O que fazer em Santo André, na Bahia: principais atrações e restaurantes

O que fazer em Santo André na Bahia | A Bahia é um estado que sempre me surpreende com seus paraísos naturais. Grande parte deles, ainda (quase) intocados, secretos.

O vilarejo de Santo André, em Santa Cruz de Cabrália, é um desses lugares fantásticos que, por alguma força estranha do universo, permanece pouco conhecido, apesar da grande proximidade com Porto Seguro.

A vila é realmente bem pequena, não chega a 800 habitantes. O tempo lá parece mesmo que segue em outro ritmo. Se você procura agito, Santo André definitivamente não é o lugar pra você.

Vila de Santo André, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A ideia de uma viagem para lá é para quem planeja pisar no freio, esquecer o relógio e descobrir belezas numa paisagem ainda tão pouco explorada por outros turistas.

Sentir-se como um explorador, tendo acesso a um pequeno paraíso. São dias para relaxar, caminhar pelas praias desertas, aproveitar a gastronomia dos poucos mas super recomendados restaurantes da vila.

Vale citar: a história da seleção alemã na vila de Santo André

É verdade que Santo André já viveu alguns minutos de fama. Lembra da Copa do Mundo do Brasil, em 2014?

Quando a seleção da Alemanha procurava um lugar no Brasil para fazer sua concentração, se preparando para jogar a Copa do Mundo, um lugar muito inusitado e praticamente desconhecido da maioria dos brasileiros foi escolhido.

A vila de Santo André na Bahia foi apresentada para o mundo.

Vila de Santo André na Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Foram dias agitados para Santo André, que de repente viu a calmaria de uma vila de pescadores quase desconhecida se transformar completamente com a chegada dos repórteres, jogadores e curiosos.

E claro que, quando um paraíso assim cai nas graças dos fotógrafos, é como se um tesouro tivesse sido descoberto. Foram manchetes e mais manchetes nas revistas de esporte e turismo. O rebuliço durou alguns meses, até que a Copa do Mundo acabou, e a vila voltou a viver seus dias de paz.

Mas essa passagem da Seleção da Alemanha pela vila não ficou esquecida já que, dessa época, Santo André guarda um dos seus maiores legados: o Camp Bahia, o complexo de treinamento construído e usado pela seleção alemã, hoje funciona como um hotel cinco estrelas: o Campo Bahia Hotel Villas Spa.

Há casas com várias suítes, apartamentos, piscina ao ar livre, spa, centro de bem-estar, restaurante e praia privativa.

Se hospedar por lá com certeza é uma experiência a ser mencionada – tanto pela estrutura do hotel em si, quanto pela referência a este ser o hotel “da seleção alemã no Brasil”.

As vagas costumam acabar rapidamente, por isso quem planeja se hospedar por lá precisa se programar para fazer a reserva com antecedência (veja aqui valores e faça sua reserva no hotel Campo Brasil).

E mesmo que você escolha uma outra hospedagem em Santo André, é possível visitar o Campo Brasil, fazendo uma reserva no restaurante do hotel, aberto para não hóspedes.

O que saber antes de ir: dicas de Santo André na Bahia

Como chegar em Santo André na Bahia?

Como mencionei no começo do post, Santo André fica mesmo muito perto de Porto Seguro: são apenas 35 km, que serão percorridos de carro em cerca de 1 hora.

O aeroporto mais próximo de Santo André é o de Porto Seguro. Quem desembarca por lá, pode alugar um carro no próprio aeroporto (compare os preços das locadoras no site da RentCars, e faça sua reserva) e seguir pela famosa estrada litorânea de Porto Seguro, em direção a Santa Cruz de Cabrália.

A partir de Cabrália, você pode seguir por terra (estrada asfaltada, mas é o caminho é mais longo), ou optar pela travessia de balsa pelo rio João de Tiba (que foi o que nós fizemos). A balsa é grande e acomoda os carros com segurança. De balsa, o travessia dura no máximo 10 minutos.

Balsa de Santa Cruz de Cabrália para a vila de Santo André na Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A barca funciona 24h. Saindo de Cabrália, há partidas a cada 30 minutos, das 6h até às 18h. A partir daí, há uma balsa a cada hora até meia noite, e depois uma balsa às 2h e outra às 4h da madrugada.

O preço da travessia de balsa para Santo André varia de acordo com o tipo de veículo e o dia da semana.

Para carros, a travessia Santa Cruz de Cabrália – Santo André custa R$ 18,60 em dias úteis, e R$ 22,90 em feriados e finais de semana. Para cada passageiro além do motorista, é cobrado mais R$ 5,00, independente do dia da semana. Valores atualizados em novembro de 2020.

Depois de atravessar de balsa, você já vai chegar na BA 001, a rodovia que corta toda a vila de Santo André. Na estrada há placas indicativas da entrada da vila, bem como da localização das principais pousadas.

Para quem está viajando com GPS, pode ser uma boa dica colocar o nome da pousada no Google Maps ou Waze. Vai ser muito difícil se perder em Santo André, mas com certeza a ajuda do GPS é sempre bem vinda, especialmente quando chegamos num destino novo.

Quando ir a Santo André?

O sul da Bahia é uma caixinha de surpresas. Numa viagem de uma semana, você pode pegar sol, chuva e sol de novo.

Nessa região, as chuvas são bem espalhadas pelo ano todo, por isso existe muita chance de você pegar uma viagem toda de sol – e também existe uma boa chance de você pegar, pelo menos, algum dia de chuva.

Nós ficamos bem dentro dessa estatística: viajamos em novembro, e dos três dias que ficamos em Santo André, choveu pelo menos um dia e meio. Não pegamos nenhum dia só de sol, ou só de chuva.

Pegamos os efeitos de uma virada de tempo forte no sudeste – as mais fortes costumam impactar no clima dessa região da Bahia. Claro que atrapalha, mas eu particularmente não acho que tirou a beleza do lugar.

Chuva em Santo André na Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Por outro lado, uma boa notícia é que a média histórica de chuva da região não passa dos 150mm mensais. Então, mesmo que chova, não é esperado que aconteçam muitos dias de chuva em sequência.

Pense em programar mais de 3 dias na região para, mesmo que chova, você consiga pegar pelo menos um dia de sol, na pior das hipóteses. Nós pegamos um dia de sol, um dia nublado e um dia de chuva (fraca mas persistente).

Falando nisso: Quanto tempo ficar em Santo André na Bahia?

Santo André não é um destino pensado para apressadinhos. A ideia aqui é desacelerar, descansar, curtir a natureza e a gastronomia num ritmo bem mais lento que a loucura dessa nossa vida em sociedade.

Para os fãs do estilo de viagem slow travel, não posso imaginar lugar melhor para passar uns dias que as praias desertas de Santo André na Bahia.

Programe sem medo de 3, 5 ou até 7 dias por lá, para uma viagem sem pressa, pensada no viver e comer bem.

Mas Santo André também pode ser democrática e acolher os viajantes apressadinhos, aqueles que não tem paciência para ficar muitos dias isolado ou fora do agito.

O que fazer em Santo André na Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Para essas pessoas, eu recomendo que reservem pelo menos 2 dias inteiros em Santo André, para viver uma introdução à beleza das praias e sabores da gastronomia.

Mas fique avisado: será apenas uma viagem de reconhecimento, para ver o que Santo André tem a oferecer.

Mas viajando assim você vai deixar escapar a principal vantagem de estar em Santo André – que é exatamente não ter pressa para absolutamente coisa nenhuma.

O que fazer em Santo André, Bahia? Principais atrações

A boa notícia é que você não precisa de roteiro super planejado para conhecer Santo André. Esqueça a correria e o agito, no melhor estilo “deixa a vida me levar”. Pise no freio e se prepare para curtir a natureza, as praias, a calma da vila.

Por falar em praias, são 13 quilômetros de praias lindas e quase desertas. Sua maior decisão, todos os dias, será se você vai relaxar na cadeira de praia no seu hotel, ou caminhar pelo litoral para explorar uma praia mais distante.

Caminhadas na praia, Santo André na Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Vale ir de carro também, mas confesso que o caminho pela areia é bem mais interessante. 😉

Ah, outra decisão importante a tomar durante seus dias em Santo André é pensar em qual restaurante você vai comer, já que a qualidade das experiências gastronômicas para viver em Santo André vai te surpreender.

Beira rio de Santo André

A vila de Santo André é um cenário entre o rio e o mar. O rio João de Tiba desemboca no Oceano Atlântico bem no começo da vila, e proporciona algumas das paisagens mais interessantes para ver em Santo André.

Inclusive, a beira rio é o lugar perfeito para curtir um fim de tarde, apreciando a geografia privilegiada que combina mangue, rio e mar.

Especialmente na maré baixa, é possível ver um braço de areia que se estende até bem dentro do mar, dando ainda mais texturas e beleza ao cenário.

Seja para passear na orla do rio, ou sentar à sombra de uma árvore para ver o movimento, a beira rio é a representação perfeito de como o tempo corre mais tranquilo na vila de Santo André.

Beira rio de Santo André na bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A varanda do Restaurante Gaivota está estrategicamente localizada na beira rio de Santo André: serve como um ótimo ponto de apoio para tomar alguns drinks e curtir o por do sol.

Você pode esticar e quem sabe jantar por lá também: o forte da cozinha são os pratos de peixe, especialmente as moquecas.

Praias de Santo André

Definitivamente, as praias de Santo André são a principal atração da vila. Desde as praias para surfistas até aquelas com mar calmo, tipo piscininha, o que não faltam são opções para esticar sua canga na areia em Santo André.

– Ponta de Santo André

Ali onde acontece o encontro do rio com o mar, você tem também a primeira praia propriamente dita de Santo André: a Ponta de Santo André.

O nome é auto-explicativo: essa parte da praia fica na ponta de uma das praias mais importantes da vila, a praia de Santo André.

Ali, a faixa de areia faz uma “curva” para receber a foz do rio, formando uma enseada de águas calmas, sendo que de um lado você tem água de rio, e do outro a água do mar.

Praia da Ponta de Santo André na Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Pra completar o cenário, a vegetação se divide entre faixas preservadas de mata atlântica e mangue. Quando a maré sobe, a água pode chegar até as árvores, e é bem curioso ver somente as folhas das copas acima do nível do mar.

Não espere encontrar uma água super clara e azul nessas praias de Santo André que ficam mais perto do rio. Apesar disso, achei o cenário muito lindo, rústico e tranquilo.

A faixa de areia da Ponta de Santo André é bem pequena, depois da enseada você já está na praia de Santo André propriamente dita.

Na Ponta de Santo André funcionam algumas pousadas e barracas de praia mais simples, comandadas por moradores locais.

Nessa praia fica uma pousada bem bacana para quem curte yoga: a Pousada Ponta de Santo André fica a beira mar e oferece workshops de yoga regulares, massagens e até hidroginástica na praia.

– Praia de Santo André

Essa é a principal praia da vila, e onde ficam as principais pousadas de Santo André também!

A praia de Santo André é bem extensa, ótima para caminhadas em qualquer maré. A densidade demográfica é bem baixa e você pode caminhar bastante sem passar por ninguém!

Praia de Santo André, Santo André Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Olhando para o mar, quem caminha para a direita vai para a Ponta de Santo André e Beira Rio, e quem caminha para a esquerda conhece as outras praias, como a Tartaruga, Jacumã e assim vai.

Vale saber que a praia de Santo André é ponto de desova de tartarugas marinhas, por isso à noite as pousadas desligam as luzes viradas para a praia, para não desorientar as tartarugas.

Nós ficamos hospedados numa pousada nessa praia, a Vila Araticum Praia. A pousada tem chalés bem aconchegantes e amplos, um restaurante próprio e bar na praia (que atendia não hóspedes, mas durante a pandemia do coronavírus o serviço ficou restrito a quem estava hospedado lá).

Além da nossa pousada, na praia de Santo André ficam outras opções de hospedagem bem recomendadas em Santo André BA: Campo Bahia, Victor Hugo Pousada, Village Mata Encantada e a Vila Angatu Eco Resort SPA.

Da praia de Santo André, especialmente quando a maré baixa, é possível ver o recife Boqueirão, a uma certa distância da areia.

É nesse recife que os praticantes de pesca esportiva se encontram em Santo André, para a pesca de marlim. É possível contratar passeios de barco para pescar em Santo André.

– Praia de Jacumã

Espremidinha entre as mais famosas Santo André e Tartarugas, a praia de Jacumã passa praticamente despercebida nos roteiros em Santo André.

Praia de Jacumã, Santo André, Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Para quem vem por dentro, pela estrada de asfalto, só existe uma entrada discreta, sinalizada com uma placa rodoviária.

Para quem curte uma caminhada pela areia, essa praia pode ser facilmente acessada em uma curta caminhada a partir da praia de Santo André. É só caminhar para a esquerda!

Por não ser tão conhecida, Jacumã é uma das praias mais preservadas e pouco visitadas da vila. Você praticamente também não encontra pousadas por lá. Na alta estação, alguns moradores montam barracas de apoio, com venda de acarajé e outros petiscos baianos.

– Praia das Tartarugas

Saindo da nossa pousada na praia de Santo André, foram cerca de 1,5km de caminhada pela areia para chegarmos na maravilhosa praia das Tartarugas (também conhecida como praia de Itacimirim).

Claro que o nome da praia tem relação com as tartarugas marinhas, que também procuram essa faixa de areia para por seus ovos.

Praia das Tartarugas, Santo André, bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Para quem vem pela estrada asfaltada, a entrada para a praia das Tartarugas é pelo Restaurante Fazenda Amendoeira, o único ponto de apoio na praia, que funciona como Beach club e restaurante (um dos mais antigos de Santo André).

Ele só funciona na alta temporada, por isso não chegamos a comer por lá. Na internet vimos reviews de gente que ama e gente que odeia. Quem reclama fala principalmente do atendimento.

O que nós vimos é que a estrutura como um todo parecia bem antiga, com um certo ar de abandono. Mas era baixa estação, pode ser que reformem tudo para reabrir na temporada.

Restaurante Fazenda Amendoeira, Santo André bahia
Foto: Fui Ser Viajante

De toda forma, dizem que é lá que acontece a principal festa de réveillon de Santo André.

Recomendo que se programe para visitar a praia das Tartarugas na maré baixa, quando se formam as piscinas naturais, já que há um grande recife perto da faixa de areia (Recife de Itacimirim). Dá pra ver peixinhos e se refrescar nas águas mornas e calmas.

Essa praia é bem bonita, com alguns recifes, coqueiros e o mangue completando o cenário. No canto esquerdo, existe um grande pedaço de mangue, que delimita o fim da Praia das Tartarugas.

Praia das Tartarugas, mangue em Santo André Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Especialmente na maré baixa, é possível passar por uma trilha de areia que cruza esse mangue, e seguir caminhando do outro lado, para conhecer mais algumas praias em Santo André. A gente testou. Vamos nessa com a gente?

– Praia das Conchas

Do outro lado do mangue, encontrei as praias mais pitorescas (e que achei mais lindas em Santo André). A primeira é a Praia das Conchas, praticamente deserta e pouco conhecida dos turistas.

O recife de coral fica ainda mais pronunciado nessa parte da praia, formando um cenário bem bonito, com várias piscinas naturais.

Praia das Conchas em Santo André Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Com a maré baixa, logo notamos uma característica marcante dessa faixa de areia: provavelmente pela proximidade do coral, é muito fácil encontrar conchas na praia, de várias cores e tamanhos.

Praia das Conchas em Santo André, bahia
Foto: Fui Ser Viajante

– Ponta de Santo Antônio

Depois de cerca de 5km de caminhada, chegamos na Ponta de Santo Antônio, uma praia deserta, onde você vai caminhar quilômetros e mais quilômetros sem encontrar ninguém.

Apenas algumas casas de temporada e condomínios aparecem aqui e ali. Fora isso, é só a beleza da natureza. Talvez por ser tão isolada, eu achei essa uma das praias mais bonitas de Santo André.

Olha esse espelho d’água que se formou na maré baixa!

Ponta de Santo Antônio em Santo André, bahia
Foto: Fui Ser Viajante

É na altura dessa praia que fica o Parque Marinho da Coroa Alta. Muitos passeios saem de Santa Cruz de Cabrália e Porto Seguro, levando pessoas para conhecer o recife de Coroa Alta e sua biodiversidade. Também é possível contratar barcos para fazer esse passeio em Santo André.

A praia de Ponta de Santo Antônio é delimitada pela foz do rio Santo Antônio, e foi aqui que encerramos a nossa caminhada, com mais de 5 km pela areia, saindo da Praia de Santo André.

Confesso que esse passeio a pé pelas praias de Santo André é um rolé lindo, mas combina mais com quem tem alma ‘andarilha’. Eu amo caminhar na praia! Se programe, leve água e lembre sempre que é preciso fazer o caminho de volta.

Caso prefira visitar essas praias de carro, todas as praias tem entrada pela estrada, algumas nem tão bem sinalizadas, mas basta ficar atento e usar a ajuda do GPS que vai dar tudo certo!

– Praia de Santo Antônio

É preciso atravessar a ponte de Santo Antônio na BA001 para cruzar o rio e seguir conhecendo as outras praias, por isso, a partir daqui, todo nosso roteiro já seguiu usando o carro.

Ao cruzar a ponte, você vai encontrar com mais um pedaço de vila de Santo André, com mais casas de moradores locais e algumas pousadas e restaurantes.

Para chegar na praia, basta pegar para a direita na estrada. Nós escolhemos visitar um dos restaurantes mais recomendados de Santo André: o Maroca Praia.

Maroca Praia em Santo André bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A comida estava deliciosa (os pratos são individuais e bem servidos), e a estrutura do restaurante é muito boa, com mesas externas e num salão coberto, e também estrutura de apoio na praia.

Dá pra ir sem medo passar uma tarde ou até o dia inteiro por lá, curtindo a praia de Santo Antônio com uma das melhores cozinhas que provamos em Santo André.

Maroca Praia, Santo André Bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Inclusive, recomendo muito o Baião de Dois de Frutos do Mar e os dadinhos de tapioca com camarões flambados na cachaça. A carta de vinhos da casa também merece uma conferida!

Baião de dois de frutos do mar, Maroca Praia
Foto: Fui Ser Viajante

– Praia do Guaiú

Separe um dia inteiro (ou pelo menos o almoço e boa parte da tarde) para esse passeio que vou recomendar agora: conhecer a praia de Guaiú e almoçar um Arroz de Polvo inesquecível no restaurante Eu Aqui Maria Nilza.

arroz de polvo no Eu aqui Maria Nilza, na praia do Guaiu, Santo andré bahia
Foto: Fui Ser Viajante

A praia do Guaiú fica a 13km da vila de Santo André. Você segue pela estrada asfaltada BA001 até o povoado de Guaiú, e depois mais 1km de estrada de areia até o restaurante da Maria Nilza. Pode colocar no GPS sem medo.

Só de entrar no restaurante Eu Aqui Maria Nilza, você vai notar o clima diferente.

Uma barraca de praia com muita personalidade, espreguiçadeiras convidativas decoradas com almofadas multi-coloridas e um banheiro pra lá de inusitado, com vasos sanitários dispostos ao ar livre, para você fazer xixi com vista.

Banheiros do Eu aqui Maria Nilza
Foto: Fui Ser Viajante

Tudo reflete a personalidade cativante da Maria Nilza, a proprietária. Ela inclusive está quase sempre pela barraca e faz questão de passar em todas as mesas, bater um papo, dar dicas e falar da vida.

Maria Nilza, Santo André bahia
Foto: Fui Ser Viajante

O prato mais recomendado por lá é o arroz de polvo, mas o cardápio tem muitas outras opções. Tudo preparado no forno a lenha, já que a barraca não tem luz elétrica (nem wi-fi, né?).

Todo suco é batido na mão, as cervejas são geladas no isopor com gelo. Com o isolamento, não espere muita variedade de marcas. Mas espere, sim, toda simpatia do mundo por parte dos atendentes e da própria Maria Nilza.

É um passeio que tem a cara de Santo André: boa comida, bom papo, um cenário natural pra ninguém botar defeito.

Praia do Guaiú, Santo André, bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Isso porque, além do banho de mar, o restaurante da Maria Nilza te proporciona duas experiências: o banho de mar, na praia do Guaiú, e o banho de rio, já que a foz do rio Guaiú fica a poucos passos do restaurante.

Banho de Rio no Guaiú, Santo André, bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Bate e volta em Belmonte

Seguindo ainda mais ao norte pela BA001, em menos de 40km você chega até o município de Belmonte.

De um lado as margens do rio Jequitinhonha e do outro o mar – a cidade funcionou por muito tempo como ponto de passagem para quem se aventurava a seguir até Minas Gerais, navegando pelo rio.

Mas Belmonte viveu seu auge na época áurea dos barões de cacau. Essa cultura chegou a representar 80% da economia de Belmonte, e com isso a cidade crescia a olhos vistos, com casarões em estilo neoclássico e art-nouveau, igreja, hotel e até um farol.

Igreja em Belmonte, Bahia.
Foto: Fui Ser Viajante

Com o declínio do cacau, a cidade precisou adaptar sua economia, e muitas das construções da época dos barões de cacau foram abandonadas, algumas se transformando em ruínas.

Sorte a nossa que um movimento de restauração e preservação da memória cresceu na cidade, e muitos desses casarões históricos hoje estão restaurados, fazendo com que a visita a Belmonte tenha um quê de viagem no tempo.

Casarões em Belmonte, bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Não espere muitas atividades: a cidade é simples, e vale muito mais pelo mergulho histórico e fotos dos antigos casarões antigos (os já reformados e os que ainda estão abandonados).

Vale visitar o Museu das Cadeiras Brasileiras (MUCA), que funciona na casa onde nasceu o arquiteto e designer Zanine Caldas.

Outro passeio interessante para fazer na maré alta alta é a travessia de barco de Belmonte até Canavieiras, outro município repleto de casarões da época dos barões de café, que dizem estar ainda mais preservados que os de Belmonte.

Infelizmente não fizemos esse passeio para conferir, mas dizem que tanto o passeio de barco pelo rio, cruzando o mangue, quanto a parte histórica de Canavieiras, valem muito a pena.

Recomendo a visita se você é um curioso de história e quer um passeio diferente na região, mas não considere um passeio obrigatório.

O sítio mais preservado fica às margens do rio, no centro histórico de Belmonte. No lado do mar, a praia de Mogiquiçaba também é uma opção para caminhadas, esportes de vela e pesca.

A dica para quem vai visitar Belmonte é ir de manhã, e na volta para para almoço em um dos restaurantes que ficam no caminho para Santo André: Eu Aqui Maria Nilza ou Maroca Praia.

Restaurantes em Santo André

No texto, já citei meus dois restaurantes favoritos em Santo André, que eu recomendo muito que você visite: Eu Aqui Maria Neuza e Maroca Praia Restaurante.

Recomendo também o Gaivota, especialmente para um fim de tarde na Beira Rio.

O restaurante da pousada Vila Araticum também atendeu bem uma noite que estávamos cansados demais de praia e sol, e preferimos comer na pousada mesmo.

Os pratos em geral eram receitas tradicionais, nada inovador. Mas apesar de simples, as porções eram bem servidas e saborosas. O bar da praia serve ótimos petiscos e drinks.

Petiscos no bar da praia da Vila Araticum Pousada
Foto: Fui Ser Viajante

Por fim, recomendo a Cafeteria e Brigadeiro Luz de Minas, com um atendimento mais que simpático e um brigadeiro de colher que é de lamber os beiços.

Eles também servem pratos e outros quitutes, numa casinha com decoração afetiva e cheia de detalhes, além da varanda com vista para o rio / mar.

Brigadeiro de colher, Santo André, bahia
Foto: Fui Ser Viajante

Ficamos devendo uma visita ao restaurante do hotel Campo Brasil, que é muito bem recomendado, e também ao restaurante da Pousada Victor Hugo, indicado por seus drinks.

Outros passeios em Santo André

Nós passamos 3 noites em Santo André e foi suficiente para conhecer as praias, a beira rio, Belmonte e boa parte dos restaurantes da vila.

Esse foi um roteiro básico de Santo André, incluindo as principais atrações. Com mais tempo, você pode incluir algumas outras atrações no roteiro:

– Travessia a Canavieiras;

– Fretamento de barco para passeios até os corais de Coroa Alta ou do Araripe, ideal para mergulhos na maré baixa;

– pesca oceânica de marlim, com fretamento de barcos;

Combine com: Porto Seguro e outras praias no sul da Bahia

Outra opção é combinar uns dias calmos em Santo André e mais alguns dias na badalação da vizinha Porto Seguro.

Porto Seguro tem alguns dos Beach clubs mais famosos do Brasil, além de toda a parte histórica relacionada com a chegada dos portugueses e o Brasil colônia.

Em breve vamos publicar um post completo com nossas dicas sobre o que fazer em Porto Seguro.

Para uma viagem mais longa, uma dica é pegar o carro e explorar outros destinos de praia no sul da Bahia, como Arraial d’Ajuda, Trancoso, Praia do Espelho e mais.

Fizemos um roteiro de 20 dias pelo sul da Bahia e também vou publicar tudo em breve aqui no site.

Onde ficar em Santo André, Bahia

Em Santo André, nós nos hospedamos e indicamos a pousada Vila Araticum, tanto pela excelente estrutura do quarto e do bar da praia, quanto pelo custo-benefício.

Veja mais e reserve um chalé na Pousada Vila Araticum Praia.

Mas o que não falta são boas opções de hospedagem em Santo André na Bahia. Veja algumas opções:

Campo Bahia (o famoso resort que hospedou a seleção alemã

Victor Hugo Pousada

Village Mata Encantada

Vila Angatu Eco Resort SPA.

Ainda não achou sua hospedagem perfeita em Santo André? Confira outras opções no Booking.com.

Quer saber mais sobre Santo André?

A Camilla Ribeiro, do blog Viagem no Detalhe, passou 4 dias em Santo André, num clima de relaxamento total.

As dicas me ajudaram a montar meu roteiro em Santo André, e recomendo a leitura do post no blog dela especialmente para que ler dicas de outros restaurantes na região. Confira o roteiro de 4 dias em Santo André da Camilla.

Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Camilla disse:

Amei reviver a energia maravilhosa de Santo André nesse post! E fiquei super feliz de saber que minhas dicas foram úteis a vocês 🙂 Essa vila é realmente mágica!