O que fazer em Paraty: passeios clássicos e dicas fora do óbvio!

Confesso que sou uma apaixonada pela Costa Verde do Rio de Janeiro – como é conhecido esse pedaço mais ao sul do litoral do estado. E dentre destinos dessa região, a charmosa cidade de Paraty é a minha favorita. 

Para entender porque, é bem simples. Quando você procura o que fazer em Paraty, logo percebe que a cidade oferece um pouco de tudo.

A cidade que já foi o principal porto de escoamento de ouro retirado das Minas Gerais guarda em suas terras, até hoje, uma beleza natural estonteante e muitos pedaços da história do Brasil.

Paraty tem praia, trilha e roteiros culturais cheios de história. Também tem arquitetura colonial e muitas cachoeiras. Esportes radicais e gastronomia de primeira. Tem até festival literário que ganhou fama mundial, e um drink local batizado com nome de escritor. 

Paraty é uma explosão de beleza, arte e tradições. Fato é que, para explorar tudo isso, uma viagem só não será suficiente. A gente já foi a Paraty algumas vezes e, ainda assim, não conhecemos todas as atrações. Parece que essa lista sobre o que fazer em Paraty nunca vai ter fim…

Esse post reune nossas melhores dicas de Paraty.

Sabemos que tempo é um fator limitante nas viagens, por isso queremos te ajudar a priorizar de acordo com sua preferência.

Dividimos o post em duas partes: 

  • O básico de Paraty (com os passeios mais clássicos, mais procurados na cidade);
  • Paraty fora do óbvio (para quem quer experimentar os pontos turísticos menos explorados, dicas de locais ou quem já está na segunda ou terceira viagem para Paraty).

No final, ainda vou dar dicas extras com duas perguntas que sempre me fazem sobre Paraty: o que fazer em Paraty à noite e o que fazer em Paraty com chuva.

Vai ter tudo explicadinho então cola na gente para preparar sua viagem a Paraty no capricho!

Ofertas de hospedagem em Paraty! Aproveite!

O básico de Paraty: passeios clássicos

1 – Centro histórico

O centro de Paraty é pura história, arte e cultura. Tombado pelo patrimônio histórico desde 1958, o casario de Paraty é o maior cartão-postal da cidade, e deixa a gente com aquela impressão que a cidade parou no tempo.

A corrente na rua principal mantém os carros longe da maior parte das ruas do centro histórico. Pouca gente sabe, mas Paraty foi uma das primeiras cidades planejadas do Brasil, numa cidade que foi pensada para viver de acordo com os ciclos da maré.

Na maré cheia, a água toma conta das ruas. As casas foram construídas um degrau acima, para deixar a água sempre fora.

Na maré baixa, a água recua (sistema planejado para limpar o esgoto da antiga cidade colonial) e pequenos caranguejos cavam suas tocas na areia molhada entre as pedras do calçamento.

Falando em calçamento, ele ainda é feito com as escorregadias pedras pé-de-moleque, que fazem a gente prestar enorme atenção a cada passo. Por isso, vá devagar. Mas não fique apenas olhando para o chão.

Centro histórico de Paraty - O que fazer em Paraty, Rio de Janeiro

Veja o bonito casario antigo, do tempo do Brasil Colônia. Procure entre as fachadas os símbolos misteriosos relacionados à maçonaria, que teve forte influência na cidade.

Bem mais simples que as igrejas de Salvador e de outros destinos da Estrada Real (como Tiradentes e Ouro Preto), as igrejas de Paraty ainda são bastante encantadoras e sempre estão no cenário das fotos mais lindas de Paraty.

Espie pelas janelas dos ateliês, entre nas casas dos artistas quando a porta estiver aberta. Troque uma ideia, compre uma peça de arte ou escolha uma lembrancinha para recordar da viagem.

2 – Praias em Paraty: Pontal e Jabaquara

Paraty tem duas praias mais perto da cidade, que podem ser acessadas a pé.

A primeira, mais perto do centro, é a Praia do Pontal. Saindo do centro de Paraty, você chega lá com menos de 10 minutos de caminhada.

É uma praia com boa estrutura de bares e restaurantes, que também abriga uma vila de pescadores e por isso é comum encontrar algumas embarcações no mar.

Você encontra a praia de Jabaquara mais à frente (uns 20 minutos de caminhada desde o centro, subindo um morro). Essa praia também tem uma excelente estrutura de bares e restaurantes, e eu particularmente acho Jabaquara mais bonita que o Pontal.

Além de tudo, Jabaquara tem uma faixa de areia bem mais extensa, o que ajuda a diluir a densidade de pessoas na praia (dando a sensação que a praia está mais vazia). Também há menos barcos por lá.

As duas praias são bonitas, mas tem muita gente que duvida da balneabilidade dessas águas. Os motivos seriam o óleo e restos de peixe jogados no mar pelos barcos pesqueiros e descarte irregular de esgoto no mar.

O ideal é sempre conferir o relatório atual do Inea com a condição das águas em Paraty, e somente aí decidir se vai ou não cair no mar.

Dica extra: Forte Defensor Perpétuo

No caminho entre a Praia do Pontal e a Praia do Jabaquara, você pode visitar o Forte Defensor Perpétuo, construído para proteger o porto na época do escoamento de ouro via Paraty.

Esse é o único forte remanescente dessa época do ouro em Paraty (que chegou a ter 6 fortificações).

Foi nesse lugar que se estabeleceram os primeiros núcleos de povoamento em Paraty (antiga vila São Roque). Depois de abandonado e reformado, o forte foi batizado em homenagem a D. Pedro I, Defensor Perpétuo do Brasil.

A vista de Paraty e da baía que protege a cidade é uma das principais atrações para quem visita o forte. No local do antigo forte hoje funciona o Museu Forte Defensor Perpétuo

A visitação acontece de terça a domingo, de 9h-12h e 14h-17h.

3 – Cachoeiras de Paraty

Na minha opinião, a Costa Verde é um dos lugares de natureza mais bonitos do Estado do Rio de Janeiro.

Com isso, fica fácil entender porque as cachoeiras de Paraty são algumas das principais atrações na região. O combo quedas d’água + natureza preservada sempre arrebata corações.

Fica de sugestão de passeio para quem não quer ficar só nas praias. As cachoeiras de Paraty valem muito a pena!

De todas as cachoeiras que visitamos em Paraty, a que mais gostamos foi a Cachoeira do Tobogã, que pode ser combinada com o Poço do Tarzan, que fica ali pertinho.

A atração faz jus ao nome: você realmente pode “escorregar” pela pedra, como se estivesse em um tobogã. Diversão na certa.

Outro tesouro de Paraty é a Cachoeira da Pedra Branca, também muito procurada pelos turistas. Ela já fica numa área de acesso mais difícil, por isso o ideal é fazer um tour guiado pelas cachoeiras ou viajar com um carro mais potente.

Para os lados da Praia do Sono e Ponta Negra, você pode seguir a trilha para visitar, respectivamente, a Cachoeira das Galhetas e a inacreditavelmente linda Cachoeira do Saco Bravo – que tem um acesso bem complicado mas é meu sonho de consumo em Paraty!

Uma cachoeira que desagua no mar devia ser o sonho de consumo de todo mundo, por sinal…

Ainda é possível visitar cachoeiras em Trindade. Partindo da Praia do Meio, você pode seguir até a Pedra que Engole (um buraco que literalmente “engole” você, e te solta do outro lado) e o Poço Fundo.

4 – Passeio de escuna

Um dos passeios mais clássicos de Paraty é o passeio de escuna. Os barcos fazem saídas diárias, e o passeio pode ser comprado direto no píer, com as agências de turismo na cidade.

É aquele passeio que todo mundo faz, sabe? O roteiro mais tradicional passa por algumas das atrações mais clássicas de Paraty: Praia Vermelha, Praia da Lula, Lagoa Azul e Ilha Comprida.

Vale a pena especialmente se é a sua primeira vez na região, pra conhecer um pouco mais das praias cercadas por mata atlântica, marca registrada de Paraty.

Ah, dica importante: Uma das fotos mais bonitas que você vai tirar de Paraty é desse passeio de barco, quando a escuna for se afastando do píer e enquadrar perfeitamente a igreja e o casario de Paraty. É só apontar a câmera e garantir a foto!

5 – Mergulho com cilindro

O litoral de Paraty pertence à baía de Ilha Grande, um pedaço de mar com águas calmas e perfeitas para mergulhar o ano todo. 

Até debaixo d’água, não faltam atrativos: peixes e corais multi-coloridos, e até pontos de mergulho em naufrágio.

Várias empresas oferecem a opção de mergulho autônomo e até cursos de mergulho em Paraty.

Mesmo você que nunca viveu essa experiência e quer ter sua primeira vez no fundo do mar nas águas de Paraty, pode contactar uma das empresas no centro histórico e agendar um mergulho de batismo em Paraty.

6 – Gastronomia

Paraty tem um cenário gastronômico único. Uma forte influência da cultura caiçara, junto com o tempero da cozinha portuguesa e a presença de imigrantes de todas as partes do mundo. Essa receita só podia render sabores diferentes e únicos para as mesas de Paraty.

Pra começar, temos que falar dos carrinhos de doces, marca registrada de Paraty. Eles estão por todas as ruas. Basta virar uma esquina que há grandes chances de encontrar queijadinhas, pudim e pé de moleque fresquinho, vendidos em pedaços fartos, gostosos de lamber os beiços. Impossível não provar!

Os restaurantes mais tradicionais de Paraty servem pratos da culinária caiçara. Não deixe de experimentar o tradicional peixe com banana (chega na mesa cozido e borbulhante) e o camarão casadinho (daquelas frituras que valem a pena: dois camarões grandes lado a lado, recheados com farofa de camarões miúdos)

Anote a dica de alguns restaurantes de Paraty que valem a visita:

– Casa do Fogo (onde a comida é flambada com cachaça de Paraty),
– Banana da Terra (especializado em ingredientes regionais)
– Para um cardápio internacional, gostamos muito do Thai Paraty e do Istambul.

Quer mais dicas? O blog Viciada em Viajar também tem dicas deliciosas de onde comer em Paraty!

7 – Alambiques, cachaças e drinks de Paraty

Sabia que Paraty é uma das principais regiões produtoras de cachaça no Brasil? Desde a época do Brasil Colônia!

O nome da cidade acabou virando sinônimo de cachaça boa. Durante muito tempo no Brasil, as pessoas pediam uma dose de “Paraty”, quando queria pedir uma cachaça de qualidade.

Paraty já teve mais de 100 alambiques, mas hoje restam apenas alguns. Um dos principais é o Sítio Santo Antônio, que produz a cachaça Maria Izabel, que leva o nome da dona e pode ser visitado por quem segue a estrada sentido Angra, a cerca de 8km de Paraty.

Você pode visitar os alambiques de Paraty por conta própria, ou contratar um passeio guiado.

Só não dá pra esquecer que, quando o assunto é cachaças a maior referência em Paraty sempre será a cachaça Gabriela, com seu sabor adocicado de cravo e da canela.

Hoje quase todo alambique de Paraty produz uma versão da Gabriela, mas a primeira fabricação foi da família Mello (Cachaçaria Coqueiro), como uma homenagem ao filme Gabriela, Cravo e Canela, gravado em Paraty em 1988, inspirado no livro do baiana Jorge Amado.

E logo depois veio outra homenagem, que você encontra em praticamente todos os bares e restaurantes de Paraty.

O drink Jorge Amado combina a Cachaça Gabriela com maracujá e limão Taiti, e eu nunca vi vendendo em outro lugar além de Paraty. Um drink super típico e delicioso, não deixe de provar!

8 – Vila de Trindade 

Trindade é uma vila nos arredores de Paraty, mas que tem personalidade e identidade próprias. Tanto, que tem gente que prefere ficar hospedado por lá mesmo, curtindo o clima mais roots, hippie, descontraído da vila.

Praia do Cachadaço em Trindade - O que fazer em Paraty, Rio de Janeiro

O povoamento na região começou com uma vila de pescadores, que foi se desenvolvendo até s transformar na Trindade de hoje: praias paradisíacas, lojas de artesanato, clima hippie e vida noturna agitada.

Nós nunca ficamos hospedados lá, só fizemos algumas vezes o bate e volta saindo de Paraty, para conhecer as praias e piscinas naturais da vila. Tudo é muito bonito, mas tem alguns contras para nosso estilo de viagem.

A fama trouxe muitos turistas para Trindade. Como sempre visitamos em finais de semana e feriados, é praticamente impossível encontrar uma praia mais vazia. Tudo em Trindade fica super cheio, especialmente nos feriados e no verão.

As principais atrações naturais de Trindade são a Praia Brava (logo na chegada da vila) e a Praia do Cepilho (muito procurada por surfistas, também tem uma escadaria que rende boas fotos), ambas antes de chegar na Vila propriamente dita.

Na vila, além dos restaurantes e lojas de artesanato, o point é a Praia dos Ranchos, que banha todo o litoral da vila de Trindade. Você pode facilmente encontrar barzinhos com música ao vivo e o tradicional pastel frito para comer ali mesmo na praia.

Na vila também está o acesso para o Parque Estadual Serra da Bocaína, onde você pode conhecer a linda Praia do Meio (que não oferece nenhuma estrutura).

A partir da Praia do Meio, é possível fazer trilhas dentro do parque:

– Trilha para a Pedra que Engole, um curioso buraco na pedra, por onde passa água de um riacho, onde você pode escorregar e ser “engolido” pela pedra;

– Trilha para a Praia do Cachadaço (também paradisíaca, possui estrutura de um restaurante tradicional de família Caiçara) e Piscina Natural do Cachadaço (sem estrutura, mas bem bonita.

O problema é que o espaço não é muito grande e fica facilmente lotada de turistas).

Piscina Natural do Cachadaço em Trindade - O que fazer em Paraty, Rio de Janeiro

Paraty fora do óbvio

Vocês já entenderam que adoramos sair do óbvio na hora de montar o roteiro, né? Aqui estão alguns passeios interessantes que valem a pena entrar na sua lista de o que fazer em Paraty!

1 – Free walking tour em Paraty

Sabe aqueles passeios guiados gratuitos que estão ficando famosos nas grandes cidades do mundo?

O Free Walking Tour leva um grupo de turistas para conhecer os principais pontos turísticos de uma cidade, com um guia local. O passeio é gratuito e no final do passeio cada um é convidado a contribuir com um valor para o guia (sempre o que achar justo, e ninguém é obrigado a dar nada).

A gente já fez passeios assim em grandes cidades do mundo, como Bruxelas, Santiago do Chile e muitas outras. E não é que pequena Paraty também tem um passeio nesse estilo?

Centro histórico de Paraty - O que fazer em Paraty, Rio de Janeiro

Desde 2016, a empresa Free Walker Tours vem oferecendo o passeio, que é guiado pelos próprios moradores de Paraty. O tour dura 2 horas e acontece todos os dias (exceto quartas-feiras), com saídas na Praça da Matriz.

Não precisa reservar, só chegar na hora marcada e procurar os guias identificados com uma camisa vermelha.

Horários do Free Walking Tour em Paraty:
Tour em inglês: 10:30h e 17h.
Tour em português: 10:30h e 17h.

2 – Caminhada fotográfica no centro histórico

Essa aqui é pra quem gosta de fotografia. O casario histórico de Paraty é um lugar perfeito para um ensaio fotográfico.

A dica é acordar um pouco mais cedo para pegar as ruas ainda vazias, e sair caminhando em busca de diferentes ângulos e texturas.

Paraty é muito fotogênica, então o resultado pode te surpreender muito!

Fotowalk em Paraty - O que fazer em Paraty, Rio de Janeiro

E se você quiser estudar fotografia em Paraty, também pode. O fotógrafo Waldyr Neto promove um final de semana fotográfico em Paraty, o Paraty Foto Walk, onde você vai usar a cidade de Paraty como cenário para aprender um pouco mais sobre técnica e fotografia.

O pacote é completo, incluindo o fotowalk e a hospedagem para o final de semana. Mas é preciso ficar de olho porque o passeio é oferecido de tempos em tempos. Veja aqui mais detalhes sobre o fotowalk em Paraty.

3 – Mini Estrada Real

Atualização: atração encontra-se fechada ao público.

Paraty é uma das cidades da Estrada Real, nome dado na época do Império aos caminhos construídos no Brasil, mantidos pela Coroa Portuguesa e que serviam principalmente para escoar os minérios explorados no interior do país.

Cidades como Ouro Preto, Tiradentes e muitos outros destinos super turísticos no Brasil fazem parte desse roteiro histórico e muito interessante pelas estradas brasileiras.

O que pouca gente sabe é que em Paraty foi construído o Mini Estrada Real, um parque temático onde os atrativos da Estrada Real são representados por maquetes em miniatura.

As pequenas réplicas recontam a história do Caminho do Ouro, e é uma atração muito interessante para adultos e crianças.

4 – Paraty-Mirim

Uma paisagem única, onde um braço de rio desemboca num mar de águas calmas, bem no meio da praia. Na areia, ruínas de uma antiga igreja e do primeiro povoado, onde funcionava um porto clandestino de desembarque de escravos.

Assim é a Praia de Paraty-Mirim, uma mistura de passado e presente. A vila hoje é povoada por uma comunidade caiçara, e na beira da praia algumas barracas oferecem serviços (petiscos e refeições, cervejas e drinks, cadeiras e mesas incluídas a partir de um valor de consumação mínima).

Píer na Praia de Paraty-Mirim, Rio de Janeiro

Paraty-Mirim é um lugar que nem sempre entra no roteiro em Paraty, seja pela pouca divulgação, ou pelas condições da estrada de terra (que podem ficar bem ruins, especialmente em tempos com chuva).

Mas foi uma das nossas praias favoritas em Paraty, pelo conjunto de destino mais rústico, mas que ainda oferece alguma estrutura básica para quem quer passar o dia em família ou com amigos.

Confira aqui todos os detalhes da nossa visita a Paraty-Mirim.

5 – Saco do Mamanguá

Outra coisa que pouca gente sabe sobre Paraty: é na cidade que fica o único fiorde brasileiro. Mais que isso: é o único fiorde tropical do mundo!

Para quem nunca ouviu falar nesse negócio de fiorde, a gente explica. Fiorde é uma grande entrada de mar, cercada de montanhas por todos os lados.

Essa formação geográfica é bem comum no norte da Europa escandinava, mas nós temos nosso representante aqui no Saco do Mamanguá em Paraty. São 8 km de mar entrando no meio das montanhas da Serra da Bocaína, com mata atlântica preservada, trilhas, praias, rios e cachoeiras.

O passeio mais famoso em Mamanguá é a trilha do Morro do Pão de Açúcar, que dá uma visão privilegiada do fiorde brasileiro.

Para chegar em Mamanguá escapando das trilhas, a dica é acertar um passeio de barco para te levar para explorar o fiorde por via marítima, com paradas para banho em pontos estratégicos.

Você pode acertar tudo no local, especialmente com os barqueiros que saem da Praia de Paraty-Mirim. Essa praia fica mais próxima do acesso por mar do fiorde, e dá pra chegar em Paraty-Mirim de carro a partir de Paraty.

6 – Ilha do Cedro e do Pelado

Aqui mais um destino (quase) secreto em Paraty mas que surpreendeu muito a gente, tanto pela beleza quanto pela estrutura.

Cedro e Pelado são ilhas vizinhas. Pra chegar lá, só de barco, os táxi-boat que saem da praia de Iriri e de São Gonçalinho (no caminho entre Paraty e Angra dos Reis).

Ilha do Cedro em Paraty - O que fazer em Paraty, Rio de Janeiro

Escolhemos passar o dia na Ilha do Cedro porque tínhamos lido que os restaurantes dessa ilha ofereciam uma estrutura melhor – e confesso que não nos arrependemos.

Passamos um dia muito relaxante, numa paisagem de tirar o fôlego e com águas bem tranquilas. O almoço na Barraca da Dita também foi bom pro paladar e pro bolso.

Lugar lindo, pouco divulgado e muito bacana para conhecer em Paraty! Veja aqui o relato completo da nossa visita à Ilha do Cedro.

7 – Praia do Sono

Para quem encara uma trilha moderada ou encara uma viagem de 10 minutos de barco, a Praia do Sono também é uma excelente opção para um roteiro fora do óbvio em Paraty.

A praia tem uma natureza selvagem com vegetação preservada e águas cristalinas. Confesso que, de todas as praias que visitamos em Paraty, foi a praia com mais ondas (o mar estava puxando um bocado nesse dia).

Praia do Sono em Paraty - O que fazer em Paraty, Rio de Janeiro
Foto: Fui Ser Viajante

Mesmo assim, a beleza da Praia do Sono não pode ser diminuída. Uma pequena comunidade caiçara povoa a praia, e estão disponíveis várias opções de camping para os mais aventureiros.

Além de tudo, a Praia do Sono tem uma vibe paz e amor, com reggae e forró agitando as noites nos barzinhos. Dizem que fica lotada no revéillon e feriados, mas fomos no carnaval e a praia estava um baita sossego. Como a faixa de areia é muito grande, dá pra cada um curtir na sua.

Veja como chegar na Praia de Sono por trilha e o que fazer por lá.

8 – Quilombo do Campinho

Quem procura viver um turismo de experiência e com impacto social, não pode deixar de visitar o Quilombo do Campinho da Independência, na estrada entre Paraty e Ubatuba.

Fundado por três mulheres que ocuparam as terras da antiga Fazenda Independência, quando a propriedade foi completamente abandonada pelos proprietários após a Lei Áurea, o quilombo é local de resistência.

Depois de muitas lutas, somente em 1999 os descendentes dessas mulheres conseguiram oficializar a posse definitiva das terras.

Hoje a comunidade é formada por 150 famílias, que vivem de turismo de base comunitária. Os visitantes são recebidos pelos Mestras Griôs (anciãos da comunidade) para um tour de 4 horas pelas casas, plantações e tradições do Campinho.

Além disso, há venda de artesanato e uma espetacular experiência gastronômica.

No Restaurante do Campinho, você pode provar os quitutes e pratos da tradição caiçara e afro-brasileira. Ainda é possível assistir apresentações de Jongo do Campinho (dança africana), que mantém viva a tradição e as raízes históricas da comunidade.

9 – Turismo cervejeiro

Paraty não vive só de cachaça e alambique. A cena cervejeira vem crescendo na cidade, especialmente depois que a Cervejaria Caborê se instalou na cidade.

É possível visitar a fábrica da cervejaria (há um tour de quarta à sábado, sempre às 17h). O bar da cervejaria também vale a visita se você quer provar a cerveja local servida em chopps bem tirados.

A dica é pedir a premiada cerveja de trigo tipo Weizenbier, mas a casa ainda produz uma Pilsen e uma Malzbier. O bar tem um biergarten muito agradável, e funciona de quarta a domingo.

Além disso, a produção de cervejas na região de Paraty vem crescendo o suficiente para a cidade promover, já por dois anos consecutivos (2018 e 2019), o Paraty Beer em fevereiro.

Diversas marcas locais e da região se reuniram na cidade por um final de semana, para celebrar a cultura cervejeira em Paraty.

Planeje sua viagem a Paraty:

Agora que você já sabe o que fazer em Paraty, vamos listar dicas rápidas e objetivas para organizar sua viagem para Paraty.

Quando ir a Paraty?

Essa é a decisão mais difícil. Paraty chove muito, o que dificulta a maior parte dos passeios na região. O ideal é escolher viajar nas épocas mais secas, mas aí vem o frio como contrapartida.

Pois é, pouca gente sabe mas nem grande parte do estado do Rio de Janeiro é assim: verões quentes e chuvosos, invernos secos mas com temperaturas mais baixas (o que afasta muita gente do mar com águas geladas).

Como esse frio nem sempre vem (e quando vem, pode ser bem ameno), a aposta mais certeira pode estar nos meses de inverno, de junho a agosto.

De toda forma, é bom evitar réveillon e grandes feriados, quando a cidade fica mais cheia.

Os festivais que Paraty promove (como a Flip e o Festival de Cachaça) também trazem muitos visitantes para Paraty. Se a sua intenção é participar dos festivais, é bom se programar e fazer as reservas com antecedência.

Reserve sua hospedagem em Paraty

Quantos dias ficar?

Depois de conferir nossa super lista sobre o que fazer em Paraty, você já deve ter percebido que uma viagem não vai ser suficiente para conhecer tudo.

Então o negócio é estabelecer prioridades, de acordo com o tempo que você tem disponível. Lembrando que a maioria dos passeios (especialmente os que ficam nos arredores da cidade) são atividades para um dia inteiro.

O que fazer em Paraty, Rio de Janeiro

Tem só um final de semana em Paraty? Combinar o passeio de escuna, uma voltinha no centro histórico e um bate e volta em Trindade pode ser um bom começo para o seu roteiro.

Se tiver mais dias, comece a encaixar as demais atrações, de acordo com suas preferências (mais passeios culturais, mais gastronomia, mais praias e trilhas, etc…).

Onde se hospedar em Paraty

A opção ideal é ficar no centro histórico de Paraty, para dormir e acordar com o clima gostoso de uma cidade que parou no tempo. É uma baita experiência.

Além disso, quem fica no centro histórico vai ter muito mais facilidade para seguir a lista com dicas o que fazer em Paraty. Fica tudo nos arredores, ou muito pertinho do centro.

Mas não vou te enganar: ficar hospedado no Centro Histórico de Paraty é um mimo que pode sair bem caro.

Caso você queira economizar mais um pouco, a dica é procurar uma pousada fora das correntes que delimitam o centro histórico, numa das pousadas que ficam nos arredores. A caminhada até o centro histórico é curta e vale a economia.

Algumas opções interessantes de pousadas em Paraty:

Diárias acima de R$ 500
✭✭✭✭✭ – Pousada Literária de Paraty
✭✭✭✭✭ – Pousada Porto Imperial
✭✭✭✭✭ – Casa Turquesa
✭✭✭✭✭ – Pousada Arte Urquijo

Diárias entre R$ 350 e R$ 500
✭✭✭✭ – Eliconial Paraty Pousada
✭✭✭✭ – Pousada Aconchego
✭✭✭✭ – Pousada Pardieiro
✭✭✭✭ – Boutique Hotel Carpe Diem
✭✭✭✭ – Pousada do Ouro
✭✭✭✭ – Pousada Morro do Forte

Diárias até R$ 350
✭✭✭ – Pousada dos Contos
✭✭✭ – Pousada Estrela de Paraty
✭✭✭ – Velejador Hotel
✭✭✭ – A Casa de Paulo Autran
✭✭✭ – Pousada Arte Colonial

Algumas opções interessantes de hostels em Paraty:

✭✭✭ – Maracujá Hostel
✭✭✭ – Che Lagarto Hostel Paraty
✭✭✭ – Carpe Diem Hostel

Quer pesquisar mais um pouco? Veja aqui outras opções de hostels, hotéis e pousadas em Paraty.

O que fazer em Paraty com chuva?

Já comentei mais acima que em Paraty chove muito, especialmente nos meses mais quentes do ano. Se você decidiu visitar a cidade numa época chuvosa, acredite: há muito o que fazer em Paraty com chuva!

Pra começar, o Free Walking Tour pelo centro histórico funciona todos os dias (menos às quartas), mesmo com chuva. Então pega uma sombrinha e aproveita para descobrir mais sobre a história da cidade!

Você também pode visitar a Casa da Cultura de Paraty, onde a comunidade local busca preservar as tradições de Paraty (entrada gratuita). Ou ainda explorar os muitos ateliês de arte que estão espalhados pelos casarios do centro histórico.

Outra opção é visitar os museus (Museu de Arte Sacra, Casa de Papel, Forte Defensor Procópio) e as igrejas de Paraty, para encher esse dia chuvoso com muita arte e cultura.

Igrejas no centro de Paraty - O que fazer em Paraty, Rio de Janeiro
Foto: Fui Ser Viajante

Outro passeio que pode ser feito com chuva em Paraty é a visitação aos alambiques de cachaça ou à fabrica de cerveja Caborê. Outra ideia é um tour gastrônomico, visitando restaurantes tradicionais e provando pratos típicos em Paraty.

Por fim, se for quarta ou sábado, você pode ir até o Teatro Espaço, para assistir uma linda apresentação do Teatro de Bonecos de Paraty, promovido pelo Grupo Contadores de Estórias.

O que fazer à noite em Paraty?

É até redundante dizer, mas Paraty é tão charmosa de dia quanto de noite. Caminhar pelas ruas do Centro Histórico, com a iluminação meio antiga que deixa as ruas à meia-luz, é uma experiência única.

A noite também é a hora de aproveitar o melhor da culinária de Paraty, com restaurantes abrindo as portas com todos os sabores e drinks para animar sua viagem.

Além dos que já citamos como boas opções gastronômicas, ainda vai citar o Paraty 33, não pela comida mas sim pela animação. Lá tem sempre música ao vivo e quando a noite vai caminhando, o negócio por lá anima também e em certo momento lembra mesmo uma balada.

Combine Paraty e outros destinos

Nas proximidades de Paraty, você ainda encontra outros destinos muito interessantes para visitar, que podem muito bem render uma dobradinha.

Só pra dar alguns exemplos, você pode combinar Paraty com Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, além de Ubatuba e Cunha em São Paulo.

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Eliana disse:

Muito obrigada por compartilhar sua experiência em Paraty. Adorei as dicas, sugestões, informações.
Estamos indo para Paraty.

Lila Cassemiro disse:

Oi Eliana! Que bom que gostou! Tenha uma ótima viagem 😀

Fabbios B. disse:

Parabéns pelo artigo! Estou com viagem programada para outubro e fiquei bem feliz em ver muita coisa do que programei por aqui e mais ainda com as outras opções que não estavam no roteiro rsrs.
Sucesso e vlw pelas dicas 😉

Klécia disse:

Oi Fabbios, ficamos felizes que nossos posts te ajudaram a montar seu roteiro de viagem! Que seja uma viagem incrível!

Álvaro Luiz disse:

Bom dia Klécia!!
Me chamo Álvaro. Gostei muito das suas dicas. Mas não consigo entrar em contato com a pousada sol da manhã em Angra dos Reis.
Vc tem o telefone de lá, ou alguma forma de contato que poderia me passar?
O que tem no site não atende de forma alguma.
Fico aguardando seu contato na esperança que possa nos ajudar.
Grato
Abç!!

Lila Cassemiro disse:

Oi Alvaro. O contato que tenho é esse: (24) 3366-0980. Espero que ajude.

Gabriela disse:

Amei seu post! Resumindo tudo de importante! Anotei todas as dicas! Muito obrigada!

Lila Cassemiro disse:

Obrigada pelo comentário, Gabriela 😀

Sara disse:

Muito obrigada pelas dicas!
Amo Paraty e já fui inúmeras vezes, mas seu texto – que está impecavelmente completo e bem escrito – trouxe novidades e dicas valiosas!
Parabéns!

Rafael Cassemiro disse:

Que bom que gostou, Sara o// Paraty é mesmo linda!

Carla disse:

Ótimas dicas, parabéns!!

Rafael Cassemiro disse:

Que bom que gostou, Carla!

PATRICIA disse:

Parabéns pelo Blog, dicas ótimas e bem interessantes. Vou a Paraty no início de março e peguei todas as sugestões, Valeu!!!

Rafael Cassemiro disse:

Oi Patrícia, que legal que nossas dicas te ajudaram! que sua viagem seja incrível! Grande Abraço

SimoneBarros disse:

Quantas dicas valiosas e texto muito bem escrito! Muito obrigada!

Rafael Cassemiro disse:

Oi Simone, Obrigado pela visita e boas viagens, Grande Abraço!!

Solange Timponi França disse:

Oi Klécia!! Adorei suas dicas sobre Paraty!! Obrigada !! Vamos passar o fim desta semana (mais prolongado), lá. Como vc mesma disse , vamos seguir as dicas conforme o tempo de nossa estadia e as que são a nossa cara !! Bjinhos

Klécia disse:

Que maravilha, Solange! Espero que se divirta bastante!

Waldyr Neto disse:

Boa noite Klécia, aqui é o Waldyr Neto, fotógrafo. Em primeiro lugar, agradeço pela divulgação do Paraty Fotowalk. O link que você postou é do evento do ano passado. Se puder atualizar, o link do evento deste a o é https://www.escapadasonline.com.br/produto/paraty-fotowalk-com-waldyr-neto-2/

Klécia disse:

Oi Waldyr, eu que agradeço! Já atualizei o link! 🙂