Fui ser viajante no Peru: nossa primeira vez na terra dos Incas

O Peru é inacreditável.

Fiquei um tempo aqui olhando para a tela, pensando em como começar a contar nossas aventuras pelo Peru. Dedilhei umas frases aqui e ali, mas apaguei tudo para começar logo dizendo a maior verdade: o Peru é inacreditável, mesmo.

Foram 9 dias, quase uma dezena de cidades. Uma gastronomia espetacular, uma cultura forte, uma religião sobrevivente e inspiradora. Mil cenários que até hoje estão me fazendo suspirar. Muita história pra contar. Bem-vindos à série de posts ‘Fui ser viajante no Peru‘.

Fui Ser Viajante no Peru: nossa primeira vez na terra dos Incas

Primeira vez no Peru: Por onde a gente andou?

Foram nove dias bem intensos em terras peruanas. O país foi nossa primeira parada, antes de seguirmos para Bolívia e Chile, num mochilão que durou 25 dias no total. Era começo da viagem e a gente estava com todo o gás. Aproveitamos bastante cada segundo!

Seguro viagem é essencial para toda viagem internacional. Para viajar tranquilo para o Peru (sem medo de precisar de assistência médica para o mal de altitude), faça uma cotação e garanta o melhor preço para seguro viagem aqui com nosso link afiliado da empresa Seguros Promo. Aproveite o desconto de 5% para os leitores do blog (cupom FUISERVIAJANTE5).

Lima

Começamos por Lima – que apelidei como a capital sem chuva e sem sol. Por ironia, ou pra começar quebrando paradigmas, a cidade nos recebeu com o cinza característico do inverno, mas com uma chuvinha fraca e insistente. Todos brincavam que pegamos a única chuva do ano!

Tivemos três dias inteiros na cidade, tempo mais que suficiente para conhecer as principais atrações. Teve de tudo: museus, boemia, andanças sem fim pelo centro histórico, relax nos parques incríveis da cidade, fim de tarde à beira-mar no Oceano Pacífico, visita a ruínas arqueológicas e, claro, algumas paradas para experimentar as maravilhas da gastronomia peruana – afinal Lima é conhecida como a capital gastronômica da América Latina.

A cidade me assustou um pouco no começo, com a intensa loucura do trânsito e a paisagem não convencional, cheia de contrastes onde quer que você olhe. Mas, devagarinho, ela foi ganhando meu coração. Olhei uma segunda e terceira vez e comecei a ver a Lima cheia de história, cultura e beleza que acabou ganhando meu amor, e que foi bem difícil deixar pra trás.

Leia também:
O que fazer em Lima: principais atrações para um roteiro de 3 dias

Lima - Fui Ser Viajante no Peru

Cusco e arredores

Pegamos um vôo da capital para Cusco, e é incrível como, já do avião, a gente vê a paisagem se modificando. As montanhas altas e sagradas nos receberam e impressionaram!

Ficamos três dias e meio em Cusco, e definitivamente não foi suficiente. Primeiro, a aclimatação com a altitude não é brincadeira. Não passamos mal com o temido soroche, mas não era nada fácil subir as inúmeras escadas que estão por toda parte – Incas e seu fascínio por montanhas!

Fizemos os passeios clássicos: city tour e arredores de Cusco, e as cidades de Maras, Moray, Chincero/Urubamba e Pisac, no Vale Sagrado. Também fizemos a incrível trilha para a Montaña de Siete Colores, uma das coisas mais difíceis e bonitas que já fiz na vida. Uma explosão de belezas, com paisagens e altitudes que me tiraram o fôlego (literalmente!).

Mas o resultado é que, todos os dias, sempre chegávamos muito tarde e cansados de volta à Cusco. A bonita cidade acabou sendo pouco explorada. Conhecemos só os arredores da Plaza de Armas, e acabamos não visitando alguns museus e o interior de várias igrejas históricas que estavam na minha lista. Um dia a mais teria resolvido isso, mas não deu dessa vez.

O fato é que fiquei completamente impressionada com tudo que vi por aqui. As paisagens são inigualáveis, e foi um primeiro mergulho na imponência do Império Inca, que me surpreendeu e encantou até o fim dessa viagem!

Leia também:
+ Roteiro de viagem para Cusco e Machu Picchu, no Peru

Pisac - Fui Ser Viajante no Peru

Ollantaytambo e Águas Calientes

Dormimos uma noite em cada uma, no caminho para Machu Picchu. Duas cidades pequenas e bem diferentes entre si. ‘Ollanta’ tem as belezas do Vale Sagrado onde quer que você olhe. A cidade é bem pitoresca, e dizem que o nome significa lugar de descanso, em quéchua. Nada mais justo que escolhermos descansar um dia por lá também, certo? Andamos pelos mercados, vimos a vida acontecer no ritmo peruano. As pessoas vivendo e vestindo sua cultura, misturando suas antigas crenças com as nossas. Uma mistura de tudo.

Seguimos de trem para Águas Calientes, uma cidade em polvorosa. Enquanto o ritmo de Ollanta era calmo, Águas Calientes fervia. Seu enorme mercado, os donos de restaurantes te convidado para entrar, a grande massa de turistas que ia e vinha de toda parte. O barulho do trem e da cidade povoou minha noite e foi bem difícil dormir – tá, pode ser que tenha um pouco de ansiedade por Machu Picchu, que estava logo ali!

Leia também:
+ Águas Calientes: última parada antes de Machu Picchu!
+ Como escolher a mochila de viagem ideal

Machu Picchu

O dia seguinte começou no meio da madrugada. Teve fila gigante, sol nascendo de dentro da janela do ônibus e enfim o encontro com a esperada Machu Picchu. A emoção que senti aqui, não preciso nem justificar. Conhecer a Cidade Perdida dos Incas foi o grande motivador dessa viagem e um dos momentos mais incríveis da minha vida. Ver tudo que esse povo construiu, entender um pouco da beleza da sua religião, ficar admirado a cada nova paisagem e ficar grato por poder ver tudo isso de perto, apesar do cansaço, do sol, das escadas por toda parte… Todo o sacrifício vale a pena: a energia de Machu Picchu é inesquecível!

Voltamos para Ollanta de trem e para Cusco de van, tudo nesse mesmo dia. A noite, pegamos um ônibus noturno em direção à Bolívia, por onde seguiríamos viagem. A noite de viagem foi tranquila e, quando acordei, o Peru me deu mais um presente: nos despedimos do país com a beleza do Lago Titicaca, que nos acompanhou pela estrada, enquanto seguíamos em direção a Isla del Sol, no país vizinho.

Leia também:
+ Conhecendo Machu Picchu: o dia que visitei a cidade perdida

Mais uma dica: Nós não visitamos a região de Arequipa e Colca Canion, mas essa também é uma ótima opção de destino se você tem mais tempo no Peru. Você pode conferir mais dicas sobre como colocar Arequipa e Cola Canion no seu roteiro no site Apure Guria.

Machu Picchu - Fui Ser Viajante no Peru

Acompanhe os próximos posts da série Fui Ser Viajante no Peru!

Foram muitos cenários, muitas pessoas e uma quantidade indescritível de emoções! Voltei impressionada com a beleza da natureza, que desenha mil cenários inacreditáveis pelo país. E infinitamente encantada pela simplicidade e cultura, bem como inspirada pela religião desse povo. O Peru é uma aula grande de história, associada aos prazeres de uma gastronomia única! O Peru é inacreditável!

Pontos negativos? Claro, todo lugar tem. Nunca me acostumei com a loucura do trânsito e dos motoristas, os táxis sem taxímetro, muito menos com o impreciso ‘horário peruano’. Se eu visse uma pequena lhama sozinha no caminho e parasse para tirar uma foto, sempre aparecia o ‘dono’ da lhama, para cobrar “propina” – os peruanos vestidos com roupas típicas costumam cobrar pelas fotos, também. A poluição, a falta de transporte público organizado. Vamos te contar os detalhes e os perrengues de viagem, pra ajudar no seu planejamento!

Apesar desses pequenos detalhes, esse país incrível me encantou e me emocionou mil vezes. Espero ter vocês por aqui nos próximos posts, enquanto conto as aventuras do Fui ser Viajante no Peru!

Veja aqui todos os posts do Fui Ser Viajante no Peru!

Montaña de Colores - Fui Ser Viajante no Peru

* Nossas dicas te ajudaram? Que tal reservar seu hotel aqui pelo site? Somos parceiros do Booking.com! Este post contém links afiliados dos hotéis que nos hospedamos em Cusco (Pirwa Posada del Corregidor) e Águas Calientes (Hostal La Payacha). Reservando por esses links, você não paga nada a mais e nós recebemos uma pequena comissão do Booking.com. Isso ajuda a financiar as despesas do blog! Se quiser dar uma olhada em outros hotéis nas cidades que nos hospedamos pelo Peru, pesquise e reserve por esses links: Lima | Cusco | Ollantaytambo | Águas Calientes/Machu Picchu Pueblo. A gente agradece demais a você 🙂

 

Avatar for Klécia
Klécia
Pernambucana radicada no Rio de Janeiro, mas que escolheu chamar o mundo inteiro de lar. Apaixonada pelas estradas e pelos destinos, acredita no poder dos encontros e descobertas de quem está sempre a caminho. O maior sonho? Colocar a mochila nas costas e dar a volta ao mundo ♥
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:

Klécia, preciso confessa que o Peru nunca me atraiu! Vejo as pessoas tão animadas falando sobre o desejo de conhecer o Machu Picchu e me questiono, pq eu nunca inclui esse destino na minha lista?

Mas já faz um tempo que eu venho pensando e reavaliando os meus conceitos sobre esse país. Claro que já ouvi falar muito bem sobre a sua gastronomia e esse fato já fez com que o Peru ganhasse uma estrelinha na wish list. Venho lendo alguns relatos bem bacana sobre o local, mas nessa intensidade que eu li o seu nunca encontrei. Isso pq estamos só no começo.

Quero muito acompanhar todos os posts e no fim eu te digo se ele entra ou não para a lista, mas já adianto que só com esse post o destino já ganhou mais uma estrelinha. =D

Klécia disse:

Tô aqui torcendo pra você se encantar com o Peru, Mayte 🙂

Mayara Florencio disse:

O espanhol de lá é tranquilo Klécia? Dá pra se virar?

Klécia disse:

Oi Mayara! Sim, cheio de sotaque, mas fácil. Cheguei lá só arranhando espanhol – ainda sou muito insegura com a língua, mas fiz todos os tours em espanhol e foi bem fácil de entender e acompanhar. De toda forma, em Lima e em alguns lugares de Cusco, sempre tinha gente que falasse inglês para qualquer dificuldade maior. 🙂