Roteiro de viagem para Cusco e Machu Picchu

Cusco foi a segunda parada do nosso mochilão pela América do Sul. Lá, montamos nossa base para percorrer o roteiro Cusco e Machu Picchu, explorando as principais atrações da região.

Chegamos de avião, sobrevoando as cadeias de montanhas que iriam tirar nosso fôlego pelos próximos dias. Nas mãos, além do roteiro Cusco e Machu Picchu, algumas folhas de coca, na esperança de escapar ilesos do mal de altitude.

Chegou a hora de mergulhar de vez nas histórias do antigo Império Inca.

Conhecendo Cusco

Cusco, a antiga capital do Império, nos apresentou um cenário completamente diferente daquele que encontramos na capital do Peru, Lima

Uma cidade pintada com vários tons de marrom, repleta de igrejas da mais bela arquitetura. Machu Picchu, por sua vez, dispensa qualquer descrição.

A cidade perdida dos Incas é o sonho de 9 entre cada 10 mochileiros que saem para desbravar o mundo. Ansiedade não faltava!

Bem-vindos a altitude, às escadarias, aos pratos mais inusitados da gastronomia peruana: Chegamos em Cusco e Machu Picchu!

Leia também:
O que fazer em Lima: principais atrações para um roteiro de 3 dias

Roteiro de Viagem para Cusco e Machu Picchu

Quanto tempo ficar em Cusco e Machu Picchu?

Nós ficamos 3 noites na cidade de Cusco, nossa base para explorar o Vale Sagrado e arredores da cidade. Em seguida, fomos pra Águas Calientes e Machu Picchu.

Nosso roteiro Cusco e Machu Picchu foi planejado para um total de seis dias e cinco noites. Nesse tempo, eu diria que dá pra ver o pacote básico.

Como quase todos os passeios na região são de dia inteiro, para cada atração a mais que você quiser visitar, é necessário colocar mais um dia no itinerário.

Reserve sua hospedagem em Cusco com desconto no Booking.com

Como organizamos nosso roteiro em Cusco e Machu Picchu

Cusco é uma cidade que vive do turismo. É repleta de agências, que oferecem em geral os mesmos passeios para conhecer as principais atrações da cidade.

Os preços alteram um pouco entre elas. As particularidades de cada tour também podem variar. Vale pesquisar, perguntar todos os detalhes e pechinchar melhores preços.

Eu testei duas agências diferentes. Na primeira, fechei o city tour em Cusco, o passeio básico, que todo mundo faz no primeiro dia de viagem (porque exige pouco em questão de altitude). Mas não gostei do guia e decidimos procurar mais.

Fechamos os outros passeios com a Comfort Peru Travel, que no geral entregou um serviço bem satisfatório.

Uma coisa que vale saber: a maioria das agências apenas vendem o tour. No final, eles reunem todos em grupos maiores, juntando várias agências em um ônibus maior, que leva todo mundo ao passeio.

Então pechinche sempre e pergunte tudo antes de fechar com qualquer agência.

Além do preço do tour, você vai precisar desembolsar o valor do boleto turístico, que dá acesso à maioria das atrações em Cusco, fora e dentro da cidade.

Você até pode fazer os deslocamentos até os sítios arqueológicos por conta própria (alugando um carro, compare e reserve em reais com a RentCars), mas de toda forma vai precisar do boleto turístico completo (130 soles) ou do parcial (70 soles) para entrar nas atrações.

Ollantaytambo no Peru.

Como organizei meu roteiro Cusco e Machu Picchu

Dia 1: Chegada em Cusco + city tour 

Fizemos o trecho Lima-Cusco em um vôo low-cost de pouco mais de uma hora, operado pela Star Peru. Você também pode chegar de ônibus, mas o percurso leva 22 horas. 

Do aeroporto até o centro, pegamos um Uber e pagamos cerca de 10 soles para descer na Plaza de Armas, bem no coração da cidade.

Fizemos check-in no hostel – ficamos no Pirwa Posada del Corregidor, muito bem localizado na Plaza de Armas, pagando 40 dólares por diária (com café da manhã). Um dos poucos hostels na cidade que não é um Party Hostel.

Ficar próximo da Plaza de Armas é a melhor opção em Cusco. As atrações do centro da cidade, os restaurantes e as agências para reservar os passeios, estão todos por lá. Também é nos arredores da praça que os grupos se encontram, todos os dias, para sair para os tours fora da cidade.

Veja opções de hotéis e pousadas na Plaza de Armas em Cusco

Roteiro de Viagem para Cusco e Machu Picchu

City tour em Cusco (das 14h às 20h)

Custo: 30 soles do tour + 10 soles da entrada em Qorikancha + boleto turístico. Inclui guia e transporte.

Como chegamos perto da hora do almoço, andamos um pouco pelo centro e entramos numa agência da Plaza de Armas para comprar o City Tour, um dos passeios mais populares de Cusco.

O passeio dura uma tarde, e funciona um pouco diferente do que estamos acostumados. Os lugares visitados ficam fora, e não dentro da cidade. Todos são sítios arqueológicos do Império Inca.

A única atração dentro da cidade é Qorikancha, o antigo templo do Sol, que foi saqueado e remodelado pelos espanhóis para abrir o templo e Convento de Santo Domingo.

Para entrar no templo, pagamos uma taxa extra de 10 soles. Daqui, seguimos de ônibus para visitar Sacsayhuaman, Q’enqo, Pukapukara e Tambomachay, que ficam nos arredores da cidade.

Roteiro de Viagem para Cusco e Machu Picchu

Esse tour foi muito corrido e eu particularmente não gostei do trabalho do guia, que parecia desesperado para percorrer tudo e acabar o passeio. Tanto que trocamos de agência para os próximos tours.

Veja aqui em detalhes como funciona o City Tour Arqueológico em Cusco

Dia 2: Chinchero, Moray e Salineras de Maras (8:20h – 17h)

Custo: 30 soles + 10 soles da entrada nas Salineras de Maras + boleto turístico. Inclui guia e transporte.

Esse tour também visita os arredores de Cusco. A primeira parada foi em Chinchero, para ver como a comunidade de mulheres locais trabalha com a lã de alpaca, e como funciona o tingimento e a produção de roupas tradicionais peruanas.

Em seguida, visitamos o sítio arqueológico de Moray e uma loja de artesanato no centro da cidade de Maras. O tour termina com a visita às incríveis Salineras de Maras, o ponto alto do passeio.

Veja detalhes do nosso passeio por Maras e Moray.

Roteiro de Viagem para Cusco e Machu Picchu

Dia 3: Montaña de Colores (3h – 17h)

Custo: 70 soles. Inclui guia, transporte, café da manhã, almoço e ingresso.

Já mais aclimatados, reservamos esse dia para o tour mais difícil (e mais bonito) que fizemos em Cusco: a trilha até Vinicunca, a Montaña de Colores. São 6 km de trilha em altitude, uma experiência incrível e desafiadora.

Se você não tem intenção de conhecer essa trilha, recomendo que separe esse dia para conhecer a cidade de Cusco, visitando por exemplo as atrações inclusas no Boleto Turístico, como os museus.

A Montanha Colorida em Cusco, no Peru

Outra opção é fazer o tour até o Vale Sur (oferecido pela maioria das agências de turismo na cidade).

O pessoal do blog Viajando na Janela fez esse tour e tem um relato bem bacana sobre o Vale Sul em Cusco.

Dia 4: Vale Sagrado (8h às 17h) + pernoite em Ollantaytambo

Custo: 30 soles + boleto turístico. Inclui guia e transporte.

Fizemos checkout do hostel em Cusco e colocamos nossas mochilas no guarda-volumes do hostel (uma facilidade oferecida pelo Hostel Pirwa Posada Del Corregidor), para seguir só com a mochila de ataque e roupa para dois dias até Machu Picchu.

Começamos o tour por Pisac: primeiro visitamos as lojas que trabalham com prata no centro, e depois o sítio arqueológico de Pisac, que foi uma das maiores cidades do Império Inca.

A parada para o almoço é em Urubamba, um povoado pequeno mas cheio de restaurantes ‘turísticos’, com comidas tradicionais da região.

De lá, seguimos para Ollantaytambo, a única cidade Inca que permanece viva, segundo conta a tradição.

Roteiro de Viagem para Cusco e Machu Picchu

Depois da visita ao sítio histórico, o passeio segue para visitar as ruínas de Chinchero e regressar a Cusco, mas nós decidimos pernoitar em Ollantaytambo, para de lá seguir viagem de trem até Machu Picchu.

Você pode ver aqui o post completo de como ficou o tour do Vale Sagrado, com essas pequenas modificações que fizemos por conta própria. Também temos um post sobre o que ver em Ollantaytambo, para aproveitar a pernoite na região.

Saindo de Ollanta, os trens são consideravelmente mais baratos e têm maior frequência de partidas e chegadas. Explicamos tudo nesse post sobre como chegar em Machu Picchu de trem.

A outra opção é ir de trem a partir de Poroy, uma estação que fica mais próxima de Cusco (mais ou menos 25 minutos de carro). No entanto, de lá saem menos trens e os bilhetes custam mais caros.

Em Ollanta, ficamos hospedados no Hostel Andenes, por 25 dólares a diária (com café da manhã).

Dia 5: Ollantaytambo + trem para Machu Picchu + pernoite em Águas Calientes

Custo do trem para Machu Picchu: 69 dólares

Exploramos Ollantaytambo na parte da manhã. Seguimos de trem para Machu Picchu para economizar tempo e evitar cansaço extremo, já que nossa viagem continuaria por mais vários dias, descendo pela América do Sul (Bolívia e Chile ainda estavam por vir).

Compramos com antecedência o bilhete de trem com a empresa Peru Rail. O trem Vista Dome é confortável, a vista no caminho é espetacular, e um lanche está incluído no valor da passagem.

No site das empresas Peru Rail e Inca Rail, você pode conferir os preços e horários dos trens a Machu Picchu.

Roteiro de Viagem para Cusco e Machu Picchu

A viagem de trem até Águas Calientes dura pouco mais de uma hora. Chegamos a tempo de passear pela cidade, comprar o bilhete do ônibus para Machu Picchu e dormir cedo para descansar um pouco.

No outro dia, a gente precisava acordar de madrugada para pegar o ônibus e enfim conhecer a lendária Machu Picchu.

Ficamos hospedados no Hostal La Payacha, por 35,20 dólares a diária (com café da manhã, ou lanche para levar na madrugada para Machu Picchu).

Dia 6: Machu Picchu + regresso para Cusco

Custo: ônibus para Machu Picchu (24 dólares) + ingresso Machu Picchu (158 soles) + trem para Ollanta (89 dólares) + van para Cusco (10 soles)

Roteiro de Viagem para Cusco e Machu Picchu

Já tinhamos comprado com antecedência o ingresso para Machu Picchu (turno manhã) e o trem de volta para Ollantaytambo.

O dia começou de madrugada, com a fila quilométrica às 4 da manhã para pegar o ônibus para Machu Picchu. Nem acreditei quando vi que já tinha tanta gente na fila, quando chegamos no ponto de embarque do ônibus para Machu Picchu!

Quando enfim conseguimos chegar na incrível Cidade Perdida dos Incas, fizemos um tour guiado pelas ruínas. Fechamos um tour em grupo na entrada, ao custo de 20 soles por pessoa. Foi uma experiência bem interessante.

Depois, fizemos por conta própria a trilha para a Porta do Sol (a trilha é gratuita e leva cerca de 1:30h a 2h).

Voltamos de ônibus para Águas Calientes, para pegar o trem depois do almoço com destino a Ollantaytambo. De lá, seguimos de van para Cusco.

Contratamos a van na hora que desembarcamos do trem, ali mesmo na saída da estação. A van custou 10 soles por pessoa e foi ótimo fazer esse trecho ainda com a luz do dia, para voltar mais tranquilo pelas estradas peruanas.

Chegamos em Cusco por volta das 17h. Jantamos, passamos no hostel para pegar as malas que tínhamos deixado guardadas e fomos para a rodoviária de Cusco, já para seguir viagem para Bolívia.

Outros passeios para incluir no roteiro Cusco e Machu Picchu

Já tínhamos comentado do Valle Sur, um tour interessante mas que não tivemos tempo de fazer em Cusco.

Além dele, tem uma outra opção interessante que você pode considerar: a trilha até a Laguna Humantay, uma das paisagens mais bonitas do Peru. O blog Diário de Navegador tem um post super explicativo para quem está interessado em conhecer a Laguna Humantay no Peru.

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Lucimeire disse:

Está viagem você fez agora durante a pandemia? Queria saber se está tendo alguma restrição aos brasileiros ou está tranquilo.

Rafael Cassemiro disse:

Oi Lucimeire, Fizemos essa viagem em 2017, é importante verificar as regras de entrada e restrições nos sites do governo peruano!
Obrigado pela visita e boas viagens!

Neuza neumann disse:

Quero ir para Machu Pichu, via Lima. Sou mais velha e trilhas longas não aguento fazer, mas quero conhecer ao máximo de tudo lá. Quero ideia de albergue onde tem quarto individual para casal.

Rafael Cassemiro disse:

Oi Neusa, no próprio post indicamos o hostel que ficamos em cusco. Ele tinha a opção de quartos para casal com banheiro privativo (nossa escolha), é super bem localizado e tranquilo.
Obrigado pelo comentário e boa viagem!

Luis disse:

Klecia bom dia – gostaria de saber se foi tudo bem com a agencia contratada Comfort Peru Travel. Agradeço o seu comentário. Muito obrigado, Luis.
Pergunto isso, pois pretendo viajar com a famlia em Junho deste ano. Abraço e novamente obrigado.

Klécia disse:

Oi Luis, tudo bem?
Ficamos bem satisfeitos com a agência sim. Foram bem honestos no preço e o tour foi bem organizado, com tudo pontual e grupos não muito grandes. Desejo uma boa viagem pra vocês!

Fernando disse:

Como funciona essa van de Ollantaytambo para Custo? Precisa comprar com antecedência? Me interessou issoae

Rafael Cassemiro disse:

Oi Fernando, a van sai de um estacionamento bem perto da estação, e é no estilo “lotação” aqui do Brasil. Encheu sai. Não é possível comprar antecipado.
Obrigado pelo comentário e boa viagem!

Ricardo Stark disse:

Boa tarde pessoal, tudo bem?
É verdade que o ponto turístico mais visitado no Peru é Machu Picchu uma das sete maravilhas do mundo moderno mas existi muitos outros lugares mágicos.
para as pessoas que gostam de caminhar e conhecer maravilhas naturais recomendaria visitar Huaraz.
Huaraz é um lugar magico onde as pessoas podem entrar em contato com as maravilhas naturais no tempo incas as montanhas eram sagradas para eles nesse tempo eram chamadas apus (Lugares que geravam vidas).

Entre outros lugares mágicos como são Nazca. Alguém escutou falar das linhas de Nazca?
Bom as linhas de Nazca foram feitos nos tempos pre incas feito pela cultura Nazca dali que vem o nome linhas de Nazca *linhas imensas desenhadas num deserto* até o momentos os Arqueólogos, antropólogos, historiadores, etc não podem explicar como que elas foram feitas. a primeira vez que vi aquelas linhas fiquei emprisionado.
o Peru possui o lago navegável mais alto do Mundo * o lago Titicaca* neste lago o mais ressaltante são as ilhas flutuantes feitos de uma espécie de bambu que é produzido no mesmo lago as pessoas que moram nesse lago possivelmente sejam desentendes da cultura Taypicala. entre outros lugares mágicos para conhecer no Peru
Meus amigos brasileiros eu recomendo completamente que o próximo lugar a conhecer seja o Peru.

Obrigado pelo espaço, abraços Ricardo.

Klécia disse:

Obrigada pelas informações Ricardo!

rui batista disse:

Esse roteiro faz parte de uma das viagens da minha vida… foi super-interessante, bem estimulante. Sem dúvida, mas minhas zonas favoritas do planeta. Bela partilha, pois toda a gente deveria experienciar estes lugares mágicos…

Ruthia disse:

Nunca ouvi falar dessa companhia aérea do Peru (talvez porque não tenha explorado nada da América do Sul, excepto um pouco do Brasil), achou segura? Parece ter sido uma jornada fisicamente exigente mas, no final do dia, relembrando de todas as belezas que viram, com certeza adormeceram em paz. A Montaña de Colores é qualquer coisa de maravilhoso, não é?
Beijinho querida Klécia

NiKi Verdot disse:

Muito top esse mini guia! Amei! Sou louca pra fazer esta viagem e com certeza vou utilizar essas suas dicas! Essa região é parece ser linda demais!

Lulu Freitas disse:

Quantas coisas maravilhosas para se conhecer. Não tinha ideia! O roteiro me pareceu super abrangente e mostrando o que há de melhor para se conhecer. Amei.

Roteiro completinho que dá para ter uma dimensão de tudo. Tenho muita curiosidade por essa região, minha dúvida é se seria um programa possível com crianças um pouco maiores, o que acha?

Rafael Cassemiro disse:

Oi Fabíola, vimos muitas crianças durante a viagem, mas tanto acho que é melhor que já estejam um pouco maiores, pra poder entender (ou ter visto na escola) a respeito do que estão visitando, quanto pra resistir ao esforço físico que demanda por conta da altitude.
Obrigado pela visita e boas viagens.

Elisabete disse:

Gostei de suas dicas. Pergunto vc acredita que para quem não tem preparo físico para subir a Montanha Colorida, conseguiria fazê-lo à cavalo???

Rafael Cassemiro disse:

Oi Elisabete,
Fazer a subida à cavalo é bem tranquila, tendo 3 ou 4 trechos mais acidentados onde é necessário descer do cavalo e subir alguns metros a pé para então voltar a montar. Recomendo que só faça a subida após estar bem aclimatada à altitude (no 3º ou 4º dia) já que o ponto de partida da subida é acima dos 4000 metros.
Obrigado pela visita e boas viagens.

Viviane Sena disse:

Klécia, que maravilhoso o seu site! Tudo esmiuçado, facilita demais a vida dos viajantes, principalmente os que como eu são marinheiros de primeira. Valeu!!!

Ricardo disse:

Eu subi a montanha Siete Colores, conhecida também como Raibow Montain. É bem difícil. Precisa ter muita coragem, fôlego e folhas de coca para subir! É muito alto, tem 5300 metros de altitude, mas a visão que você tem quando chega lá em cima é linda! Ela é colorida por conta da forte presença de minerais. Ela era toda nevada até dois anos atrás. Por causa do aquecimento global ela se revelou aos peruanos.

Juliana Moreti disse:

O Vale Sagrado é muito lindo!
Essa é uma região que eu fiquei bastante tempo e que eu quero retornar. Faz parte dos lugares que pretendo aguardar o Léo crescer para ir.
Quando fui, não me lembro de ter visto indicação para a Montaña de Colores…. Ela é magnìfica!
Outra coisa que não fizemos foi contratar tours. Em alguns lugares, nos arrependemos de não termos contratado guias.

Klécia disse:

Acho que a Montana de Colores foi um lugar que eles começaram a trabalhar turisticamente de forma mais recente, Ju. E eu também quero voltar em Cusco um dia! Tanto, mas tanto ainda pra ver!

Analuiza disse:

oi Klécia… estou verdadeiramente impressionada com a beleza da região. Preciso confessar minha ignorância: eu não tinha ideia da quantidade de coisas maravilhosas que há para ver por lá. Só sabia mesmo da cidade perdida… Fiquei encantada com tudo o que vocês viram e fizeram.

Quero saber mais!

Espero um dia seguir suas pegadas pelo Peru! 🙂

Klécia disse:

O Peru me impressionou principalmente pela diversidade de cenários! Cada lugar mais incrível que o outro! Vou contar todos os detalhes de cada um deles aqui, com certeza! 🙂