Termas de Caracalla: quando Roma ainda te surpreende

Visita às termas de Caracalla em Roma | Depois de passear pelas ruínas do Fórum Romano, visitar os palácios dos imperadores Monte Palatino e se impressionar com a grandiosidade das arquibancadas do Coliseu de Roma, talvez você acredite que tenha visitado todas as maravilhas da Roma Antiga.

E se eu te dizer que existe mais uma atração que vale a pena incluir no roteiro? 

As Termas de Caracalla, ou Terme di Caracalla em italiano, ficam a apenas 10 minutos de caminhada do Circo Massimo, ali bem pertinho do roteiro turístico de Roma.

As impressionantes paredes de tijolos e a beleza dos pisos em mosaicos das Termas de Caracalla são as ruínas mais bem preservadas de banhos públicos que você vai encontrar em Roma.

Termas de Caracalla em Roma
Foto: Fui Ser Viajant

Na verdade, podemos considerar o conjunto arquitetônico das termas como uma das mais ruínas mais impressionantes de toda a cidade!

Termas de Caracalla: Um pouquinho de história

Os romanos davam muita importância às casas de banho. Nas termas romanas tradicionais, acontecia um pouco de tudo: vendas e comércio, política, exercícios, banquetes, jogos e competições, feiras de arte – e os banhos, claro!

As termas eram equipadas com piscinas de águas quentes (!!!) e frias, tudo para uso público. Era ali, nas casas de banho, que a vida social de Roma acontecia de verdade.

Leia também:
+ Como ir do Aeroporto Fiumicino ao centro de Roma
+ Onde se hospedar em Roma: melhores bairros

Dada a grande importância social dessas construções, os romanos investiam tempo e dinheiro na construção dos banhos públicos.

É provável que as Termas de Caracalla tenham sido construídas entre os anos 212 e 217 a.C. e chegaram a ocupar impressionantes 11 hectares de terra e receber 1500 pessoas – a segunda maior casa de banhos de Roma, atrás apenas das Termas de Diocleciano, com 13 hectares e espaço para 3000 pessoas.

Termas de Caracalla em Roma
Foto: Fui Ser Viajante

Mas quando o assunto é conservação, as Termas de Caracalla ocupam o primeiro lugar disparado.

A área ao redor das Termas de Diocleciano foi seriamente modificada pelo crescimento da cidade. As ruínas perderam lugar para a construção da Roma Termini, a maior estação de trens da cidade, e parte das construções foi ocupada por duas igrejas e um museu.

Como as Termas de Caracalla estavam mais afastada dessa região central da cidade, muito das construções sobreviveu à expansão da Roma moderna e permanece até hoje como o maior e mais bem preservado complexo de termas que você pode visitar em Roma.

Visitando as Termas de Caracalla em Roma

Você pode comprar o ingresso antecipado pela internet, ou comprar no local. É possível também usar o Roma Pass para visitar as Termas de Caracalla.

Idosos e estudantes pagam meia-entrada. A portaria abre às 9h e o horário de fechamento varia ao longo da semana (confira o site oficial para horários atualizados).

Nós chegamos na portaria das Termas de Caracalla logo depois que a atração abriu. Não pegamos nenhuma fila na bilheteria – e quase ninguém estava visitando as termas nesse horário.

Conseguimos passear tranquilamente por toda a área, sem pressa e sem tumulto. Foi só quando estávamos nos arrumando para ir embora, umas duas horas depois, que o lugar começou a ficar mais cheio, com vários grupos escolares chegando para visitas guiadas.

É possível fazer a visita nas Termas de Caracalla por conta própria, seguindo o mapa e as placas indicativas (bem explicadinhas) ao longo da visita.

Leia também: Onde beber cerveja artesanal em Roma

Quem quer uma visita mais recheada de informação pode contratar um audio-guia na bilheteria (por mais € 5,00, deixando um documento com foto até devolver o aparelho) ou um óculos de realidade virtual para ‘reconstruir’ o ambiente das Termas de Caracalla.

Termas de Caracalla em Roma
Foto: Fui Ser Viajante

Termas de Caracalla: o que ver na visita

Alguns fragmentos das termas da Roma Antiga não estão mais por ali. Os mármores que revestiam as enormes paredes de tijolos foram removidos para ornamentar as igrejas de Roma.

Muitas das magníficas estátuas foram levadas para a coleção dos Museus do Vaticano). Embora esses pedaços de história tenham sido alterados, o que sobrou nas Termas de Caracalla é de impressionar!

Termas de Caracalla em Roma
Foto: Fui Ser Viajante

Você vai ver lindas peças de mosaico no piso bem conservado das termas. A imensidão das paredes faz pensar no que aquele prédio representava para a sociedade da época.

Por todo lado, explicações sobre a função social de cada uma das salas e banhos de Caracalla.

Um a um, você vai conhecendo as piscinas: o Calidarium (espaço para banhos quentes), o Tepidarium (espaço para banhos mornos), Frigidarium (onde ficava o banho frio) e Natatio (a piscina de natação).

Termas de Caracalla, em Roma
Foto: Fui Ser Viajante

Impossível não se impressionar com o sistema de transporte de água via aqueduto abastecia toda a casa de banhos.

E como o sistema de aquecimento localizado no piso inferior possibilitava água na temperatura certa para cada ambiente, durante todas as estações do ano. Esses romanos eram mesmo incríveis, hein?

Fomos passeando sem pressa, pelas ruínas e pelos jardins. Vez ou outra, um corvo passava voando até o topo de uma das colunas mais altas das ruínas das Termas de Caracalla, onde o bichinho construiu seu ninho.

Termas de Caracalla, em Roma
Foto: Fui Ser Viajante

Nos bonitos jardins que circundam as termas, passeamos em meio às flores e dentes-de-leão de uma primavera europeia.

De junho a agosto quando a Europa vive dias ensolarados de verão, as Termas de Caracalla se transformam em cenário para apresentações de ópera, o que deve render uma experiência única para quem conseguir participar.

Termas de Caracalla, em Roma

As Termas de Caracalla são um lugar aconchegante, um ambiente cercado de verde e história, daqueles que a gente adora conhecer e não quer mais ir embora, sabe?

Um pedaço maravilhosamente preservado da Roma antiga, pra curtir sem a multidão sufocante que geralmente se aperta para visitar o Coliseu.

Termas de Caracalla, em Roma

O que saber antes de ir

Como comprar o ingresso? Compre antecipado pela internet ou no local, no dia da visita. Evite deixar para última hora se visitar Roma na alta estação (meses de verão na Europa).

Onde fica? Viale delle Terme di Caracalla, 52.

Como chegar? Vá de metrô: pegue a Linha B e desça na estação Circo Massimo. Ou vá de ônibus: linhas 760 ou 628. Ou vá a pé, caminhando do Coliseu até lá, que é pertinho e caminhar por Roma é uma delícia.

Avatar for Klécia
Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Luiza Cardoso disse:

Roma é demais né? Quando fui para Roma acabei conhecendo o Termas de Caracalla sem querer. Tava no Coliseu e sai andando para conhecer os arredores e fui parar lá. haha! Bem como você disse, Roma é uma delícia para caminhar. Alias, andar em viajar para conhecer os lugares é muito bom, né? 🙂
Não lembrava de muitos detalhes desse lugar. Minha fotos também não ficaram lindas como a de vocês! haha! Amei o post, foi uma máquina de volta ao tempo, tanto na data em que estive lá, quando históricamente falando. hehe!
Parabéns!

Cristina disse:

Roma é mesmo um lugar milenar! Sempre há o que ver, visitar e se surpreender! Fui em Roma em 2009, mas pretendo voltar para explorar mais cada cantinho. Encontrei ótimas dicas por aqui. Obrigada por compartilhar!

Roma sempre surpreende, né?
Esse lugar, além de lindo, é interessante e cheio de história. Muito bom!!!

a sensação que fiquei e ainda a tenho muito presente é que Roma é uma cidade para a vida inteira. pode parecer exagero, mas talvez seja o primeiro destino que mais desejo voltar de todos que já fui. e teu post me instiga a fazer isso. o meu abraço.

Que maravilha de atração, já fui à Roma por duas vezes, mas nunca coloquei as Termas de Caracalla no roteiro, exatamente por achar que ficava afastada do centro mais histórico.
Já as Termas de Diocleciano visitei por duas vezes e adorei, onde fica o Museu Nacional Romano que é bem completo e interessante. Recomendo demais uma visita, mas Caracalla estará na minha lista em um retorno à Roma, com certeza, ainda mais com seu relato maravilhoso. Parabéns!

Gisele Rocha disse:

Já fui a Roma incontáveis vezes e sempre acho coisas novas para fazer lendo os blogs. Salvei esse post para ler antes da próxima viagem. Fiquei impressionada com o que você escreveu sobre o sistema de abastecimento de água nas termas. Mesmo sem a tecnologia de hoje eles se viravam muito bem, né?