Português de Portugal e português do Brasil: semelhanças e diferenças

Você já parou para pensar nas diferenças e semelhanças entre o português de Portugal e o que a gente fala aqui no Brasil?

Se você pensa que é tudo muito parecido, está bem enganado! Muitas vezes, quem viaja para Portugal acaba se surpreendendo com tantas diferenças entre o português de Portugal e do Brasil.

Embora a gente esteja falando do mesmo idioma, cada um tem suas particularidades, tanto nas palavras e expressões utilizadas para se referir a determinados objetos e situações como no sotaque, em relação à forma como se pronuncia. 

E não só entre os dois países, mas também nos outros seis onde a língua portuguesa é falada. Se você não sabe o nome de todos os países que falam português, anota aí:

– Guiné Bissau, Angola, Cabo Verde, Timor Leste, São Tomé e Príncipe e Moçambique, além de Portugal e Brasil, claro.

São aproximadamente 280 milhões de pessoas que tem o português como idioma oficial. O suficiente para que, hoje, ele seja considerado o 6o idioma mais falado no mundo.

O que essas pessoas e países têm em comum é que todos foram colonizados por Portugal. As caravelas portuguesas levaram, além de novos costumes, também uma nova forma de falar para as colônias. E é por isso que hoje, você e eu aqui no Brasil falamos português!

Leia também:
+ O que visitar em Portugal
+ Principais atrações de Lisboa
+ O que fazer em Óbidos, Portugal

Por que se fala Português em Portugal?

O Português de Portugal é uma língua que surgiu a partir do latim vulgar (falada pelo povo mais simples), trazida para a Península Ibérica pelos romanos por volta do século III a.C.

Com a invasão árabe no século VIII e os consequentes processos de reconquista cristã, a língua foi se transformando até dar origem ao galego-português, que se fixou como o idioma mais falado no território que hoje é reconhecido como Portugal.

No século XIII, D. Dinis rei de Portugal determinou o Português como língua oficial de todos os documentos do reino. Daí em diante, o idioma seguiu passando por evolução (como toda língua viva), até chegar ao Português de Portugal como é falado hoje.

Língua Portuguesa no Brasil

O Português de Portugal veio para o Brasil nas caravelas e aqui também, desde sempre, vem passando por inúmeras modificações – o que explica bastante sobre o porquê do português do Brasil ter tantas diferenças para o Português de Portugal.

O português foi estabelecido como língua oficial do Brasil em meados do século XVII. Com o tempo, foram surgindo as variações regionais, influenciadas pela mistura entre a forma como os colonizadores falavam, a forma já existente e também a forma como falavam as outras pessoas que chegavam aos países. 

No caso, o “português brasileiro” é resultado de uma mistura com o vocabulário dos índios (majoritariamente o tupi-guarani ) e também dos africanos, que eram trazidos para serem escravizados.

Daquele período até hoje, houve ainda mais mudanças, já que as línguas estão em processo constante de transformação.

É por isso que os portugueses e os brasileiros falam de formas muito próprias, com diferenças que por vezes chegam a ser divertidas.

Veja algumas curiosidades, semelhanças e diferenças entre o Português do Brasil e de Portugal!

Português do Brasil x Português de Portugal

– Meios de transporte

Os nomes dos meios de transporte são os que mais chamam a atenção dos turistas brasileiros logo que chegam a Portugal. Afinal, todo mundo precisa se locomover, seja de comboio, de autocarro ou de carrinha.

Autocarro = Ônibus.

Comboio = Trem. 

Carrinha = Van.

Descapotável = Carro conversível.

Camião = Caminhão.

– Alimentação

A hora de comer pode deixar os brasileiros em dúvida, às vezes sem saber exatamente o que estão pedindo.

Sandes de fiambre pode ser uma boa, com porra recheada de sobremesa, que tal?

Sandes = Sanduíche/Lanche.

Sumo = Suco de frutas. 

Fiambre = Presunto.

Gelado = Sorvete.

Porra recheada =  Churros.

Rebuçado = Balas.

Bica = Cafezinho.

Dióspiro = Caqui.

– Vestuário

Se a ideia é comprar algumas roupas durante a viagem, é bom ter atenção ao nome de cada peça, para evitar confusões. O inverno pede camisolas!

Peúgas = Meias.

Cueca = Calcinha feminina.

Camisola = Blusa de frio.

Fato de banho = maiô.

Fato = Terno.

Calça de Ganga = Calça Jeans.

– Estabelecimentos

E, para não ter erro, é preciso ter atenção também na hora de pedir informações sobre lugares que deseja frequentar.

Talho = Açougue.

Pastelaria = Padaria.

Ginásio = Academia.

Tasca = Boteco.

– Objetos

O mesmo vale para nome de objetos, alguns muito comuns no uso diário de qualquer pessoa, como o telemóvel, e outros para momentos mais específicos, como o Durex.

Telemóvel = Celular.

Durex = Camisinha.

Palhinha = Canudo.

Chávena = Xícara.

– Pessoas

A forma como os portugueses se referem às pessoas, sejam elas crianças, jovens ou adultos, também é diferente do português do Brasil, mas fácil de entender. Até a canalhada sabe!

Miúdo = Criança.

Canalhada = Criançada.

Rapariga = Menina.

Puto = Adolescente.

Gajo/Gaja = Rapaz/Moça.

– Casa

Algumas palavras referentes à moradia não são as mesmas que usamos no português do Brasil. Para usar o sanita é preciso ir à casa de banho – e não se esqueça do autoclismo.

Casa de Banho = Banheiro.

Sanita = Vaso sanitário.

Autoclismo = Descarga.

Morada = Endereço.

Freguesia = Bairro.

– Gírias

E se até no português do Brasil algumas gírias causam confusão, imagine só no português de Portugal! Mas são muito fixe!

Azeiteiro = Brega.

Fixe = Legal.

Giro(a) = Bonito(a). 

Betinho = Mauricinho.

Outras curiosidades sobre o português de Portugal e do Brasil

Algumas palavras comuns podem, a princípio, causar certo estranhamento. Por isso é bom ler e ficar informado antes de viajar para Portugal…

Bicha = Fila.

Pica = Injeção.

Propina = Mensalidade.

Estou! = Alô (no telefone).

Passadeira de peão = Faixa de pedestres.

Piroco = Cantada/Paquera.

Guarda-Redes = Goleiro.

Atar o atacador = Amarrar o cadarço.

Abiscoitado = Sem juízo.

Boceta = Caixa/Caixinha.

Esticar o pernil = Bater as botas.

Hospedeira de Voo = Comissária de Bordo.

Dar em águas de bacalhau = Dar em nada.

Pai Natal = Papai Noel.

Conjugação de verbos no português de Portugal

Além das diferenças nas palavras usadas, o português de Portugal tem uma forma de conjugar os verbos que não é a mesma à qual estamos acostumados por aqui.

Se no Brasil o tempo gerúndio é frequente em afirmações como “Estou esperando” ou em questionamentos como “O que você está fazendo?”, por lá eles dizem “Estou a esperar”, “O que você está a fazer?”. 

O mesmo vale para as conjugações nos tempos passado e futuro. “Eu estava a conversar com minha mãe”. “Ela estará a viajar amanhã”.

Não que não usem ou conheçam o gerúndio, apenas não é um uso tão comum, principalmente em Lisboa e na região mais central.

Outra diferença é que usam “consigo”, ao contrário dos brasileiros que dizem “contigo” ou “com você”. Portanto, se estiver em Portugal, prepare-se para ouvir muita gente dizer “quero ir consigo” ou “tenho de conversar consigo”.

Por essas e outras, muitos turistas que chegam a Portugal imaginando que irão encontrar a língua falada no Brasil pode ter algumas surpresas.

Ainda assim, o fato de serem países com o mesmo idioma é um facilitador para quem escolhe fazer esta viagem.

O ponto mais complicado talvez seja mesmo a pronúncia, principalmente por ser um modo mais rápido de falar, o que deixa brasileiros um pouco confusos no começo. 

Mas, passada a impressão inicial sobre as diferenças entre o português de Portugal e do Brasil, logo todos se acostumam com a forma de se comunicar – basta ter cuidado com algumas palavras e expressões com significados bem diferentes para evitar problemas.

Foto: Richard Mcall por Pixabay 

Avatar for Klécia
Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *