Um final de semana em Macaé: o que fazer por lá

Já pensou em visitar Macaé, uma cidade praieira do litoral fluminense, mas que é bem pouco explorada pelos turistas?

Verão no Rio, calorzão de 40º C e todo mundo só consegue pensar em uma coisa: praia.

Desde as praias badaladas da capital até as praias famosinhas da Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, opção pra refrescar nesse calorzão é o que não falta.

Especialmente no verão é bem dificil fugir das multidões nas praias do estado do Rio de Janeiro.

Nós estávamos querendo dar uma fugida da capital num final de semana de folga, mas nos deparamos com um problema clássico de todo verão carioca:

todas as praias, em todo lugar, estavam lotadas. Olhamos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio e era sempre o mesmo: tudo cheio. Foi aí que veio a ideia: vamos pra Macaé?

Praia de Macaé, Rio de Janeiro

Onde fica Macaé?

Macaé é um município da Região Norte fluminense, que fica a mais ou menos 190 Km do Rio de Janeiro (indo pela BR-101, sentido norte).

A cidade é conhecida internacionalmente como a Capital Nacional do Petróleo.

Em Macaé estão situadas grandes instalações da Petrobras e de inúmeras empresas do setor offshore, que vêm trabalhando na exploração de petróleo da Bacia de Campos.

Com a crescente exploração do petróleo na região desde a década de 1990, a cidade cresceu muito. Mas junto com o crescimento do setor industrial, Macaé foi cada vez mais sendo associada ao trabalho e menos ao lazer.

Muita gente que trabalhava na indústria de petróleo se mudou para a região, ou vinha passar a semana trabalhando e depois voltava pra casa em outras cidades.

A cidade ganhou uma rede hoteleira bem considerável, principalmente para atender aos empresários e funcionários do setor petroleiro.

Orla de Praia de Macaé, Rio de Janeiro
Avenida Beira Mar, na Praia de Cavaleiros

E o turismo em Macaé?

Eu moro no Rio há quase quatro anos e quase nunca ouvi alguém da cidade dizendo que estava indo para um final de semana na praia em Macaé.

Praias como as de Búzios ou Arraial do Cabo, que são incrivelmente lindas e ficam mais perto da capital acabam chamando muito mais atenção de todo mundo por aqui.

Macaé também tem uma fama de praia de ondas fortes, o que afasta muito as pessoas.

Como foi a nossa experiência em Macaé?

Acabamos sendo muito surpreendidos nessa viagem! Macaé agradou de muitas formas.

A distância e a estrada

Em pleno janeiro, pegar o caminho das praias no estado do Rio de Janeiro numa sexta-feira pós-feriado demanda – muita – paciência.

Fomos pela BR-101, que é o caminho mais curto até Macaé e com menos pedágios.

Passamos por dois pedágios de R$4,50, o que sai bem mais em conta que o pedágio da Via Lagos, que leva para as praias da Região dos Lagos, que custa R$20,00 no fim de semana.

A estrada foi cansativa, porque de fato Macaé fica um pouco mais distante que as praias de Búzios, por exemplo. A conservação da estrada estava boa, mas vários trechos são em mão dupla, o que atrasa um pouco.

E tem o trânsito de janeiro, que é ruim pra todo mundo que se arrisca na estrada para o litoral. Mas gastamos cerca de 3horas no percurso (com uma parada para lanche), o que não foi nenhum absurdo para os quase 200Km de distância.

A pousada – onde ficar em Macaé

A gente talvez tenha dado sorte, mas nossa experiência com hospedagem em Macaé foi muito satisfatória.

Mesmo de última hora, conseguimos uma reserva pra uma pousada bacana e super bem localizada (Pousada Caravelas Portuguesas), por um preço bem em conta.

Pagamos R$165,00 por diária num quarto muito confortável, espaçoso e limpo, que ficava no quarteirão da praia. Um preço bem abaixo do que se cobra por hospedagens de nível bem inferior em outras praias da região dos Lagos.

A hospedagem incluía café da manhã – simples, mas com boas opções e bem gostosinho. A pousada ficava na praia Aldeia Campeste, que é mais familiar.

Mas a distância para a praia dos Cavaleiros, a mais movimentada de Macaé, era cerca de 200m. 

Quando chegamos na sexta, por volta das 21h, conseguimos ir andando até Cavaleiros e escolher um entre os vários restaurantes da orla que estavam abertos e funcionando a todo vapor.

Reserve seu hotel em Macaé

Pousada Caravelas Portuguesas, Macaé
O quarto da pousada Caravelas Portuguesas
Pousada Caravelas Portuguesas, Macaé
Pousada Caravelas Portuguesas, Macaé
Vista da janela do quarto. A praia fica na rua de trás, à direita da foto.

As praias de Macaé e a lagoa de Imboassica

Visitamos quatro praias em Macaé. Todo mundo conta que as praias por lá tem ondas fortes, mas demos a sorte de pegar um final de semana de águas calmas e de mar transparente. Era um azul de dar gosto! Seguindo de sul ao norte, visitamos:

Praia do Pecado

A praia mais bonita que visitamos em Macaé! A areia dessa praia era bem grossa e as ondas aqui estavam um pouco mais fortes, mas o cenário era tão paradisíaco!

Essa praia fica um pouco mais distante da área urbana, então indo cedinho você tem uma praia linda de mar azulzinho só pra você.

A praia fica bem ao lado da Lagoa de Imboassica, uma lagoa de água doce separada por apenas uma faixa de areia da praia.

Muitas mães levam as crianças pra lá fugindo das ondas do mar, para que os pequenos possam aproveitar um banho tranquilo nas águas da lagoa.

Praia do Pecado, Macaé
Praia do Pecado, Macaé
Praia do Pecado, Macaé
Praia do Pecado, Macaé
Praia do Pecado, Macaé
Lagoa de Imboassica
Pedalinhos da lagoa em Macaé
Pedalinhos na Lagoa
Pedalinhos da lagoa em Macaé

Praia dos Cavaleiros

A mais movimentada de Macaé. Passamos o dia de sábado todo por ali. A água estava uma delícia, com poucas ondas, não muito fria (quem já foi à praia no Rio de Janeiro sabe como é geladinho, haha).

A Avenida Beira Mar tem bons restaurantes, com preços um pouco abaixo dos praticados no Rio de Janeiro capital.  

Foi nessa praia que percebemos a coisa mais curiosa de Macaé: a estrutura para turistas na praia é bem escassa. O pessoal ali não explora o turismo, mesmo!

Chegamos no sábado cedinho, andamos a praia de Cavaleiros de ponta a ponta e não encontramos ninguém alugando cadeiras de praia, guarda-sol, nada!!!

Voltamos na pousada e por sorte eles tinham um guarda-sol para emprestar!

Conversei com alguns vendedores na praia e eles de fato comentaram que não há esse tipo de comércio por ali.

Não há quiosques na orla, apenas os restaurantes na Avenida Beira Mar e uns poucos vendedores de água de coco. A quantidade de vendedores na areia também é bem reduzida…

Vez ou outra passava alguém oferecendo água ou cerveja, mas quase nenhuma comida. Por Macaé, cada um trás sua cadeira, seu guarda-sol e monta sua barraca na areia.

Quando a fome aperta, come-se o que trouxe de casa, ou o pessoal se desloca até os restaurantes pra comprar algo.

Pra quem vem de fora, isso pode dificultar um pouco as coisas. Visitando Macaé, é sempre bom colocar um “kit praia” na mala do carro, ou conferir se a pousada tem guarda-sol pra emprestar.

Pra nossa sorte, o clima pelas praias de Macaé é tão amigável que conseguimos até um isopor emprestado com o vendedor do calçadão, que deixou água e cerveja com a gente, para pagarmos apenas o consumido quando fossemos embora. Achei isso tão bacana!

Praia em Macaé, Rio de Janeiro
Praia em Macaé, Rio de Janeiro
Praia em Macaé, Rio de Janeiro
Praia em Macaé, Rio de Janeiro
Praia em Macaé, Rio de Janeiro

Praia Aldeia Campista

Nessa praia ficava nossa pousada. A praia é menos badalada que Cavaleiros, mas tem alguns restaurantes bem bonitinhos.

Adoramos caminhar pelo calçadão de Campista: demos uma voltinha por lá na sexta e no sábado a noite. Sempre tinha muita gente correndo, andando de bicicleta, fazendo luau…

No sábado à noite até vimos um “encontro de pipas”, com gente que parecia vir de todo lado empinar a pipa na praia, e muitos vendedores do brinquedo.

Escola de kitesurf em macaé, RJ
A bandeira de uma escola de kitesurf
Praia Campista, Macaé, Rio de Janeiro

Praia do Forte

Uma faixa de areia bem pequena, com apenas 120m. Seguindo pela Praia Campista até a Petrobras, você caminha por uma pequena passarela ao lado direito do portão.

Essa praia é muito procurada por pescadores, mas vimos muitos banhistas por lá também.

A praia tem um quebra-mar e as ruínas do antigo Farol de Imbetiba, que foi construído em 1880 para atender às necessidades do porto de Imbetiba, que funcionava como escoadouro da produção agrícola da Baixada Campista e de Macaé.

As ruínas são bem pequenas, mas a paisagem é linda. A passarela que leva até as ruínas foi construída e reformada pela Petrobras em 1994, facilitando a visita ao local.

Apesar de acessível, como é uma área bem remota, a gente recomenda que ninguém vá sozinho e de preferência se visite durante o dia.

Praia Campista, Macaé, Rio de Janeiro
Praia Campista, Macaé, Rio de Janeiro
Praia Campista, Macaé, Rio de Janeiro
macae
Ruínas do farol
Macaé, Rio de Janeiro

Em várias praias (principalmente Pecado e Campista) vimos anúncios de escolinhas e aluguel de material para prática de Kitesurf e Stand-up paddle.

Outros pontos de interesse em Macaé

Visitamos ainda o Solar do Monte Elísio, uma construção histórica em Macaé, onde hoje funciona uma faculdade Salesiana. A construção fica em um morro e fomos com a promessa de conseguir uma bela vista da cidade.

O prédio tem uma arquitetura de estilo clássico e é bem bonito por fora. Mas a vista da cidade ficamos devendo, porque o local não é tão alto assim.

Vimos várias casas ao redor, mas não uma real panorâmica da cidade. Nos contaram que da Igreja de Sant’Ana é possível ter uma vista melhor, mas ficamos bem desapontados com essa primeira e não fomos lá pra conferir.

Solar do Monte Elísio, Macaé
Imagem no Solar do Monte Elísio, Macaé

A cidade conta ainda com um forte (Forte Marechal Hermes) e várias cachoeiras no distrito de Sana. As impressões sobre estes lugares a gente vai ficar devendo, porque não tivemos tempo de passar por lá nesse final de semana. Mas voltaremos! 🙂

Nossa impressão sobre Macaé

Macaé nos surpreendeu, de verdade. Gostamos da cidade calma e organizada. A Praia de Cavaleiros oferece boas opções para alimentação e amamos a calmaria dos nossos passeios noturnos em Campista.

A praia estava uma delícia, azul e com poucas ondas. Sei que teremos que voltar mais vezes pra atestar se demos sorte essa semana com as águas calmas.

Mas, mesmo assim, Macaé agradou, especialmente pra fugir da badalação das praias da capital e da Região dos Lagos!

Para conhecer mais um pouco de Macaé, indico o post 10 motivos para visitar Macaé, do blog Te vejo pelo mundo.

O que fazer em macaé, Rio de Janeiro
O que fazer em macaé, Rio de Janeiro

Planeje sua viagem

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Carla disse:

Boa noite! Gostaria de saber aonde fica esse monumento branco que foi postado nesse site. Parece Iemanjá segurando uma criança. Trabalho em Macaé, nunca ouvi falar desse monumento e não estou encontrando em nenhuma pesquisa. Obrigada.

Rafael Cassemiro disse:

Oi Carla, a imagem fica na rua Dinorá Olivé. Bem em frente ao pátio do Colégio e Faculdade Salesiana de Macaé.
Abraços

Aline Costa disse:

Olá! Passei pelo mesmo que vc. Na verdade recebi uma proposta de transferência para lá e fiquei com pé atrás, afinal falam tanto de lá (Negativamente).
A anos eu e minha família frequentamos Barra de São João que é ao lado, temos uma casa lá, e nunca tivemos a curiosidade de ir até Macaé. Diante da proposta fomos ver qual é (como carioca fala. rsrsrs).
Ficamos SURPRESOS! Nos apaixonamos, aceitei a proposta e estamos de mudança.
Só pensamos em chegar logo essa mudança e curtir a tranquilidade e toda beleza que Macaé proporciona para quem vive lá.
Apaixonada pela CIDADE.
Somos Macaenses de coração agora.

Klécia disse:

Poxa que depoimento bacana Aline! A gente também gostou muito de Macaé, é um lugar de muita beleza e tranquilidade também! Espero que a gente volte em breve pra curtir a cidade, e que você seja muito feliz nessa nova fase da sua vida! 😀

macaetips disse:

Amei a postagem!
O que você disse é verdade, Macaé ainda peca em alguns serviços turísticos mas é algo que a cidade está despertando agora.
Realmente da igreja de Santana você teria uma vista privilegiada da cidade. Além do Sana, a serra conta com diversos distritos, são cerca de 100 cachoeiras na serra macaense, vale a pena uma esticadinha até lá.

Klécia disse:

Tô louca pra voltar por lá e descobrir todas essas belezas que não couberam na primeira visita! 🙂

Marlise Vidal disse:

Que bacana, não sabia que tinha tudo isto p fazer em Macaé. Vou programar um final de semana por lá. Muito bacana o post!

Klécia disse:

Eu gostei bastante, Marlise! Me surpreendeu também!

Ana Coutinho disse:

Que massa, não imaginei que teriam locais tão bacanas em Macaé. Na verdade só passei por lá uma vez a trabalho e não conheci bem 🙂 Show de post

Klécia disse:

Que bom que gostou, Ana 🙂

Camila Torres disse:

Praia é sempre bom, né! Legal desbravar novos cantinhos 🙂

Klécia disse:

Muito legal, Camila 🙂

Gabi disse:

Super completinho o posto, muito bom!
O lugar surpreendeu!

Klécia disse:

Obrigada Gabi! Macaé surpreendeu a gente também!

Legal o artigo. sinceramente, eu já havia ouvido falar de Macaé, mas nunca havia me interessado pelo fato de não gostar muito de praia, mesmo morando no litoral. Porém, o artigo despertou certa curiosidade pela cidade…. Parabéns!

Klécia disse:

A cidade agradou muito por essa carinha de cidade do interior mesmo sendo litoral, sol e mar. Achei super curioso como a exploração do turismo é praticamente inexistente. Acho que vale a pena conhecer até pra perceber as diferenças pra o litoral que a gente tá acostumado :).

Ana Carolina Miranda disse:

Ainda não conheço Macae, mas vou para o Rio em breve e tenho pesquisado sobre praias próximas. Gostei de saber sobre Macaé.

Klécia disse:

Que beleza, Ana! Fica como uma opção a mais!

Adorei o post! É bom ler sobre outras opções no Rio de Janeiro que não a própria cidade do Rio de Janeiro e os destinos mais óbvios. Com o calorão que está fazendo aqui em Porto Alegre, deu vontade de ir pra Macaé agora!

Klécia disse:

Incrível né? Adorei conhecer Macaé 🙂

Martinha Andersen disse:

Conheço Macaé só por amigos que tem casa lá.. Também não conheci nada da “cidade”. Mas como isso foi em outra vida, não sei se na época era assim. Adorei o post. =)

Klécia disse:

Rafael foi em outra vida também, e disse q mudou bastante! haha Obrigada, Martinha!

Giulia disse:

Caramba eu fui em Macaé para um festival de teatro e não vi nada disso hahahahaha. Agora preciso voltar. Muito legal o post.

Klécia disse:

hahahah, volta Giulia! Obrigada 🙂

Vickawaii disse:

Confesso que só conheço Macaé por causa da música e, se fosse para o Rio de Janeiro, iria para a capital mesmo, já que não conheço. Mas achei super legal a postagem e muito informativa, imagino que para os cariocas seja bom conhecer um destino próximo e não tão lotado quanto Búzios, imagino. Por sinal, estou babando nas fotos <3

Beijos, Vickawaii
http://finding-neverland.zip.net

Klécia disse:

Oi Vickawaii! Com certeza, o Rio seria a minha primeira escolha também! Mas é como você disse, pra quem já tá por aqui e procura uma opção de praia menos lotada, Macaé é uma boa escolha 🙂 Abraço!