City tour em Cusco: como é a experiência do passeio

O City Tour em Cusco é um dos passeios mais populares na cidade. Está em todos os roteiros, normalmente nos primeiros dias de viagem.

Isso porque este é um passeio curto. A maioria das agências em Cusco oferece o City tour em grupo, em meio período (normalmente a tarde).

Durante o City tour, você vai visitar algumas das principais atrações do centro de Cusco, e em alguns pontos turísticos nos arredores da cidade. A agência leva os grupos em vans ou pequenos ônibus.

A maior vantagem de colocar esse tour nos primeiros dias de viagem é que ele não exige muito esforço físico. Não há muitos deslocamentos nem subidas.

Isso é essencial para quem é recém chegado na desafiadora altitude de 3400 metros em Cusco. O objetivo maior é evitar o soroche (mal de altitude).

E foi exatamente isso o que nós fizemos. Colocamos o city tour no roteiro do nosso dia de chegada em Cusco. Chegamos no meio da manhã, almoçamos na praça central de Cusco, e depois fomos encontrar o grupo.

Nesse post, saiba tudo o city tour em Cusco. Como funciona, o que nós achamos do passeio e como contratar (em grupo ou privativo).

City tour em Cusco: como funciona

Você pode fazer o City Tour em Cusco em grupo (como nós fizemos), com guia privado, ou de forma independente (contratando um táxi, um guia, e indo por conta própria).

Cada um desses modelos tem seus prós e contras. Vamos falar de todas elas.

Como é o tour em grupo

A forma mais popular – e mais barata – é fazer o City tour em Cusco com um grupo. Praticamente todas as agências de turismo no centro de Cusco vendem esse passeio.

Geralmente, há grupos sendo formados todos os dias. O passeio acontece no período da tarde, a partir das 14h até mais ou menos às 19h.

Mas no city tour em Cusco rola uma coisa muito curiosa.

O foco do tour não está no centro da cidade, como acontece na maioria dos City Tours pelo mundo.

A gente faz uma rápida passagem pelo centro, visitando o Convento de Santo Domingo, e a Catedral de Cusco.

Depois o grupo pega um transporte (van ou ônibus) e sai da cidade, para explorar alguns sítios arqueológicos que ficam nos arredores de Cusco (fortaleza de Sacsayhuaman, o anfiteatro de Qenqo e o complexo militar de Puka Pukara.

Reserve sua hospedagem em Cusco

City tour em Cusco - Sacsayhuaman

Resumindo, a maior parte da duração do City tour em Cusco a gente vai passar fora da cidade propriamente dita, entende?

De certa forma faz sentido, porque os locais tinham relação com a antiga Cusco (a majestosa cidade inca que existia antes da invasão espanhola).

Mas particularmente, achei esse formato um pouco esquisito. Vou te falar o porquê.

O centro de Cusco é riquíssimo em atrações. Tem a praça, as igrejas, mercados… Afinal, estamos falando da capital do antigo império Inca, conhecida como o “umbigo do mundo”.

Imagine quanta riqueza cultural e quanta história tem guardada ali no centro da cidade.

Quando questionei o guia, ele me falou que as atrações do centro são fáceis de visitar por conta própria.

Mas eu não queria visitar por conta própria… Queria visitar com o guia. E por isso comprei o City Tour em Cusco.

Mas enfim, é bom que eu passei por isso pra você não ir desprevenido na sua viagem.

O city tour em Cusco, nesse formato em grupo, é um passeio meio apressadinho, que dá uma voltinha no centro e depois passa também rápido por alguns sítios arqueológicos nos arredores da cidade.

No caso do meu grupo, ainda precisamos comprar por fora: a entrada no convento de Santo Domingo (não incluso no valor do tour), e o Boleto Turístico de Cusco, necessário para visitar os sítios arqueológicos nos arredores da cidade.

Ao fazer pesquisas entre agências para contratar o city tour em grupo, lembre de perguntar se esses ingressos estão incluídos no valor, ou não.

Normalmente, o boleto turístico sempre precisa ser comprado a parte, mas alguns Tours incluem ou não a entrada na catedral e no convento de Santo Domingo.

Como é em grupo, a gente tem pouca liberdade para ficar mais um tempinho, se por acaso alguma coisa atraiu a atenção.

O ponto positivo é que o passeio já está montado pra você. E tem transporte incluído para visitar esses pontos que ficam fora do centro.

Como é o city tour privativo em Cusco

Se eu tivesse me informado melhor, com certeza teria contratado um City tour privativo em Cusco.

Você vai visitar os mesmos sítios históricos, mas acompanhado de um guia local, específico para seu grupo.

Só de poder ir no seu ritmo, e fazer perguntas ao guia livremente, a experiência como um todo já fica mais interessante e menos cansativa. Dá pra aproveitar muito mais.

O guia ainda te busca no seu hotel em Cusco, e te devolve lá ao final do passeio. Uma mão na roda. Outra vantagem é que o tour privativo já inclui a entrada na catedral e no convento de Santo Domingo.

No tour em grupo a gente precisou comprar o ingresso para entrar na hora no convento de Santo Domingo e na catedral de Cusco.

O boleto turístico de Cusco, necessário para visitar as atrações dos arredores de Cusco, não está incluído no valor do tour.

Tour privativo em Cusco: veja mais informações e reserve

Como é fazer o City tour em Cusco de forma independente

Você também pode fazer tudo de forma independente, mas é preciso contratar um táxi para se deslocar entre os sítios históricos que ficam afastados do centro.

E de preferência, contrate também um guia, para acompanhar você e explicar a riqueza histórica de cada lugar. Vai fazer toda diferença na sua experiência.

Quanto custa o City Tour em Cusco?

Praticamente todas as agências de turismo da cidade vendem o City Tour em Cusco, com pequenas diferenças no valor do tour.

Como nós chegamos em Cusco perto da hora do almoço, já pensando em incluir o city tour na nossa tarde, não tivemos muito tempo pra escolher uma agência.

Entramos em duas agências vizinhas na Plaza de Armas, escolhemos uma e pronto. Pagamos 30 soles para fazer o city tour em Cusco (valor de setembro / 2017).

Mas fazer as coisas de última hora não costuma dar muito certo, né? Depois encontramos agências em Cusco oferecendo o mesmo passeio por 20 soles. Pesquise bem antes de fechar passeios em Cusco.

Até porque, um costume comum em Cusco é que as pequenas agências juntam seus grupos, para fazer um grande grupão com um guia só.

É uma forma de economia para eles. Mas pra gente acaba ficando bem ruim. Pessoas que pagaram diferentes valores acabam recebendo o mesmo serviço. E o grupo grande atrasa e deixa o passeio confuso.

Tem mais um detalhe sobre os valores.

Para fazer o City Tour, você precisa adquirir o Boleto Turístico de Cusco. É o bilhete que dá acesso aos sítios arqueológicos que ficam nos arredores da cidade.

Além disso, algumas agências incluem no preço o valor da entrada na catedral (25 soles) e no convento de Santo Domingo (10 soles). Pergunte ao contratar.

Se esses bilhetes não estiverem incluídos no seu tour, você vai precisar pagar na hora do passeio, por conta própria.

Nossa experiência com o city tour em Cusco

Primeira dica. Não esqueça de ir com roupas leves e sapatos confortáveis. Você vai caminhar pelas ruínas e faz muito calor durante o dia em Cusco.

Mas leve agasalhos, porque basta o sol se pôr que o frio chega de verdade!

Atrações no centro de Cusco

O ponto de encontro do City Tour em Cusco é a Plaza de Armas, no centro da cidade. As primeiras atrações visitadas são feitas a pé, nas proximidades da praça.

A visita à Catedral de Cusco custa 25 soles. O valor não estava incluído no nosso passeio. Era preciso pagar na hora e em dinheiro. Como estávamos em grupo, a maioria optou por não pagar. E nosso grupo simplesmente só visitou a catedral por fora.

Se você tiver mais sorte do que eu, e conseguir visitar a Catedral de Cusco, saiba: não é permitido tirar fotos no interior da igreja.

Depois da catedral, visitamos Qoriqancha, ou Templo do Sol, onde finalmente entramos. A entrada em Qoriqancha custa 10 soles (também não incluído no tour, pagamos na hora e em dinheiro).

City tour em Cusco - Qoriqancha
Foto: Fui Ser Viajante

O atual Convento de Santo Domingo foi construido sobre as ruínas do antigo templo inca. A visita foi rápida, e me deixou com vontade de olhar tudo com mais calma.

As fotos são permitidas apenas no pátio central do templo.

Anota a dica: Há muitas igrejas no centro de Cusco, mas para conhecer a maioria delas é preciso pagar uma taxa de visitação.

Atrações nos arredores de Cusco

Depois de visitar as duas atrações no centro de Cusco, nosso grupo pegou um ônibus e seguiu para conhecer os sítios arqueológicos na periferia de Cusco. 

Todas as atrações visitadas estão incluídas no valor do Boleto Turístico. Você não precisa pagar nada mais a partir de agora. Ufa!

A portaria de todos os sítios arqueológicos funcionam das 7h às 18h. Na sequência de visita, conhecemos:

– Sacsayhuaman, ruínas de um antigo templo, que muitos acreditam ter sido uma antiga fortaleza Inca. Fica a 6 km da cidade. Lá fica a estátua do Cristo Branco, e temos uma vista linda de Cusco;

– Q’enqo, outro antigo lugar de culto, hoje em ruínas, que fica a 4km de Cusco;

– Puka pukara, um antigo quartel e local de hospedagem para os Incas. Lá vimos nosso primeiro pôr-do-sol na terra dos Incas. Fica a 7 km de Cusco;

City tour em Cusco - Pukapukara
Foto: Fui Ser Viajante

– Tambomachay, um conjunto de ruínas de antigos terraços e banhos.

Mesmo com toda correria, já chegamos aqui no final da luz do dia, e não tinha mais ninguém na portaria.

Entramos, mas não ganhamos nossa marcação no Boleto Turístico para essa atração. E não vimos quase nada, porque rapidamente escureceu. Fica a 7.7 km de Cusco.

Dependendo da empresa, ainda se faz uma última parada no city tour.

Nós visitamos uma lojinha de artesanatos, roupas e produtos típicos peruanos. As paradas nesse tipo de comércio são bem comuns em todos os tours em Cusco e no Vale Sagrado dos Incas.

City tour em Cusco - loja de artesanato local
Foto: Fui Ser Viajante

Vale a pena fazer o City Tour de Cusco?

Eu estava muito ansiosa por esse passeio! Cheguei em Cusco empolgada para aprender mais sobre os Incas, conhecer os sítios arqueológicos e ver todas as paisagens incríveis que o destino prometia.

Mas a verdade: não gostei do City Tour em Cusco nesse modelo de passeio em grupo.

Pra começo de conversa, pegamos um grupo que não visitou a Catedral. Nosso city tour começou de verdade em Qoriqancha.

Então minha primeira dica: pergunte tim-tim por tim-tim na agência sobre o que está incluído, para ter direito de cobrar e reclamar caso uma coisa assim aconteça.

E se puder, contrate um tour privativo.

City tour em Cusco - Tambomachay
Foto: Fui Ser Viajante

A parte boa do passeio foi que nosso guia sabia muito, muito sobre tudo. Ele começou a dar explicações muito bacanas no Templo do Sol. Ficamos muito impressionados, achando que tínhamos tirado a sorte grande com o guia.

Mas o problema logo apareceu: ele começou a fazer tudo com muita pressa, correndo tanto de um lugar pra o outro que a gente mal aproveitava o lugar, e quase não conseguia tirar fotos.

A correria começou a fazer sentido quando a tarde foi acabando e a gente ainda tinha muita coisa pra ver.

O City Tour inclui muitas atrações, e quem quer ver tudo ao mesmo tempo acaba não vendo nada direito.

E por causa dos atrasos normais em grandes grupos e da correria do guia, chegamos na última atração já sem luz do sol e sem mais ninguém na portaria.

Em resumo, eu não gostei de fazer o City Tour em Cusco com um grupo.

Se fosse novamente, teria escolhido o tour privativo sem sombra de dúvidas.

Faça suas reservas

Lila Cassemiro
Pernambucana, contadora de histórias e bem curiosa. Geminiana apaixonada por artes e culturas, sempre com a mala pronta pra viajar de novo. Eu gosto de gente.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Ludmila disse:

Oi Klecia, você acha interessante fazer city tour de Cusco antes de Machu Picchu? Maras e Moray tudo bem deixar para depois? Considerei fazer vale sagrado antes de Machu Picchu, mas os outros passeios depois.. e estou pensando em mudar.. Pela sua experiência o que acha?

Rafael Cassemiro disse:

Oi Ludmila, Dependendo do horário que você vai chegar em Cusco, daria pra fazer o City tour no mesmo dia (como nós fizemos – Chegamos por volta das 11am e marcamos o city tour para o mesmo dia as 14hs – todas as agencias fazem mais ou menos no mesmo horário). é um bom passeio para aclimatar com a altitude de Cusco.
Nós fizemos Maras e Moray antes de ir a MP, mas dá pra deixar para depois sem problema.
Obrigado pela visita e boa viagem

Analuiza disse:

oi Klécia… bom saber sobre estes pormenores. Esta é uma conta difícil de fechar e acho que a gente deve contar um pouco com a sorte de ter um guia bom. Eu tenho problemas com guias, pois meu ritmo é muito lento para eles, mesmo quando é particular. No Atacama fizemos os passeios com guia. Tive dificuldades em acompanhar, porque quando estava observando e absorvendo o grupo já estava distante e eu ficando para trás. Nos sítios arqueológicos do México fizemos tudo por conta e eu achei sensacional, mas havia informações disponíveis. Claro, poucas, mas suficientes para caber no meu ritmo. Uma amiga contratou estes dias um guia em Chichén e o que ele contou a ela eu já sabia e disse muito menos do que eu consegui aprender sozinha.

Contudo você recomenda que para Cusco eles são importantes. Eu acredito. Vou pensar, quando visitar, em me organizar financeiramente para pagar o privado, ou então, entregar aos deuses Incas para pegar um guia e um grupo de qualidade, como os que você pegou em outros passeios. 🙂 bjuuuss

Juliana Moreti disse:

Desses locais apenas nao visitei Pukapukara e Tambomachay, mas por preguiça. Decidimos descer um ponto antes e fazer Sacsayhuaman e Q’enqo.
No entanto, fizemos tudo por conta. Também não gosto de city tours exatamente pelos motivos que vc citou: pressa do guia e grupo grande. O que eu acabei fazendo: quando achava interessante, contratava guias locais dentro de cada sitio. Tudo bem que tive tempo. Foram 5 dias em Cuzco (3 antes de MP e 2 depois)

Klécia disse:

Eu não tinha tempo, e acabei optando pelo conjunto de passeios guiados. Mas o único que me deixou arrependida da escolha foi esse. Faria tudo de novo, com guia pessoal, pra aproveitar com calma. É sem duvida um passeio de um dia inteiro, que eles fazem caber em 4 horas. Uma pena.