O que fazer em Lima: principais atrações para um roteiro de 3 dias

O que fazer em Lima| “Nunca chove em Lima”, foi a primeira frase que ouvi na cidade.

Enquanto me recebia, o dono do hostel dizia que aqueles chuviscos só podiam ser culpa da vitória do Peru sobre o Equador na noite passada, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2018.

“O Peru nunca ganha, e aqui nunca chove. Olhe só como o dia amanheceu hoje, depois da vitória!”.

Apesar da engraçada coincidência, chuva é mesmo coisa rara na cidade. Lima fica às margens do Oceano Pacífico, mas encravada no meio de um deserto.

Há uma explicação bem geográfica – relacionada aos ventos, de porque (quase) nunca chove por lá. O fato é: quando for planejar o que fazer em Lima, pode ter certeza que o guarda-chuva fica em casa.

Carinhosamente, apelidei Lima como a capital sem chuva e sem sol. Acontece em vários dias do ano, mas principalmente no inverno, o céu fica cinzento o dia todo.

> Reserve sua hospedagem em Lima com o menor preço garantido pelo Booking.com

O que fazer em Lima

É muito engraçado uma cidade à beira-mar, quase no Equador, sem chuva e sem sol. Mas essa é a capital peruana. Ah, outro clássico que marcou a cidade pra mim: o trânsito é aquele caos que falamos no post sobre os deslocamentos em Lima.

Nos primeiros momentos a cidade me assustou. Levei um tempo para entender o ritmo da capital peruana e entender como funcionava aquele trânsito um tanto quanto caótico.

Mas depois do primeiro impacto, vi uma beleza e uma cultura únicas na América do Sul.

No fim, depois de ver boa parte da cidade e suas principais atrações, eu tive certeza que ia sentir saudades de Lima. Uma capital um tanto quanto confusa, um tanto quanto peculiar, mas única no mundo em sua cultura, história e gastronomia.

Quem viaja para o Peru precisa contar com as garantias de um Seguro Viagem para aproveitar as férias tranquilo!

E aqui tem desconto!

Use o cupom FUISERVIAJANTE5 e ganhe 5% de desconto em qualquer plano de seguro viagem com a Seguros Promo. E ainda te mais 5% OFF para quem paga com boleto bancário! Aproveite!

Quer entender por que o seguro viagem é importante? Leia mais sobre seguro viagem aqui.

Quanto tempo ficar em Lima?

Nós ficamos três dias inteiros. Foi tempo mais que suficiente para visitar os principais atrativos turísticos da capital peruana com tranquilidade.

Com um pouquinho mais de pressa, e deixando de lado uma coisa aqui e outra ali, dá pra apertar o roteiro em 2 dias.

Lima mistura modernidade com muita história, e a cidade é considerada a capital da gastronomia na América Latina.

Seja para provar os deliciosos pratos, aprender sobre as civilizações pré-colombianas ou ver a arquitetura clássica de influência espanhola, motivos não vão faltar para passar uns dias por lá.

O que fazer em Lima: nosso roteiro de 3 dias

Vou dar um resumo aqui do que visitamos nesses 3 dias em Lima. Logo em seguida, vou descrever melhor as principais atrações, para ajudar você a planejar o que fazer em Lima.

Dia 1:
Centro Histórico
Museu de Arte de Lima
– Arredores da Plaza de Armas
– Igreja de Santo Domingo
– Tour na Igreja de São Francisco e catacumbas
– Bairro Chino e Mercado Central.

Dia 2:
Museu Larco
– bairro Barranco
– Museu MATE
Bajada de Baños
Malecón de Miraflores
Parque do Amor
Shopping Larcomar.

Dia 3:
El Olivar
Huaca Pucllana e Huana Huallamarca
Parque de La Reserva e Circuito das Águas de Lima.

O que fazer em Lima

O que fazer em Lima: conheça as principais atrações

1 – Centro Histórico

Quase todo roteiro em Lima começa por aqui. O coração da cidade, uma ligação entre o passado e o futuro. 

Como toda boa cidade de colonização espanhola, tem que ter uma Plaza de Armas no centro.

Foi ali, em 1535, que Francisco Pizarro fundou a cidade de Lima, capital do Império Espanhol na América do Sul. Ali também foi declarada a independência do Peru, em 1821.

Enquanto a gente dá uma volta por essa Plaza Maior de Lima, vai admirando os bonitos prédios: a Catedral de Lima, o Palácio do Governo (residência do presidente), o Palácio do Arcebispo e o Club de la Unión.

O que mais me impressionou foram as  bonitas varandas talhadas em madeira, símbolo da colonização espanhola em Lima. 

Muito da arquitetura da cidade foi destruída por terremotos ao longo dos anos, mas Lima vem desempenhando um papel exemplar de recuperação e conservação de suas memórias históricas.

O jardim florido da praça é super bonito e dá gosto de ver! Também há troca da guarda diariamente no Palácio do Governo, às 11:45h.

O que fazer em Lima

Dê uma volta pelos arredores…

Todas as ruas do Centro Histórico tem seu charme, e você pode achar coisinhas interessantes andando por ali.

Casa de la Gastronomía Peruana conta a história da rica gastronomia no país, com ingressos a 3 soles. A bonita Plaza San Martin também merece uma visita.

A Casa de Aliaga, um bonito casarão que afirma ser a construção mais antiga das Américas, em poder da mesma família há 17 gerações, é outro ponto de interesse, e aberto à visitacão!

Não deixe de visitar as duas igrejas mais importantes do centro: A Igreja de Santo Domingo e a Igreja de São Francisco, uma de cada lado da Plaza de Armas.

As duas tem um museu, mas se tiver que escolher apenas um, sem sombra de dúvidas, escolha o da Igreja de São Francisco.

Por 10 soles, você tem direito a uma visita guiada pelo antigo mosteiro e igreja, visitando as belas obras do interior do prédio, e acesso às inacreditáveis catacumbas do subsolo, que resistiram a séculos e terremotos. Ah, e uma biblioteca tão antiga, tão antiga, que até hoje me faz suspirar.

Logo ao lado da Igreja de São Francisco fica o Parque da Muralha, e mais um tanto à frente ficam duas atrações menos turísticas: o Mercado Central de Lima (bem simples, mas com bastante produto local) e o Bairro Chino, que eu achei pouco interessante.

O mais legal dos arredores é poder experimentar um dos vários Chifás, os restaurantes de fusão chino-peruana, muito comuns na cidade.

Mas se for só por isso, você encontra Chifás por toda a cidade, e definitivamente não precisa ir até o bairro Chino apenas por conta disso.

O que fazer em Lima

2 – Museus de Lima

Se você consultar o Trip Advisor, vai ver que a atração mais visitada em Lima, surpreendentemente, é um museu.

O Museu Larco, em Pueblo Libre, conta a história das civilizações pré-colombianas, e vale muito a visita, especialmente para quem vai, depois de Lima, mergulhar de vez no império Inca em Cusco e Machu Picchu.

Outros museus bacanas que visitei na cidade:

MALI – Museu de Arte de Lima, que fica próximo ao centro histórico e retrata a arte no Peru desde antes dos espanhóis até os dias de hoje;

-o incrível museu MATE, em Barranco – o meu favorito, que conta um pouco sobre o trabalho do incrível fotógrafo Mario Testino.

O que fazer em Lima

3 – Bairro Barranco

Com sua charmosa Ponte dos Suspiros e a bela vista do Mirante do Barranco, é o bairro mais boêmio da cidade.

São diversos restaurantes, uma charmosa igreja e um parque bem bonito e arborizado, que fazem a alegria dos turistas. Nos domingos, o bairro recebe uma charmosa feirinha a partir das 12h.

O que fazer em Lima

Depois de uma breve caminhada pela pitoresca Bajada de Baños, cheia de casinhas charmosas e restaurantes, podemos chegar até a praia de Barranco – atravessando a passarela e descendo para a beira-mar.

A praia não é espetacularmente muito bonita no bairro de Barranco, nem há estrutura de apoio como lanchonetes. Mas teve alguma coisa ali que me encantou, e passamos bom tempo sentados nas pedras, olhando a força do Pacífico.

O que fazer em Lima

4 – Malecón de Miraflores e Shopping Larcomar

Miraflores é o bairro onde 99% dos turistas se hospedam em Lima. Passear por lá é uma das coisas mais populares na lista de ‘O que fazer em Lima’.

É o bairro com maior infraestrutura para receber esse público, com muitos hotéis, hostels, lojas e muitos, muitos restaurantes. Foi exatamente aqui que a gente se hospedou e eu adorei as facilidades da localização.

Mas o mais legal do bairro é o Malecón, ou o calçadão de Miraflores, de frente para o Oceano Pacífico. É muito curioso ver que, como a cidade de Lima fica no topo de uma falésia, o malecón principal fica em cima, e não embaixo, pertinho do mar.

Caminhar por ali é uma delícia. São vários parques urbanos, lado a lado (o emblemático Parque do Amor, inclusive). Ciclovia, vôo de parapente, pista de corrida, espaços para brincar com crianças e animais, e uma vista incrível do Pacífico.

Tem diversão para toda a família, e ali é definitivamente impossível não amar Lima.

Pra terminar, o moderno Shopping Larcomar, com sua diversificada praça de alimentação, boas lojas e uma varanda de tirar o fôlego, bem em frente ao Pacífico, é um dos lugares que não dá pra perder em Lima.

O que fazer em Lima

5 – San Isidro: El Olivar, Huaca Pucllana e Huaca Huallamarca

O bairro de San Isidro tem três atrativos interessantes, que podem ser visitados em sequência. O parque El Olivar reúne uma grande área verde, com uma plantação de mais de mil oliveiras.

Um parque tão limpo e organizado que é motivo de orgulho para a cidade. Um excelente local para curtir um tempo com o amor ou a família. 

Mais calmo que o Malecón de Miraflores, embora aos domingos muitos locais dêem uma passada por lá para um passeio.

O Peru é um país cheio de histórias pra contar, e grande parte delas vem de muito antes dos espanhóis desembarcarem por aqui.

Dentro de Lima, as ruínas arqueológicas de Huaca Pucllana e Huaca Huallamarca são relatos preservados dessas memórias.

Achei Huaca Pucllana mais interessante: é oferecida visita guiada por todo o território do que foi o principal centro cerimonial da Lima pré-hispânica, entre 200 e 700 d.C.

Já a visita a pirâmide de Huaca Huallamarca não é feita com guia, e a área do sítio é bem menor que a mais conhecida Huaca Pucclana. De toda forma, vale a visita para quem tem mais um tempo na cidade.

O que fazer em Lima

6 – Parque de La Reserva e Circuito Mágico de Águas

Definitivamente minha atração favorita em Lima. Chegamos durante o dia, para conhecer o parque e brincar pelas 13 lindas e criativas fontes de água ainda com a luz do dia.

Eu entrei na brincadeira e parecia uma criança, correndo pra lá e pra cá nas fontes interativas. Claro que acabei toda molhada hahah

Mas o verdadeiro espetáculo vem quando as luzes se acendem e começa o show noturno do Circuito Mágico de Águas.

São três apresentações por noite (19:15, 20:15 e 21:30) e vale muito a pena se juntar a todo mundo na frente da Fonte da Fantasia no horário marcado, para ver as bonitas projeções de imagens na lâmina de água. U

m espetáculo que você não vai querer perder!

O que fazer em Lima

7 – Gastronomia

Tinha que estar na lista! Lima é considerada a a capital latino-americana da gastronomia, a terra do premiado chef Gastón Acúrio. Então a expectativa é alta – e os preços também.

Para comer no principal restaurante do chef, o Astrid & Gastón (que atualmente detém o título de melhor das Américas), é preciso contar com meses de antecedências da reserva, e alguns muitos soles.

Mas a cidade conta com várias outras opções mais em conta, e vamos fazer um post só pra descrever as delícias que experimentamos por lá!

Como organizei meu roteiro em Lima?

Com três dias, deu pra fazer tudo com calma e aproveitar bem a cidade.

Como ficamos hospedados no bairro de Miraflores, estávamos muito bem servidos de restaurantes e todas as noites, aproveitamos para dar uma volta nos arredores do movimentado Parque Kennedy, sempre muito movimentado.

Tem mais algum tempo para explorar o Peru? Nós optamos por seguir o roteiro clássico, que inclui Cusco e Machu Picchu.

Se tiver mais tempo ainda, outra boa opção é esticar um pouco e fazer o trekking da Laguna 69, uma das paisagens mais inacreditáveis do Peru. Mas não se engane: o trekking é pesado.

O pessoal do blog Viajando na Janela visitou a Laguna 69 no Peru e contou como foi a experiência. Eles também incluíram o Glaciar Pastoruri em Huaraz no roteiro pelo Peru, outro lugar que quero muito conhecer.

Avatar for Klécia
Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Rúbia disse:

Oi Klécia! Estou organizando minha viagem (Peru, Cusco e Matchu Pitchu)… Mas fiquei com uma dúvida, como você se locomoveu por lima? Transporte público ou Uber?

Abraços,

Rafael Cassemiro disse:

Oi Rúbia, Fizemos bastante coisa andando, porém para os deslocamentos maiores utilizamos Uber!
Obrigado pelo comentário e boa viagem!

Acho que eu já disse em outro post que Peru ainda não me conquistou 100%, mas a cada post seu ele vem subindo um pouco na minha lista. Hoje, talvez eu tenha descoberto o motivo pelo qual Lima em questão não me cativou por completa: sem chuva e sem sol. A parte do sem chuva está ótimo, mas talvez todas as fotos que eu veja do local estão sempre “escuras” e com pouca cor, gosto de lugar vivo e talvez essa cor cinza me passa a impressão de um lugar frio.

Mas como disse, você está conseguindo conquistar um espacinho para esse destino na minha lista. Já adianto que o Parque de La Reserva, ficar até a noite a assistir o show das águas já tem lugar garantido no meu roteiro. =D Amante de uma boa gastronomia e conhecendo a fama do Astrid & Gastón já começo desde já guardar dinheiro para um jantar inesquecível nesse restaurante. =D

Klécia disse:

Eu já visitei muitas – e morei em uma – cidade cinza. Por dias eu sentia muita falta do sol – tenho uma personalidade que acompanha o clima haha – mas com tempo me acostumei e vi que até assim uma cidade consegue ser bonita e poética. O Parque La reserva é com certeza o lugar que mais amei na cidade, e aposto que você vai amar também 🙂

Juliana Moreti disse:

Klécia
Você resumiu muito bem a cidade!
Eu também fiquei 3 dias, mas eram os 3 ùltimos dias da viagem e estàvamos cansados de viajar (a gente tem dessas). Com isso, fizemos muito mais caminhadas pelo bairro de Miraflores e centro do que turismo propriamente dito.

Fiquei curiosa com a foto que vc postou de uma biblioteca bem antiga. Sério que ela se encontra dentro da igreja de Sao Francisco? Por que serà que eu não a vi? Ou serà que deverei recorrer às fotos?

Anyway…. òtimo post! E aguardando os pròximos!

ps: eu nunca vi uma foto de Lima com céu azul!
hehehehehe

Klécia disse:

Oi Ju,
A biblioteca fica na parte do convento. A visita guiada nos levou nas catacumbas, na igreja, na cúpula e, por ultimo, na antiga biblioteca. Uma das imagens mais encantadoras da viagem!
Nesse tour não era permitido tirar fotos – ouvi dizer que ha anos, era permitido, mas não mais. Mas ha varias fotos da biblioteca na internet e e de fato lindíssima! <3

E também curiosa por conhecer alguém que viu o ceu azul em Lima 😀

Juliana Moreti disse:

Eu me lembro apenas das catacumbas e dos azulejos mouros perdidos em uma parte da igreja…. e mais nada! Serà que eu visitei e nao me lembro??!!! :O

Klécia disse:

Espero que tenhas visto <3

Analuiza disse:

oi Klécia… gostei muito desta Lima que você apresenta aqui. Achei a Plaza de Armas muito bonita e de saber que céu da cidade é cinza, meu preferido, sempre. Me interessei muito pelos museus, por ver o trabalho de Testino (gosto bastante e para mim em termos de modelar Moss é a top das tops) e pelos sítios arqueológicos…

Esse texto despertou em mim a vontade de visitar a capital peruana, viagem que todo ano eu adio.

Eu estive no Astrid Y Gastón e foi uma das melhores experiências gastronômicas que eu tive. Fui no de Santiago do Chile e soube que o de Lima é ainda melhor! 🙂 bjuss

Klécia disse:

Ana: o Museu do Testino é fabuloso! Me surpreendeu, que já esperava muito! Fiquei devendo ($$$) o Astrid & Gaston. O de Santiago estava em reforma e o de Lima ia golpear forte meu orçamento logo nos primeiros dias. Motivo pra voltar, com certeza 🙂

Juliana Moreti disse:

Eu acabei preferindo o La Mar, talvez mais econômico que o Astrid Y Gastón… mas também amei (Rà, tenho històrias ali dentro tbem – hiihihihih)

Klécia disse:

hahahah histórias? Conte-nos os detalhes #curiosa

Juliana Moreti disse:

hahahahahaha
Comi um pedacinho de Pimenta Rocoto pensando que fosse pimentão normal. Para aliviar, virei um drink que eu havia pedido… Me senti um cartoon animado pegando fogo… Nem precisei pedir ajuda: o garçom na hora me trouxe um copo d’água
hahahaha
pior sensação ever!

Klécia disse:

hahahahaha imaginei a cena e acabei rindo, porque fiz a mesma coisa hoje, com um molhinho de pimenta que parecia nem um pouco ameaçador e acabou com minha água no final hahah