Fui Ser Viajante

Mochilão Peru-Bolívia-Chile: do planejamento até a viagem

Compartilhar

A gente planejou esse mochilão Peru-Bolívia-Chile por muito tempo. Posso até dizer que era nossa viagem dos sonhos.

Um combo perfeito que misturava algumas das paisagens mais lindas do continente com o desafio de passar muito tempo longe de casa, além de enfrentar condições adversas de clima, altitude e sabe-se lá mais o que fosse aparecendo no caminho.

No total, foram 23 dias de viagem (mais 2 dias de deslocamento). Passamos por três países (Peru, Bolívia e Chile) e conhecemos uma dezena de cidades, além de ilhas, povoados e inúmeros sítios arqueológicos.

Leia também: 7 erros comuns do planejamento de viagem

Estivemos cara a cara com alguns dos maiores clássicos do continente: Machu Picchu no Peru, o Salar de Uyuni na Bolívia e o Deserto do Atacama no Chile.

Vimos outros tantos lugares que não eram famosos, mas que renderam lembranças incríveis de viagem. Com um orçamento de US$ 5600 para duas pessoas, realizamos a viagem dos sonhos de todo mochileiro, com algum conforto e uma boa dose de aventura.

Aprendemos muito ao longo do caminho e preparei esse post vai contar nossa experiência completa no mochilão.

Dicas de planejamento, custos, experiência prática de quem já fez o percurso: esse post é um guia completo para o mochilão Peru-Bolívia-Chile!

Mochilão Peru-Bolívia-Chile: Planejamento

Definindo o roteiro-base

O mochilão Peru-Bolívia-Chile exige muito planejamento – e isso deve começar antes mesmo de comprar as passagens aéreas.

Isso porque nessa viagem, é importante combinar a busca de passagens baratas com o melhor roteiro para o mochilão pela América do Sul.

Se você já pesquisou um pouco sobre os roteiros do mochilão Peru-Bolívia-Chile, deve ter notado que existem infinitas possibilidades de roteiro. Tem gente que fez no sentido norte-sul, gente que fez do sul para o norte.

Gente que fez um trajeto circular, começando e terminando no mesmo lugar. Mas afinal, qual o melhor roteiro para o mochilão Peru-Bolívia-Chile?

A verdade é que não existe uma resposta definitiva para essa pergunta. Cada roteiro apresenta pós e contras, e a decisão é muito individual. Por isso, vou falar o que nós decidimos fazer e porquê.

Quer outra dica de roteiro de mochilão pela América do Sul? O blog Foco no Mundo fez um roteiro combinando Chile, Argentina e Uruguai e ficou ótimo!

Nós decidimos fazer o mochilão no sentido norte – sul, começando no Peru e terminando no Chile.

Temos 3 bons motivos pra justificar nossa escolha, mas que vão te ajudar a entender porque a escolha do roteiro é bem pessoal e depende das suas preferências e da época da sua viagem.

1. o preço das passagens. Para setembro de 2017, encontramos um bom valor para retirar as passagens com milhas – tanto no trecho de ida Rio-Lima quanto na volta Santiago-Rio.

Pesquise todas as possibilidades de saída/chegada, em dinheiro e em milhas, para ver o que está mais em conta na época da sua viagem.

2. estrutura após o tour no Salar de Uyuni. Fizemos o tour de 3 dias e 2 noites no Uyuni. Nesse passeio, você começa a viagem em um país e termina em outro.

Ou seja, ou você começa em San Pedro de Atacama (Chile) e termina em Uyuni (Bolívia), ou vice-versa.

Uma de nossas prioridades era terminar o tour no Salar de Uyuni em um lugar com mais estrutura, já que estávamos ansiosos com as condições adversas do deserto de sal (especialmente na segunda noite no salar).

Escolhemos terminar o tour em San Pedro de Atacama e Santiago do Chile, que oferecem uma estrutura geral melhor que as pequenas cidades bolivianas.

3. o calendário. O deserto do Atacama é um dos melhores lugares do mundo para observar o céu noturno, e esse era um dos grandes objetivos da nossa viagem ao Atacama.

Nos planejamos para estar em San Pedro de Atacama durante a lua nova, para aproveitar ao máximo o tour astronômico no deserto.
Por isso, decidimos seguir sentido norte-sul, do Peru para o Chile.

Roteiro dia-a-dia

Viajamos em setembro de 2017. Foram 23 dias de viagem e deu pra incluir muita coisa no roteiro do mochilão pela América do Sul. Mas claro que, como em toda viagem, muita coisa ficou de fora.

Quando decidimos o roteiro por Peru, Bolívia e Chile, escolhemos priorizar os clássicos de cada país. Dá uma olhada em como ficou nosso roteiro dia-a-dia no mochilão Peru-Bolívia-Chile.

Dia 0: Voo Rio – Lima (deslocamento)
Dia 1: Chegada em Lima, no Peru (6am) – centro histórico de Lima
Dia 2: Lima (Museu Larco, Barranco, Miraflores)
Dia 3: Lima (Bosque El Olivar, Huaca Pucllana e Huaca Huallamarca, Circuito Mágico de Águas)
Dia 4: Voo para Cusco (empresa Star Peru). City tour em Cusco.
Dia 5: Tour Maras e Moray, Cusco.
Dia 6: Tour Montaña de Colores, Cusco.
Dia 7: Tour Vale Sagrado dos Incas. Pernoite em Ollantaytambo.
Dia 8: Trem para Águas Calientes. Pernoite em Águas Calientes.
Dia 9: Ônibus para Machu Picchu (primeiro horário da manhã). Conhecer Machu Picchu. Trem para Ollanta e van para Cusco. Ônibus noturno de Cusco para Copacabana.
Dia 10: Imigração (fronteira terrestre Bolívia). Copacabana e barco para Isla del Sol. Pernoite na ilha.
Dia 11: Barco para Copacabana e ônibus de Copacabana para La Paz. Chegada em La Paz no fim da tarde.
Dia 12: La Paz (centro)
Dia 13: Tour Chacaltaya e Valle de la Luna, arredores de La Paz.
Dia 14: Avião La Paz – Uyuni (empresa Amaszonas). Dia 1 Salar de Uyuni.
Dia 15: Dia 2 Salar de Uyuni
Dia 16: Dia 3 Salar de Uyuni. Imigração (fronteira terrestre Chile). Chegada de transfer / van em San Pedro de Atacama. Tour Valle de la Luna e Valle de la Muerte.
Dia 17: Tour Salar de Tara
Dia 18: Tour Piedras Rojas e Lagunas Altiplânicas
Dia 19: Tour Geysers del Tatio e Tour Laguna Cejar
Dia 20: Voo de balão no amanhecer, Termas de Puritama, Tour astronômico no deserto
Dia 21: transfer San Pedro de Atacama – Calama. Voo Calama – Santiago. Bairro Bellavista em Santiago.
Dia 22: Santiago (museus do centro + vinícola Concha y Toro).
Dia 23: city tour em Santiago. Cerro Santa Lucía. Cerro San Cristóbal, teleférico e Sky Costanera.
Dia 24: Voo Santiago – Rio (deslocamento).

Passagens aéreas

Com a base do roteiro definida, era hora de pesquisar as passagens aéreas. O maior impacto no orçamento seriam as passagens internacionais Rio – Lima e Santiago – Rio.

Geralmente, eu escolho o mês da viagem e começo a pesquisar diferentes combinações de datas em sites que comparam o preço do voo em várias empresas aéreas, como o Passagens Promo.

Se eu tiver milhas disponíveis, faço o mesmo nos sites dos programas de milhagens (Smiles da Gol, Multiplus da Tam, Amigo da Avianca, e assim por diante).

Para o Mochilão Peru-Bolívia-Chile, conseguimos um bom negócio resgatando os trechos internacionais com nossas milhas do Programa Multiplus.

Compramos três trechos de vôos domésticos. A passagem Lima – Cusco nós compramos na empresa Star Peru (US$87 por pessoa).

O trecho La Paz – Uyuni viajamos com a empresa Amaszonas (US$ 75 por pessoa). Já de Calama a Santiago nós voamos com a Sky Airlines (US$ 45 por pessoa).

Compramos todas as passagens diretamente nos sites das empresas aéreas. Todos os voos foram pontuais e tranquilos, não temos nenhuma reclamação a fazer sobre as empresas.

Além de conseguirmos um preço razoável para as viagens de avião, economizamos muito tempo de deslocamento.

Por terra, a viagem de ônibus Lima – Cusco dura 22 horas (semi-leito, US$34 por pessoa); de La Paz a Uyuni lá se vão mais 10 horas (semi-leito, US$15 por pessoa) e de Calama a Santiago é preciso enfrentar 21 horas de estrada (semi-leito, US$48 por pessoa).

Além do longo tempo em trânsito, ainda encontramos vários relatos de mochileiros que tiveram problemas nessas viagens de ônibus.

Leia também: Como comprar passagem aérea mais barato

Deslocamentos terrestres

Já as passagens de ônibus do mochilão Peru-Bolívia-Chile nós compramos durante a viagem. Cusco – Copacabana compramos logo que chegamos em Cusco, na mesma agência que compramos os tours pela cidade.

Copacabana – La Paz, compramos quando chegamos em Copacabana, antes de ir para Isla del Sol. Nos dois casos, viajamos com a empresa Titicaca.

As viagens por terra no Mochilão pela América do Sul foram um pouco confusas (especialmente nos trechos dentro da Bolívia).

Interdições, desvios de rota, informações desencontradas e muito atraso. Leve isso em consideração ao reservar passagens terrestres e programar atividades logo após o deslocamento.

A dica é: nos dias de deslocamento terrestre, deixe o dia livre para não ter dor de cabeça.

De Ollanta para Águas Calientes, tivemos uma ótima experiência no trem vista dome da Peru Rail. Compramos com antecedência, o que foi essencial para garantir um bom preço.

Usamos uma empresa de transfer para ir da fronteira da Bolívia até o centro de San Pedro de Atacama. Deixamos tudo acertado e pago desde Uyuni, quando começamos o tour pelo deserto de sal.

Mas para quem não tem nada acertado, as empresas também oferecem o transfer ali mesmo na fronteira. Também compramos um transfer para ir de San Pedro de Atacama até o aeroporto de Calama.

Utilizamos a empresa Transvip e reservamos tudo pela internet no dia anterior da viagem, no site da empresa. A van chegou no nosso hotel na hora marcada, e o pagamento é feito no guichê da empresa quando desembarcamos no  aeroporto. Tudo fácil e tranquilo.

A gente preferiu não alugar carro durante o mochilão Peru-Bolívia-Chile. Na verdade, depois de percorrer as estradas dessa nossa América do Sul, eu nem recomendo que você faça isso!

Para os deslocamentos mais remotos, como o deserto de sal, você precisa de um guia. Nas cidades, tivemos uma péssima experiência com o trânsito de Lima e em La Paz, mesmo andando de táxi.

Em Santiago, o trânsito ‘faz sentido’. Embora a cidade tenha um bom serviço de metrô, você pode alugar um carro se quiser explorar os arredores com mais liberdade.

Por exemplo, vale muito a pena visitar as vinícolas do Valle de Casablanca, ou mesmo Valparaíso e Viña del Mar. Um carro pode te ajudar bastante – mas nós já fizemos todos esses passeios de ônibus e foi tranquilo também!

No Atacama, muita gente aluga um carro para fazer os tours por conta própria. Surpreendentemente, é tudo muito sinalizado por lá, e com um GPS você consegue chegar em (quase) todo lugar.

Se você quer liberdade para conhecer o deserto do Chile, vale fazer uma cotação e ver se vale a pena alugar um carro.

Nós usamos e recomendamos e empresa Rent Cars para aluguel de carros no Brasil e no mundo. Você consegue ver o valor da reserva em reais (sem IOF), pagar com cartão e até parcelar em 12x.

Hospedagem

Para o mochilão Peru-Bolívia-Chile, nós reservamos todos os hotéis ainda no Brasil, usando o site Booking.com.

Nossa maior preocupação na hora de escolher a hospedagem é encontrar um lugar seguro, limpo e bem localizado. Ah, e sempre fico de olho nas avaliações dos outros hóspedes.

Nós não escolhemos hospedagens de luxo, mas gostamos de um conforto mínimo na hora de descansar depois de um dia inteiro de passeios.

De maneira geral, ficamos em quartos privativos de hostels ou pousadas / residenciais. Veja abaixo nossa lista completa de hospedagem no mochilão Peru – Bolívia – Chile.

Clique nos links para ver mais de cada hotel e conferir os preços atualizados:
Lima: Chaski Lodge (ficava em Miraflores, mas o hostel fechou!). Um similar em qualidade, preco e localização é o F1 Hotel Boutique.
Cusco: Pirwa Posada del Corregidor
Ollantaytambo: Hostel Andenes
Águas Calientes: Hostal La Payacha
Isla del Sol: Intikala Hostel
La Paz: Residencial Alta Vista
San Pedro de Atacama: Restaurant y residencial Chiloé
Santiago: Chile Pepper Hostel

Se o hostel não tem vaga para suas datas, ou você quer dar uma olhada em outras opções, basta procurar no site Booking.com.

Seguro Viagem

O seguro viagem não é obrigatório para quem viaja pela América do Sul, mas se tem uma coisa que a gente recomenda, é fazer um seguro antes de viajar para o Peru, Bolívia e Chile!

Na fase de planejamento, lemos vários relatos de pessoas que passaram mal com o soroche (o temido mal de altitude) e precisaram acionar o seguro – inclusive com casos de internação!

Incidentes podem ocorrer a todo momento, especialmente quando você está viajando por locais remotos, com condições extremas de clima e altitude, além de uma gastronomia diferente (e nem sempre com bons padrões de higiene).

Nós não sentimos nada, e não precisamos usar o seguro viagem. Mas encontramos com viajantes que passaram 3 dias trancados no quarto em La Paz, por causa de uma infecção alimentar.

Melhor viajar tranquilo, né? Nós usamos e indicamos a empresa Seguros Promo, que oferece uma comparação de preços entre as principais agências de seguro viagem do mercado.

Assim, fica fácil encontrar o melhor custo-benefício! Faça sua cotação com a Seguros Promo e aproveite o desconto de 5% com nosso cupom FUISERVIAJANTE5. E também temos um post pra ajudar você que precisa entender mais sobre seguro viagem.

Ingressos

O único ingresso de atração que compramos antecipadamente foi a entrada em Machu Picchu (turno manhã) – veja aqui como comprar os ingressos para Machu Picchu!

Todos os outros ingressos compramos nas cidades, pesquisando o menor preço de agência em agência. Demora um pouco mais, mas é a melhor forma de economizar no mochilão Peru-Bolívia-Chile.

Chip de celular

Viajamos com o chip de internet desses planos internacionais. Usamos pra chamar o Uber em Lima, Cusco e Santiago, mas em La Paz o Uber não tinha carros cadastrados. Também foi ótimo para me manter ativa nas redes sociais com as postagens em tempo real da viagem.

Claro que em lugares muito remotos, como a Isla del Sol e no deserto de sal na Bolívia não havia cobertura, mas nas cidades funcionou bem.

Mochilão Peru-Bolívia-Chile: O que levar?

Mochila

Não dá pra fazer mochilao sem mochila, né? Escolha uma confortável, resistente e que vai aguentar cruzar a América do Sul com você!

Temos um post contando como escolhemos nossas mochilas e dando dicas pra você escolher a sua mochila de viagem ideal!

Roupas

Um mochilão pela América do Sul vai te levar aos extremos de temperatura e de altitude. Por exemplo, se prepare para dias com muito sol e calor e noites de muito frio no deserto.

Para uma viagem longa, o segredo é levar só o suficiente, sem medo de usar a lavanderia pelo caminho.

Outra dica é se vestir em camadas – à medida que o dia vai esquentando, você vai tirando algumas peças e veste tudo novamente quando a temperatura baixar.

Leve:

Roupas de frio – jaqueta impermeável de trilha (corta-vento), segunda-pele, casaco fleece, gorro, chapéu, cachecol, luvas, meias grossas.

Calçados – botas impermeáveis (ou calçado resistente para trekking). Também levei uma papete para usar em casa ou nos passeios em dias de sol.

Higiene e cuidados básicos – escova e pasta de dentes, papel higiênico, lenços umedecidos, óculos de sol, toalha de mochileiro, saco de dormir para o Uyuni (que você pode alugar!).

Mochila de Remédios

Aproveitando que estamos falando de saúde, procure preparar uma pequena ‘farmácia’ para levar no seu mochilão pela América do Sul.

Como você vai viajar para lugares muito remotos por muito tempo, é  bom estar preparado.

Leve o básico:

– remédios para dor (de cabeça, muscular, de barriga).
– remédio de uso contínuo (diabetes, pressão, anticoncepcional, etc)
– remédios para azia, má digestão
– primeiros socorros para cortes e machucados (remédios, band-aid, gaze, etc)
– lubrificante para ressecamento dos olhos e nariz, hidratante
– protetor solar
Durante a viagem, compre folhas de coca para mascar – são indicadas para prevenir o mal de altitude!

Consumo

Especialmente para o Salar de Uyuni, você precisa levar lanches e água para o caminho.

Compre tudo na cidade, antes de começar o tour. Para cada pessoa, é recomendado levar pelo menos 6L de água para a travessia de 3 dias.

Evite comprar alimentos de origem animal e vegetal, já que eles não podem entrar no Chile e as bagagens serão fiscalizadas na fronteira.

Dinheiro

Para o mochilão Peru-Bolívia-Chile, nós viajamos com dólar. Fizemos o câmbio em cada país, trocando somente o necessário para o tempo que íamos passar no país em questão.

Assim a gente perdia menos com o câmbio. Procure também fazer câmbio nas capitais, sempre que possível. A cotação costuma ser bem melhor!

Mochilão Peru-Bolívia-Chile: Quanto custa?

No total, essa viagem custou US$ 5600 dólares para o casal, ou US$2800 por pessoa! Esse valor não inclui as passagens Rio-Lima e Santiago-Rio, que retiramos com milhas.

Não foi uma viagem com muito luxo (tirando o voo de balão no Atacama, que foi o luxo mais bonito que já investimos na vida!).

Economizamos sempre que deu, mas não abrimos mão do conforto básico. Foi uma viagem incrível, a viagem dos sonhos que a gente esperava!

Preparei uma planilha com os gastos discriminados, um a um. Para fazer o download clique aqui

Você também pode conferir nossa lista completa de posts sobre o mochilão, organizados por país no menu principal do blog!
-> Todos os posts sobre o Peru
-> Todos os posts sobre a Bolívia
-> Todos os posts sobre o Chile

Comece a planejar sua viagem!

Escolhemos parceiros caprichados para te ajudar a transformar a sua viagem em realidade! E quando você faz suas reservas usando os links aqui do site, você apoia nosso conteúdo e faz o blog crescer cada vez mais! 😀

  Reserve sua hospedagem no Bookingsão milhares de hotéis e pousadas, para todos os gostos e bolsos. Sem taxa de reserva, com programa de fidelidade (ganhe descontos a partir da 10a reserva) e com muitas opções de hospedagem com cancelamento gratuito!
  Aluguel de carro com a Rentcars: Para viajar no Brasil ou no exterior, sempre fazemos a cotação do aluguel de carro no site da RentCars, que compara o valor das locadoras locais e mostra rapidinho qual o melhor preço para nossas datas. Dá pra parcelar em 12 vezes e o pagamento é sempre em reais (sem IOF!)
  Seguro Viagem com a Real Seguros:  O site compara os diferentes planos e preços oferecidos pelas seguradoras, para você escolher facilmente qual o seguro viagem com melhor custo-beneficio. E clicando por esse link você ainda ganha 10% de desconto em qualquer seguro do site!
 Economize e pule a fila: Compre ingressos antecipados para as principais atrações do seu destino. Não perca tempo na fila. Se a atração é muito concorrida, vale garantir seu lugar antecipado! Compare e encontre os melhores preços de ingressos e tours: Tiqets e Get Your Guide

Sair da versão mobile