Fui Ser Viajante

Palácio de Versailles: tudo sobre a visita

Compartilhar

Como aproveitar muito a visita ao Palácio de Versalhes | Está preparado para passar um dia entre as histórias de reis e rainhas, intrigas, riqueza e muita, muita beleza?

Não é a toa que o Palácio de Versalhes, ou Château de Versailles, em francês, é um dos passeios bate e volta mais procurados por quem está em Paris!

Versailles fica a uma curta distância da capital francesa, o que facilita muito o acesso. Você pode chegar lá de trem, de carro e até com ônibus e excursão (contamos tudo sobre como chegar no Palácio de Versalhes nesse post).

>> SEGURO VIAGEM para Europa com 10% de desconto! <<
Faça uma cotação grátis e aproveite!

O conjunto arquitetônico do palácio e jardins é um dos tesouros europeus mais bem preservados. Recomendo muito que você separe um dia inteiro para conhecer tudo com calma.

A experiência bem saboreada vai te levar para uma verdadeira imersão dentro da história aristocracia francesa dos séculos 17 e 18. Juro que vale a pena.

O que você vai encontrar nesse post?

Dividi o post em duas partes. Primeiro, vou falar de coisas que você precisa saber antes de ir ao Palácio de Versalhes. É aqui que explico os tipos de ingressos, quanto tempo reservar para a visita, como chegar no Palácio de Versalhes, um pouco da história, curiosidades e segredos do Palácio de Versalhes, e até livros e seriados que valem a pena conferir antes da visita).

Na parte 2, falo sobre a experiência da minha visita ao Château de Versailles. Como organizei um roteiro para visitar Versalhes em 1 dia e aproveitar ao máximo.

Pra você ter uma noção, são mais de 800 hectares de jardins + o interior do palácio de Versalhes. Tudo em um dia é quase uma maratona, você precisa SIM de um roteiro.

Nessa parte falo também sobre o que gostei muito na visita a Versalhes, comparei expectativa x realidade e de quebra ainda deixei algumas dicas para melhorar a sua experiência na visita ao Palácio de Versalhes.

O post ficou grande? Ficou. Mas vai até o final que vale a pena.

Inclusive, quero agradecer a Sirlene Lucena, do Insta @inpariswelive, uma brasileira querida que mora em Paris há alguns anos, e me ajudou muito a planejar essa visita. Grande parte das dicas desse post foram dadas por ela!

Vale seguir o Insta @inpariswelive para ter mais dicas locais e honestas sobre a vida e o turismo em Paris.

Leia também:
+ Roteiro de 5 dias em Paris (ideal para primeira viagem)
+ Onde se hospedar em Paris: bairro a bairro
+ Paris Museum Pass: nossa experiência com o cartão de descontos
+ Shakespeare and Company: a livraria mais charmosa de Paris
+ Principais castelos para visitar no Vale do Loire

Parte 1: Visita ao Palácio de Versalhes: o que saber antes de ir

Ingressos Palácio de Versalhes

Você pode comprar seu ingresso do Palácio de Versalhes na hora, no próprio palácio, ou pela internet. Por que eu recomendo comprar pela internet? Para não perder tempo na fila!

Você tem muita coisa para ver em Versalhes e cada minuto do seu dia conta. Então nada de perder tempo esperando na fila para comprar o ingresso no local.

Pode ser um dia calmo e não ter fila? Pode. Mas pode ter uma multidão e você vai se arrepender de não ter providenciado o ingresso antes.

Além disso, é importante dizer que existe mais de um tipo de ingresso para visitar o Château de Versailles.

Mas atenção ao detalhe: não importa o tipo de ingresso que você comprar, todo mundo precisa passar pelo controle de segurança (revista de bolsa e raio X) antes de entrar em Versalhes.

Ocasionalmente, pode ter mais uma fila nessa etapa, para quem está comprando ingresso na hora. Se você comprou online, só vai ter essa fila para enfrentar.

Todos os ingressos também incluem audioguia. Você pode pegar o seu no balcão, logo depois da revista de segurança – ou baixar o audioguia no celular e evitar esperar mais um tempinho até ser atendido.

Não esqueça de levar um fone de ouvidos, vai ser MUITO útil para conseguir ouvir o audioguia enquanto fica com as mãos livres (seja o audioguia no celular ou o aparelho que disponibilizam lá, que é aquele tipo “telefone” – ficar segurando o aparelho na orelha durante toda a visita pode ser bem incômodo).

Escolhendo seu ingresso para Versalhes:

Como comentei acima, existem vários tipos de ingressos disponíveis:

1) Passaporte

É o ingresso completo, que dá direito a visitar toda a propriedade (o Palácio de Versalhes, o Grand Trianon e o Petit Trianon, com seus respectivos jardins), as exibições temporárias, os jardins de Versalhes, o Parque ao longo do canal e a Galeria das Carruagens).

Esse ingresso do Palácio de Versalhes custa € 20 (inclui audioguia) e é vendido o ano todo. Pessoas com menos de 18 anos não precisam pagar ingresso.

Para os leitores do blog, fizemos uma parceria com a empresa de ingressos europeia Ticketbar, para que você compre o ingresso de Versalhes com desconto e receba direto no seu e-mail:
-> Compre aqui seu ingresso Versalhes Passaporte (COM DESCONTO!) – inclui audioguia

Mas atenção: Em alguns dias específicos entre abril e outubro (terças, finais de semana e algumas datas extras), acontece um espetáculo nos jardins de Versalhes chamado Musical Fountain Shows ou os Jardins Musicais.

Nesses dias, o ingresso Passaporte de Versalhes (que inclui tudo que falei acima e dá direito também a assistir a esse espetáculo) custa € 27. Nesses dias o acesso aos jardins só é gratuito para crianças de 0 – 5 anos.

-> Compre seu ingresso Passaporte Versalhes + show de fontes

2) Passaporte de 2 dias

O passaporte de 2 dias dá acesso a todas as dependências da propriedade (como no ingresso básico), por 2 dias consecutivos (inclui audioguia). Ideal para quem quer conhecer tudo com mais calma.

O mais indicado é se hospedar na própria cidade de Versalhes e evitar o deslocamento ida e volta até Paris (veja aqui opções de hotéis em Versalhes).

Esse ingresso custa € 25. Se o período incluir 1 ou 2 dias de Musical Fountain Show ou os Jardins Musicais, o ingresso passa a custa € 30.

Veja opções de hospedagem em Versalhes

3) Bilhete do Palácio

É o ingresso mais simples, que dá direito apenas a visitar o Palácio de Versalhes (inclui audioguia), os jardins de Versalhes, o Parque e a Galeria das Carruagens.

Nesse ingresso, ficam de fora as demais propriedades de Versalhes: o Grand Trianon e o Petit Trianon, com seus respectivos jardins), as exibições temporárias e o show dos Jardins Musicais, se houver.

Custa €18 euros. Seria o ingresso ideal para quem quer economizar tempo e ver só o essencial, que é o palácio principal. Para quem tem só meio dia em Versalhes, sabe?

Mas pensando um pouco, a economia de quem compra esse ingresso, comparando com o passaporte é só de € 2. Vai que você chega lá em Versalhes e consegue tempo para explorar mais um pouco? Eu iria para o ingresso completo, melhor sobrar do que faltar.

4) Bilhete do Trianon

Esse ingresso dá direito a visitar apenas os palácios menores, seus jardins e exposições, além dos jardins de Versalhes, o Parque e a Galeria das Carruagens. Não inclui o Palácio de Versalhes em si, o prédio principal dentro da propriedade.

Esses palácios menores ficam dentro dos grandes jardins de Versailles e são chamados Trianon. Existem dois: o Grand Trianon e o Petit Trianon, também chamado de Domínio de Maria Antonieta.

Na real? Coloquei esse ingresso mais para ilustrar as possibilidades, já que acho muito improvável que esse ingresso seja útil para algum turista que está visitando Versalhes pela primeira vez. Você vai querer ver o palácio principal, vai por mim.

5) Outros ingressos e entrada gratuita

Além desses ingressos que já citei acima, existem outras opções de ingressos que combinam a visita à propriedade com uma exibição de show equestre, por exemplo.

Os ingressos para os shows musicais nas fontes também podem ser comprados separadamente.

São ingressos menores que dificilmente vão interessar a quem visita Versalhes pela primeira vez e só tem 1 ou 2 dias para ficar por lá. Mas caso te interesse, você pode ver todos os ingressos disponíveis para venda no site oficial de Versailles.

Lembre que: Quem tem menos de 18 anos (ou residentes da União Europeia com menos de 26 anos) tem entrada gratuita em toda a propriedade do Palácio de Versalhes. Pessoas com deficiência acompanhadas de uma pessoa também tem acesso gratuito.

Nos dias dos shows musicais, somente crianças menores de 5 anos tem acesso gratuito aos jardins de Versalhes.

Horário de funcionamento e quanto tempo reservar para a visita?

A visita ao Palácio de Versalhes (prédio principal) pode ser feita de terça a domingo, das 9h às 18:30. Não abre às segundas.

Já o Grand Trianon e Petit Trianon abrem às 12h e fecham às 18:30h, e também não abrem às segundas.

Os jardins de Versalhes abrem das 8h às 20:30h (todos os dias) e a Galeria das Carruagens abre de 12:30h às 18:30h (fechada às segundas).

Só de ver esses horários diferentes, você entende porque precisa ter uma ordem lógica na hora de organizar seu roteiro em Versalhes? Quando eu falar da minha visita (mais abaixo), conto os detalhes do meu roteiro!

Quanto tempo reservar para visitar o Palácio de Versalhes?

Minha recomendação é ficar pelo menos um dia inteiro, chegando às 9h e ficando o dia todo por lá. Quem quer visitar só o palácio principal consegue fazer em meio período – mas sério que você vai de Paris até lá e não vai espiar todo o resto?

Quem opta pelo passaporte de dois dias em Versalhes, consegue fazer tudo com mais calma, e quem sabe até incluir um dia com show nas fontes do jardim (um espetáculo que vale muito a pena!). Vale a pena se hospedar na cidade, que é pequena mas bem charmosinha.

Reserve seu hotel em Versalhes

Guarda-volumes em Versailles

Certos itens não são permitidos nas dependências do Palácio, para facilitar a circulação e evitar acidentes (como esbarrões nas peças de arte).

Existe um guarda-volumes logo na entrada do Palácio e dos Domínios de Trianon. Anote o que você precisa guardar: malas, bolsas de grande capacidade, carrinhos de bebê, bengalas, muletas, guarda-chuvas, etc).

Um pouquinho da história do Palácio de Versalhes

Estamos falando de uma obra monumental. Com jardins de mais de 800 hectares, e um palácio com 2300 aposentos, Versailles é uma joia da arquitetura e um tesouro histórico fielmente preservado.

Mas nem sempre foram dias de glória. Antes de ser transformado no majestoso palácio pelo rei Louis XIV (o famoso rei Sol), o local serviu como palácio de caça de seu pai, Louis XIII, que buscava se afastar da influência da mãe Maria de Médici.

A região não era das mais valorizadas, por ser uma zona pantanosa e afastada de Paris. Mesmo assim o rei foi fazendo uma melhoria aqui, construindo um jardim à francesa ali, dando um “up” no lugar.

Mas a transformação só veio mesmo a partir de 1660, no reinado de Louis XIV. O homem cismou que queria construir ali um Palácio que “brilhasse tanto quanto o sol” – não é a toa que ele ficou conhecido como rei Sol, né?

E isso também explica o tanto de ouro e espelhos empregados na construção, especialmente na super famosa Galeria dos Espelhos, o salão mais fotografado do palácio, com janelas que dão vista para o jardim e recebem incidência direta do sol da manhã.

Os reis que seguiram continuaram as melhorias (Louis XV e Louis XVI), o que fez do Palácio de Versalhes uma joia arquitetônica permanentemente em obras ao longo dos séculos seguintes.

Como a história não para, anos depois a Revolução Francesa trouxe o próprio Napoleão I para morar em Versalhes – ele ocupou o prédio do Grand Trianon.

Depois, Versalhes veio ainda se consagrar como parte essencial dentro das relações diplomáticas do mundo, com a assinatura do Tratado de Versailles e muitos outros eventos celebrados em seus salões. História é o que não falta nesse lugar, amigos!

Curiosidades sobre o Palácio de Versalhes

Versalhes é um daqueles lugares tão famosos e mágicos que várias lendas e histórias se criam ao redor dele. Aqui vão algumas:

– O salão dos Espelhos em Versalhes, projetado para refletir a luz do sol e mostrar a imponência da construção, conta com 357 espelhos. Os candelabros também foram estrategicamente colocados para favorecer a iluminação do lugar.

– A independência dos Estados Unidos, concedida pelo Reino Unido no Tratado de Paris de 1783, foi assinada em Versalhes.

– Em 28 de novembro de 1973, o Palácio de Versalhes foi cenário de um momento histórico da moda e cultura pop: a batalha de Versailles, desfile-competição entre cinco estilistas franceses e cinco norte-americanos (nomes como Yves Saint Laurent e Pierre Cardin estavam envolvidos).

O evento buscava arrecadar fundos para a reforma do palácio e, de tão icônico, virou filme e livro.

Verdade ou mentira? Tem uma lenda muito curiosa que circula de boca em boca sobre Versalhes:

Contam que, durante a construção, foi decidido que todos os materiais para decoração usados no Palácio de Versalhes deveriam ser “made in France“, tudo produzido na França com matéria-prima francesa.

O problema é que, na época, os venezianos detinham a técnica para fazer espelhos. Para resolver isso, o rei decidiu “importar” alguns desses homens para a França.

Isso gerou uma revolta na população de Veneza, que assassinou os espelhistas que estavam “vendendo o seu segredo” para a França.

Coisas para ler e assistir antes de ir a Versalhes

Eu confesso que não resisto a um destino recheado de história, e sou muito fã daqueles seriados de TV com reis, rainhas, amores e intrigas (porque sempre tem, né?).

E a visita ao Palácio de Versailles é o exemplo perfeito de como é abrir um livro de história na vida real. Você vai estar lá, no mesmo lugar retratado centenas de vezes em filmes, séries e livros.

Que tal dar uma lida em um material interessante para entender mais e viver essa experiência mais a fundo? Quem sabe uma série de TV faz mais o seu tipo?

– Vale a pena ler um pouquinho da história dos reis Louis XIV, XV e XVI e suas respectivas rainhas (principalmente a lendária Marie-Antoinette).

– Também vale dar aquela relembrada na história da Revolução Francesa, Napoleão I e Le Notre, o jardineiro de Louis XIV.

– Vale assistir a série Versailles, disponível na Netflix e o filme Marie Antoinette (2006), dirigido pela premiada cineasta Sofia Coppola e filmado no próprio Château de Versailles.

– O documentário “The Battle Of Versailles” e o livro “A batalha de Versalhes: A noite que mudou a história da moda” também dão uma perspectiva interessante e diferente sobre o palácio.

Parte 2: Como foi minha visita ao Palácio de Versalhes – e como aproveitar melhor a experiência

O Palácio de Versalhes é um dos pontos turísticos mais visitados da França. Dito isso, é preciso estar ciente que, possivelmente, para visitar o interior do palácio você vai dividir espaço com mais uma multidão. 

Então será que vale a pena visitar? Muito!

Entrar naqueles aposentos e ver de perto toda a riqueza que a gente só imagina nos livros de história é uma experiência impagável para amantes de história, arquitetura e arte – e também para quem acredita que contos de fadas podem ser reais!

Além de toda a parte cultural, os jardins de Versailles são um espetáculo a parte. Imensos e coloridos, convidam para uma caminhada – ou passeio de bike, trem elétrico ou até ônibus circular!

Repletos de esculturas, fontes e paisagismo, é a natureza em forma de arte também!

Veja como eu organizei minha visita e organize a sua também:

O que ver em Versalhes: organize seu roteiro

Organizei meu roteiro para passar um dia inteiro no Palácio de Versailles. Me programei para chegar nos portões na hora de abertura, e só sai de lá por volta das 19h.

Nesse dia, vi o Palácio de Versailles em si, o Grand e o Petit Trianon, um pedaço dos magníficos jardins (é impossível ver tudo!) e terminei o dia na Galeria das Carruagens, que fica na área externa, no outro lado da rua do acesso principal ao Palácio.

Não vi o show de fontes musicais por dois motivos:

1) as apresentações acontecem em dias específicos, e no dia que visitei não aconteceria;
2) para encaixar o espetáculo musical de fontes no meu roteiro de 1 dia em Versailles, seria preciso tirar alguma coisa da programação – não cabe absolutamente tudo em 1 dia, só se você fizer correndo e eu não queria visitar o Palácio de Versailles assim.

Dicas essenciais:
– Baixe o audioguia da visita no celular, antes de sair de casa. Não esqueça de levar o fone de ouvido.
– Nesse dia, tome um mega café da manhã, bem reforçado. Vista uma roupa confortável (de acordo com o clima) e um sapato macio para caminhadas. Vai ser um dia que você vai andar muito, muito mesmo. Leve um lanchinho e água na bolsa.

Depois de apresentar o ingresso e passar na fila do controle de segurança, comece sua visita, seguindo esse roteiro:

1) Palácio de Versailles
2) Jardins de Versailles, Grand e Petit Trianon
3) Galeria das Carruagens

Como o Grand Trianon e o Petit Trianon (que ficam em meio aos jardins de Versailles) só abrem a partir de 12h, o ideal é começar a visita pelo Palácio de Versailles em si, parar para um lanche / almoço e depois seguir explorando os jardins e os domínios do Trianon a tarde.

Por último, já na saída, visite a Galeria das Carruagens.

Esse é o roteiro ideal. Mas se a sua visita estiver planejada para os meses de verão na Europa (de junho a agosto), quando as ondas de calor podem ficar muito sérias, vale a pena avaliar e alterar essa ordem.

Em dias muito quentes, faça os jardins pela manhã e entre no castelo por volta das 13h, tentando fugir do calor mais agressivo durante a tarde.

Vamos ver o roteiro de Versailles, passo a passo:

1. De manhã, o Palácio de Versailles!

A visita ao Palácio de Versailles em si é o ponto alto do seu dia. Todo glamour, riqueza e história te esperam nos salões e aposentos reais.

Prepare-se para encarar a lotação, especialmente se visitar Versailles em alta temporada, feriados e finais de semana. Vá trabalhado na paciência – o caminho da visita tem sentido único, organizado por corda que separa os visitantes para o cantinho da sala. Alguns aposentos são menores e ficam facilmente lotados.

Não esqueça do audioguia, que vai te mostrar detalhes preciosos que facilmente passariam despercebidos. Aprecie tudo, saboreie a beleza e a arte sem pressa! E tire fotos, é liberado!

Ah! Todas as placas explicativas estão escritas em francês / inglês e todos os funcionários falam inglês. Podem falar com eles sem medo para tirar qualquer dúvida durante a visita. Tem até brasileiro trabalhando por lá, hahaha.

Usando o audioguia e passeando atentamente pelas salas, nós levamos cerca de 2 horas a 2:30h para percorrer todo o interior do Château de Versailles – mesmo com uma parte do palácio fechada para obras.

Os espaços principais (e que eu achei mais bonitos e luxuosos) são: A Capela, a Ópera de Versailles, os aposentos do Rei e da Rainha, além da Galeria dos Espelhos, claro.

A Galeria dos Espelhos é de fato a grande atração de Versalhes, com seus enormes candelabros, lustres e espelhos. Mas confesso que fiquei um pouco frustrada porque o lugar, mesmo sendo amplo, estava sempre cheio de gente.

2. Almoço: onde comer em Versaillhes

Existem vários restaurantes e lanchonetes espalhados por toda a propriedade. Os preços também variam muito entre as opções disponíveis.

Uma boa dica é experimentar algo na Angelina, uma das confeitarias mais antigas de Paris. Em Paris ela fica ao lado do jardim do Museu do Louvre, na Rue du Rivoli. É um lugar dos sonhos mas sempre tem fila.

Em Versailles você pode dar sorte e aproveitar para conhecer com menos concorrência. Há um restaurante no primeiro andar do Palácio de Versailles ($$$$) e uma tenda / terraço nos jardins, perto do Petit Trianon ($$).

Nessa unidade dos jardins, você encontra preços mais convidativos. Vimos sanduíches + refrigerante por € 10.

3. Os jardins de Versalhes

Logo na entrada, você pode pegar gratuitamente um mapa com mais detalhes sobre os jardins de Versailles (procure em português, tem em várias línguas).

O acesso aos jardins é grátis para todos, ao longo de todo ano. A única restrição são os dias de festivais musicais nas fontes (que acontecem em dias específicos, de abril a outubro), quando é cobrada entrada de todas as pessoas acima de 5 anos.

-> Compre seu ingresso Passaporte Versalhes + show de fontes

Claro que os jardins vão mudando ao longo do ano, então visitar Versailles na primavera vai ser diferente do outono ou verão. No entanto, o excelente trabalho de manutenção deixa os jardins de Versalhes maravilhosos, dia após dia.

O lugar todo oferece várias atividades bacanas, como o pedalinho e a possibilidade de sentar na grama e fazer um piquenique – grátis.

A única advertência que precisa ser feita é que, na baixa estação (especialmente meses de inverno europeu), as fontes são desligadas, os arvoredos fechados e as estátuas cobertas para garantir boas condições de conservação.

Como já comentei por aqui, os jardins são muito grandes. Você pode escolher percorrer a pé, ou mesmo pegar o trenzinho ou ônibus que faz a circulação, levando as pessoas entre o palácio de Versailles e os domínios de Trianon.

Nós escolhemos fazer a pé porque estava um dia muito agradável para caminhar, mas é um bom pedaço de chão.

Levamos cerca de 2 horas para percorrer o caminho em vermelho indicado no mapa oficial de Versalhes, indo do Palácio para os domínios de Trianon, passando pelo Grand Canal e pelas fontes principais dentro dos jardins.

Nessa conta, ainda não inclui o tempo de visita aos palácios do Domínio de Trianon, que vou citar agora.

4. Le Domaine Trianon (Grand e Petit Trianon)

Inclua mais 2 horas no seu roteiro para visitar o Grand Trianon, o Petit Trianon e os domínios de Maria Antonieta.

Os palácios são menores, mas cheios de beleza e muita história. Com o ingresso Passaporte Versalhes, você tem direito a entrar em todos eles, e vale a pena!

De todos os lugares para visitar nessa parte da propriedade, a que mais me encantou foi a hameau de la reine e la ferme (aldeia da rainha e fazenda) – um lugar mágico que Maria Antonieta literalmente mandou construir para se sentir “mais perto do campo e do povo”.

Parece um sonho de tão lindo o lugar, saído diretamente de um livro de histórias encantadas.

5. Galeria das Carruagens

Fizemos o caminho de volta e na saída, passamos na Galerie des Carrosses, a Galeria das Carruagens de Versailles. Confesso que já estava exausta de tanto caminhar e quase desisti, mas no final atravessei a rua e completei meu circuito em Versalhes.

A visita é muito rápida, em 30 minutos ou 1 h você passeia pela exposição de carruagens históricas – boa parte delas pertencendo a aristocracia francesa.

Lembrando que a galeria só abre a partir das 12:30h, então apesar da localização, não tem como encaixar a visita à Galeria das Carruagens antes de entrar no Palácio. Tem que ficar no final do circuito mesmo.

6. Shows nas fontes e jardins

Como falei, nós não assistimos a nenhum desses espetáculos musicais nas fontes dos Jardins de Versalhes. Mas a Sirlene do insta @inpariswelive foi e contou pra gente:

“Às 20h voltamos para os jardins para ver o espetáculo « les grandes eaux nocturnes », foi maravilhoso! Refizemos o caminho por todos os jardins mas agora com tudo iluminado, com jogos de luzes e de som e fogos de artifício no final. Durou das 20:30h até às 23h.”

Lembrando que o espetáculo é apresentado somente em dias específicos, de abril a outubro.

Expectativa x realidade na visita a Versalhes

A visita ao Palácio de Versalhes é um sonho, daqueles que se confunde mesmo com a vida real.

Guardo lembranças muito boas desse dia, e recomendo muito que todo mundo encaixe Versailles no roteiro pela França – vale o investimento de tempo e dinheiro.

Mas claro que tem lado ruim. A lotação, pra começar. Fomos em outubro, já fora do pico de alta estação, e ainda assim a visita dentro do Palácio estava abarrotada de gente e a Galeria dos Espelhos, nem se fala. Todas as minhas fotos de lá estão cheias de estranhos.

O preço da comida também é um contra. Tem que procurar um pouco até encontrar algo que dê pra pagar sem problema.

Outro “problema” (entre aspas mesmo) é o tamanho dos jardins. Como é muito grande, você precisa escolher o que quer ver. É virtualmente impossível fazer tudo a pé num dia só. O lado bom é que sobra beleza, não importa o caminho que você escolher.

Recomendo seguir para o lado dos domínios do Trianon. A caminhada é bonita e cabe no tempo disponível – e se andar não estiver nos seus planos, tem o ônibus ou trenzinho para encurtar as distâncias.

Palácio de Versailles: Como ir?

Para fazer o bate e volta Paris – Versailles, você tem algumas opções.

– RER C ou trem SNCF:

– Transfer / ônibus:

A empresa Versailles Express oferece transfer de ônibus, saindo da Torre Eiffel até Versailles. Funciona de terça a domingo, com três saídas (7:45h, 9:45 e 13:30h). Veja mais informações no site da Versailles Express.

Já a linha de ônibus RATP 171 sai do terminal Pont de Sèvres em Paris (conectado à linha 9 do metrô) e chega ao Palácio de Versailles em 30 minutos (sem trânsito).

– Carro:

Nós fomos de carro, porque depois seguiríamos para outras cidades francesas. O caminho é via A13. Pegamos trânsito tanto para sair de Paris quanto na estrada até Versailles.

E vale dizer: pagamos uma nota de estacionamento em Versailles. Há vários estacionamentos em Versailles, inclusive um bem ao lado do portão principal do castelo (veja aqui as localizações dos estacionamentos em Versalhes).

Faça a cotação grátis para alugar de um carro na França

Temos um post exclusivo sobre esse assunto. Leia aqui como ir de Paris a Versailles.

Ficou com alguma dúvida sobre a visita ao Palácio de Versailles?

Pode perguntar aqui nos comentários! A gente vai responder tudo que souber, e o que a gente não souber a gente pesquisa.

Se tiver alguma dica para comentar que a gente não citou aqui, coloca nos comentários também!

Espero ajudar vocês com essas dicas sobre o Château de Versailles. E que a sua vista seja tão mágica quanto foi para nós. Esse lugar é inesquecível!

Ingressos e outros passeios em Versalhes

Comece a planejar sua viagem!

Escolhemos parceiros caprichados para te ajudar a transformar a sua viagem em realidade! E quando você faz suas reservas usando os links aqui do site, você apoia nosso conteúdo e faz o blog crescer cada vez mais! 😀

  Reserve sua hospedagem no Bookingsão milhares de hotéis e pousadas, para todos os gostos e bolsos. Sem taxa de reserva, com programa de fidelidade (ganhe descontos a partir da 10a reserva) e com muitas opções de hospedagem com cancelamento gratuito!
  Aluguel de carro com a Rentcars: Para viajar no Brasil ou no exterior, sempre fazemos a cotação do aluguel de carro no site da RentCars, que compara o valor das locadoras locais e mostra rapidinho qual o melhor preço para nossas datas. Dá pra parcelar em 12 vezes e o pagamento é sempre em reais (sem IOF!)
  Seguro Viagem com a Real Seguros:  O site compara os diferentes planos e preços oferecidos pelas seguradoras, para você escolher facilmente qual o seguro viagem com melhor custo-beneficio. E clicando por esse link você ainda ganha 10% de desconto em qualquer seguro do site!
 Economize e pule a fila: Compre ingressos antecipados para as principais atrações do seu destino. Não perca tempo na fila. Se a atração é muito concorrida, vale garantir seu lugar antecipado! Compare e encontre os melhores preços de ingressos e tours: TicketbarGet Your Guide

Sair da versão mobile