro de 5 dias em Paris

Chateau de Chenonceau, castelos do Vale do Loire, França

Mas mesmo fora desse pedaço do vale que foi tombado, ainda há muitos outros castelos para conhecer margeando o rio Loire.

Mas você já se perguntou por que tantos castelos nessa região? A localização ajudou: pertinho de Paris, e com largos campos que eram ótimos para a prática da caça (o que pode ser mais monarca que isso?).

Por esses e outros motivos, o Vale do Loire atraiu a realeza francesa das famílias Valois e Bourbon, além de muitos nobres franceses, que vieram para essa parte da França construir castelos e fazer história.

Foi assim que o vale do Loire prosperou e surgiram tantos castelos. O glamour absoluto seguiu até a Revolução Francesa, quando muitos perderam suas propriedades, além de tantos castelos que foram completamente destruídos.

Ainda assim, somente com o que sobrou depois de guerras e revoluções, o que encontramos no Vale do Loire é uma das maiores concentrações de castelos e palácios do mundo (ou châteaus, como se diz em bom francês).

Grandes, pequenos, famosos ou desconhecidos. Há mais castelos do que podemos contar (estima-se que passam de 300 propriedades), alguns tão perto um do outro que fica fácil visitar mais de um por dia, viajando de carro.

Prepare-se para encontrar histórias de reis, rainhas e famílias nobres da França, com riquezas suficientes para povoar toda essa região com essas construções espetaculares.

Um conto de fadas bem real e ainda assim, surpreendente.

Ficar alguns dias na região x bate e volta

Algumas pessoas optam por conhecer o vale do Loire em um bate e volta de Paris, com uma excursão de um dia explorando alguns castelos mais famosos da região.

Essa pode ser uma opção se você tem muita curiosidade de conhecer o Vale do Loire e

1) não tem muito tempo, ou

2) não quer embarcar em um roteiro por conta própria, que demanda algumas particularidades como alugar um carro para explorar a região.

Esses passeios geralmente visitam os castelos ao redor de Orléans, por serem os mais próximos de Paris.

Existem várias empresas que oferecem opções de excursão bate e volta para o Vale do Loire, só fique de olho nos castelos do Vale do Loire que estão incluídos no roteiro, se são aqueles que você quer conhecer.

Mas no caso de você ter mais tempo disponível e topar uma road trip, trago boas notícias: alugar um carro na França é bem simples, dirigir nas estradas francesas, mais simples ainda.

Indo por conta própria, você vai poder explorar o roteiro clássico pelos castelos do Vale do Loire, onde ficam os castelos mais famosos, mas não precisa parar por aí.

Leia também: 16 bate e volta para fazer a partir de Paris

Facilmente, é possível também se aventurar pelos castelos menos conhecidos, que se escondem nas estradas desertas e pouco exploradas pelos turistas.

E, quem sabe, descobrir verdadeiros tesouros que não estão em nenhum roteiro do Vale do Loire.

Recomendo se hospedar em Blois ou Orléans, as duas cidades mais usadas pelos viajantes como bases para explorar o Vale do Loire. Nós ficamos uma noite em cada uma.

Das duas, preferi Blois. Primeiro, porque a maioria dos castelos “famosos” podem ser facilmente visitados a partir de lá. Segundo, a cidade tem mais o clima dessa viagem.

Cruzada pelo rio Loire, Blois tem cara de cidade medieval, daquelas que mais parece que se perderam no tempo.

Orléans, embora seja uma cidade bem antiga, já ficou um pouco descaracterizada porque cresceu muito. Pode ser uma melhor opção se você quer uma cidade-base com mais opções para vida noturna e facilidades.

Reserve sua hospedagem em Blois

Reserve sua hospedagem em Orléans

Como alugar um carro na França para explorar o Vale do Loire

Para alugar um carro na França, nós fizemos comparação de preços entre as operadoras locais, usando o site da RentCars.

A vantagem de usar o site comparador é que você encontra facilmente as ofertas com melhores preços para o carro que você precisa (no nosso caso, o tamanho da mala era essencial para levar as malas junto com a gente).

Além disso, com a RentCars você paga o valor do aluguel em reais (sem IOF), e ainda pode parcelar o valor em até 12 vezes, ou ganhar 5% de desconto pagando no boleto.

Castelos do Loire que colocamos no roteiro

Confesso que o roteiro ficou um pouco apertado. Visitamos 7 castelos no total, sendo que em dois dias, fizemos 6 castelos nos arredores de Blois e Orléans, 3 castelos em cada dia.

No terceiro dia, fizemos mais um na cidade de Nantes, bem afastado dos demais, e aproveitamos o resto do dia para conhecer a cidade.

Como priorizamos os castelos, acabando não explorando as cidades de Blois e Orléans, o que foi uma pena, porque especialmente Blois me pareceu muito charmosa e convidativa.

Ideal mesmo seria conhecer dois castelos em um dia, e aproveitar o resto do tempo para conhecer a cidade-base também. Se puder, se organize desse jeito.

Vamos ver os castelos que conhecemos no Vale do Loire?

Base Orléans

Orléans fica a 131 quilômetros de Paris, seguindo direto pela rodovia A-10. É uma das maiores cidades na região do Vale do Loire, por isso oferece maior estrutura e algumas facilidades aos viajantes.

Como a nossa ideia não era conhecer a cidade, mas somente dormir em Orléans, não caprichamos muito no hotel. Optamos pelo básico e reservamos um quarto no Íbis Orléans Centre Gare.

Se você quiser ir um pouco mais de capricho na hospedagem, pode procurar um outro hotel em Orléans, que a cidade tem uma vasta rede hoteleira e opções não vão faltar.

O importante aqui é dormir em Orléans para começar esse roteiro bem cedo no dia seguinte. Você pode vir direto de Paris, visitar os castelos e já dormir em Blois, nossa próxima parada? Pode, só vai ser um pouco mais cansativo.

Para quem tem um tempinho e quer explorar Orléans, vale saber que foi nessa cidade que a heroína francesa Joana d’Arc foi capturada em 1431, sendo levada para queimar na fogueira na em Rouen, na Normandia.

É possível visitar alguns lugares na cidade que recontam essa história, como o museu Maison de Jeanne d’Arc.

Château de Ferté-Saint-Aubin

Ok, provavelmente você deve ter rodado algumas outras listas de castelos do Vale do Loire para visitar e nunca ouviu falar do Château de Ferté-Saint-Aubin. Pois é, esse aqui não tem nada de famosinho, não.

Chateau de Ferté-Saint-Aubin, Vale do Loire na França

Na verdade, passa bem despercebido entre as grandes estrelas do Vale do Loire, já que fica fora da área do Vale do Loire que foi tombada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade.

Talvez por isso, nós só ouvimos falar dele de última hora, com uma dica de um local, enquanto já estávamos na França executando esse roteiro.

Como ficava muito perto de Orléans (apenas 22 km de distância), resolvemos passar por lá. Acabamos nos surpreendendo com uma das experiências mais diferentes que tivemos nesse roteiro pelos castelos do Vale do Loire.

Construído entre o século XVI e XVII, esse nunca foi um castelo de reis e rainhas. Sempre pertenceu a famílias de nobres e até chegou a ser confiscado pelo governo durante a revolução francesa, sendo novamente comprado por particulares logo depois.

O bonito prédio de fachada colorida, com tijolos e pedras, hoje pertence à família de Jacques Guyot, que desde 1987 abriu as dependências da casa para o público, para financiar a reforma com ajuda da taxa de visitação.

O mais bacana disso é que, ao longo do ano, um monte de festivais e atividades legais acontecem nas dependências do castelo. Como visitamos na época do Halloween, toda a decoração era temática e confesso que foi bem divertido visitar um ‘castelo mal assombrado’.

Há outras atividades temáticas ao longo do ano, com custo extra, como aulas de culinária, Natal no Castelo e a “a caça ao veneno”, um roteiro pelos jardins do castelo onde no final você produz sua própria poção mágica.

Dentro do castelo, é possível visitar os 15 cômodos que recriam a vida na casa como acontecia séculos atrás, com adega, cozinha, quarto de vestir e sala de troféus de caça.

Além disso, há duas cavalariças, que ficam uma de cada lado do castelo, também abertas à visita. E mais uma capela construída em uma pequena ilha, os jardins e o pomar.

A cavalariça à direita do prédio principal foi conservada como tal, e além disso foram colocados alguns jogos de época, que são uma diversão para adultos e crianças.

Na cavalariça à esquerda, além da bilheteria e de uma lojinha de lembranças, é possível visitar o andar superior onde é guardada uma coleção de brinquedos e bonecas antigas (bem macabras pro meu gosto, hahaha).

É uma visita com menos glamour e pompa, mas que vale muito a pena pela beleza do lugar, atividades interativas e por fugir do roteiro tradicional, sem precisar ir muito longe.

A entrada custou €9,50 por pessoa (maio 2019), com estacionamento grátis.

Mais informações no site oficial do Château de Ferté-Saint-Aubin.

Château de Chambord

“Imagine, meu querido Paul, que desde que eu vi Chambord,
Eu vou perguntar a todos: Você viu Chambord? Victor Hugo, 1825

Confesso que depois de visitar Chambord, essa frase do escritor Victor Hugo fez todo sentido pra mim.

Château de Chambord - castelos do Vale do Loire França

O Château de Chambord se tornou o meu favorito entre os castelos do Vale do Loire que nós visitamos, porque é simplesmente impossível não ficar impressionado quando se está frente a frente com toda aquela riqueza e grandiosidade.

Chambord fica a apenas 33 km adiante do Château de Ferté-Saint-Aubin (ou 55km para quem vem direto de Orléans) e é um dos castelos que eu diria que são imperdíveis no Vale do Loire.

O castelo de Chambord tem mais de 500 anos e uma história bem inusitada. Começou a ser construído pelo rei Francis I, que queria algo monumental, o maior castelo de todo o Vale do Loire, simplesmente para ser seu palácio de caça.

Pensem em 440 quartos, pensados com o propósito de ostentação pura e simples. Esse é o Château de Chambord.

No projeto, a ideia foi combinar os estilos arquitetônicos medieval e renascentista, algo que também era novidade na região.

O problema foi que o rei Francis I morreu no meio da construção e o castelo só foi finalizado por Luís XIV, cerca de 20 anos depois. A majestosa construção foi praticamente inalterada desde então.

Nenhum monarca morou de verdade por ali, vinham apenas passar temporadas e isso ficava cada vez mais raro nos invernos, já que Chambord calhou de ser um castelo terrivelmente frio, por conta do material usado para construção. Já imaginou?

Esse castelo tem algumas curiosidades arquitetônicas bem interessantes. O pátio central está cercado por 4 alas e 4 torres, com a maioria dos espaços aberto à visita – então separe bastante tempo para circular no Château de Chambord.

Embora não seja provado, contam que Leonardo da Vinci tem um dedinho no projeto, especialmente numa curiosa escada de dupla hélice, duas espirais que se enlaçam e nunca se encontram.

Vale brincar com os amigos, tentando entender como funciona a tal escada misteriosa de Chambord.

E tem mais: os arredores do castelo abrigam lindos jardins. Vale circular nem que seja para tentar tirar uma foto enquadrando o gigantesco castelo ao fundo.

Nos domínios de Chambord, ainda está a maior floresta murada do mundo, algo pra lá de impressionante.

A entrada custa €14,50 por pessoa (maio 2019), com estacionamento gratuito.

Mais informações no site oficial do Château de Chambord.

Château de Cheverny

Mais um castelo que pertenceu à nobreza, a história de Cheverny tem a ver com famílias de militares franceses. Na verdade, a família que é atual proprietária ainda mora por lá, numa parte da propriedade fechada à visitação.

Chateau de Cheverny, Castelos do Vale do Loire, na França

Na parte aberta ao público, podemos visitar a floresta ao redor do castelo, os jardins, o canil (que até hoje abriga os cachorros de caça da família), bem como ver de pertinho os cômodos extremamente bem conservados do castelo.

Inclusive, quando visitamos havia uma exposição no salão principal, sobre o dia que a propriedade recebeu o exército americano, e outra exposição com peças de Lego, montando personagens que foram espalhados pelos quartos.

O Château de Cheverny serviu de inspiração para o desenho da casa do Capitão Haddock, nos quadrinhos de TinTin, então muitas dessas peças faziam referência ao desenho.

Mais informações no site oficial do Château de Cheverny.

Base Blois

Depois de explorar os três castelos anteriores, chegamos em Blois para dormir e sair no dia seguinte cedinho, para explorar mais três castelos.

Ficamos no Íbis Budget Blois Centre, mas quando a gente se instalou e saiu para espiar a cidade, como eu me arrependi de não ter deixado mais tempo no roteiro para conhecer Blois.

Se puder, faça isso! A cidade tem ar medieval e é simplesmente encantadora! Você pode ver outras opções de hotéis em Blois e passar pelo menos um dia explorando a cidade!

Château de Blois

O primeiro castelo da nossa lista nem pede muito deslocamento, já que fica no centro da cidade de Blois.

O Château de Blois ficou com o segundo lugar da minha lista de castelos favoritos no Vale do Loire, e pensar que eu quase deixei ele de fora da lista porque pensei que um castelo dentro da cidade não teria muito a oferecer…

Chateau de Blois, Castelos do Vale do Loire, na França

Blois já foi uma espécie de capital do império francês e nesse castelo já moraram algumas dezenas de reis e rainhas. Tanto que a arquitetura do castelo foi intensamente modificada entre os séculos XIII e XVII, de acordo com os gostos de cada monarca.

Se você estiver bem no meio do pátio do castelo de Blois, vai olhar para as 4 alas ao redor e de cara vai notar como elas são muito diferentes entre si. Desde uma torre medieval, passando pelo gótico e renascentista, até o estilo clássico adicionado por último.

Além dessa arquitetura inusitada, o Château de Blois é um verdadeiro museu. Cômodos e mobília preservados (inclusive os aposentos reais), manequins vestindo roupas de reis e rainhas da França, até um trono real!

E ainda tem mais história: foi aqui que Joanna d’arc recebeu a benção do arcebispo antes de ir para a batalha contra os ingleses em Orléans, em 1429.

Chateau de Blois, Castelos do Vale do Loire, na França

Beleza, história e arte, tudo num castelo só. Fácil de entender porque me apaixonei tanto pelo Château de Blois!

A visita custa €12 por pessoa e é preciso estacionar o carro nos arredores do castelo, nas ruas de Blois (geralmente com parquímetro nessa área).

Mais informações no site oficial do Château de Blois.

Château d’Amboise

Embora a região seja chamada de Vale do Loire, são poucos os castelos que realmente estão pertinho do famoso rio. Amboise é um deles.

Desde às muralhas e a varanda do castelo, se tem uma vista maravilhosa da cidade de Amboise e do rio Loire.

O Château de Amboise fica a 36 km de Blois e foi confiscado pela monarquia francesa no século XV, e a partir daí se tornou residência oficial dos reis da França por muitos anos.

Chateau d'Amboise, Castelos do Vale do Loire na França

Também foi muito frequentado por Leonardo da Vinci, amigo pessoal da família real e que hoje está sepultado na capela do castelo, dedicada a Saint-Hubert.

Depois de muitas brigas e conflitos, quase todo o castelo original foi destruído. O que vemos hoje é cerca de 20% do que já foi o Château d’Amboise.

Uma boa dica para quem visita o Château de Amboise é aproveitar para, depois de passear pelo castelo, tirar um tempinho para passear pela cidade.

Amboise é bem charmosa, tem muitos restaurantes e lojinhas de produtores locais. Aproveitei pra comprar umas lembrancinhas com entalados e azeites, para trazer pra casa.

Ainda na cidade, é possível visitar um castelo menor, o Château du Clos Lucé, que foi a residência de Leonardo da Vinci. Muitas obras e projetos de da Vinci estão espalhadas nos jardins e interior do castelo.

A entrada do Château d’Amboise custa € 12,80 e o estacionamento é gratuito.

Mais informações no site oficial do Château d’Amboise

Château de Chenonceau

Esse castelo era uma das minhas grandes expectativas e eu não voltei pra casa decepcionada!

Essa é possivelmente uma das mais belas imagens quando se pensa em castelos do Vale do Loire. Situado às margens do rio Cher, com seus pilares refletindo nas águas escuras, o Château de Chenonceau pede para ser fotografado.

Chateau de Chenonceau, castelos do Vale do Loire, França

Também conhecido como “Castelo das Damas”, Chenonceau pertenceu a uma legião de mulheres poderosas ao longo de sua história. Foi construído para a amante do rei Henrique II, Diana de Poitiers.

Mas logo que o rei morreu, sua esposa Catarina de Médici, expulsou Diana e tomou a propriedade, implementando várias mudanças no castelo e nos jardins (que são maravilhosos), para se ver livre da lembrança de Diana.

Se esses nomes não são estranhos pra você, pode ser que você tenha assistindo o seriado Reign, como eu fiz. E já deve ter ouvido falar do Château de Chenonceau por lá (embora ele nunca apareceu de verdade na trama).

A visita custa € 14,50 e o estacionamento é grátis.

Mais informações no site oficial do Château de Chenonceau.

Base Nantes

Nantes não é uma das cidades mais visitadas do Vale do Loire. Pouca gente se desloca para tão longe assim de Paris, especialmente porque a grande concentração de castelos fica mais no centro do mapa, não aqui pertinho do litoral.

Nantes fica a apenas 50km do mar, próxima da foz do Rio Loire. Por conta da sua localização, foi um dos portos mais importantes da Europa por muito tempo (tendo papel essencial na época do tráfico de escravos vindos da África para as Américas).

Apesar desse passado sombrio, a cidade se transformou na maior cidade do vale do Loire, cheia de atrações turísticas e vida cultural intensa. Nantes é muito mais que um castelo para visitar.

Com tempo, vale a pena se hospedar por lá e passar pelo menos um dia explorando a cidade.

Veja opções de hotéis em Nantes

Château dos Duques de Bretanha

Além de muitas outras atrações turísticas, Nantes tem um castelo muito importante para a história da França, localizado bem no centro da cidade.

Construído por Francis II, o último duque da Bretanha, o castelo depois passou a ser propriedade de sua filha, Ana da Bretanha, rainha duas vezes da França – e uma das rainhas mais amadas pelos franceses, diga-se de passagem.

Castelo dos duques da Bretanha, Nantes, Vale do Loire

Você pode entrar e dar a volta completa na muralha completamente de graça. Além da bela vista da cidade e arquitetura, ainda vimos algumas exposições de arte temporárias no caminho.

Você só precisa pagar ingresso se quiser visitar o museu, que ocupa alguns dos aposentos do castelo.

Château de Villandry: Não conheci, mas queria

Villandry é um dos mais visitados castelos do Vale do Loire, mas não por causa do castelo em si.

Os jardins de Villandry são uma verdadeira obra de arte, com um paisagismo cheio de motivos geométricos, lagos, flores e muita simetria.

Villandry, com toda sua inspiração renascentista, é um dos pontos altos do Vale do Loire. Porém, a gente estava com a agenda apertada, ele acabou ficando para uma próxima visita.

Se puder, inclua no roteiro! Veja mais informações no site oficial do Château de Villandry.

Mapa dos castelos do Vale do Loire

Para quem quer explorar cada uma dessas maravilhas arquitetônicas do Vale do Loire, um mapa vai bem a calhar!

Aqui está o mapa com todos os castelos do Vale do Loire que nós visitamos:

Experiências bônus para viver no Vale do Loire

Durante as minhas pesquisas, encontrei algumas experiências incríveis para quem quer ir além da visita convencional aos castelos do Vale do Loire.

Voar de balão – dá por exemplo pra sobrevoar a região dos castelos na França num voo de balão, que promete ser a experiência mais inesquecível que você pode ter no Vale do Loire.

Pensando em como foi muito especial pra gente sobrevoar o Deserto do Atacama de balão, só consigo pensar que voar sobre os castelos deve ser mesmo incrível. Quero fazer na próxima vez!

Hospedar-se num castelo – Outra coisa muito bacana sobre o Vale o Loire é que dá pra trocar o hotel convencional por uma hospedagem num castelo de verdade.

No caminho entre Amboise e Nantes, por exemplo, você pode se hospedar no lindo Château de Marçay, desfrutando da adega de mais de 12000 vinhos, por um preço mais barato do que você imagina que custa dormir em um castelo.

No Château de la Bourdaisière, você paga um pouco menos para ficar num castelo ainda mais lindo, na minha opinião.

Por sua vez, o Château de Colliers é um pouco mais simples, o que é compensado pela vista do rio Loire, bem ao lado.

Já o Château de Verrières conta com um spa e hotel 5 estrelas, garantindo a satisfação de uma hospedagem digna de rei e rainha.

Avatar for Klécia
Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:

Oi! Estou organizando minha próxima viagem e pretendo passar uns 2 ou 3 dias no Vale do Loire. Estou com uma dúvida com relação aos ingressos nos castelos: é preciso comprar ingresso mesmo para vê-los de fora? Sei que alguns têm jardins maravilhosos e imagino que nestes seja, sim, necessário pagar. Mas fiquei pensando se naqueles que ficam nas cidades, por exemplo o de Bois e o de Amboise, não dá para olhar de fora sem comprar ingresso. Desde já agradeço a atenção!

Rafael Cassemiro disse:

Olá, Mesmo para os Castelos que ficam dentro das cidades, a bilheteria normalmente fica logo na entrada da muralha ou no acesso aos jardins. Só daria mesmo pra ver a fachada externa de forma gratuita.
Obrigado pelo comentário e boa viagem!

Ah, entendi! Obrigada pela resposta rápida! Seguirei pegando dicas do blog. Um abraço!

Carol disse:

Gente, esse lugar parece que saiu de um conto de fadas! Sou doida para conhecer!

Não sei o por que de ainda não ter visitado a França! Desconfio que vá gostar, se não de Paris, de outras regiões como o Vale do Loire. Uma mistura de lugar encantado, mas cheio de histórias reais ao que parece! Lendo tudo o que tem para ver – quantos castelos incríveis! – já vi que possivelmente farei uma viagem só para a região do jeito que gosto de curtir uma viagem sem pressa… 🙂

Texto incrível! Perfeito para quem está planejando uma viagem a França e pretende conhecer um pouco além de Paris. Seu artigo nos ajuda a entender como colocar o Vale du Loire em um roteiro, adorei. Muito obrigada! Estamos indo pra França no segundo semestre e o texto está ajudando muito.

Klécia disse:

Que bom, Lu! Te desejo uma viagem dos sonhos!

Lulu Freitas disse:

Amei o post! Está na minha bucketlist uma viagem ao Vale do Loire de carro, como essa do post. Eu estive na região em excursão de bate-volta de Paris porque tinha pouco tempo de viagem e fui a 3 castelos. Gostei da dica de qual cidade usar de base e da descrição detalhada de cada castelo. Post salvo!

Adorei as dicas, suas fotos ficaram maravilhosas! Você me apresentou uma França com novas possibilidades, obrigada!

Klécia disse:

Yay! que comentário gostoso de ler! 😀