Fui Ser Viajante

O que fazer em Reims, na França

Compartilhar

Quem embarca na Rota do Champagne na França invariavelmente vai passar por Reims. A maior e principal cidade da região de Champagne-Ardenne é sinônimo de muitos brindes mas também de superação. A cidade precisou se reconstruir depois de ser completamente devastada durante as Primeira Guerra Mundial, e esse renascimento é um dos maiores orgulhos de Reims.

Uma cidade cheia de história, que combina a tradição de uma arquitetura em estilo art-déco, o glamour das casas de champagne e uma vida noturna movimentada. Reims é um dos principais centros universitários da França, por isso se prepare para encontrar uma cidade cheia de vida, com muitos jovens pelos bares da cidade quase todos os dias da semana. Gostou dessa mistura? Ficou curioso para saber o que fazer em Reims?

A gente te dá as dicas e ainda ajuda a economizar na cidade com o Reims City Pass.

Leia também: A casa de Monet e os jardins de Giverny, na França

O que fazer em Reims?

Beber champagne, mas é claro! Esse é o principal motivador de uma viagem a Reims, que fica ali pertinho de Paris. Só 45 minutos de trem e você já está na terra do vinho com borbulhas!

A imensa maioria das pessoas opta pelo bate e volta. O programa-padrão é assim: Sai cedinho de Paris, visita uma casa de champagne em Reims. Almoça, vai até a cidade vizinha de Epernay, visita mais uma casa de champagne e volta pra Paris.

Esse roteiro é viável? É sim. Você pode fazer por conta própria (com um pouco de planejamento, já que é recomendado reservar as visitas nas casas de champagne com antecedência). Se você não quer esquentar a cabeça, tem empresas que oferecem o day tour prontinho saindo de Paris. Pra você só se preocupar em brindar nas melhores casas de champagne da região.

Mas embora essa seja a escolha mais popular entre os turistas, por aqui a gente recomenda que você coloque o pé no freio para curtir melhor a região. O ideal é dormir pelo menos uma noite na região de Champagne-Ardenne, pra combinar a rota do champagne da França com a história, as belas paisagens dos vinhedos e a boa gastronomia da região.

Não esqueça de contratar um Seguro Viagem!
Seguro viagem é obrigatório na Europa! Ganhe 5% de desconto na <a href="https://www.segurospromo.com.br/p/fuiserviajante/parceiro?tt=/parceiro” target=”_blank” rel=”nofollow noopener”>Seguros Promo com o cupom FUISERVIAJANTE5. E mais 5% OFF no pagamento de boleto! Faça já sua cotação!

E na hora de escolher onde dormir, a sugestão é ficar em Reims, a maior cidade da região. A oferta de hospedagem é maior, e a cidade tem muito mais estrutura – além de contar com uma movimentada vida noturna, por conta dos jovens universitários que moram por lá.

Então se você topa entrar nessa aventura de descobrir a cidade de Reims com mais calma, vamos te mostrar o que fazer em Reims em um dia – e ainda como economizar usando o Reims City Pass.

Como funciona o Reims City PASS: dá pra economizar com o cartão?

Um dia em Reims: história, gastronomia e champagne

Reims é uma daquelas cidades cheias de história pra contar. Dá pra programar um roteiro incrível na cidade sem nem incluir as tradicionais maisons de champagne. Mas claro que não vamos fazer isso – porque tudo fica muito melhor com uma taça de champagne. Ou mais de uma. Ninguém por aqui está contando 😉

Então vamos para minha listinha de imperdíveis: o que fazer em Reims em um dia!

Leia também: Dicas de francês para viagem!

1 – A catedral gótica de Reims

Todo roteiro na cidade começa pela maravilhosa Catedral de Notre Dame de Reims, a principal atração no centro da cidade. Ouvi em algum lugar e concordo (até agora, depois de conhecer algumas regiões francesas): Se você tiver que escolher só uma igreja na França para conhecer, faça com que seja a catedral gótica de Reims.

O encantamento começa na fachada, ornada com milhares de estátuas de santos e profetas. Dizem que essa é a igreja com o maior número de estátuas do mundo. E quem duvida?

Chegue mais perto, perceba as expressões. Chegue ainda mais perto, veja as imperfeições. A catedral de Reims sofreu terrivelmente os efeitos dos bombardeios na cidade durante a I Guerra Mundial. Desde então, vem passando por um longo processo de restauração. Parte dos detalhes e estátuas já foi reconstruído, outra grande parte ainda carrega as marcas da guerra.

De todos os (infinitos) detalhes que você pode admirar antes mesmo de entrar na igreja, não deixe de procurar pelo L’Ange au Sourire, ou o ‘anjo sorridente’ na entrada principal. A estátua medieval “perdeu a cabeça” na primeira guerra. Por anos, foi considerado o símbolo da destruição da arte francesa pelos alemães. Hoje restaurada, é o orgulho da cidade.

Se você perguntar a qualquer habitante de Reims o porquê do anjo estar sempre sorrindo, eles vão te responder: É porque ele está bebendo champagne!

Dentro da igreja, admire a maravilhosa rosácea de vitral na entrada. Todo o esplendor de beleza só pode ser mesmo admirado por quem olha de dentro da catedral pra fora, por isso não perca essa oportunidade!

Depois, passeie pela igreja sem pressa. Tem muito o que ver. A Catedral de Reims foi local de coroação de 33 reis da França, dá pra imaginar isso?

A entrada é gratuita. Você paga apenas para subir nas torres e ter a vista da cidade. Isso só é possível para quem visita Reims nos finais de semana. A visita às torres da igreja é gratuita com o Reims City Pass.

> Onde se hospedar em Reims: ofertas no Booking.com

2 – O Palácio de Tau e a história de Reims

Logo ao lado da igreja, você encontra o palácio do Arcebispo, transformado em museu. O nome vem do formato do edifício, que lembra uma letra T – tau em grego.

O Palácio de Tau também sofreu muitos danos durante a I Guerra Mundial. Hoje abriga muitas peças recuperadas da catedral destruída pela guerra, bem como peças impressionantes de vestuário e jóias da coroa de alguns monarcas coroados na cidade.

A entrada custa 8 euros e inclui a subida às torres da catedral. Com o cartão Reims City Pass, você faz tudo de graça.

3 – Basílica de Saint Remi: túmulo do primeiro rei da França

Junto com a Catedral de Reims e o Palácio de Tau, a Basílica de Saint Remi completa o conjunto arquitetônico de Reims que é Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Então se for escolher apenas 3 lugares pra visitar na cidade, minha dica é se concentrar nessas 3 lindas construções.

A Basílica de Reims fica um pouco afastada do centro da cidade, mas nada que uma boa caminhada ou um ônibus não resolva. Ah, o Reims City Pass inclui o uso ilimitado dos ônibus e trams na cidade, o que facilita muito.

Mas o que faz dessa igreja tão especial? Clóvis, que unificou o território e foi coroado como o primeiro rei da França, foi batizado por Remi, que hoje é santo da igreja católica. Essa igreja de mais de mil anos foi nomeada em homenagem ao religioso, e é nela que você pode encontrar o túmulo do lendário Rei Clóvis.

A igreja é silenciosa e muito bonita, e acabou virando lugar de peregrinação na França, que valoriza muito os seus heróis nacionais.

Ao lado da igreja está o prédio da antiga abadia de Saint Remi, onde hoje funciona o museu de Saint Remi.

O museu combina um acervo sobre a pré-história da região, um acervo militar e peças que contam a história da abadia. A visita à igreja é gratuita, e o museu custa 5 euros. Com o cartão Reims City Pass, a visita ao museu é gratuita.

4 – Museus de Reims

Os museus sempre contam muito sobre uma cidade. Reims tem alguns museus bem interessantes. Todos bem pequenos, que podem ser conhecidos com uma visita rápida mas cheia de aprendizado. Além do Museu Histórico de Saint Remi, que já comentamos, ainda recomendamos mais alguns museus em Reims. Tem museu pra todos os gostos:

Pra começar, temos o Museu de Belas Artes, bem no centro da cidade. O prédio é bem bonito e a coleção conta com quadros dos movimentos artísticos franceses mais relevantes desde o século 16 até o século 19.

O Museu do Automóvel de Reims-Champagne conta a história de evolução dos carros durante o século XX. São mais de 25o veículos (entre carros e motos) em exposição, o que faz deste um dos museus mais importantes da França sobre o tema.

Reims é considerada um dos berços da aviação mundial (Santos Dumont e os brasileiros talvez discordem). O fato é que o Museu Aeronáutico Local tem modelos e documentos que retratam a evolução da aviação francesa ao longo do século XX.

Já o Museu da Rendição de 7 de maio de 1945 conta a história do tratado que pôs fim à II Guerra Mundial, e o FRAC Champagne-Ardenne é um interessante museu de arte contemporânea, com várias exposições temporárias.

Ah, a entrada de todos esses museus é gratuita com o Reims City Pass.

5 – Gastronomia de Reims

Nem só de champagne vive a cidade de Reims. Há algumas iguarias tradicionais que você precisa provar quando visitar a cidade.

Pra começar, o mais que tradicional biscoito de champagne – na versão original! A casa de biscoitos Fossier produz o tradicional ‘biscoito rosa de Reims’ desde 1691. Os locais dizem que ele deve ser degustado mergulhando numa taça de champagne – eles não quebram quando umedecidos!

Quem diria que o biscoito de champagne original tivesse uma cor tão inusitada? A Biscuits Fossier oferece tour guiado pela fábrica e desconto na compra de biscoitos usando o Reims City Pass.

Outro lugar que você precisa visitar em Reims quando o assunto é gastronomia é o Cafe du Palais, o restaurante mais antigo da cidade. Lá dentro, preste atenção nas paredes. A decoração fica por conta da inusitada coleção de arte da família proprietária.

Também espie o teto, com vitrais e estilo art-déco. Lá, provamos o presunto de Reims, outro produto típico da região, preparado com carne de porco e temperado com noz-moscada, salsa e cebolinha.

Lá, demos uma variada e provamos algumas cervejas locais (bem saborosas). Mas se você quer manter o tema champagne, o Café du Palais tem muitos rótulos e você pode pedir a taça ou a garrafa. Inclusive, apresentando o Reims City Pass na hora do almoço, a taça de champagne é cortesia da casa. Além desse, uma lista selecionada de restaurantes de Reims oferece esse agrado para quem apresenta o Reims City Pass.

O cartão também oferece desconto na compra de chocolates e queijos em lojas locais. Os queijos típicos produzidos em Reims são o chaource e o langres (que tem certificação de origem de 1919). Ambos podem ser degustados com champagne.

Reims também é conhecida pela produção de chocolates. Os Bouchons de Champagne são produzidos desde a década de 1950, com chocolate escuro e recheio de licor Marc de Champagne. O formato tradicional é de rolhas de champanhe (pode ser mais temático que isso?).

6 – Arredores da cidade e Farol de Verzenay

Dar uma volta pelos arredores da cidade, apreciar a bela vista dos campos de vinhedos foi uma das coisas que mais gostamos de fazer em Reims. Nós percorremos a Rota do Champagne de Reims a Epernay, e nos apaixonamos pelas paisagens e vinhos da região. Como estávamos de carro, foi bem fácil cair na estrada. Tivemos muita flexibilidade e não saiu muito caro.

Ainda vou escrever um post sobre como alugar um carro na França e como é dirigir por lá. Mas por enquanto, fica a dica: fizemos a cotação com a RentCars, pagamos em reais e o seguro básico já vem incluído no aluguel!

A região de Champagne-Ardenne é privilegiada com uma geografia linda, por isso não perca a chance de dar uma voltinha pela região. Quem nos deu essa dica foi a Silvia do blog Suas Próximas Viagens, que também viajou de carro por lá e inspirou muito nosso roteiro com um post delicioso sobre a região de Champagne.

Com o carro, aproveitamos para ir em Epernay e conhecer essa outra cidade super bacana da rota do Champagne. Também fomos até o icônico Farol de Verzenay, que fica no meio do caminho entre uma cidade e outra.

Além de uma vista linda, lá existe um pequeno Museu dos Vinhedos, que conta a história do surgimento do Champagne. O lugar é super charmoso e ainda tem um espaço de degustação – com uma das melhores vistas da região! A subida no farol é gratuita com o Reims City Pass.

7 – Visita às caves de champagne

Deixamos o brinde por último, mas claro que é impossível ir a Reims sem visitar uma (ou várias) maisons de champagne. A cidade tem uma quantidade enorme de casas de champagne, que vão desde grandes empresas até pequenos produtores de champagne.

Entre as mais principais casas de Reims, temos Veuve Clicquot, Taittinger (uma das poucas grandes que se manteve familiar), Mumm (a dos brindes na Fórmula 1), Ruinart (a mais antiga da cidade). Você pode visitar várias, mas o preço do tour não é exatamente barato, por isso nós decidimos escolher. A dica é escolher sua marca favorita, ou ir pela história. Nós decidimos visitar uma Maison em Reims e outra em Epernay, para conhecer um pouco da tradição de cada cidade.

Em Epernay, visitamos a Moet et Chandon. Mas vou contar mais disso em outro post!

Maison Taittinger

Em Reims, visitamos a Taittinger. Embora tenha uma grande produção e até exporte para o Brasil, essa Maison conseguiu se manter como negócio de família, e até preservar o nome da família na marca. Mais que isso, as caves da Taittinger fazem parte da área da ‘colina de Saint-Nicaise’, o quarto patrimônio da Humanidade pela UNESCO na cidade de Reims.

O conjunto de caves dessa região é impressionante. As ‘cavernas subterrâneas’ usadas para produzir e guardar os champagnes em maturação tem um papel econômico mas também histórico. Durante a guerra, a população teve que se esconder e viver por muito tempo nas caves para escapar dos bombardeios.

As caves da Taittinger têm marcas dessa ocupação por todas as paredes. Além disso, o conjunto de túneis fazia parte da antiga abadia de Saint-Nicaise, que produzia champagne na região desde o século 13. Um show de história pelos túneis e uma degustação deliciosa fizeram com que esse tour valesse muito a pena!

Em breve, vou escrever um post só pra contar nossa experiência na Taittinger. Ah, e o Reims City Pass oferece descontos nas visitas em muitas das Maisons de Champagne de Reims, incluindo a Taittinger.

Como chegar em Reims?

Para ir de Paris a Reims, o carro foi a nossa escolha e é a nossa recomendação, pela rapidez e flexibilidade na questão mobilidade. Explorar as estradas de Champagne-Ardenne, percorrendo a rota do Champagne na França, é um plus no roteiro! Ainda economizamos mais um pouco evitando as rotas com pedágio, escolhendo as estradas menores (que são muito mais bonitas!).

Faça uma cotação com a RentCars e descubra que descobrir a França de carro é possível!

Mas também é possível fazer o percurso Paris – Reims de trem. A viagem de TGV (trem de grande velocidade) dura menos de 1 hora e você desembarca na Gare Centre, bem ao lado do centro histórico de Reims.

Dica: evite visitar Reims durante os meses de inverno, quando a maioria das maisons de champagne fecham as portas para as visitas para trabalhar nas uvas recém-colhidas. Nas outras estações do ano, Reims é uma cidade convidativa e cheia de atrações a esperar por você!

Onde ficar em Reims?

O hotel que escolhemos foi o Séjours & Affaires Reims Clairmarais. Ele fica pertinho da estação de trem (Gare Centre) e a 15 minutos de caminhada da Cathedral de Notre Dame de Reims e centro da cidade. Ele funciona como o apart-hotel, com cozinha equipada, TV, wi-fi e academia.

O café da manhã e o estacionamento era cobrado à parte, mas não usamos nenhum dos dois. O estacionamento na rua foi fácil de encontrar e era gratuito à noite. Para o café da manhã, compramos tudo no mercado, que fica na rua de trás.

> Veja aqui outras ofertas de hospedagem em Reims

Outras vantagens do Reims City Pass

Ao longo do texto, já mostramos muitas vantagens que conseguimos usando o Reims City Pass. Descontos em restaurantes e lojas, entrada grátis em museus, descontos nas maisons de champagne, gratuitade no transporte público. Também preparamos um post exclusivo para explicar como funciona o Reims City PASS e quando vale a pena investir no cartão.

Testamos o Reims City Pass durante nossa estadia na cidade e o Feedback é que vale muito a pena se você quer explorar a cidade além de um bate e volta! Retiramos nosso cartão no dia que chegamos em Reims, no escritório da Reims Tourisme (6 rue Rockefeller, Reims) e já começamos a usar logo em seguida. A ativação acontece no primeiro uso.

O único problema que tivemos foi ao tentar retirar o brinde de taça de Champagne num restaurante à noite. Fomos informados que a cortesia só estava disponível para o almoço. Fora isso, nosso cartão foi aceito sem problemas em todos os outros estabelecimentos.

O Reims City Pass está disponível para 24h, 48h ou 72h após o primeiro uso. Ou seja, até 3 dias de viagem aproveitando a cidade. Se você planeja visitar várias atrações da cidade, o custo benefício compensa muito:

– Custo de € 22, € 32 e € 42, para 1, 2 e 3 dias de cartão. Acompanha um mapa e um livro de descontos e atrações da cidade. Você pode comprar o Reims City Pass online, diretamente no site da Reims Tourisme.

Gostou das dicas sobre o que fazer em Reims? Que tal ajudar o blog?

Sabia que você pode ajudar nosso blog? Reserve seu hotel em Reims com os links aqui do site! Você aproveita as ofertas do Booking.com e ainda ajuda muito nosso site – sem pagar nada a mais por isso!

____
Nós recebemos o Reims City Pass para testar durante nossa estadia em Reims, como cortesia do escritório da Reims Tourisme. Apesar disso e em respeito aos nossos leitores, tudo que descrevemos no post reflete a nossa experiência real no destino.

Sair da versão mobile