Fui Ser Viajante

Rota da Cerveja na Europa: cidades com tradição cervejeira

Foto: Alexas_Fotos por Pixabay

Compartilhar

Rota da cerveja na Europa | Alguns países da Europa têm tradição cervejeira e, para além dos pontos turísticos, este vem sendo um motivo a mais para atrair um grande número de visitantes apaixonados pela bebida.

A história da cerveja no continente começou no ano I d.C. Mas a história da bebida é bem mais antiga que isso e data, possivelmente, do ano 6 mil a.C., na região da Mesopotâmia, no Oriente Médio.

Ao longo do tempo a produção foi se expandindo para novos lugares e sendo aprimorada até chegar à forma como conhecemos hoje (que pode variar dependendo do estilo ou do local). Até que se tornou a bebida mais popular do mundo.

Ao longo destes séculos, muitas cidades europeias ficaram famosas por serem grandes produtoras de cerveja.

E essa popularidade faz com que muita gente passasse a ter interesse no turismo cervejeiro, para conhecer de perto a produção de marcas famosas ou até mesmo das novas e artesanais. Além, é claro, de beber!

Assim começaram a surgir as rotas cervejeiras na Europa, com passeios voltados especialmente para o público que gosta da bebida.

Você faz parte desse time que quer descobrir cervejas locais para provar nas viagens pela Europa – e beber algumas das melhores cervejas do mundo no processo?

Então embarque nessa com a gente! Veja o que conhecer (e beber) na rota da cerveja da Europa!

Rota cervejeira na Europa: 7 cidades para visitar e brindar

Munique – Alemanha

Quando o assunto é cerveja, a Alemanha é um país com forte tradição. E sua cidade mais famosa para quem aprecia a bebida é Munique, onde a mais tradicional festa cervejeira do mundo, a Oktoberfest, acontece desde 1810.

Foto: motointermedia por Pixabay 

Comparecer nessa festa é o sonho de todo viajante cervejeiro. Não é à toa que a Oktoberfest é a maior festa do universo cervejeiro!

O evento dura 17 dias e recebe anualmente quase 10 milhões de pessoas – que consomem 7 milhões de litros da bebida.

Mas, mesmo fora do período da Oktoberfest, Munique é um ponto certo no roteiro de quem gosta de cerveja.

A cervejaria mais antiga da cidade, fundada em 1328, é a Augustiner, onde ainda hoje a cerveja sai direto dos barris de madeira.

Outras grandes marcas de cervejarias locais em Munique são Hofbräuhaus, Paulaner, Löwenbrau, SpatenHacker-Pschorr.

Em todas elas as fábricas funcionam para visitação. E contam ainda com restaurantes temáticos, não só com comidas típicas, mas também músicas e até as roupas dos funcionários no estilo tradicional.

Essas marcas podem ser encontradas ainda nos mercados e também nos bares pela cidade (por um preço bem mais em conta que no Brasil, e muitas vezes com rótulos que nem chegam aqui).

Em Munique também fica também o Museu de Lúpulo, na maior área de cultivo de lúpulo do mundo.

Bamberg – Alemanha

A rota da cerveja na Europa tem tudo a ver com Bamberg, já que a história desta cidade se confunde com a própria história da cerveja. Há registros de que já produziam a bebida nessa região desde o início do século XI.

A tradição permaneceu e hoje Bamberg é considerada a cidade com maior número de cervejarias por habitante no mundo.

Foto: Herbert Aust por Pixabay 

Localizada no estado da Baviera, a cerca de 2 horas de trem de Munique, Bamberg tem um centro histórico tombado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e pode ser conhecida em um bate e volta.

Você pode facilmente combinar esses dois destinos cervejeiros na Alemanha!

Entre os passeios mais recomendados estão a Klosterbräu, cervejaria mais antiga da cidade e a Schlenkerla, cervejaria que produz a cerveja defumada mais tradicional da cidade.

Em Bamberg tem também a Weyermann, que é a maior fábrica de malte do mundo e o Museu Francônio da Cerveja, que além da parte histórica oferece uma bela vista panorâmica.

Dublin – Irlanda

Impossível falar em turismo cervejeiro na Europa sem falar da Irlanda.

Uma das marcas mais tradicionais em todo o mundo, a Guiness Stout, é produzida em Dublin desde 1759, e sua fábrica é a atração mais visitada do país.

Anualmente são cerca de um milhão de turistas interessados no passeio que conta a história, detalhes do processo e outras curiosidades. No fim, uma parada para degustação no bar do terraço com uma bela vista panorâmica.

Há também outras marcas conhecidas no país, como Smithwicks, O’ Haras, Murphy’s e muitos novos sabores de fabricação artesanal.

E é na Irlanda que acontece a mais famosa celebração do St. Patrick’s Day, com desfiles, muita cerveja verde e diversão.

Foto: Jill Wellington por Pixabay 

Embora seja originalmente de origem religiosa (o santo é padroeiro do país), desde a década de 90 o governo aproveitou a data para atrair mais turistas, tendo a Guiness como patrocinadora das ações.

Não demorou para que a festa se unisse ao gosto pela cerveja. Atualmente, é tradicional que as pessoas se vistam de verde e celebrem a paixão pela bebida lotando os mais de 800 pubs de Dublin.

Amsterdam – Holanda

Outro país com tradição cervejeira na Europa, a Holanda é famosa especialmente por causa da cerveja Heineken, produzida em Amsterdã desde o século XIX e conhecida no mundo todo.

Por isso um passeio imperdível na cidade é o Heineken Experience, uma espécie de museu interativo que conta a história da marca e funciona no local onde ficava a primeira fábrica da bebida.

Foto: Fui Ser Viajante

Outra cervejaria tradicional de Amsterdam é a Brouwerij ’t IJ, que fica em um dos cartões-postais da cidade, o moinho Gooyer Mill, às margens de um canal.

Ela tem produção própria, com vários estilos e diferentes percentuais alcoólicos. E, pra ficar ainda melhor, a cervejaria oferece um tour para conhecer de perto o processo de fabricação.

Em uma viagem por Amsterdam também vale incluir no roteiro os muitos bares e pubs com cervejas selecionadas e as pequenas fábricas artesanais de cervejas locais. Entre as mais indicadas estão a Brouwerij Troost, De Prael, Poesiat & Kater

Praga – República Tcheca

País que mais consome cerveja no mundo, a República Tcheca conta com algumas cervejarias históricas. Os primeiros registros de produção datam do século X, mosteiro de Břevnov.

O local original já não existe mais, mas outro foi construído e ainda hoje a Cervejaria de Břevnov é uma das principais de Praga.

Entre as mais antigas estão ainda a Cervejaria de Strahov (1400), a U Medvídků (1466), a U Fleků (1499) – que conta com um museu.

Hoje, além das cervejarias tradicionais, há também produções menores de cervejas artesanais.

Praga oferece ainda outros tipos de experiência com a bebida, como o SPA da Cerveja, onde o visitante entra em uma banheira de hidromassagem com um líquido composto de levedura e outros ingredientes, além de ter o consumo liberado da bebida e outros atrativos.

Ou seja: mais um destino massa que não pode ficar fora da sua Rota da Cerveja na Europa!

Plzen – República Tcheca

Outra cidade com tradição cervejeira na República Tcheca é Plzen, onde surgiu a cerveja pilsen, que é hoje um dos tipos mais apreciados e consumidos no mundo.

Entre as principais atrações estão a fábrica da Pilsner Urquell, fundada no século XIX, que tem a opção de tour guiado e degustação da receita original de pilsen feita exatamente como no tempo em que foi criada.

Foto: Leonhard Niederwimmer por Pixabay 

E também o Museu da Cerveja (Pivovarské muzeum), que funciona no local onde havia uma fábrica no começo do século XV.

A cidade está localizada a cerca de 100 quilômetros de Praga e pode ser conhecida em um bate e volta.

Uma das épocas mais procuradas é 4 de outubro, quando, em homenagem ao dia em que a primeira cerveja da marca foi feita, acontece a Pilsner Fest, com atrações musicais, pessoas com roupas típicas da época e, claro, muito consumo de cerveja. 

Bruxelas – Bélgica

A Bélgica possui uma produção com mais de 1.500 rótulos diferentes de cerveja, com grande variedade de estilos e sabores, dos mais comuns aos exóticos.

Foto: Fui Ser Viajante

Uma curiosidade é que por lá a grande maioria das cervejarias tem o cuidado de produzir um copo específico para servir suas principais cervejas, o que além de realçar a experiência, ainda vira item de coleção.

Em Bruxelas o destaque é o Delirium Café, que é praticamente uma rua inteira e vários bares espalhados em diferentes ambientes / andares, servindo as cervejas da marca Delirium e muitos outros rótulos – somando, são mais de 2 mil cervejas no cardápio.

O Moeder Lambic é outro bar em Bruxelas que também tem um vasto número de opções.

Para conhecer mais da história da cerveja, a dica é o Museum Bruxelense da Gueuze, na fábrica da cerveja Cantillon, que fabrica cervejas no estilo lambic desde 1900.

Bruges – Bélgica

Bruges, com seu estilo medieval, é outra cidade belga que também possui cervejarias bem tradicionais.

A mais famosa é a De Halve Maan, fundada na metade do século XIX e passada por várias gerações da mesma família.

Ela produz as cervejas Brugse Zot e Straffe Hendrik e oferece uma visita guiada na qual é possível visitar os ambientes, ver os equipamentos (antigos e modernos) e saber mais detalhes da história.

Para finalizar, uma degustação e uma bela vista da cidade.

Foto: Fui Ser Viajante

A cervejaria Bourgogne de Flandres também é bem conhecida e oferece um tour guiado interativo e que dá direito a uma cerveja em um pub local.

Dá para conhecer as duas em um bate e volta partindo de Bruxelas – mas duvido que você queira passar tão pouco tempo em Bruges! Recomendo dormir pelo menos uma noite na cidade.


Mas se você vai à Bélgica atrás da tradição cervejeira, minha dica é que você não fique só no roteiro Bélgica – Bruges. A tradição cervejeira no país vem de muito tempo e merece ser explorada a fundo, em outras regiões do país.

Só para dar um exemplo, visitar a Bélgica é um paraíso para os amantes das cervejas trapista. São aquelas cervejas raras e aclamadas mundialmente, produzidas seguindo regras rígidas dentro dos muros dos mosteiros trapistas.

Embora atualmente haja mais de 150 mosteiros da Ordem Trapista pelo mundo, apenas 11 mosteiros detém a certificação para produzir cerveja trapista, com o direito de colocar o rótulo de autenticidade em suas cervejas.

E pasmem: 6 deles ficam na Bélgica.

Rodando esse pequeno país, você pode visitar a fábrica da Chimay, Achel, Rochefort, Orval, Westmalle e Westvleteren (considerada várias vezes como a melhor cerveja do mundo).

Foto: Fui Ser Viajante

Tudo isso fez com que em 2016 a cultura cervejeira belga se tornasse Patrimônio Cultural Imaterial da humanidade pela UNESCO.

Como são produzidas por mosteiros em pequenas cidades, visitar essas cervejarias foge um pouco da rota da cerveja na Europa que passa apenas pelas grandes cidades.

Mas vai por mim: vale a pena pegar um carro e montar uma viagem de alguns dias explorando a rota cervejeira pelo interior da Bélgica.

Rota cervejeira na Europa: porque vale a pena fazer!

Uma curiosidade é que, no Brasil, a cerveja só chegou no século XVI, no período da colonização.

Como o interesse dos europeus era vender vinho, a bebida demorou a cair no gosto das pessoas. Mas, depois que isso aconteceu, rapidamente a se tornou parte da cultura nacional.

Para os brasileiros cervejeiros, fazer uma rota da cerveja na Europa é uma forma de turismo diferente, que possibilita descobrir novas marcas, provar novos sabores e conhecer mais sobre a história da bebida.

Temos muitos posts sobre as cervejarias que já visitamos na Rota da Cerveja na Europa na página de Turismo Cervejeiro aqui no blog. Confira!


Vem ser viajante com a gente!

Gostou do nosso conteúdo? Deixe um comentário aqui no site!
Acompanhe o blog nas redes sociais FacebookInstagramTwitter e Youtube
Para mais dicas e inspirações de viagem, siga o nosso perfil no Pinterest

 

Nosso blog também é mantido por você, leitor que viaja com a gente!

Você sabia? Quando você reserva seu hotel com os links aqui do site, você não paga nada a mais por isso? Já nosso blog recebe uma pequena comissão, paga pelo Booking.com. É assim que você apoia nosso conteúdo e ajuda nosso blog a crescer.

Você também nos ajuda muito quando contrata seguro viagem com a Seguros Promo e compara preços e aluga carro com a RentCars (sem pagar IOF!).

Somos uma comunidade de pessoas que amam viajar, então muito obrigado a você que faz o Fui Ser Viajante acontecer!

Foto: Alexas_Fotos por Pixabay 

Sair da versão mobile